Investidores açorianos interessados em comprar o Novo Banco dos Açores

Novo banco dos açoresHá um grupo de investidores açorianos interessados em comprar o Novo Banco dos Açores, mas a aquisição depende do preço e da estrutura accionista - disse ao nosso jornal fonte ligada ao processo.
A primeira tentativa para aquisição de parte das acções, há alguns meses atrás, falhou por falta de investidores interessados, mas agora que o Novo Banco pretende vender por partes algumas das suas dependências, surge novamente a oportunidade de investidores açorianos entrarem no negócio - adiantou-nos a mesma fonte.
O processo deverá ser liderado pela Câmara do Comércio de Ponta Delgada, cujo Presidente, Mário Fortuna, já terá informado, há alguns meses atrás, o Banco de Portugal sobre esta intenção.
A Câmara do Comércio voltou a abordar este assunto na sua reunião de anteontem e emitiu uma nota, onde se lê que “foi visto com apreensão o adiamento da solução para o Novo Banco. No entanto, esta situação pode vir a abrir novas oportunidades, principalmente se a estratégia que vier a ser adoptada for no sentido de poder proporcionar uma maior intensidade de controle do sistema financeiro dos Açores pelo sector empresarial regional, de forma a poder-se voltar a ter maior capacidade de decisão local”.
A Direcção daquele organismo diz ainda que “vai aproveitar esta oportunidade para incrementar as diligências que tem vindo a desenvolver para se alcançar este objectivo, que é fundamental para alavancar a recuperação económica regional”.
Já na primeira tentativa para aquisição de, pelo menos, 10% do Novo Banco dos Açores, a Câmara do Comércio pretendia que a maioria da estrutura accionista ficasse nos Açores e tivesse o seu centro de decisão também na região.
Na altura Mário Fortuna declarou ao nosso jornal que lamentava a falta de investidores regionais, provavelmente devido à conjuntura económica.
Agora que a situação melhorou e com esta nova oportunidade, os investidores voltam à carga.
O Novo Banco dos Açores, como é sabido, tem uma participação maioritária do Novo Banco, cuja venda ficou agora adiada, e uma participação de várias instituições açorianas, como a Santa Casa da Misericórdia de Ponta Delgada e outras, para além do Grupo Bensaúde.

Câmara do Comércio avalia positivamente o turismo
A Câmara do Comércio de Ponta Delgada analisou ainda outros assuntos na reunião de anteontem, tendo divulgada que “foi feita uma avaliação muito positiva à evolução do turismo em S. Miguel ao longo do corrente ano, que apresenta um aumento significativo do número de dormidas e de passageiros movimentados no aeroporto de Ponta Delgada, com impacto no alojamento, na restauração e serviços de animação, bem como de outras actividades económicas. Foi ainda constatado, com preocupação, a prestação menos positiva no que se refere a Santa Maria.
A nível regional e de uma forma global a evolução é também positiva, prevendo-se a sua consolidação até ao final do ano, o que perspectiva um crescimento do turismo nos Açores de dois dígitos em 2015. Há, no entanto, ilhas que apresentam uma evolução menos positiva, o que merece preocupação e também ponderação na adopção de  medidas que corrijam esta situação.
A alteração do modelo de acessibilidades entre a Região e o exterior teve influência decisiva na mudança registada no aumento do turismo, razão pela qual este deve ser mantido, com os aperfeiçoamentos que se revelem necessários”.
A Câmara do Comércio “congratulou-se com a procura registada com vista à participação na AçoresExpo, que vai decorrer de 25 a 28 de Setembro, que é uma iniciativa que visa promover a produção, os serviços e o artesanato locais”.


Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.