Director Regional de visita a Montreal, no Canadá

Paulo TevesO Director Regional das Comunidades desloca-se, a 6 e 7 de Abril, a Montreal, no Canadá, para participar nas comemorações do 50.º aniversário da Caixa Portuguesa Desjardins, instituição fundada em 1969 por um grupo de portugueses radicados nesta cidade.

Segundo explica o Executivo, e nota, a Caixa Portuguesa Desjardins, actualmente presidida pelo açoriano Emanuel Linhares, “tem desempenhado um papel fundamental no apoio a associações, clubes, escolas e outras organizações e entidades portuguesas na província canadiana do Quebeque, tendo, nos últimos anos, concedido diversas bolsas de estudo”.

Com cerca de seis mil associados, na sua maioria portugueses, esta instituição bancária, integrada no Grupo Desjardins, recebeu a Medalha de Mérito do Conselho Mundial das Casas dos Açores, aquando da presidência da Casa dos Açores do Quebeque em 2015.

No âmbito destas comemorações, o Director Regional das Comunidades estará presente na Gala que assinala o aniversário da instituição e no espectáculo “Tudo na Música”, no Théâtre St. Denis, onde actuarão António Pinto Bastos, Alexandre da Costa, entre outros artistas.

Nesta deslocação ao Canadá, Paulo Teves reúne-se também com a Direcção da Casa dos Açores do Québec, presidida por Alfredo Ponte, que recentemente assumiu a gestão e os destinos desta entidade representativa da comunidade de açorianos e de açordescendentes residentes nesta província do Canadá, e que tem como missão promover os Açores e preservar e divulgar seus valores culturais nas mais variadas vertentes.

A Casa dos Açores do Québec, fundada em 1978, é membro fundador do Conselho Mundial das Casas dos Açores e desenvolve diversas atividades, através do Centro de Dia ‘Reviver’, do Grupo de Cantares ‘Recordações’ e do Rancho Folclórico ‘Ilhas de Encanto’.

Cinco sismos sentidos em São Miguel entre Terça-feira e a madrugada de ontem

sismo graficoCinco sismos foram sentidos na ilha de São Miguel, entre a tarde de terça-feira e a madrugada de ontem.

O último abalo, de magnitude 2,3 na escala de Richter, foi registado esta Quarta-feira pelo Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA). 

Em comunicado, o CIVISA adianta que o sismo ocorreu às 05h30 com magnitude 2,3 na escala de Richter e epicentro a cerca de cinco quilómetros a sul de São Brás.

De acordo com a informação disponível, o sismo foi sentido com intensidade máxima III (Escala de Mercalli Modificada) em Ponta Garça, no concelho de Vila Franca do Campo.

Os outros sismos foram sentidos, na terça-feira entre as 16h25 e as 22h38.

O último de Terça-feira teve uma magnitude 2,2 na escala de Richter e o epicentro localizou-se a cerca de seis quilómetros a sul-sudoeste de S. Brás.

Este sismo foi sentido com intensidade máxima III/IV (Escala de Mercalli Modificada) em Ponta Garça (concelho de Vila Franca do Campo) e em Porto Formoso (concelho da Ribeira Grande)”, referiu o CIVISA. Antes, tinham sido sentidos outros três sismos. Um às 19h33 locais, de magnitude 2,8 na escala de Richter, também com epicentro em São Miguel, a seis quilómetros de Ribeira das Tainhas.

 

Governo a acompanhar situação

 

Na manhã de ontem, o Secretário Regional da Saúde deslocou-se ao Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA), em Ponta Delgada, para “se inteirar da evolução da actividade sísmica que tem sido registada na zona central da ilha de São Miguel”, segundo foi avançado em nota do executivo.

Rui Luís assegurou que o Governo dos Açores está a acompanhar “desde a primeira hora” a situação, através de ‘briefings’ periódicos entre o Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros dos Açores e o CIVISA.

No âmbito deste acompanhamento, as câmaras municipais, os serviços municipais de Protecção Civil e as corporações de bombeiros estão também notificados para o acompanhamento desta actividade sísmica, adiantou o Secretário Regional, que apelou à população para que se mantenha informada e siga os conselhos de segurança do SRPCBA recomendados para estes casos.

Adjudicada obra para a construção do novo parque de estacionamento da Caldeira Velha

Caldeira velha com banhistasA Secretária Regional dos Transportes e Obras Públicas anunciou que a empreitada de construção do parque de estacionamento de apoio à Caldeira Velha, em S. Miguel, foi ontem adjudicada.

Ana Cunha, em declarações durante uma visita ao local onde ficará localizado o novo parque de estacionamento, adiantou que se pretende com esta nova infra-estrutura de apoio à Caldeira Velha, “criar lugares de estacionamento e disciplinar também o estacionamento, que até agora vinha sendo feito em plena estrada, ocupando uma faixa de rodagem”, garantindo, desta forma, “condições de segurança para o estacionamento e para quem circula no acesso ao monumento natural da Caldeira Velha”.

