Acesso à Montanha do Pico limitado a 320 visitantes por dia a partir de Junho

picoA partir do próximo mês de Junho, o acesso à Montanha do Pico passará a ter um limite de 320 visitantes por dia e de 160 em simultâneo.

A medida consta da portaria da Secretaria Regional da Energia, Ambiente e Turismo, ontem publicada em Jornal Oficial, que introduz alterações ao Regulamento de Acesso à Reserva Natural da Montanha do Pico referentes às actividades lúdicas e de visitação que podem ser realizadas naquela área protegida.

O objectivo, segundo o Executivo regional, passa por estabelecer limites diários de subidas e de pernoitas na cratera, rever o valor das taxas das subidas autónomas e do acesso ao Piquinho, bem como incentivar as pernoitas na cratera acompanhados por Guias da Montanha através da criação de uma taxa para a pernoita aplicável ao visitante autónomo.

O documento refere que o acesso à montanha deve ser efectuado pelo trilho assinalado no terreno e, no que toca ao limite de 160 visitantes em simultâneo, este poderá ser reduzido ou aumentado, até 25%, “por decisão do Director do Parque Natural do Pico, tomada para um período específico, em função do estado do trilho e das condições meteorológicas”.

Quanto às pernoitas na cratera da Montanha do Pico, a partir do próximo mês passam a estar condicionadas a um máximo de 32 visitantes por dia e à realização de reserva prévia, devendo a escalada ser iniciada durante a tarde e terminada na manhã do dia seguinte.

A portaria prevê ainda ajustar as taxas aplicáveis, introduzindo maior moderação nos usos que podem ser mais impactantes, através da criação de uma taxa suplementar para a pernoita na cratera, do aumento do valor no acesso ao Piquinho, quer seja nas subidas autónomas ou através das entidades que podem operar nesta Reserva Natural, bem como do aumento do valor cobrado pela escalada autónoma.

Está também previsto o alargamento do período de funcionamento da Casa da Montanha, passando, durante todo o mês de Outubro, a estar aberta, ininterruptamente, das 08h00 de Sexta-feira às 20h00 de Domingo e, nos restantes dias da semana, das 08h00 às 20h00. O mesmo horário mantém-se em vigor no mês de Maio, enquanto, de 1 de Junho a 30 de Setembro, está aberta durante todo o dia e, de 1 de Novembro a 30 de Abril, todos os dias das 08h00 às 18h00.

O executivo refere que “a regulamentação destes aspectos resulta da necessidade de melhor promover, gerir e valorizar os recursos e valores naturais e culturais desta área protegida, ordenando e regulamentando as intervenções susceptíveis de os degradar, e de garantir o acesso em segurança dos visitantes, tendo em consideração as naturais dificuldades no acesso e os riscos indissociáveis à prática de montanhismo numa área natural com as características da Montanha do Pico, sujeita a frequentes mudanças meteorológicas e a largos períodos de visibilidade reduzida”.

A portaria ontem publicada revoga a n.º 29/2016, de 22 de Março, com o objectivo “de intensificar os mecanismos de responsabilização individual aplicáveis aos visitantes e ajustar as taxas de acesso à Montanha do Pico, enquanto instrumentos de protecção ambiental da Reserva Natural e de estímulo ao desenvolvimento de actividades com recurso a operadores especializados e acompanhadas por Guias de Montanha, devidamente habilitados e reconhecidos, após auscultação do Conselho Regional do Ambiente e do Desenvolvimento Sustentável e a Associação de Guias de Montanha dos Açores.