II Jornadas de Pneumologia HDES19

Hospital PDL2O Serviço de Pneumologia do Hospital do Divino Espírito Santo (HDES), em parceria com a Secção Regional da Região Autónoma dos Açores da Ordem dos Enfermeiros, promove as II Jornadas da especialidade, que decorrerão nos dias 17 e 18 de Janeiro, no Auditório do Hospital.

Subordinado ao tema “Desafios e Futuro”, serão apresentados vários temas de interesse como: a ventilação não invasiva; a ventilação mecânica invasiva domiciliária; passando pela apneia do sono e pela cirurgia torácica, entre outras, e contará com mais de 100 participantes.

Previamente ao programa científico, hoje terá lugar o curso pré-jornadas, “Curso Básico de Ventilação Não-Invasiva”, sendo de grande importância para o aprofundamento de conhecimento e competências neste domínio, no que concerne à promoção da qualidade e segurança na prestação de cuidados.

A sessão solene de abertura terá início amanhã, às 11h00, no Auditório do HDES,

Abraço promove formações para os rastreios de infecções sexualmente transmissíveis

Sida2A Associação Abraço vai promover duas formações nos Açores no âmbito dos rastreios das infecções sexualmente transmissíveis (IST).

Dirigidas a profissionais de saúde e das ciências sociais e humanas, que pretendam vir a realizar rastreios, as formações têm por objectivo “capacitar os profissionais para a realização dos rastreios e para o atendimento e aconselhamento de populações vulneráveis em contexto de rastreio das IST e hepatites virais”.

Recorde-se que estes rastreios foram anunciados pela associação em Agosto passado, sendo estes rastreios a primeira iniciativa da Abraço nos Açores, num projecto que conta com um apoio de 10 mil euros por parte do executivo açoriano.

Segundo foi avançado, na altura, paralelamente às formações, a Abraço irá ainda promover cerca de 500 rastreios ao VIH, através do projecto “Teste em Casa”, que “permite o conhecimento do estatuto serológico sem necessidade do contacto cara-a-cara”.

“O envelope não está identificado, a pessoa recebe o kit para fazer o rastreio em casa e sabe automaticamente qual é o seu resultado. A partir daí pedimos à pessoa para nos disponibilizar o resultado e depois podemos ajudar na ligação aos cuidados de saúde, a ter a consulta médica, a fazer as análises e a entrar em tratamento”, explicou o Presidente da Abraço, Gonçalo Lobo.

 

HDES acolhe II Jornadas da especialidade destinadas à Medicina Geral de Familiar

Hospital interiorO Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital do Divino Espírito Santo (HDES) organiza as II Jornadas da especialidade destinadas à Medicina Geral de Familiar (MGF) que decorrerão nos dias 18 e 19 de Outubro, no auditório do hospital.

“Nas jornadas de ORL na MGF serão apresentados vários temas de interesse para os cuidados de saúde primários por forma a uma melhor articulação entre especialidades, a promoção de um espaço para o esclarecimento de melhores formas de actuação e o enaltecer de uma relação de proximidade, tendo em conta o melhor tratamento dos doentes na região”, avança uma nota da organização do evento, que contará com a participação de médicos açorianos e de Portugal Continental.

No dia primeiro dia, 18 de Outubro, às 09h00, terá início a apresentação das comunicações livres e à tarde começa a apresentação das várias temáticas: “ORL e a Terapia da Fala - Indicações” a cargo de Claudia Romeiro e Madalena Saraiva; “Otoscopia” apresentada por Sandra Agostinho; “Refluxo Faringo Laríngeo e Gastro Esofágico: duas realidades” por Ana Catarina Rego e Joaquim Amaral e, a finalizar o primeiro dia, “Fronteira Oftalmológica/ORL” proferidas por João Pedro Cardoso e Sofia Decq Mota.

No segundo dia, 19 de Outubro, também a partir das 09h00, realiza-se a primeira apresentação “Surdez infantil, passo a passo” proferida por Miguel Coutinho; seguidas de: “Abordagem Multidisciplinar do Nódulo da Tiróide”, a cargo de Eduardo Ferreira, Armando Medeiros e Bernardo Dias Pereira; “A pele na ORL” por Sandra Medeiros; “Radiologia e ORL: o que pedir e quando?” por David Silva e Sara Serpa e no final a apresentação de “Envelhecimento e ORL: desafios” pelos especialistas Joaquim Amaral, Sandra Agostinho, Sofia Decq Mota e Eduardo Ferreira.

