Bloco de Esquerda lembra promessas não cumpridas pela República nos Açores

Zuraida SoaresO Bloco de Esquerda nos Açores acusa o Governo da República de não cumprir os compromissos assumidos para com os Açores, com “a conivência do Governo Regional”. 

O partido criticou o facto de, a apenas um ano do fim da atual legislatura, ainda não estarem concretizados investimentos prometidos pelo Governo da República, como o novo Estabelecimento Prisional de Ponta Delgada, o Centro Tutelar Educativo, ou o radar meteorológico na Terceira. “Além disso, o AIR Center, afinal, não é aquilo que foi anunciado, e o atual modelo do subsídio social de mobilidade pode vir a sofrer alterações que vão prejudicar os açorianos”.

No parlamento açoriano, a líder do BE, Zuraida Soares, lembrou que o primeiro-ministro, António Costa, “se desdobrou em promessas, por várias ilhas dos Açores”, ajudando até o PS a “conquistar a maioria que hoje detém”, mas “o Governo da República continua sem assumir as suas responsabilidades nos Açores”.

Para o BE, “um claro exemplo” desta “falha” do Governo da República é o processo de construção do novo estabelecimento prisional de Ponta Delgada, que, apesar de ter sido apontado como uma urgência, por se tratar de um “atentado aos Direitos Humanos”, só estará pronto num prazo de 5 anos, no mínimo. “Porquê um processo tão longo?”, perguntou Zuraida Soares, que lembrou que, por exemplo, uma obra com a complexidade da ponte Vasco da Gama, em Lisboa, demorou apenas três anos a ser construída.

Segundo o partido, até as obras de recuperação da actual cadeia – que se centram apenas na recuperação de fachadas e que parecem “resultar mais da preocupação com o movimento turístico, para os hotéis da zona e para o Casino” – foram anunciadas há dois anos, mas ainda nem começaram.

O mesmo se passa com o radar meteorológico de Santa Bárbara, na Terceira, que o presidente do Instituto Portugês do Mar e da Atmosfera considera ser “uma peça importante na segurança e proteção das populações, bem como do tráfego marítimo e aéreo”, e que devia ter sido instalado há mais de dois anos, referiu Zuraida Soares.

A bloquista foi mais longe, acusando o Governo da República de “desrespeito”, face à “recente posição alarmista do ministro do Planeamento e das Infraestruturas sobre o subsídio social de mobilidade e as informações adiantadas pelo Governo Regional da Madeira” que “parecem configurar restrições à mobilidade dos açorianos e açorianas”.

No que diz respeito aos investimentos anunciados no domínio da Ciência, Zuraida Soares considera que “para esconder que a promessa de criação de um Centro Internacional de Investigação das Ciências do Mar, na cidade da Horta, era mera propaganda eleitoral, o Governo Regional, em parceria com o Governo da República, veio atirar foguetes com o AIR Center”. No entanto, foi o próprio secretário regional do Mar, Ciência e Tecnologia a “vir pôr água na fogueira das expectativas, contradizendo tudo aquilo que, há menos de um ano, foi anunciado”, ao dizer que o AIR Center terá apenas uma sede simbólica nos Açores, e que não terá muitos investigadores.