Açores e Madeira com o maior crescimento da taxa de ocupação nos voos da TAP

tap3As ligações à Madeira e aos Açores registaram o maior crescimento percentual da TAP em Janeiro deste ano (35%), mês em que a companhia aérea portuguesa contabilizou um aumento de 16% no número de passageiros transportados comparativamente ao mês homólogo.

Segundo adianta o Jornal Económico, ao atingir um total de um milhão e 115 mil passageiros transportados, a TAP superou pela primeira vez na sua história a marca de um milhão de passageiros num mês de Janeiro. Também as ligações para o Atlântico Norte – Estados Unidos da América e Canadá – cresceram 22% e as rotas do Brasil 17%.

De acordo com a TAP, a taxa de ocupação mais elevada verificou-se nas rotas do Brasil, onde este indicador atingiu os 90,2 por cento, mas o maior crescimento de load factor, de 11,4 pontos percentuais, registou-se nos voos para Madeira e Açores.

Pela primeira vez num mês de Janeiro, a TAP transportou mais de 50 mil passageiros nos voos Lisboa – Funchal, mais 13 mil que em janeiro do ano passado e mais de 10 mil nas ligações entre Lisboa e Ponta Delgada, mais 4 mil e 600 que em 2017. 

Janeiro de 2018 foi também, refere a companhia aérea portuguesa em comunicado, o melhor mês de sempre, em termos absolutos, no volume de passageiros transportados entre Lisboa e São Paulo, 32 mil.

Recorde-se que o brasileiro David Neeleman, um dos accionistas de referência da companhia aérea portuguesa, avançou que a TAP poderá ter mais voos nos Açores e na Madeira.

Esses voos podem significar a abertura de rotas das ilhas dos Açores para aeroportos da América do Norte, nomeadamente para os Estados Unidos da América. 

As declarações de David Neeleman foram feitas na semana passada, após a assembleia-geral na qual foi aprovado o novo presidente executivo da companhia, Antonoaldo Neves.

“Estamos a pensar ter mais voos para os Açores, talvez colocando voos dos Açores para os Estados Unidos, estamos a pensar nisso no Verão que vem. Estamos a colocar mais aeronaves no Porto, podemos fazer outras coisas na Madeira”, afirmou o empresário brasileiro, argumentando que “Lisboa tem que ter uma capacidade maior que 38 operações por hora”.

Em relação à Madeira poderão surgir novas rotas da TAP à partida da ilha, nomeadamente para aeroportos europeus, o que desde há muito tempo tem sido sugerido pelas autoridades regionais, e principalmente pelos hoteleiros. Presentemente a TAP só tem voos da Madeira para Londres, se considerarmos as ligações diretas para fora do território nacional.

Nas prioridades do Governo e da ANA Aeroportos de Portugal, empresa que gere os aeroportos portugueses, deve estar a forma de aumentar a capacidade do aeroporto “para trazer mais pessoas”, que “gastam dinheiro aqui”, e garantir o crescimento das companhias, sublinhou Neeleman.