Açores são a região com menos imigrantes e a segunda onde o seu peso per capita é menor...

Pessoas na rua - PDLOs Açores continuam a ser a região do país onde residem menos estrangeiros. De acordo com o Anuário Estatístico de Portugal, referente ao ano de 2012, lançado na última semana, os Açores têm apenas 3.331 estrangeiros com estatuto legal de residente, o que corresponde a apenas 0,88% do total nacional, que é de 414.610 estrangeiros.
Mesmo no número de estrangeiros que pediram estatuto de residente em 2012, o valor é muito baixo: apenas 321 pedidos, o que corresponde a 0,83% do total nacional. Em ambos estes indicadores, os Açores são a região do país com os valores mais baixos, muito abaixo mesmo da sua taxa populacional.
Há apenas um indicador que pode revelar alguma alteração: o peso dos pedidos de estatuto de residente por comparação com o número de estrangeiros legalmente residentes. Nesse caso, o valor dos Açores é de 4,86%, o que está acima da média nacional, que foi de 4,44%.
Cerca de 1,35% da população residente nos Açores é estrangeira, o que é um valor que apenas fica acima dos 1,23% verificados na região Norte.
A estrutura dos imigrantes é igualmente muito diferente da nacional. Enquanto que no país os naturais do Brasil representam 25,4% dos estrangeiros residentes, nos Açores esse valor baixa para os 20,86%, com um total de 695, o que representa apenas 0,66% da comunidade brasileira no país. E enquanto que a nível nacional a comunidade africana (Angola, Cabo Verde, Guiné Bissau e São Tomé e Príncipe) representa 21,7%, nos Açores o seu valor baixa para 12,64%.
O facto é que as nacionalidades escolhidas pelo INE, uma listagem que exclui a América do Norte, representam nos Açores apenas 51,7% dos imigrantes, enquanto que no país representam 77,2%. Embora os dados do Anuário tenham essa limitação, é evidente que nos Açores o peso das origens não convencionais é muito maior que no resto do país.
Uma curiosidade: os chineses são neste momento a 3ª comunidade estrangeira nos Açores, com um total de 238 imigrantes legais, o que só fica abaixo do Brasil e de Cabo Verde.