Museu Carlos Machado distinguido com dois galardões da APOM

Projeto de Fenais a Fenais

O Museu Carlos Machado foi distinguido, no passado dia 24 de Maio, em Leiria, com dois galardões da APOM - Associação Portuguesa de Museologia.

Na cerimónia, destinada a agentes e instituições da museologia portuguesa, o museu açoriano ganhou o Prémio de Inovação e Criatividade, com o projecto “De Fenais a Fenais” e uma menção honrosa, na categoria de Investigação, para o projecto expositivo “Para que o céu não nos caia em cima da cabeça”.

Segundo avança o museu, o projecto “De Fenais a Fenais” nasce do “manifesto desejo do Museu Carlos Machado de reforçar, pela cultura, o desenvolvimento local das comunidades onde se insere e actua, estabelecendo pontes entre as suas colecções, o rico património imaterial e as gentes das freguesias entre Fenais da Luz e Fenais da Ajuda (e outras) e que ajudam a formar, neste conjunto vivo de troca de saberes e experiências, a identidade micaelense”.

“Fora das suas paredes que guardam e preservam os objectos, o Museu estende assim pela ilha de São Miguel um desafio de crescimento, de desenvolvimento e de expressão de cidadania pela cultura, com novas ligações em rede, novos encontros entre pessoas e novas actividades, fruto da sua missão e da vontade de, através do património cultural, da sua salvaguarda e dinamização, activamente participar na missão da Estratégia Regional de Combate à Pobreza e Exclusão Social. Esta estratégia do XII Governo Regional dos Açores procura, através de um plano de acções concertadas e de expressão territorializada, promover uma sociedade mais desenvolvida, coesa e inclusiva”, escreve o Museu em comunicado.

Já o projecto “Para que o céu não nos caia em cima da cabeça” foi um projecto expositivo que pretendeu “alertar e valorizar aspectos do património local em risco de extinção, nomeadamente a telha regional. Como forma de salvaguarda da paisagem dos telhados regionais, incidiu-se sobre o habitar identitário da ilha de S. Miguel, ancorando o discurso expositivo em torno do acervo do Museu Carlos Machado, tendo por base as suas colecções, especialmente a colecção de Etnografia Regional e a já estudada manifestação de Património Cultural Imaterial “Produção de Telha Regional, Tijolos e Sertãs - Ribeira Seca, Ilha de São Miguel””. 

A exposição esteve patente no núcleo de Arte Sacra do Museu até ao passado dia 31 de Março.

Primeiro Festival Infantojuvenil de Artesanato dos Açores em Maio

artesanato açoresA Vice-presidência do Governo, através do Centro Regional de Apoio ao Artesanato (CRAA) promove, de 3 a 5 de Maio, em Ponta Delgada, a realização do 1.º Festival infantojuvenil de Artesanato dos Açores - Raízes.

Esta iniciativa pioneira, que nasceu do Raízes - Projecto Pedagógico do Artesanato dos Açores, visa sensibilizar o público mais jovem para a importância do saber fazer, pretendendo o CRAA dar a conhecer tanto as técnicas e as matérias primas tradicionais como a experimentação criativa e inovadora de novas formas de fazer, para que também os jovens divulguem as tradições e a herança cultural da sua comunidade.

Nesta primeira edição, o programa do festival, para além da parte comercial, inclui workshops, espectáculos de música comentados e de teatro de marionetas, estando previstas actuações de Rafael Carvalho e dos grupos Teatro Historioscopio, Teatro Marionetas e Associação Alma d’Arame.

O festival terá também uma zona exterior de convívio, onde os mais novos terão à sua disposição brinquedos, jogos tradicionais e lanches saudáveis.

No primeiro dia do evento, 3 de Maio, estão previstas iniciativas destinadas ao público escolar, incluindo demonstrações de artesanato, um espectáculo musical comentado de viola da terra e teatro de marionetas.

Integrada neste festival, vai estar em destaque no ‘Especial Azores in a Box’ uma mostra e venda de brinquedos tradicionais e contemporâneos de várias ilhas do arquipélago, que pode ser visitada das 10h00 às 18h00, no dia 3 de Maio, das 09h30 às 20h00, no dia seguinte, e das 14h00 às 20h00, a 5 de Maio.

