Aparelhos de teleassistência entregues a idosos do concelho da Lagoa

Teleassistência idosos lagoa

A Câmara Municipal da Lagoa entregou na terça-feira cerca de 30 aparelhos de teleassistência a vários idosos do concelho, beneficiários do cartão Lagoa + Saúde.

No momento da entrega, que decorreu no auditório dos Paços do Concelho, a  representante da empresa PT/MEO, Sandra Viveiros, explicou aos idosos presentes que os aparelhos permitirão, através de um telefone de fácil utilização, identificar os contactos prioritários de familiares ou amigos, assim como números de urgência.

O aparelho inclui ainda um sistema de que acede ao serviço médico de emergência, que pode ser accionado através de uma tecla do telefone ou através de um “botão de pânico” instalado num pendente ou bracelete, que também fazem parte deste equipamento. O serviço de ‘call center’ permite também aceder a serviços de aconselhamento médico e de informações sobre farmácias de serviço, hospitais, centros de saúde e outros serviços de saúde.

Os beneficiários deste equipamento são idosos que vivem sozinhos ou com uma rede familiar que não consiga dar o apoio permanente e outros que vivam em situações clínicas graves que careçam de uma assistência permanente. No decorrer na próxima semana, os técnicos da PT irão instalar os aparelhos em casa de cada um dos idosos.

A iniciativa foi alcançada com o apoio de Fundos Comunitários, no âmbito da candidatura da Câmara Municipal da Lagoa à modernização administrativa/Smart City, cujo objectivo é colocar a tecnologia ao serviço do cidadão. 

A presidente da Câmara da Lagoa, Cristina Calisto, defendeu que “este é um momento importante, porque damos mais um passo naquilo que tem sido a nossa política de proximidade, colaboração e parceria com a população mais idosa. Aos entregarmos estes aparelhos de teleassistência, estamos a contribuir para o vosso bem-estar e qualidade de vida”.

A autarquia lagoense tem disponíveis 70 aparelhos, pelo que os idosos, ou doentes em situação de dependência, interessados neste serviço podem inscrever-se nos serviços de acção social do município. 

O Cartão Lagoa + Saúde permite aos seus beneficiários ter um apoio na medicação, uma taxa de desconto no consumo de água e de saneamento, um cabaz nas épocas festivas, apoio na realização de pequenas obras de manutenção e conservação das suas moradias, passeios lúdicos e actividades de exercício físico nas várias freguesias.

 

Câmara Municipal de Ponta Delgada aprova projecto do Hotel da Calheta Pêro de Teive

calhetaA Câmara Municipal de Ponta Delgada aprovou Sexta-feira o licenciamento do Hotel da Calheta Pêro de Teive. 

O despacho foi emitido dois dias após a recepção do parecer da Direcção Regional do Turismo,  considerando os pareceres externos favoráveis e o facto do projecto de arquitectura reformulado cumprir os termos da suspensão parcial do Plano Director Municipal (PDM).

O Presidente da edilidade salientou que o projecto vai ao encontro do que fora definido pelas várias entidades envolvidas no processo, nomeadamente no que concerne à criação de espaço verde de fruição pública. 

Mantêm-se os pressupostos iniciais de um estabelecimento hoteleiro 4 estrelas, com 110 unidades de alojamento (220 camas). 

José Manuel Bolieiro reiterou que a Câmara Municipal de Ponta Delgada esteve sempre empenhada neste processo, procurando, de forma célere, soluções que façam jus à história daquela zona da cidade e que vão ao encontro dos anseios da população e que, ao mesmo tempo, propiciem o crescimento sustentável da cidade e a própria rentabilidade do investimento.

A decisão da Câmara Municipal foi comunicada ao promotor, Grupo Discovery, no passado dia 24 de Maio.

552 ideias apresentadas na segunda edição do Orçamento Participativo dos Açores

sergio avila11Os açorianos apresentaram 552 antepropostas na segunda edição do Orçamento Participativo dos Açores (OPA).

Segundo os dados ontem divulgados pelo Governo Regional, que destacou a forte adesão da população, houve um aumento no número de ideias apresentadas em relação à primeira edição, com mais 225 propostas feitas.

Em nota divulgada pelo seu gabinete de comunicação, o executivo açoriano revela que na fase 1 “os açorianos responderam de forma muito positiva ao convite do Governo Regional, tendo sido apresentadas, entre 22 de Fevereiro e 30 de Abril, 552 antepropostas por mais de um milhar de cidadãos a partir dos 14 anos - mais cerca de 500 em relação ao ano passado.

Foram organizados 38 encontros participativos nos 19 concelhos da Região, onde o executivo recolheu 401 antepropostas, “tendo estes encontros contado com a participação de cerca de 1.700 pessoas”. Foram também enviadas 151 antepropostas através do sítio do OP Açores na Internet.

A segunda edição do OPA conta com um aumento de 1 milhão de euros da verba destinada à execução das ideias propostas e votadas pelos cidadãos, tendo ainda como novidades “uma nova área temática, a Cultura, e a possibilidade de apresentação de antepropostas de âmbito regional, para além das ideias por ilha, passando cada cidadão a poder votar duas vezes, ou seja, um voto numa proposta de âmbito regional e um voto numa proposta de âmbito de ilha”.

