Três jovens açorianos participam no Campeonato do Mundo das Profissões

campeonato profissoes 2018 budapesteTrês jovens açorianos participam no Campeonato do Mundo das Profissões – WorldSkills, que decorre desde ontem e até amanhã, em Budapeste, na Hungria, com a participação de cerca de 600 jovens profissionais de 28 países europeus.

A representação açoriana, integrada na comitiva nacional, é composta por Ana Filipa Carolas Coelho, formanda em Cozinha pela Escola Profissional da Praia da Vitória, na ilha Terceira, José Pedro Ferreira Franco e Paulo Alexandre Lourenço Ferreira, formandos em Gestão de Redes Informáticas pela Escola de Novas Tecnologias dos Açores, em S. Miguel.

A acompanhar os jovens açorianos estão José Daniel Viveiros de Medeiros, da Escola de Novas Tecnologias dos Açores, jurado da prova de Gestão de Redes Informáticas, e António José Cabral Paquete, da Escola Profissional de Capelas, na qualidade de ‘Team Leader’.

Os campeonatos das profissões são competições dirigidas a jovens entre os 17 e os 25 anos, que concluíram ou se encontram a frequentar um percurso de qualificação, em modalidades de educação e formação profissional.

As provas visam demonstrar o nível individual de competências, rigor e domínio de técnicas e de ferramentas para o exercício de cada profissão a concurso, através da realização de provas práticas de desempenho avaliadas por júris compostos por peritos altamente qualificados.

Pretende-se ainda com estes campeonatos aferir da eficácia da formação profissional ministrada e, simultaneamente, induzir factores de crescente qualidade, inovação e criatividade nos processos de aprendizagem, demonstrando que as competências são a melhor ferramenta para a construção de uma economia sólida e sustentada.

Os campeonatos têm lugar de dois em dois anos e reúnem os classificados com as melhores pontuações nas fases de pré-selecção, que disputaram entre si o título de campeão nacional em cada profissão.

Os vencedores da fase nacional candidatam-se a uma participação nos campeonatos Europeu e Mundial das Profissões, organizados, respectivamente, pela WorldSkills Europe e pela WorldSkills International.

O conceito do Campeonato das Profissões remonta ao ano de 1950, quando se disputou, em Madrid, o primeiro Campeonato Internacional das Profissões, na altura apenas entre Portugal e Espanha.

A consolidação desta iniciativa conduziu, ainda na década de 50, à criação de uma organização específica, actualmente designada por WorldSkills International (http://www.worldskills.org/).

Nas duas primeiras décadas, o seu crescimento assumiu, essencialmente, uma dimensão europeia, mas, a partir de 1967, os países concorrentes alargaram-se aos restantes continentes, envolvendo actualmente 75 países de todo o mundo.

Em complemento a esta organização mundial, foi criada, em 2007, a European Skills Promotion Organization, hoje designada de WorldSkills Europe, que conta com a representação de 27 países e organiza bienalmente o Campeonato Europeu das Profissões – EuroSkills.

Quer na competição europeia, quer na mundial, os concorrentes dos Açores formados nas escolas profissionais da Região têm um historial de bons resultados, que incluem títulos de campeões e muitas medalhas conquistadas.

Os interessados podem acompanhar este evento na página de Facebook https://www.facebook.com/WorldskillsPortugal/.

Vasco Cordeiro recebeu Conselho de Opinião da RTP

Vasco Cordeiro e conselho de opinião RTPO Presidente do Governo recebeu ontem o Conselho de Opinião da RTP, a quem transmitiu o entendimento de que as necessidades do serviço público de rádio e televisão nos Açores não se esgotam no trabalho feito ao nível da melhoria das instalações e de algum equipamento técnico.

“É importante reconhecer que há trabalho feito e passos que foram dados no sentido de melhorar as condições de funcionamento do serviço público de rádio e televisão nos Açores, nomeadamente ao nível de instalações e de algum equipamento”, afirmou Vasco Cordeiro.

Após o encontro, que decorreu em Ponta Delgada, o Presidente do Governo salientou, porém, que todos devem ter presente que as “necessidades do serviço público de rádio e televisão nos Açores não se esgotam na satisfação da questão de melhores instalações” nas ilhas de São Miguel, Terceira e Faial.

“Há necessidades que interessa também acudir do ponto de vista de equipamento, de vária natureza, e também de recursos humanos, quer do ponto de vista da sua qualificação e formação, quer do ponto de vista da capacidade que este serviço terá para cumprir cabalmente o seu papel”, frisou.

Em declarações aos jornalistas, Vasco Cordeiro sublinhou, por outro lado, a utilidade da realização deste encontro com o Conselho de Opinião da RTP, presidido por Manuel Coelho da Silva e composto maioritariamente por membros indicados por associações e outras entidades representativas dos diferentes sectores da sociedade.

“Este encontro acresce ao trabalho que é feito, de forma mais directa e mais permanente, pelo representante da Região Autónoma dos Açores, o Dr. José Lourenço, neste Conselho de Opinião”, salientou Vasco Cordeiro.

