Candidaturas a incentivos à produção de energia renovável duplicaram em 2018

directora energiaOs apoios concedidos ao abrigo do programa de incentivos à produção de energia a partir de fontes renováveis, o ProEnergia, registaram no ano passado um aumento de aproximadamente 51% face a 2017, adiantou ontem a directora regional da Energia.

“No ano passado, os açorianos apresentaram um número superior de candidaturas submetidas ao ProEnergia, passando de 352 em 2017 para 507 em 2018, totalizando um investimento de cerca de 1,4 milhões de euros”, afirmou Andreia Carreiro, falava numa sessão de trabalho promovida pelo Nonagon - Parque de Ciência e Tecnologia de S. Miguel, onde apresentou soluções no âmbito da eficiência energética como factor de competitividade e posicionamento nas empresas, bem como os sistemas de incentivo disponíveis, aos empreendedores, ‘startup’ e PME presentes.

“Estes resultados são muito satisfatórios, em linha com o que pretendemos rumo à transição energética, com importantes contributos a partir de iniciativas privadas”, afirmou a directora regional, destacando que este aumento de projectos para produção de energia com base em fontes renováveis “reflecte, a par do crescimento da economia regional, o sucesso das campanhas de sensibilização e comunicação” que o executivo tem vindo a promover.

Andreia Carreiro referiu que os “objectivos regionais da política energética, em conjugação com a inovação tecnológica, materializam-se através da evolução de redes eléctricas tradicionais para redes eléctricas inteligentes, onde o utilizador final passa a ser peça-chave para as abordagens de resposta dinâmica da procura, passando a ter a possibilidade de produzir, armazenar e consumir energia, assumindo um papel imprescindível na eficiência do sistema energético”.

“Com o propósito de dar resposta a este desígnio, o ProEnergia está a ser alvo de alteração, alargando o espetro dos equipamentos e sistemas contemplados, de modo a incluir, para além da produção descentralizada, o armazenamento de energia eléctrica para uma gestão energética optimizada”, adiantou.

A alteração proposta ao ProEnergia prevê, por um lado, “a redução do investimento mínimo dos açorianos para metade” e, por outro “o reforço do montante de incentivo a conceder”, destacou Andreia Carreiro, sublinhando que “esta dinâmica de incentivos irá, acreditamos, acentuar a adesão ao ProEnergia, com claros benefícios económicos e ambientais para os promotores dos projetos e para a Região, que, desta forma, estimula o desenvolvimento descarbonizado dos Açores”.

Paulo Alexandre Monteiro fala sobre arqueologia subaquática nos Açores em conferência

arqueologia subaquáticaA Secretaria Regional da Educação e Cultura, através da Direcção Regional da Cultura, promove amanhã, às 18h00, no Palacete Silveira e Paulo, em Angra do Heroísmo, a realização de uma conferência intitulada “Arqueologia subaquática nos Açores. Realidades, estratégias e desafios”, que será proferida por Paulo Alexandre Monteiro.

A arqueologia subaquática nos Açores assumiu um carácter de vanguarda dentro desta área, tratando-se da vertente mais pioneira na Região, mantendo a Direcção Regional da Cultura uma estratégia para esse património cultural que envolve a sua promoção, enquanto produto turístico, e a sua salvaguarda, enquanto bem patrimonial que reúne uma herança histórica comum a todas as nações que passaram pelo arquipélago, porto de escala no Atlântico.

Essa estratégia tem as suas origens nos trabalhos efectuados na baía de Angra do Heroísmo durante a década de 90 do século XX.

O arqueólogo Paulo Alexandre Monteiro, membro da Academia da Marinha e investigador associado dos Institutos de Arqueologia e Paleociências e de História Contemporânea da Universidade Nova de Lisboa, bem como da Texas A&M University e da University of Western Australia, começou a sua carreira em arqueologia subaquática em Angra do Heroísmo em 1995, onde traçou uma primeira versão da Carta Arqueológica Subaquática dos Açores.

Dirigiu trabalhos arqueológicos um pouco por todo o país e participou em vários projectos internacionais na Austrália, nas Caraíbas, em Omã, em Moçambique e na Namíbia, assumindo-se como um dos maiores defensores do combate à caça ao tesouro.

 

Preço do gasóleo nos Açores desce hoje dois cêntimos

Gasóleo

O preço máximo de venda do gasóleo vai sofrer uma descida de dois cêntimos por litro, nos Açores.

A actualização entrou em vigor à meia noite de hoje, a par da descida de três cêntimos por quilo no fuelóleo industrial.

“Assim, o gasóleo rodoviário passa a custar 1,24 euros por litro.  Por seu turno, o fuelóleo industrial passa a custar 0,53 euros por quilo”, adiantou o executivo açoriano, em comunicado.

O governo justifica a actualização do preço máximo de venda dos combustíveis na Região Autónoma dos Açores com as “recentes alterações das cotações de referência dos produtos petrolíferos registadas nos mercados internacionais.

