Cancro de pele “não melanoma” é o mais comum – e muito acima da média nacional

cancro de peleO cancro da pele não melanoma é o tipo de cancro mais comum detectado nos Açores entre os anos de 1997 e 2011, de acordo com o Registo Oncológico Regional dos Açores - RORA, ontem divulgado pelo Serviço Regional de Estatística. As comparações com o resto do país não são possíveis, uma vez que os registos nacionais, se existem, não são públicos para todos esses anos (apenas tivemos acesso aos dos anos 2001, 2005 e 2006). Mas quando se compara com os dados nacionais de 2005, os cancros da pele não melanoma registados nos Açores representam 6,16% do total nacional, o que está muitíssimo acima da nossa taxa populacional (que é de 2,4%). Este tipo de cancro nos Açores representa 20,3% no total de cancros nos homens, e 22,3% nos cancros nas mulheres.
O 2º cancro mais comum é o do conjunto Traqueia, Brônquios e Pulmão, que de 1997 a 2011 representou 18,9% dos cancros nos homens, embora apenas 3,6% nos cancros das mulheres. Na comparação realizada sobre o ano de 2005, este tipo de cancro apresenta uma taxa global de 4,2% do total nacional, sendo 4,75% no caso dos homens e 2,3% no caso das mulheres.
Os dados do RORA apresentam os números totais por tipos de cancro, mas a sua repartição por idades é feita em termos de taxas por 100 mil habitantes e por sexo. Mas permite compreender que o cancro da pele tem uma maior incidência nos homens, que têm uma taxa de 7,7 por 100 mil nas idades dos 0 aos 74 anos, e de 4,3 nas mulheres, e de 3 por 100 mil nas idades de 0 aos 64 anos nos homens e de 2,3 nas mulheres. A partir dos 60 anos de idade percebe-se que a incidência é muito maior nos homens do que nas mulheres, normalmente em mais do dobro. Por outro lado, nas idades mais novas, as mulheres parece serem mais susceptíveis (na faixa dos 30 aos 34 anos, elas estão mesmo à frente, com 13,7 por 100 mil contra 10,5 nos homens). A partir dos 85 anos de idade, a taxa é de 1090 por 100 mil nos homens, o que significa que cerca de 1,1% dos homens vivos com essa idade terão esse tipo de cancro, enquanto que esse valor baixa para 0,5% no caso das mulheres.
Os cancros da Traqueia, Brônquios e Pulmão manifestam-se de forma diversa: a partir dos 85 anos a taxa é de 330 por 100 mil nos homens e de apenas 62 nas mulheres. A maior incidência acontece na faixa dos 70 aos 74 anos no caso dos homens (0,5% da população com essa idade), enquanto que nas mulheres os maiores valores acontecem a partir dos 80 anos, mas na casa dos 60 casos por 100 mil.
Segundo os laboratórios Roche, “os dois tipos de cancro de pele não-melanoma mais comuns são o carcinoma basocelular e o carcinoma espinocelular ou pavimentoso ou epidermoide. Este tipo de carcinomas tende a aparecer na cabeça, na face, no pescoço, nas mãos e nos braços, as áreas mais expostas ao sol. Porém, o cancro de pele pode surgir em qualquer parte do corpo. O carcinoma basocelular ou basalioma cresce lentamente. Aparece com frequência em áreas da pele que estiveram expostas ao sol, sendo mais comum na face. O carcinoma basocelular raramente se espalha para outras partes do organismo. O carcinoma pavimentoso ou espinocelular também se desenvolve em áreas da pele que estiveram expostas ao sol. Pode, no entanto, aparecer em locais não expostos ao sol. O carcinoma espinocelular pode atingir os gânglios linfáticos e alguns órgãos”.