Mais de 2.700 cidadãos já votaram no 1.º Orçamento Participativo da Região

pessoas em Ponta Delgada1O período de votação das propostas finalistas do 1.º Orçamento Participativo dos Açores (OP Açores), que decorre até 30 de Setembro, está a registar uma “elevada participação” dos açorianos, tendo já votado mais de 2.700 cidadãos, revelou ontem o governo regional.

“O alto nível de adesão tem-se verificado em todas as fases de implementação desta iniciativa promovida pelo Governo dos Açores, com a apresentação de 324 ideias, de que resultaram as 154 propostas agora a votação”, adianta uma nota do GaCS.

Entre as ideias de investimento que estão a votação, 34 são na Terceira, 26 em São Miguel, 23 em São Jorge, 17 no Pico, 14 na Graciosa, 13 em Santa Maria, 12 nas Flores, 11 no Faial e quatro no Corvo.

No total, são 59 projectos na área da Juventude, 40 no Turismo, 28 relativas à Inclusão Social e 27 na área do Ambiente, sendo que serão executadas, no mínimo, 18 propostas, duas em cada ilha do arquipélago.

Cada cidadão tem direito a um voto, podendo votar online ou por SMS gratuito. Em qualquer uma das formas de votação, será necessário indicar os números e letras do Cartão de Cidadão ou do Bilhete de Identidade.

Estação costeira da Porto de Abrigo regista recorde de chamadas em Julho e Agosto

pescadoresA estação costeira da Porto de Abrigo recebeu 4.037 chamadas de embarcações este ano, até Agosto. Os dados, avançados ontem pela entidade, traduzem-se num aumento face a 2017, registando-se “recordes” de chamadas em Julho e Agosto.

“Entre os meses de Janeiro e Agosto de 2018 a Estação Costeira Porto de Abrigo registou 4.037 chamadas em contactos mar/terra, terra/mar, e entre embarcações, tendo se verificado um aumento 25% na utilização do serviço de comunicações da Estação Costeira, relativamente a igual período de 2017”, indica a Porto de Abrigo, em comunicado.

A Porto de Abrigo refere que se registaram “recordes na utilização mensal nos meses de Julho e Agosto correspondendo ao período da actividade intensa da pesca polivalente e da pesca do atum”.

Segundo aponta, é o sector da pesca o “grande responsável pelo aumento de utilização nas comunicações marítimas em VHF/HF por parte de todos os segmentos da frota registada nos Açores e na Madeira e, nestas particularmente da pesca costeira”. A Estação Costeira realiza diariamente avisos autónomos na previsão do tempo, a par de avisos mensais sobre a evolução na captura das espécies com quota atribuída, e tem participado em acções de sensibilização ambientais e segurança a bordo, da iniciativa do Governo Regional dos Açores.

Executivo dá 30 dias à autarquia para “reformular” obras no estádio da Ribeira Grande

Campo municipal RGA Direcção Regional da Cultura anunciou ontem que apresentou à Câmara Municipal da Ribeira Grande uma solução alternativa para a viabilização da construção de uma obra no Estádio Municipal.

Após o embargo da obra em construção, localizada em área de protecção a imóvel classificado sem o parecer prévio favorável do órgão competente em matéria de cultura, a Direcção Regional da Cultura (DRC), em parecer agora emitido, “determina que o projecto em causa deve ser reformulado”.

Segundo indicou ontem o Executivo, em comunicado publicado no site do Gabinete de Apoio à Comunicação Social, a DRC definiu um prazo de 30 dias para que sejam executados os trabalhos necessários a uma solução merecedora de parecer favorável, findo os quais será proposta a demolição da construção ilegal. 

A obra, da responsabilidade da Câmara Municipal da Ribeira Grande, está a ser executada na zona de protecção a um imóvel classificado de interesse público, a “Antiga Fábrica do Álcool da Ribeira Grande”, cujas zonas de protecção, como servidões administrativas, estão sujeitas, de acordo com a lei, ao parecer vinculativo da DRC.

A obra em questão refere-se à construção de novos balneários naquele equipamento desportivo. “A Direcção Regional da Cultura, através de uma atitude pedagógica, tem procurando junto dos diferentes intervenientes, sempre que possível, e de forma célere, conciliar os diversos interesses, no cumprimento cabal da lei”, refere a mesma nota.

 

Autarquia ribeiragrandense “estranha” actuação do Governo

 

A autarquia ribeiragrandense, por sua vez, revelou “estranhar” o comunicado emitido pelo Executivo. “A Câmara Municipal da Ribeira Grande foi confrontada, hoje [ontem], com uma nota publicada no site do Governo Regional dos Açores, emitida através do Gabinete de Apoio à Comunicação Social”, começa por referir o município, numa nota de imprensa, emitida ontem.

A autarquia, presidida pelo social democrata Alexandre Gaudêncio, salienta que “forneceu todos os elementos solicitados pela Direcção Regional da Cultura”, após ter sido notificada sobre o embargo da obra em causa.

“A Câmara Municipal da Ribeira Grande estranha que, até ao momento, não tenha recebido qualquer resposta aos documentos solicitados e enviados”, lê-se. O município acrescenta “estranhar ainda que a Governo Regional dos Açores, através da Direcção Regional da Cultura, tenha optado por dar prioridade a informar primeiro a comunicação social em detrimento de responder à autarquia”.