IAC lança “Guia Prático da Fauna Terrestre dos Açores”

Fauna Terrestre finalPerante a falta, nos Açores, de um guia de campo sobre a sua biodiversidade,  o Instituto Açoriano de Cultura convidou os professores da Universidade dos Açores, Paulo Borges e Rosalina Gabriel, para um trabalho de coordenação sobre a matéria. O primeiro guia, dedicado à fauna terrestre da região, é lançado no próximo dia 17 de Março, pelas 18h30 na sede do IAC.  A edição, bilingue, em português e inglês, contempla 201 espécies de animais vertebrados e invertebrados e é o primeiro guia de campo de bolso sobre a fauna dos Açores, podendo ser utilizado por todos os que gostam da natureza.

Conforme se pode ler na nota enviada às redacções, o Guia Prático da Fauna Terrestre dos Açores/Field Guide of Terrestrial Azorean Fauna “é não só um livro amplamente ilustrado, didáctico e de elevado rigor científico, como uma excelente maneira de ficar a conhecer as principais espécies de animais dos Açores, permitindo uma fácil e rápida identificação das espécies endémicas, sejam as mais fáceis de observar, sejam as mais raras”.

Livro de Guilherme de Morais apresentado a 12 de Março

guilherme de morais

O livro Ilhas do Infante – Um Cruzeiro nos Açores, de Guilherme de Morais, uma edição Artes e Letras, será apresentado em Ponta Delgada, no próximo dia 12 de Março, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, pelas 18 horas. A apresentação estará a cargo de Urbano Bettencourt. 

Guilherme de Morais nasceu na cidade de Ponta Delgada, a 8 de Setembro de 1904. Faleceu ainda jovem, com apenas 33 anos de idade. Destacou-se como estudante distinto na sua ilha onde frequentou o Liceu Antero de Quental, quer em Lisboa, onde se formou em Direito. Distinguiu-se como homem das letras e do jornalismo. 

Em 1938, Ilhas do Infante surge enquanto obra – uma compilação de crónicas publicadas no Correio dos Açores, onde o autor exerceu funções de jornalista. Guilherme Morais foi pai de Ruy-Guilherme de Morais, também distinto jornalista e escritor a quem o município de cidade Ponta Delgada fará homenagem na mesma sessão. Esta reedição, que era urgente dar à estampa, conta com o apoio da Camara Municipal de Ponta Delgada, devido à sua importância para a cultura literária açoriana.

Restituir o valor merecido à prosa de Guilherme de Morais, uma das vozes há muito esquecidas da literatura açoriana, é a nova aposta editorial da Artes e Letras. 

Segundo o texto que faz parte desta nova edição, José Henriques santos Barros disse: «Guilherme de Morais é um autor pouco referenciado nos estudos literários açorianos, completamente ignorada pelas mais recentes gerações, até porque não houve reedições de “Ilhas do Infante”. Não pode continuar a sê-lo, sob pena de estarmos a desperdiçar o que de melhor temos no domínio da crónica de viagens.» Por sua vez, Urbano Bettencourt, no seu texto de introdução ao livro, escreveu: «Um livro como as “Ilhas do Infante” fazia parte das minhas referências bibliográficas, mas o meu primeiro acesso a ele ocorreu por interposta leitura do texto de J. H. Barros, incluído nesta edição em boa hora levado a cabo pela Artes e Letras.»

Lançada 3.ª edição do Prémio Literário Dias de Melo

livros2Numa iniciativa conjunta do Município das Lajes do Pico e da Ver Açor, Editores, está a ser lançada a 3.ª edição do Prémio Literário Nacional Dias de Melo.

As categorias a concurso são: romance, novela e conto, sendo considerados apenas inéditos.

A recepção das obras será feita até 30 de Abril de 2020 e a indicação, pelo Júri, da obra premiada até 7 de Agosto de 2020.

O anúncio do vencedor será durante a “Semana dos Baleeiros”, no Pico. 

Roberto Silva, Presidente da Câmara Municipal das Lajes do Pico, disse a propósito deste prémio que “a Câmara Municipal das Lajes do Pico desenvolve uma política cultural defensora do interesse público e promotora da identidade do povo que habita o seu território. Nesse sentido, a valorização e promoção das gentes que marcam o concelho torna-se imprescindível, pois são e constroem a imagem de um povo, relatam-na, divulgam-na, promovem-na. Dias de Melo destaca-se nestas “gentes” como o escritor heróico da faina da caça à baleia, engrandece-se como um escritor local do Alto da Rocha do Canto da Baía que integra o panorama literário da ilha da montanha, mas também da Região Autónoma dos Açores e do panorama literário nacional. Este prémio é o reconhecimento do seu valor literário e cultural para o povo do Concelho das Lajes do Pico.”