No contexto do Raízes - Projecto Pedagógico para o Artesanato dos Açores serão realizados workshops de pão, de modelação de cerâmica, de brinquedos de madeira, de cestaria, de bonecas de folha de milho e de bonecas de pano, devendo os interessados inscrever-se através do telefone 296 309 100 ou do email Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. .

O 1.º Festival Infantojuvenil de Artesanato dos Açores – Raízes tem entrada livre e estará aberto ao público no dia 3 de Maio, das 10h00 às 15h00, e, nos dias 4 e 5 de Maio, das 14h00 às 20h00.

Investigadora Creusa Raposo lança livro sobre Património Cultural dos Arrifes

Creusa Raposo“Arrifes: Detentores de Património cultural?” é como se intitula o livro que a investigadora açoriana Creusa Raposo se prepara para lançar. 

A obra reúne investigação de cerca de uma década sobre a história, território, toponímia, património imaterial e material da freguesia de Arrifes, concelho de Ponta Delgada, e o seu lançamento em São Miguel está previsto para os próximos meses de Maio ou Junho, ainda em data a anunciar. 

A autora já foi, entretanto, convidada a apresentar o seu trabalho junto da diáspora, nos Estados Unidos da América. No último sábado, 30 de Março, a convite da Junta de Freguesia, Creusa Raposo marcou presença, num encontro com emigrantes, em New Bedford, onde falou sobre o seu trabalho investigativo. O encontro pretendeu reunir a comunidade dos Arrifes e homenagear naturais daquela freguesia que se destacaram nos EUA. 

Creusa Raposo é mestre em Património e Museologia, tendo apresentado a sua dissertação de mestrado sobre a temática “Arrifes: urbanismo e património construído”. A investigadora tem contribuído para a promoção do património cultural açoriano, com a participação em conferências e outras actividades, a par da publicação de artigos na comunicação social regional.

Gala Regional Caravela D’ouro a 13 de Abril

Gala Caravela Douro

No dia 13 de Abril, pelas 20h30, que o Gimnodesportivo da Vila da Povoação acolherá a Gala Regional dos Pequenos Cantores Caravela D’ouro, que vai na sua vigésima oitava edição e terá como cenário “O Livro da Selva”. 

Organizado pela Câmara Municipal da Povoação, o evento musical contará com 12 participantes, dos 5 aos 10 anos, que serão avaliados por um júri de 5 elementos, presidido por Hélio Soares, seguindo-se Mónica Avelar, Baltazar Franco, Emanuel Bandarra e Filomena Loura.

Os pequenos participantes serão acompanhados, como já é tradição, por 17 músicos e dois solistas que compõem a Orquestra Ligeira da Câmara Municipal da Povoação, sob a batuta do maestro Carlos Sousa e pelo Coro Infanto-Juvenil da Caravela D’ouro, composto por 43 crianças do município povoacense, sob a direcção da Maestrina Andreia Festa Amaral.

O evento, com apresentação de Graça Moniz, contará ainda com a participação especial de Maria Frederica, vencedora da Gala Caravela D’ouro do ano passado e com o representante do Festival Infantil Baleia de Marfim, das Lajes do Pico. 

 

Livraria SolMar apresenta os Melhores Livros de 2018

livraria solmarIrá decorrer hoje, pelas 20h30, na livraria SolMar Artes e Letras a apresentação de mais uma edição “Livros do Ano”. Os convidados deste ano são: Maria Brandão, Isabel Barata, Urbano Bettencourt e Nuno Barata Almeida e Sousa.

Conforme se pode ler na nota enviada às redacções, “esta é uma iniciativa que se realiza todos os anos na  livraria, tendo como principal objectivo dar a conhecer os livros que constituíram no ano transacto a preferência dos quatro leitores convidados, personalidades distintas em várias áreas profissionais da nossa sociedade. Entre sínteses e passagens, a emoção da leitura poderá ser uma espécie de contágio para que os presentes busquem as mesmas sensações e agucem a procura dessas escolhas”. Paralelamente às escolhas que serão dadas a conhecer pelos convidados, a livraria apresenta ainda os seguintes destaques: o acontecimento literário do ano, o acontecimento editorial, o livro mais vendido do ano, e por último o pior acontecimento que se destacou pela negativa no mundo dos livros.