Há 9 casos de gripe influenza nos Açores, dois deles nos cuidados intensivos

vacina2Há 9 casos registados de Gripe A e B nos Açores, segundo confirmou ontem à Antena 1-Açores o Director Regional da Saúde, Tiago Lopes. Seis dos casos são de influenza A e 3 B.

Seis estão internados e dois deles nos cuidados intensivos.

O Director Regional diz que não motivos para alarme, existindo várias vacinas em stock, ao mesmo tempo que aconselha às pessoas com os sintomas deste tidpo de gripe a consultarem de imediato os médicos. 

 

Vacinação é o melhor remédio

 

A vacinação é reconhecida como a melhor forma de prevenir e reduzir os riscos de complicações grave em qualquer idade. 

A ocorrência de casos de influenza pode variar de ligeira a grave e até ser fatal. 

A gripe pode exacerbar doenças crónicas existentes, como aumentar de três a seis vezes a susceptibilidade de hospitalizações de pessoas com diabetes durante os surtos de gripe; aumentar em seis vezes do risco de Enfarte Agudo do Miocárdio (EAM) na semana seguinte ao diagnóstico da gripe; aumentar em três vezes o risco de AVC nos primeiros 15 dias após doença semelhante a gripe. 

A vacina de quatro estirpes contra a gripe contém duas estirpes A (subtipos A/H1N1 e A/H3N2) e duas estirpes B (linhagens B/Victoria e B/Yamagata) do vírus da gripe, de acordo com as recomendações da OMS.

Está indicado para a prevenção da gripe causada pelos dois subtipos de vírus influenza A e pelos dois tipos de vírus influenza B contidos na vacina na: imunização activa de adultos, incluindo mulheres grávidas e crianças a partir dos 6 meses ou mais de idade, protecção passiva do(s) bebé(s) desde o nascimento até menos de 6 meses de idade após a vacinação de mulheres grávidas.

 

Plataforma marítima com reboque a caminho das Flores com alimentos agrícolas

joão ponte floresO Secretário Regional da Agricultura e Florestas anunciou ontem que está previsto que a plataforma marítima com reboque se desloque este fim-de-semana à ilha das Flores para descarregar contentores com alimentos para o gado e outros destinados ao carregamento de bovinos em vida para exportação.

“Caso as condições de mar o permitam, a operação decorrerá este fim-de-semana para descarregar nas Flores contentores, dando assim resposta aos anseios dos agricultores e das organizações de produtores após a passagem do furacão Lorenzo pelos Açores no início de Outubro”, referiu João Ponte, após uma reunião com a Direcção da Associação Agrícola da Ilha das Flores.

O governante salientou que, desde a primeira hora, que o Governo dos Açores está empenhado em minimizar os efeitos da destruição causados pelo furacão, nomeadamente na ilha das Flores, recorrendo às soluções mais adequadas a cada momento para apoiar os agricultores.

João Ponte revelou que, este ano, já foram exportados com vida 1.096 bovinos a partir das ilhas das Flores e do Corvo, dos quais 264 animais após o furacão Lorenzo.

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas revelou, entretanto, que já foram aprovadas 81% das candidaturas recepcionadas até ao momento, apresentadas por agricultores do Grupo Ocidental que sofreram prejuízos nas suas explorações, destacando a celeridade e o profissionalismo dos técnicos na resolução das situações identificadas.

O governante adiantou que estão em análise apenas três candidaturas referentes à ilha das Flores, acrescentando que o prazo de candidaturas aos apoios extraordinários decorre até 29 de Novembro.

“As portarias com a atribuição dos apoios já começaram a ser publicadas no Jornal Oficial, um procedimento obrigatório que antecede o pagamento efectivo das ajudas, pelo que se pode afirmar que todo este processo tem decorrido bem”, frisou João Ponte.

