População açoriana está a decrescer, mas tem mais jovens

Pessoas na rua PDLAo longo do período 2011-2016 verificaram-se decréscimos populacionais nas regiões Norte, Centro, Alentejo e na Região Autónoma da Madeira. 

A partir de 2013 a Região Autónoma dos Açores apresentou também variações populacionais negativas.

De acordo com dados estatísticos que o INE acaba de publicar, os Açores possuíam  247.440 habitantes em 2013, enquanto que em 2016 regista 245.283 habitantes. 

Em 2016 a taxa de crescimento efectivo em Portugal foi de -0,31% em 2016 (-0,32% em 2015). 

As regiões Norte, Centro, Alentejo e Região Autónoma da Madeira apresentaram taxas de crescimento efectivo negativas mais elevadas do que a verificada para Portugal.

No que se refere ao crescimento natural, verificou-se uma taxa de -0,23% em Portugal, e valores negativos mais acentuados nas regiões Centro, Alentejo, Algarve e Região Autónoma da Madeira. A Área Metropolitana de Lisboa foi a única região a apresentar uma taxa de crescimento natural positiva.

Quanto às taxas de crescimento migratório, o valor em Portugal foi de -0,08% (-0,10% em 2015), verificando-se valores também negativos nas regiões Norte, Centro, Alentejo e nas regiões autónomas dos Açores e da Madeira.  

A Região Autónoma dos Açores, que até 2012 apresentou um crescimento populacional positivo impulsionado em particular pela componente natural, apresentou a partir de 2013 decréscimos populacionais em resultado da conjugação de saldos naturais e migratórios negativos ou nulos.

Em termos percentuais, em 2016, a população residente em Portugal era composta por 14,0% de jovens, 64,9% de pessoas em idade ativa e 21,1% de idosos.

A Região Autónoma dos Açores era a região com maior percentagem de população jovem (16,2%) e menor percentagem de pessoas idosas (13,8%).

Contrariamente, a região Centro detinha a menor percentagem de jovens (12,5%) e o Alentejo a maior percentagem de população idosa (25,0%).

Na região Norte e nas regiões autónomas da Madeira e dos Açores a proporção da população em idade activa na população total superou o valor nacional (64,9%). 

O valor mais baixo deste indicador registou-se no Alentejo (62,2%).

Entre 2011 e 2016, a proporção de jovens decresceu 0,9 p.p., de 14,9% para 14,0%, a proporção de pessoas em idade activa reduziu-se 1,1 p.p., de 66,0% para 64,9%, e a percentagem de idosos aumentou 2,1 p.p., de 19,0% para 21,1%.

À semelhança do ocorrido para Portugal, todas as regiões apresentam decréscimos da proporção de jovens, com excepção da Área Metropolitana de Lisboa. 

O aumento da proporção de idosos é transversal a todas as regiões.