Livro “As imagens de vestir da procissão dos Terceiros” lançado na Ribeira Grande

  • Imprimir

senhor dos terceiros rib gdeO Museu Vivo do Franciscanismo, na Ribeira Grande, recebeu a sessão de lançamento do livro “As imagens de vestir da procissão dos Terceiros”, um trabalho de Duarte Chaves, doutor em História da Arte pela Universidade de Évora e mestre em Património, Museologia e Desenvolvimento pela Universidade dos Açores.

O evento contou com as presenças do Presidente da Câmara da Ribeira Grande, Alexandre Gaudêncio, bem como do provedor da Santa Casa da Misericórdia da Ribeira Grande, Nelson Correia.

Conforme se pode ler na nota enviada pela autarquia, “editada pela Câmara da Ribeira Grande, através do Museu Vivo do Franciscanismo, a obra é o resultado de uma investigação dedicada ao fenómeno da utilização de vestuário na imaginária processional utilizada nos cortejos de penitência com início no século XVII e que, no caso concreto das ilhas açorianas, se mantiveram com grande fulgor até às primeiras décadas do século XIX”.

De acordo com a mesma nota, “trata-se de um trabalho que percorre os primeiros quatro séculos de permanência efectiva da Ordem de São Francisco no arquipélago dos Açores, contando para tal com o apoio científico do Centro de História d’Aquém e d’Além-Mar (CHAM), da Universidade dos Açores e do Centro de História de Arte e Investigação Artística (CHAIA), da Universidade de Évora”.

O autor retrata um percurso com início em 1624, na ilha de Santa Maria, e que ao longo da primeira metade do século XVII se estendeu a todo o arquipélago dos Açores. 

As denominadas procissões de penitência franciscanas, fenómeno particularmente característico do espaço ibero-americano, evidenciam-se pela originalidade cenográfica, na qual é utilizado vestuário e adereços cénicos como complementos dos respectivos conjuntos escultóricos, as denominadas “imagens de vestir”.

Actualmente, Duarte Nuno Chaves realiza investigação de pós-doutoramento, é investigador integrado do Centro de História d’Aquém e d’Além-Mar (CHAM), na Universidade dos Açores, colaborando ainda com esta instituição universitária enquanto docente, leccionando disciplinas na área dos Estudos do Património Cultural, nas licenciaturas de História e Turismo.