Celebrada escritura do Centro de Estratégia Regional para a Carne dos Açores

joão ponte escrituraO Secretário Regional da Agricultura e Florestas afirmou que o Centro de Estratégia Regional para a Carne dos Açores - CERCA é mais um importante instrumento para o fortalecimento da fileira da carne e aumento do rendimento dos produtores, envolvendo vários parceiros.

“Juntamos vontades e competências diferentes no sentido de trabalharmos para o reforço da fileira da carne, para melhorarmos o desempenho deste sector, que tem vindo a crescer nos últimos tempos”, afirmou João Ponte, que falava, em Ponta Delgada, após a celebração da escritura notarial.

O CERCA tem como sócios fundadores a Região Autónoma dos Açores, a Federação Agrícola dos Açores e a Câmara de Comércio e Indústria dos Açores, ficando as restantes associações e cooperativas ligadas ao sector como sócios ordinários, com os mesmos direitos e deveres que os sócios fundadores, caso manifestem essa vontade.

João Ponte salientou que o CERCA tem como missão encontrar e aperfeiçoar mecanismos de promoção, valorização, aconselhamento e análise dos mercados nacionais e internacionais, com vista ao fortalecimento da fileira da carne.

Esta associação de direito privado e sem fins lucrativos visa também incentivar a realização de estudos científicos e técnicos, abrangendo as diferentes vertentes sócio-económicas da realidade do sector na Região, e contribuir para a educação do consumidor, promovendo acções que divulguem os benefícios associados ao consumo de carne, em particular dos animais provenientes de pastagem.

João Ponte considerou, nesse sentido, que é preciso tirar mais partido da qualidade ambiental, do elevado estatuto sanitário, da excelência da genética, do bem-estar animal e da segurança alimentar que existe no arquipélago.

“As nossas expectativas são as maiores. Agora vamos começar a trabalhar de forma articulada”, afirmou o Secretário Regional, acrescentando que a organização é fundamental para a fileira da carne, pois estando bem organizada, ganhando escala, será “mais fácil valorizar” o produto.

Os Açores produzem carne de grande qualidade em resultado do esforço dos empresários agrícolas e dos investimentos públicos realizados em infra-estruturas de apoio à fileira, nomeadamente a construção de uma nova e moderna rede regional de abate.

João Ponte salientou que, em 2018, serão inaugurados os novos matadouros do Faial e da Graciosa, bem como concluídas as obras nas unidades de abate da Terceira e de São Miguel, que passarão a dispor de uma maior capacidade de frio e melhor operacionalidade.

“Nos últimos anos houve uma evolução de paradigma. Exportavam-se animais vivos e hoje passou-se a exportar mais carne em carcaça, com grande valorização do ponto de vista económico para os produtores”, afirmou o governante, para quem agora é preciso dar um passo em frente e apostar mais na desmancha.