Por área temática, foram apresentadas 251 ideias na Juventude, 92 no Turismo, 72 na Cultura, 71 na Inclusão Social e 66 ideias na área do Ambiente. Relativamente ao âmbito, 428 antepropostas são de ilha e 124 de âmbito regional, revelou o governo.

Entre as 428 antepropostas de âmbito de ilha, 153 referem-se a São Miguel, 64 à Terceira, 60 ao Pico, 41 a São Jorge, 33 ao Faial, 27 às Flores, 26 à Graciosa, 16 a Santa Maria e as restantes oito ao Corvo.

No comunicado emitido pelo governo, o vice-presidente do executivo conngratulou os açorianos pela forte adesão ao Orçamento Participativo dos Açores, que promove a democracia participativa e o envolvimento dos cidadãos na tomada de decisão sobre a aplicação de verbas públicas, salientando que, tal como na edição anterior, sugeriram, de forma fácil e directa, ideias de investimento público a executar pelo executivo nas nove ilhas do arquipélago”.

As 552 antepropostas apresentadas estarão até final de Junho em análise técnica, a cargo dos departamentos do Governo Regional, sendo divulgadas a 1 de Julho as listas provisórias das propostas a submeter à votação e das antepropostas rejeitadas, através do endereço https://op.azores.gov.pt.

Bilhetes à venda para o Chicharro 2019 no “Santo Cristo”

Festa do Chicharro1De 24 a 30 de Maio estarão à venda os primeiros ingressos para o Chicharro 2019 da Ribeira Quente, evento que este ano comemora 30 anos e que acontece entre os dias 4 e 7 de Julho.

Novamente, a Direcção da Associação Cultural e Desportiva Maré Viva vai colocar um lote de mil bilhetes à venda, a 17 euros o ingresso geral, nas Festas do Senhor Santo Cristo dos Milagres. No entanto, se estes bilhetes esgotarem antes do dia 30 não serão colocados mais bilhetes à venda, nesta fase. Assim sendo, os pontos de venda durante a Festa do Senhor Santo Cristo serão o Quiosque de Tabaco FTM (Entrada da Zona das Tascas) e o Coral de São José. 

Na Ribeira Quente o ponto de venda, para esta campanha, será, como já vem sendo hábito, no Café Adelino. 

Recorde-se que para o Chicharro 2019 estão confirmadas as presenças de Daniela Mercury, Starlight, Calema, Mosimann e Insert Coin.

Plano de Acção para a Eficiência Energética “em linha com objectivos regionais, nacionais e europeus”

Andreia Carreiro - visita InsulacA Directora Regional da Energia afirmou ontem que o Plano Regional de Acção para a Eficiência Energética (PRAEE), cujos trabalhos de auscultação no terreno a diversos sectores se encontram a decorrer, tem o objectivo de definir políticas públicas em matéria de consumo de energia “adequadas e ajustadas às reais necessidades dos Açores e dos açorianos”.  

“Este é um plano que se rege em concordância com os objectivos regionais, nacionais e europeus para uma energia mais limpa, competitiva e segura para todos, contemplando medidas a implementar, divididas em cinco áreas, de forma a optimizar as sinergias entre sectores com características semelhantes, com enfoque nos comportamentos, na administração pública, nos edifícios, na indústria, onde se inclui o sector primário, e na mobilidade”, afirmou Andreia Carreiro, à margem de uma visita à INSULAC, na Ribeira Grande.

Andreia Carreiro salientou que a aposta na eficiência energética evidenciada no PRAEE é “estratégica”, uma vez que “consiste na optimização e racionalização dos consumos energéticos sem comprometer a qualidade do serviço e o conforto, permitindo alcançar vantagens económicas e sociais para as empresas e para as famílias, em plena harmonia com a sustentabilidade ambiental da Região”.

Nesse sentido, considerou que é “imprescindível envolver todos os açorianos na elaboração deste Plano, que detalhará a política de eficiência energética regional, garantindo a sua transversalidade e aplicabilidade prática na realidade açoriana”.

Relativamente à visita que realizou à INSULAC, Andreia Carreiro frisou que “a indústria dos lacticínios é uma das mais expressivas nos Açores, tendo vindo a conquistar reconhecimento internacional pela qualidade do produto oferecido, sendo um sector em desenvolvimento e crescimento”, acrescentando que a indústria dos lacticínios e outras associadas a carne e rações “representam cerca de 75% do consumo de energia, no total da indústria açoriana”.

“Por isso, é imperativo optimizar o processo produtivo, aliado a uma racionalização do uso de energia, devendo o sector reger-se pela procura permanente de soluções e tecnologias inovadoras que permitam maximizar a sua competitividade, minimizando o impacte ambiental da sua actividade, reafirmando a imagem de natureza associada aos produtos açorianos”, afirmou. No âmbito do desenvolvimento do PRAEE, a Direcção Regional da Energia vai prosseguir com visitas a várias unidades agroindustriais açorianas e reunir com outros sectores de actividade, como as pescas e a hotelaria.