Camélias do Parque Terra Nostra ganharam prémio de excelência

caméliasA International Camellia Society atribuiu duas classificações para o país pela primeira vez.
O Parque da Pena, em Sintra, recebeu, na passada sexta-feira, em Espanha, a distinção de “Jardim de Camélias de Excelência” pela International Camellia Society (ICS), durante o Congresso bianual desta associação (www.internationalcamellia.org). O Parque Terra Nostra também foi distinguido pela instituição.
Esta distinção, que ainda não sido atribuída a instituições portuguesas até agora, torna o Parque da Pena e o Parque Terra Nostra membros de uma rede internacional de jardins de excelência que coleccionam Camélias.
No caso do Palácio da Pena, o processo que conduziu a este resultado teve início em 2009, quando a empresa Parques de Sintra lançou o projecto de recuperação e identificação botânica das Camélias do Parque da Pena, com o apoio da Associação Portuguesa de Camélias, de produtores e especialistas.
O projecto implica o estudo, classificação e recuperação da extensa colecção, que inclui 2258 exemplares concentrados principalmente em quatro locais do Parque da Pena: Jardim das Camélias, Jardim Rainha D. Amélia, Jardim da Condessa d’Edla e Alto do Chá. Actualmente estão identificadas 285 cultivares, pertencentes a cinco espécies diferentes.
Em 2013, o Parque da Pena decidiu candidatar-se ao ICS mas só agora foram conhecidos os resultados. A análise da candidatura implicou a visita ao local por parte de um elemento da International Camellia Society e, por último, durante o Congresso que se realizou em Pontevedra, a avaliação por um painel de especialistas, presidentes das várias associações nacionais de Camélias e membros da ICS.
Os Açores têm apenas 4 membros nesta associação, nomeadamente o Jardim do Palácio de Sant’ana, em Ponta Delgada, o Parque Terra Nostra e o jardim José do Canto, nas Furnas, e a Quinta da Cruz de Pau, nas Capelas.