29 empresas açorianas nas PME Excelência mas valor cresceu menos que a média nacional

  • Imprimir

iapmeiA flexibilização que o IAPMEI introduziu este ano nos critérios de acesso ao Estatuto PME Excelência permitiram que na listagem referente ao ano de 2014 os Açores tenham 29 empresas nesse estatuto. Mas ao contrário do que acontece no resto do país, não é nem o maior valor de sempre, nem acompanhou o crescimento verificado a nível nacional.
Devido às alterações do IAPMEI, o número de empresas distinguidas este ano (a lista foi apresentada publicamente no dia 26, em Lisboa) passou de 1.103 para 1.846, o que é um crescimento de 67%, enquanto que nos Açores passou-se de 19 para 29, o que representa um aumento de 52,6%. E ao contrário do país, que atingiu o maior valor de sempre, 2014 fica abaixo das 32 empresas que se verificou em 2011, e muito próximo das 27, de 2012, e das 24 de 2010.
Há outro dado que pode ser considerado preocupante: não há nennhuma empresa da área industrial (que na listagem do país representa 35% do total) e parece haver uma predominância do comércio – com 58,6%, quando no país não passa dos 29%. As empresas do turismo, que representam 24% do total regional (no país são apenas 13%), são sobretudo agências de viagens e nenhum hotel.

A PME Excelência é uma marca registada do IAPMEI (Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação). Trata-se de um “estatuto de qualificação empresarial” criado pelo IAPMEI, numa parceria com o Turismo de Portugal e um conjunto de 9 Bancos Parceiros: Banco BPI, Banco Popular, Barclays, Caixa Geral de Depósitos, Crédito Agrícola, Millenium BCP, Montepio, Novo Banco e Santander Totta.
As PME Excelência são selecionadas pelo IAPMEI e pelo Turismo de Portugal, com base no universo das “PME Líder” e devem cumprir adicionalmente os seguintes critérios: 1 - Pertencerem aos 2 primeiros níveis de rating (AAA ou AA), baseado no Relatório e Contas de 2013; 2 - Cumprirem os seguintes critérios financeiros, suportados nas demonstrações financeiras de 2013:
a) Autonomia Financeira (Cap.Próprios/Ativo) >= 35%;
b) Crescimento do Volume de Negócios face a 2012 >= 5%;
c) Rendibilidade dos Capitais Próprios (Res. Líquidos/Cap.Próprios)>= 10%
d) Rendibilidade do Ativo (Res. Líquidos/Ativo Líquido)>= 3%
quadro-pme2É aqui que o IAPMEI entendeu flexibilizar, sendo que apenas alíneas a) a c) - poderão apresentar os seguintes valores mínimos: Crescimento do Volume de Negócios >= - 5%; Autonomia Financeira (Cap.Próprios/Ativo >= 30%; Rendibilidade dos Capitais Próprios (Res. Líquidos/Cap.Próprios) >= 8%
Da listagem de 7.418 Empresas Lider que existem no país, os Açores têm 131 empresas, o que representa 1,8% do total.
A nível nacional, no geral, as PME Excelência 2014 “melhoraram os resultados de vendas numa média superior a 15%, quando a média nacional foi de 1%. O EBITDA cresceu perto de 28% – quando a média nacional foi de 12% – e a rendibilidade de capitais próprios foi de 17,5% – quando a média nacional se situa nos 3%. No que diz respeito à autonomia financeira, o desempenho também é melhor do que no resto do universo empresarial: 54%, 24,5 pontos percentuais acima da média. Os ativos totais aumentaram 10%, o volume das exportações aumentou 16% em média”.

quadro-pms