Peixe retido nas Flores por falta de disponibilidade de carga nos voos da SATA

aeroporto das floresO PCP denunciou que “várias toneladas” de pescado ficaram “mais uma vez” retidas na ilha das Flores, devido à falta de espaço de carga nos voos que a SATA realizou na quarta-feira para aquela ilha do Grupo Ocidental.

O deputado do PCP eleito pela ilha das Flores, João Paulo Corvelo, sublinhou que “estamos perante um problema recorrente e que prejudica com gravidade os pescadores florentinos, lembrando que já no ano passado esta situação ocorreu várias vezes”.

Segundo o partido, “a repetida ocorrência desta situação” justifica a “reivindicação do deputado do PCP para que a SATA introduza alterações na sua planificação de voos para a ilha das Flores na época em que o goraz está mais valorizado no mercado de exportação”.

“Essa necessária alteração na planificação de voos da SATA para a ilha das Flores, aumentando espaço de carga e também a oferta de lugares, seria um contributo extremamente positivo para a economia desta ilha do Grupo Ocidental”, considera o partido.

Em Requerimento que dará entrada na Assembleia Legislativa Regional, o deputado do PCP questiona o Governo Regional sobre se está disponível para rever a programação de voos da SATA para a ilha das Flores e se pretende criar algum mecanismo para compensar os pescadores florentinos pelos prejuízos sofridos.

João Paulo Corvelo refere que “não deixará de lutar pela ampliação da oferta de transportes aéreos para as ilhas de menor dimensão e irá confrontar oportunamente o Governo Regional com este assunto”.

Entretanto, o também o deputado do PSD/Açores Bruno Melo se manifestou sobre o assunto, tendo exigido ontem ao Governo Regional que garanta o escoamento das cerca de quatro toneladas de pescado retidas na ilha das Flores por falta de capacidade de carga nos voos da SATA.

“Esta situação pode ter um impacto directo negativo no rendimento dos pescadores e também dos compradores, prejudicando a economia da ilha das Flores. Afinal, esta é altura do ano em que o peixe atinge o valor comercial mais elevado nos mercados”, afirmou o deputado social-democrata.

O parlamentar do PSD/Açores, eleito pela ilha das Flores, salientou que a falta de capacidade de carga nos voos da SATA para transporte de pescado “é recorrente e não se têm tomado medidas para evitar estes constrangimentos”.

“Aliás, esta situação não só é recorrente, como também, de cada vez que sucede, o governo regional reage sempre como se fosse a primeira vez”, disse.

Para Bruno Belo, o Governo Regional “não se pode refugiar nas desculpas e nos telefonemas para resolver o problema na ocasião, tem sim que criar as condições para solucionar o problema de uma vez por todas”.