 

Rubén Monfort expõe “Despensas - Tradição de Rabo de Peixe” no Centro Municipal de Cultura

exposição ruben monfort

“Despensas - A tradição de Rabo de Peixe” é o título da exposição de fotografia de Rube?n Monfort que foi inaugurada esta Quinta-feira, na Sala do Forno do Centro Municipal de Cultura.

A mostra é constituída por 17 fotografias e pode ser visitada até 4 de Abril, de Segunda a Sexta-feira das 09h00 às 17h00 e aos Sábados das 14h00 às 17h00.

Na exposição podem ser apreciados vários aspectos das Despensas de Rabo de Peixe, a começar pela festa propriamente dita, sem esquecer as pessoas, os momentos, as expresso?es e os detalhes de uma tradição única a nível nacional.

Rubén Monfort Meseguer nasceu a 4 de Janeiro de 1988 na cidade de Benicarló, no norte da Comunitat Valenciana, em Espanha.

É licenciado em Comunicação Audiovisual pela Universitat Jaume I de Castelló (2011), tendo a sua formação passado ainda por cidades como Covilhã ou Brasília.

Antes de chegar aos Açores, passou pela International Business School of São Paulo, no Brasil, e pelo Canal180, no Porto.

Em 2014, começou a trabalhar no jornal Açoriano Oriental e no ano seguinte na Associação Cultural Silêncio Sonoro, onde permaneceu até Janeiro último, exercendo as funções de co-director da Agenda Cultura Yuzin Azores, mais precisamente na produção e design gráfico. Nesse contexto, desenvolveu os projectos de mapa “Ponta Delgada e Santa Maria Para Pessoas Curiosas” e “La Bamba Record Store”.

Fez ainda parte da organização do Festival Tremor entre 2015 e 2019 (produção, operador de imagem e fotógrafo).

Desde 2009 que é fotógrafo freelancer, sendo de destacar o seu trabalho como  fotojornalista publicado no jornal Açoriano Oriental, na revista Açores, na Yuzin Azores, na Dazed and Confused, na P3, na Forbes e no Canal 180.

Entre 2018 e 2020 realizou o trabalho que agora pode ser observado na Sala do Forno do Centro Municipal de Cultura de Ponta Delgada, que através da fotografia documental mostra as danças tradicionais de Rabo de Peixe - as Despensas.

Andrea Scott, artista canadiana em residência com a MiratecArts

Andrea Scott as Vi

A primeira artista confirmada para a oitava edição do Azores Fringe é a escritora canadiana Andrea Scott. A dramaturga ganhou uma Residência Artística na ilha do Pico, através da MiratecArts. 

O objectivo da MiratecArts, em conceder anualmente uma residência artística na ilha do Pico é inspirar novas vozes a levar a ilha ao mundo. “Uma mulher corajosa. Não se limita apenas a escrever, mas também produz alguns dos seus trabalhos para que consigam ver a luz do dia à sua maneira. Andrea Scott exemplifica o que é a MiratecArts, alguém que não tem medo de investir na sua paixão. Portanto, é com grande prazer que a MiratecArts premeia a escritora com Residência Artística durante o Fringe para incentivar esta voz a pesquisar, escrever e a inspirar-se pela ilha montanha” explicou Ta organização aos meios de comunicação canadianos aquando da apresentação do prémio à artista.

“Passei grande parte da minha vida trabalhando no teatro e a ser recompensada com a residência de escrita na Ilha do Pico é um sonho que se tornou realidade” diz Andrea Scott, que actualmente está com a estreia mundial da sua peça, Controlled Damage, sobre Viola Desmond, uma relutante heroína canadiana, no Neptune Theatre, na cidade de Halifax. O ano de 2020 marca o seu décimo de escrita de uma forma profissional, desde que Andrea Scott se comprometeu à dramaturgia, e vai comemorar ao escrever a sua 11ª peça para o palco.

A oitava edição do Azores Fringe acontece de 29 de Maio a 28 de Junho 2020 por todas as ilhas dos Açores. Artistas açorianos que fazem parte da plataforma discoverazores.eu ainda podem propor as suas ideias e projectos, via documento de inscrição no site www.azoresfringe.com até ao final de Fevereiro.