Destino do navio “Atlântida” será conhecido até ao final do mês

atlantida-navioO prazo para os candidatos à compra do Atlântida melhorarem as ofertas terminou ontem, mas o destino do navio rejeitado pelos Açores só será conhecido até final do mês, avançou fonte dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC).
“O prazo para os três candidatos melhorarem as ofertas iniciais terminou às 11h, mas antes do final do mês não será conhecido o resultado do concurso público internacional”, explicou à agência Lusa fonte da administração dos ENVC.
Ao concurso para a venda do navio que o Governo Regional encomendou aos ENVC, e depois rejeitou, concorreram três empresas: a Mystic Cruises, do grupo Douro Azul (cruzeiros turísticos); o consórcio MD Roelofs Beheer BV e Chevalier Floatels BV (empresas holandesas representadas por um grupo espanhol); e os gregos da Thesarco Shipping.
A melhor proposta das três apresentadas ao concurso lançado a 11 de Março pela administração dos ENVC foi a dos gregos, rondando os 13 milhões de euros. Já a proposta da Douro Azul rondava os oito milhões e a dos holandeses quatro milhões.
De acordo com o caderno de encargos, que tem como único critério a melhor proposta financeira, após a fase agora concluída, explicou à Lusa a fonte dos ENVC, o júri tem cinco dias úteis para elaborar um relatório preliminar. Conhecida esta decisão do júri, presidido por um elemento da Inspecção-Geral de Finanças, os três concorrentes dispõem de cinco dias úteis para se pronunciarem.
Findo este prazo, e “caso não haja reclamações”, explicou a mesma fonte, o júri, que integra ainda um elemento da Direcção-Geral do Tesouro e Finanças e outro da Direcção-Geral de Armamento e Infra-estruturas de Defesa (MDN), terá que elaborar o relatório final em cinco dias úteis. Comunicará então a decisão à administração dos ENVC, a quem cabe a última palavra, ao que tudo indica “antes do final deste mês”. “Se os prazos forem interrompidos por causa de reclamações, a previsão de conclusão do processo até final do mês poderá ser dilatada”, adiantou a fonte dos ENVC.
As três empresas na corrida à compra do Atlântida foram convidadas a melhorar as ofertas iniciais no passado dia 27 Maio.
O navio foi construído nos ENVC, por encomenda do Governo Regional dos Açores, que depois o rejeitaria em 2009, devido a um nó de diferença na velocidade máxima contratada. Concluído desde Maio desse ano, o Atlântida está avaliado em 29 milhões de euros no relatório e contas dos ENVC de 2012, quando deveria ter rendido quase 50 milhões de euros.
Os ENVC estão em processo de liquidação, tendo os terrenos e infra-estruturas sido subconcessionadas ao grupo privado Martifer, que criou para o efeito a West Sea. A nova empresa tomou posse no passado dia 2 de Maio.