Governo dos Açores manifesta abertura para rever apoios à cana de açúcar no POSEI

joão ponte cana de açúcarO Secretário Regional da Agricultura e Florestas garantiu a total disponibilidade do Governo dos Açores para, no âmbito das alterações anuais feitas ao programa POSEI, propor a revisão dos apoios a conceder à produção de cana de açúcar, uma cultura que tem múltiplos aproveitamentos comerciais, um grande potencial económico e historial na Região.  

“O Governo dos Açores está disponível para, naquilo que são as alterações anuais que são feitas ao programa POSEI, rever essa situação”, afirmou João Ponte, acrescentando que “tal já só será possível em 2020”.

O Secretário Regional, que visitou a Fábrica de Licores Eduardo Ferreira e Filhos, na ilha de São Miguel, salientou que, em 2017, foi introduzida uma alteração no POSEI permitindo que a cana de açúcar passasse a ser elegível na Ajuda à Produção de Hortofrutícolas, Flores de Corte e Plantas Ornamentais, recebendo um apoio de 1.150 euros por hectare.

João Ponte afirmou que irá dar orientações aos Serviços de Desenvolvimento Agrário de São Miguel no sentido de acompanharem a cultura da cana de açúcar, de modo a perceber melhor o que são os rendimentos e os ciclos produtivos, informação que será importante para se encontrar, no âmbito da revisão do POSEI, um valor que seja justo e compatível com esta cultura.

Para o Secretário Regional, importa também estudar as vantagens que possam existir do ponto de vista da produção de cana de açúcar nos Açores e as mais valias enquanto complemento à bovinicultura.

“Não há uma tradição recente em termos desta cultura na Região, pelo menos desde que existem as ajudas no âmbito do POSEI”, disse João Ponte, acrescentando, porém, que a cana de açúcar já teve grande expressão nos Açores nos séculos XV e XVI.

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas destacou ainda o percurso de crescimento, a inovação e a aposta na qualidade que a Fábrica de Licores Eduardo Ferreira e Filhos tem vindo a fazer ao longo dos anos, considerando-a um exemplo no contexto empresarial regional.

“É, de facto, notável o crescimento e a afirmação em termos de negócio, dentro e fora da Região, desta empresa familiar, dedicada à produção e comercialização de bebidas alcoólicas”, disse João Ponte, apontando o exemplo da produção de rum a partir de cana de açúcar.