Açores lamentam “inexistência de estudo sobre centros regionais da RTP”

Vasco Cordeiro3De acordo com a agência Lusa, o presidente do Governo Regional reafirmou ontem que irá apresentar, até ao final do mês, uma contraproposta sobre o futuro da RTP/Açores e lamentou a inexistência do estudo sobre os centros regionais anunciado pela administração da empresa.
“Nós estamos a ultimar uma contraproposta, que poderá ter até várias abordagens possíveis. Naturalmente que contávamos com o estudo que o senhor presidente do Conselho de Administração da RTP referiu na Assembleia da República, mas segundo o meu gabinete foi informado, afinal esse estudo não existe”, afirmou Vasco Cordeiro, após uma audiência com a direcção da Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada.
O presidente do Conselho de Administração da RTP, Alberto da Ponte, confirmou em março, numa conferência de imprensa para apresentar os resultados anuais da empresa, que já tinha entregado o estudo sobre os centro regionais dos Açores e da Madeira à tutela.
No entanto, o chefe do executivo açoriano adiantou que “o estudo relevava apenas” porque “poderia contar novos dados ou até outros ângulos de abordagem sobre este assunto”.
Em abril, o ministro Miguel Poiares Maduro apresentou a Vasco Cordeiro uma proposta para a RTP/Açores que passa pela criação de uma empresa regional para garantir a parte de conteúdos audiovisuais, ficando a RTP com a área da informação.
Sublinhando que a postura do Governo Regional neste processo é de diálogo, Vasco Cordeiro voltou a defender que o centro de decisão da RTP/Açores deve estar na região e mostrou-se contra a constituição de uma nova empresa.
“Aparenta servir mais para transferir trabalhadores de um sítio para o outro do que propriamente dar outra vitalidade e outro futuro ao serviço público de rádio e televisão. Se já existem empresas privadas, que já têm os seus recursos humanos, compreensivelmente, digo eu, que não estão propriamente disponíveis para alinhar num processo de pura e simples recepção de recursos humanos de uma empresa que já existe”, disse Vasco Cordeiro.
O parlamento dos Açores aprovou no início deste mês, com os votos favoráveis do PS, PSD, CDS/PP, PCP e PPM, que recusa a solução apresentada pelo ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional.
Por outro lado, na semana passada, a Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada (CCIPD) tornou público o interesse em conhecer os contornos da reestruturação da RTP/Açores, nomeadamente a constituição de uma empresa de conteúdos, tendo reunido no início desta semana, em Lisboa, com o Conselho de Administração da RTP.
Após uma audiência pedida a Vasco Cordeiro, o presidente da direcção da CCIPD revelou a existência de “preocupação” com a operacionalização do modelo proposto pelo ministro Poiares Maduro, alertando para o facto de já existirem nos Açores empresas que produzem conteúdos para a RTP regional.
“Existem privados que já têm como actividade principal o desenvolvimento de conteúdos e também trabalho logístico à volta da produção audiovisual e para nós seria fundamental que o que quer que seja feito, e se vier a ser constituída a empresa de conteúdos, se tenha em atenção que existem privados já a ocupar parte desse espaço”, referiu Mário Fortuna.
O responsável reiterou o interesse de associados da CCIPD nesta área, sem revelar nomes, acrescentando que este assunto já foi abordado também com as câmaras de comércio de Angra do Heroísmo e Horta.