Campanha "Causa Maior" leva felicidade e conforto a quem mais precisa através da Cruz Vermelha

  • Imprimir

eduardo-reisAo longo dos últimos 4 anos a campanha “Causa Maior” promovida pela “Popota” tem enchido as televisões de nossa casa cheias de alegria com as suas coreografias bastante alegres na altura de Natal. É exactamente fruto desta campanha natalicia que a Cruz Vermelha Portuguesa recebe uma verba que permite ajudar quem mais necessita. Em São Miguel os donativos vão ser distribuídos nos concelhos de Ponta Delgada, Lagoa e Ribeiraa Grande, contudo, não está colocada de parte a hipoteses de ajudar pessoas e instituições de outros concelhos...

Na passada sexta-feira a Cruz Vermelha Portuguesa, delegação de Ponta Delgada, iniciou uma nova etapa de trabalho fruto da campanha de angariação de bens promovida pela empresa “Continente/ Modelo” no concelhos de Ponta Delgada, Lagoa e Ribeira Grande. A campanha teve como anfitriã a carismática “Popota” que durante o Natal do ano passado consegui arrecadar diversos donativos monetários e materiais doados pelos micaelense que decidiram apoiar a iniciativa solidária que beneficiou a Cruz Vermelha Portuguesa.
Eduardo Reis no arranque da entrega de donativos em roupa a diversas  famílias necessitadas, centros sociais, e IPSS demonstrava-se um homem feliz e satisfeito com os resultados obetidos. O responsável pela Cruz Vermelha em Ponta Delgada referiu que “ presentemente estamos a entregar roupa de uso doméstico, nomeadamente, agasalhos e roupas de cama destinadas a pessoas idosas uma vez que o programa não nos permite sequer que distribuamos roupas para outras faixas etárias.“
A campanha que agora está a decorrer é destinada a idosos e conta com o patrocínio do “Modelo/ Continente” . Segundo Eduardo Reis existem roupas de todos os tamanhos que irão permitir aos mais idosos passar um inverno em mais conformo e agasalhados.
A Cruz Vermelha de POnta Delgada antes da distribuição de donativos contatou com diversas entidades, nomeadamente, Centro de Saúde de Ponta Delgada e com os Serviços de Acção Social da Câmara Municipal de Ponta Delgada.
A campanha que iniciou-se sexta-feira na cidade de Ponta Delgada irá estender-se muito em breve aos concelho de Lagoa e Vila Franca tendo em conta a presença da marca Continente e Modelo. No entanto, e em harmonia com Eduardo Reis não existe qualquer impedimento de ajudar familias de Vila Franca, Ribeira Grande, Povoação ou Nordeste basta para tal que as famílias/ instituições solicitem ajuda e ai será preparado uma ajuda em roupa e outros bens de necessidade.

“Causa  Maior” chega a todos na mesma
proporção

Segundo o responsável pela Cruz Vermelha em Ponta Delgada a campanha que decorre anualmente sob a organização do “Modelo/ Continente” funciona de uma forma eficaz, assim sendo, argumenta que durante o período da campanha “Causa Maior” são recolhidos todos os donativos a nível nacional e ilhas posteriormente os valores obtidos globalmente são repartidos na mesma proporção por todas as delegações da cruz vermelha a nível nacional e regional.
Confrontado com a questão se numa época essencialmente marcada pela grave crise financeira se há espaço ao espírito solidário Eduardo Reis assumiu que a verba disponibilizada este ano pela campanha Causa Maior foi menor, no entanto, em termos de dádivas garante que sempre existe um pedido de ajuda na comunicação social acaba por aparecer no dia seguinte uma resposta eficaz ao pedido através de gente anónima.

Gente Feliz por ter
conseguido ajuda

A nossa equipa de reportagem, na passada sexta-feira, consegui constatar que entre muitas pessoas que deixavam donativos em roupa existiam também pessoas em dificuldades de vida que solicitavam ajuda e roupa para os seus familias alguns deles doentes e aleijados. Após serem satisfeitas no pedido de ajuda as pessoas saiam da Cruz Vermelha com um brilho no olhar e uma satisfação total por terem conseguido roupa e conforto para os seus entes queridos.
Foi também possível constatar que o sorriso ficou estampado no rosto de quem ajudou, nomeadamente, no rosto da equipa da Cruz Vermelha que associa a ajuda efectuada como um “pagamento “ ao trabalho desenvolvido.

Apoios tardam a chegar

Eduardo Reis em conversa com o Diário dos Açores revelou que as verbas das entidades chegam cada vez  mais tarde, no entanto, especificou que a verba da Câmara Municipal de Ponta Delgada ainda não chegou contudo ainda se encontra dentro do prazo de pagamento, contudo, expressou o desejo que a crise não faça com que a verba seja reduzida.
No que se refere a verbas o responsável pela Cruz Vermelha referiu que muito em breve irão iniciar um peditório junto das empresas de forma a obter donativos para ajudar quem  mais precisa e apela que sejam solidários pois com base em experiências no passado somente 3/4% respondem afirmativamente ao pedido de ajuda.
Caso não saiba a Cruz Vermelha Portuguesa por cada donativo recebido passa um recebido que poderá entrar nas despesas da empresa ou até mesmo no IRS como donativo.
Neste Ano Europeu da Solidariedade o grande apelo da Cruz Vermelha é que “para além dos sócios da Cruz Vermelha é necessários amigos para ajudar na missão da Cruz Vermelha.”
Caso queira ser sócio da Cruz Vermelha terá que desembolsar 12,5 € e têm assim direito descontos em tratamentos e outros serviços de saúde. A doação de medicamentos é outros dos apelos de Eduardo Reis na despedida da nossa reportagem.