 

Todas as ilhas com reservas de sangue até o próximo ano

dar sangueO Secretário Regional da Saúde anunciou ontem, na Horta, um plano de criação de reservas de sangue em todos os centros de saúde das ilhas do arquipélago dos Açores que não têm hospital.

“Queremos ter nos centros de saúde, em ilhas onde não há hospitais, uma reserva mínima de sangue para casos de emergência”, frisou Rui Luís, adiantando que, em Santa Maria, “o processo fica concluído até ao final do ano” e durante o ano de 2019 será iniciada a implementação de reservas na Graciosa e no Corvo. 

Rui Luís, em declarações aos jornalistas à margem da cerimónia de entrega de medalhas a dadores de sangue do Hospital da Horta, salientou que o equipamento necessário a este processo, que conta com o apoio do Hospital de Ponta Delgada, já está instalado no Centro de Saúde de Vila do Porto, estando prevista formação até ao final do ano.

“A criação de reservas na ilha do Corvo será feita com o apoio do Hospital da Horta e, na Graciosa, com o apoio do Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira, após a validação do Instituto Português do Sangue e Transplantação, ficando todas as ilhas cobertas”, afirmou o titular da pasta da Saúde.

Na cerimónia de reconhecimento pela dádiva de sangue realizada ontem foram homenageados dois dadores inscritos no Banco de Sangue do Hospital da Horta, com medalhas, de ouro e bronze, e com um distintivo, pela acção de um dos voluntários na angariação de novos dadores.

“Este é um acto simbólico, na perspetiva de que estamos a homenagear uma pessoa que tem mais de 60 dádivas ao longo da sua vida e, por isso, recebe uma medalha de ouro, e, por outro lado, um jovem que, para além de já ter iniciado a sua etapa de dádivas, também é um dos promotores de angariação de outros jovens”, salientou Rui Luís.

Este ano, a Direcção Regional de Saúde já homenageou 18 dadores registados nos hospitais da Horta, da ilha Terceira e do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada.

Protecção Civil dos Açores com serviço de vídeo-intérprete

Rui Luís - serviço vídeo-intérpreteO Secretário Regional da Saúde afirmou ontem, em Angra do Heroísmo, que o novo serviço de vídeo-intérprete Serviin, destinado à comunidade surda, é um passo importante ao nível da emergência. 

“Vamos ter disponível um intérprete permanentemente, ou seja, através deste serviço, qualquer indivíduo que seja surdo e que saiba língua gestual portuguesa pode aceder ao serviço e comunicar, quer com a central da Protecção Civil, quer com os bombeiros“, anunciou Rui Luís, em declarações à margem da apresentação do novo serviço de emergência.

 Rui Luís salientou que todas as viaturas de socorro dos bombeiros estão equipadas com ‘tablets’, sendo que estas chamadas, ao chegarem à central de comunicações do Serviin, terão prioridade no atendimento.

O Serviin é um serviço de vídeo-interpretação em língua gestual portuguesa que permite colocar surdos e ouvintes em comunicação.

Esta comunicação é intermediada por um intérprete licenciado em língua gestual, que comunica gestualmente com o surdo e oralmente com o ouvinte, servindo de intermediário entre os dois.

Estima-se que existam nos Açores cerca de 1.050 pessoas com deficiência ou perda auditiva, das quais cerca de 560 com surdez profunda.

 O Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros dos Açores disponibiliza, a partir de agora, este serviço para a comunidade surda dos Açores, através do número 12472 ou via Skype – Serviin-Intérprete LGP.

 Os interessados podem obter mais informações no endereço electrónico www.prociv.azores.gov.pt/srpcba.

O Secretário Regional destacou a aposta contínua do Governo dos Açores nesta área, sublinhando o Sistema de Emergência para Deficientes Auditivos e da Fala, um serviço de emergência para o cidadão surdo para comunicação por SMS, lançado há um ano.

“Foi uma primeira solução que disponibilizámos e que levou 34 pessoas a inscreverem-se no sistema. Dessas, houve duas chamadas, o que para nós é relevante, já que se trata de situações de emergência e que justificam, por si só, o projecto”, afirmou Rui Luís.

O principal objectivo do novo serviço de emergência suportado no vídeo-intérprete é permitir anular a barreira na acessibilidade da comunidade surda a serviços de emergência, como a Proteção Civil.

No âmbito deste novo serviço de apoio, o Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros dos Açores, vai implementar o módulo ‘Técnicas de comunicação com a pessoa surda em situações de emergência, no âmbito do Curso de Tripulante de Ambulância, já a partir de Setembro.

Subcategorias