Este apoio financeiro extraordinário destina-se ao restabelecimento do potencial produtivo, à recuperação de infra-estruturas e a compensar perdas relevantes nas culturas das explorações afectadas.

Terminou a Web Summit: a tecnologia agora precisa de mais humanidade para evoluir

Cosgrave e Marcelo

No começo era tudo sobre digitalizar os livros, montar uma biblioteca virtual e venda de livros online. Foi assim que a Amazon, a marca mais valiosa do mundo e a Wikipedia, a maior plataforma colaborativa do globo, iniciaram os seus negócios. 

Em três décadas, ambas mudaram completamente de rumo, ao se tornarem um espelho do estilo de vida digital. A Amazon passou a ser a maior plataforma de compras online, valendo-se da realidade virtual, rastreamento e dados, machine learning e também mobilidade, com camiões autónomos e drones, a Amazon Air. Conveniência e eficiência máxima para quem não tem tempo a perder é o core business da empresa que nem de longe é uma loja, mas sim, um reduto dos mais brilhantes desenvolvedores e cientistas digitais. 

“95% dos serviços e produtos prestados pela Amazon vêm do estudo do comportamento do nossos próprios clientes”, afirmou Werner Vogels, PhD e Diretor de Tecnologia da Amazon. No entanto, parece inacreditável, mas no meio de tanta pesquisa computacional, aparecem as curiosidades do homem trapalhão, onde um simples estendal transforma-se em obstáculos a toda a logística dos drones, como mostrou Vogels, no palco do Web Summit.  Isto porque, a cada nova rota mapeada para desviar drones de um estendal, pode surgir um outro problema, no dia seguinte, com mais um novo estendal noutro lugar. 

Para muitas famílias, a roupa ainda precisa de secar ao sol e este simples detalhe do cotidiano soa incompreensível a dinâmica  tecnológica e mostra as discrepâncias entre a hiperconectividade e o dia a dia das pessoas comuns. Será que a tecnologia pode moldar-se aos nossos hábitos de séculos de existência? “O conhecimento está em colapso? Estamos sim numa crise de confiança”, afirmou Katherine Maher, CEO da Wikipedia. 

Segundo Maher, o problema está na infraestrutura invisível que impulsiona tudo o resto, aquilo que as pessoas não conseguem compreender e, por isso, não confiam. Do governo ao jornalismo, da ciência à medicina. É mais fácil acreditar em quem está ao nosso lado do que acreditar em quem é referência no assunto. E isso é uma grande reviravolta na convivência humana que está a prejudicar relações e até a reversão da mudança de clima. 

Entre facto e opinião existe muita manipulação da informação. Segundo a CEO da Wikipedia, a humanidade é movida pela curiosidade, mas “não é o conhecimento, mas sim a partilha, o legado que ultrapassa fronteiras, livre de restrições, censuras e pode ser replicado com independência é o que garante a nova integridade”. 

Ainda que a pergunta mais frequente na Wikipedia seja se o urso pertence ou não à família dos cães, são mais de 17 milhões de consultas mensais ao conhecimento colaborativo, oferecido por ilustres desconhecidos. A conexão com propósito é algo maior que o domínio da informação. E novamente, essa foi a cobrança da dinamarquesa Margrethe Vestager, vice-presidente executiva da comissão europeia para os assuntos digitais, na Web Summit. 

Considerada a “xerife” do mundo digital, sempre atenta aos movimentos das grandes empresas como Google e Facebook, Vestager afirmou que “é preciso mais coerência entre discurso e prática”. Vestager acrescentou que só tem visto as ambições crescerem entre as gigantes da tecnologia e que já é possível investigar aquilo que ainda está a ser criado, numa alusão clara à Libra, a nova moeda do Facebook, que tem causado muita polémica entre a tradicional indústria financeira e está sob forte pressão de reguladores e bancos centrais. 