Município de Ponta Delgada volta a marcar presença na Bolsa de Turismo de Lisboa

BTL - stand açoresPonta Delgada está instalada no Stand dos Açores e abre as portas da Bolsa de Turismo de Lisboa 2019 com o lançamento do seu portal e aplicação digital do Turismo, amanhã, 13 de Março, pelas 15h00.

Este é um dos momentos altos da participação de Ponta Delgada na BTL 2019, que conta com a presença do Presidente do Município, José Manuel Bolieiro.

Para além do lançamento desta ferramenta de utilidade pública, que ajuda a promover turisticamente Ponta Delgada, enquanto porta de entrada do Arquipélago, o Município de Ponta Delgada tem programadas sete apresentações, que, conforme se pode ler na nota enviada pela autarquia, “provam que o maior Município dos Açores tem muito mais do que paisagens deslumbrantes”.

A mesma nota dá conta que “o Município de Ponta Delgada, com um programa recheado de cultura, ganha voz no Stand dos Açores através da participação de Nuno Costa Santos, Jesse James, António Pedro Lopes, José de Almeida Mello, Hélder Fialho, António Monteiro e José Andrade”. 

As comunicações, que são da responsabilidade da autarquia de Ponta Delgada, começam no primeiro dia, 13 de Março, com o lançamento do Portal e da App do Turismo, às 15h00, e encerram, às 15h30, com a apresentação de Nuno Costa Santos sobre o II Encontro Literário “Arquipélago de Escritores 2019”.

Já o dia seguinte, 14 de Março, é marcado pela intervenção de Jesse James, que dá a conhecer o “Festival Walk&Talk 2019”, pelas 14h00, seguindo-se António Pedro Lopes, que irá falar do “Tremor Festival”, pelas 14h15, e, por fim, José de Almeida Mello, às 15h45, dá a conhecer outros eventos âncora do cartaz cultural de Ponta Delgada.

Para o dia 15 de Março, está agendada a comunicação de Hélder Fialho, às 16h00, sobre a programação do Coliseu Micaelense para 2019, e a apresentação de António Monteiro, às 16h15, sobre o Festival European Blues Challenge 2019. A encerrar as intervenções, está a apresentação do Guia Digital da Toponímia da Cidade de Ponta Delgada, que será feita pelo presidente da Comissão Municipal de Toponímia, Distinções Honoríficas e Património Cultural, José Andrade, pelas 17h45.

A participação do Município de Ponta Delgada na Bolsa de Turismo de Lisboa é coordenada pela Vereadora da Câmara Municipal com o pelouro do Turismo, Maria José Lemos Duarte.

Direcção da ATA demite-se e abre portas a eleições antecipadas

BTL - stand açoresNova direcção vai garantir promoção dos Açores no exterior

Luis Rego, Vice-Presidente, e João Gonçalves, vogal, demitiram-se ontem da Direcção da ATA, abrindo assim portas para eleições antecipadas.

O Presidente do organismo, Francisco Coelho, constituído arguido com mais quatro pessoas, mantém-se de baixa médica.

A Direcção demissionária da ATA (que já não inclui o Governo Regional e a SATA, que se afastaram do organismo) pretendia adiar a assembleia geral de ontem, com o argumento de que está a decorrer uma investigação do Ministério Público à associação, mas os restantes associados justificam a reunião com a “urgência em definir o calendário da promoção turística” e, por isso, propôs a alteração dos estatutos e eleições antecipadas.

Este assunto foi discutido ontem na assembleia geral da ATA, que aprovou por maioria a proposta de alteração dos estatutos e a marcação de novas eleições, provavelmente em finais de Março ou princípios de Abril.

A Direcção demissionária retirou a sua proposta, ficando apenas a de outros associados, nomeadamente da Câmara do Comércio e Indústria dos Açores.

Com os novos corpos gerentes e com a alteração dos estatutos, a ATA terá outro modelo de governação, desconhecendo-se, por agora, se haverá mais do que uma lista a candidatar-se à gestão do organismo.

Para já vão ser homologados oficialmente os novos estatutos para depois se proceder à marcação de eleições.

A nova Direcção terá que gerir a promoção para este ano e negociar com o Governo Regional o respectivo  contrato programa, para além do pagamento da dívida do governo à ATA.

 

SATA confirma buscas da PJ

 

Sobre as investigações de anteontem na ATA e na SATA, o Conselho de Administração da transportadora regional emitiu o seguinte comunicado: “A SATA confirma que recebeu, esta manhã, uma equipa de inspectores da Polícia Judiciária nas suas instalações, tendo mostrado a total disponibilidade para facultar toda a informação que lhe foi solicitada neste âmbito.

Informa-se, ainda, que a SATA não tem conhecimento de ser alvo de qualquer investigação no âmbito deste processo e reafirma que está, naturalmente, absolutamente disponível para colaborar com as entidades competentes”.