Segundo Vestager, o que tem sido o dia a dia da democracia tem que ser o dia a dia na esfera tecnológica: “estamos sempre a discutir a fundo, no mundo real o que é aceitável ou inaceitável. Seria incompreensível não ser da mesma forma no mundo digital”. Assim como acontece no mundo real, no digital não seria justo que algumas empresas paguem impostos e outras não. Tem que haver equidade de taxação. 

Igualdade também foi a tónica do presidente Marcelo Rebelo de Sousa, o último a brilhar no palco da Web Summit. O dirigente fechou a cimeira com uma mensagem simples e profunda: “precisamos de uma democracia forte. Estamos sob cultura cívica quando ninguém é deixado para trás”. Esta tem sido uma grande preocupação: afinal a tecnologia vai contribuir para que existam mais ou menos excluídos? Por ironia do destino, depois de sair da Web Summit, o compromisso seguinte do presidente foi conhecer o sem abrigo que salvou um bebé abandonado pela mãe, também sem abrigo, num contentor de um ecoponto, em Lisboa. 

O inconformismo na fala do presidente, ainda contaminado pelo entusiasmo da Web Summit, resumiu bem as dificuldades debatidas neste ano na cimeira. Manifestando-se publicamente a um canal televisivo, o presidente questionou como dois mundos tão distantes poderiam coexistir? De um lado a realidade fantástica do digital e do outro uma realidade social tão dura e precária nas ruas. Encerrou bem a Web Summit o presidente ao afirmar que ninguém pode ser deixado para trás. 

A comunidade tech aplaudiu Marcelo Rebelo de Sousa na Altice Arena, mas será que no futuro vai conseguir chegar a uma sociedade justa para todos? Chegamos a um ponto admirável em que os maiores desafios e conflitos no avanço tecnológico giram em torno dos mesmos desafios e conflitos do mundo offline: desenvolvimento humano, políticas públicas, impostos, direitos iguais, regulação... Se o poder agora é o poder de compartilhar, as novas tecnologias ainda têm um longo percurso a percorrer na área da democracia. 

 

Por Marisa Furtado, em Lisboa, para o Diário dos Açores

“Smart City” reforça posição da Lagoa em termos tecnológicos

calisto smart citiesO Nonagon – Parque de Ciência e Tecnologia de São Miguel, está acolher  desde ontem e até hoje o evento “Lagoa Smart City” cujas temáticas giraram à volta dos “Desafios da Mobilidade e da Conectividade” e “Smart Tourism”. 

Durante a sessão de abertura, a Presidente da Câmara Municipal de Lagoa, Cristina Calisto, realçou que “do ponto de vista autárquico, este é um evento importante para o projecto de transformação da Lagoa numa Smart City, contribuindo com exemplos e sugestões de iniciativas para cidades inteligentes, ao nível da governação, da sociedade e qualidade de vida, da energia, do ambiente, do património e mobilidade, da economia, da inovação e do empreendedorismo”. 

Desde 2014, que o concelho lagoense iniciou o seu rumo ao mundo das Smart Citys, sendo que em 2015, estabeleceu o Plano Integrado para ser a primeira cidade inteligente dos Açores, fazendo da Lagoa um município atractivo, inovador e tecnológico. 

A edil lagoense aproveitou a ocasião para relembrar que a Câmara Municipal de Lagoa alcançou a certificação no Sistema de Gestão de Qualidade, em todos os seus serviços, de acordo com a norma internacional (ISO 9001:2015), no âmbito da gestão autárquica, sendo que, somente, cerca de 10% dos municípios nacionais o conseguiram.

“A Câmara Municipal de Lagoa avançou para uma estratégia orientada, inovadora e suportada por tecnologias da informação e comunicação, no âmbito da cultura, ambiente, educação e do turismo”, afirmou Cristina Calisto. 

Wifi gratuito em vários espaços públicos; App Turista, acessível através de banners com QR codes; factura electrónica aos munícipes; teleassistência digital ao idoso; uso de tecnologias Wireless e de banda larga; monitorização e modernização da gestão da água; redução dos consumos e promoção de iluminação eficiente em edifícios e espaços públicos; desburocratização e desmaterialização de processos na Câmara Municipal; aquisição de viaturas eléctricas; substituição da iluminação de espaços públicos municipais por lâmpadas LED; carregadores exteriores eficientes e o posto de carregamento para viaturas eléctricas, foram algumas das medidas realizadas pela Câmara Municipal rumo a uma Lagoa Smart City. 

Irá ser ainda disponibilizado, em breve, o Website Município de Lagoa com Webservices para o cidadão, como o envio de SMS aos munícipes a dar conta do estado e conclusão de processos. A autarquia está ainda a elaborar o Plano de Medidas de Melhoria de Eficiência Energética e a desenvolver a visita interactiva aos museus da Lagoa. 

Está também a ser construída uma obra que se prende com o tema da “Mobilidade”, mais precisamente a ciclovia, o passeio marítimo da cidade de Lagoa, através da qual se pretende sensibilizar os munícipes lagoenses para a importância de modos de vida activos e saudáveis, “de forma a construir-se uma cidade mais inclusiva, mais saudável e mais segura, com uma mobilidade urbana mais sustentável”, acrescentou a edil lagoense. Por outro lado, encontra-se em preparação um projecto que desincentivará o uso de meios de transportes motorizados, reequilibrando a afectação do espaço público aos diferentes modos de deslocação, através da criação de bolsas de estacionamento no passeio marítimo da cidade. 

“Queremos, por isso, colocar a Lagoa na senda das Smart Citys, transformando-a numa cidade que, para além de pólo de desenvolvimento económico, social e cultural, seja capaz de conjugar a fixação de pessoas e empresas, conservar a sustentabilidade dos recursos naturais e o desenvolvimento tecnológico”, disse a Presidente da Câmara Municipal.

Hotel Terra Nostra candidato aos Prémios Condé Nast Johansens

Terra Nostra Garden Hotel

O Terra Nostra Garden Hotel, do Grupo Bensaude, situado nas Furnas, está entre os nove hotéis portugueses nomeados aos Prémios à Excelência Condé Nast Johansens 2020 que terão lugar no Hotel The May Fair de Londres, no próximo dia 4 de Novembro. 

Este ano os Prémios têm 19 categorias nas quais participam nove hotéis portugueses em oito delas: Best for Meetings or Conferences, Best Newcomer or Back on the Scene Hotel, Best Luxury Value, Best Dining Experience, Best Countryside Hotel or Lodge, Best Urban Hotel e Readers’ Award.

Os estabelecimentos hoteleiros de luxo portugueses têm uma presença muito mais elevada que em anos anteriores, chegando à cifra de nove hotéis nomeados em oito categorias dos Prémios à Excelência da Condé Nast Johansens. 

Este ano há uma novidade importante nos prémios: uma nova categoria, “Best Accessible Bedroom (and Bathroom)”, que avalia o esforço dos hotéis para oferecer o melhor acolhimento e estadia a todo tipo de viajante. 

São os seguintes os candidatos e categorias:

Best for Meetings or Conferences: Tivoli Marina Vilamoura Algarve Resort;

Best Hotel with Spa: Palácio Estoril, Hotel, Golf & Spa – Estoril;

Best Newcomer or Back on the Scene: The Albatroz Hotel, Cascais;

Best Luxury Value: The Vintage Hotel & Spa, Lisboa;

Best Dining Experience: Vila Joya Home, Restaurant & Spa, Algarve;

Best Countryside Hotel or Lodge: Torre de Gomariz Wine & Spa Hotel, Norte de Portugal;

Best Urban Hotel: Olissippo Lapa Palace Hotel;

Reader’s Award: Santiago de Alfama Hotel, Lisboa e  Terra Nostra Garden, Açores.