A empreitada, adjudicada à empresa Albano Vieira, representa um investimento total de 400 mil euros e tem um prazo de execução de cerca de três meses, esperando a Secretária Regional que as obras tenham início nos próximos 15 dias.

Ana Cunha salientou que o parque, que terá 70 lugares para veículos ligeiros e três lugares para autocarros, será “feito em dois patamares, respeitando a orografia do terreno e toda a sua envolvência”.

“O chão será feito com grelha, que permite o crescimento de erva, e pretende-se que seja o menos agressivo possível para toda a zona envolvente”, acrescentou.

Por outro lado, a estrada de acesso ao parque de estacionamento, com cerca de 300 metros, “será feita num material que imita a bagacina, para também não chocar na paisagem”.

Com este novo parque, pretende-se “retirar todo o estacionamento da estrada regional, que, com o crescente número de visitantes, vinha sendo feito em plena estrada”, dado que os lugares disponíveis já não eram suficientes, afirmou a Secretária Regional.

Ana Cunha referiu ainda que serão mantidos na estrada apenas “alguns lugares para veículos de emergência, ambulâncias, bombeiros e também para veículos de pessoas com mobilidade reduzida”.

Assinado protocolo que regula a carreira dos trabalhadores da Sata Gestão de Aeródromos

sata air açoresFoi assinado com entre o Sindicato Nacional dos Trabalhadores e a SATA Gestão de Aeródromos um protocolo que põe “fim a mais de uma década de indefinições” e que regula a carreira dos trabalhadores da empresa, anunciou ontem o sindicato.

Em causa estão nove técnicos aeroportuários que exercem funções nos aeroportos sob a tutela da SATA Gestão de Aeródromos: Graciosa, São Jorge, Corvo e Pico.

O texto agora aprovado “pretende regulamentar uma carreira que não existia”, prevendo um “esquema evolutivo”, faltando ainda, todavia, o parecer favorável do Governo Regional dos Açores, disse Filipe Rocha.

Assinado a 19 de Março, o documento foi dado a conhecer esta Quarta-feira à imprensa, e regulamenta, além da carreira de técnico aeroportuário, o regime de prevenção (para piquetes, por exemplo), e a aplicação à SATA Gestão de Aeródromos do acordo de empresa da SATA Internacional, também conhecida por Azores Airlines.

Açores terão até ao fim do ano oito pontos de carregamento rápido para carros eléctricos

veiculos eléctricosA Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo avançou ontem que está previsto que os primeiros pontos de carregamento rápido (PCR) para a mobilidade eléctrica entrem em funcionamento durante o segundo semestre deste ano.

Marta Guerreiro salientou “o empenho do Governo dos Açores na promoção da mobilidade eléctrica na Região e na importância de se garantir uma rede robusta e segura de pontos de carregamento rápido para veículos eléctricos, que se tornará realidade com os primeiros oito a instalar até ao final do ano”.

A titular da pasta da Energia anunciou que “foram lançadas as peças do procedimento concursal da segunda fase do concurso público internacional para o fornecimento, instalação e manutenção de 16 pontos de carregamento rápido da rede de mobilidade eléctrica dos Açores, o que significa mais um passo importante para incentivar a mobilidade eléctrica no arquipélago”.

A rede de mobilidade eléctrica prevê 26 pontos de carregamento públicos, garantindo, pelo menos, um em cada concelho da Região, dos quais 16 serão pontos de carregamento rápidos.

Em Outubro, na primeira fase do procedimento, foram adjudicados 16 dos 26 lotes para a concessão de serviços de exploração dos PCR, sendo que, para os 10 que ficaram excluídos ou desertos no concurso, a aquisição dos pontos de carregamento encontra-se assegurada através dos contratos ARAAL de colaboração entre o Governo Regional e os municípios recentemente celebrados.

O Plano de Investimentos da Direcção Regional de Energia para 2019 tem uma dotação financeira superior a um milhão de euros para a mobilidade eléctrica, de forma a corresponder a esta prioridade do Governo dos Açores.

“Em resultado de protocolos de colaboração celebrados com os municípios, levaremos também a cabo um conjunto de medidas de discriminação positiva para os utilizadores dos veículos eléctricos, nomeadamente a criação de lugares em parques de estacionamento de acesso público, com vista à massificação da sua utilização”, frisou Marta Guerreiro.

A Secretária Regional sublinhou ainda que o Executivo açoriano aprovou recentemente uma Proposta de Decreto Legislativo Regional que define a estratégia para a implementação da mobilidade eléctrica nos Açores, “materializando um conjunto de medidas de apoio e incentivo, nas suas diversas vertentes, que reforçam a aposta que o Governo dos Açores faz neste sector”.

Marta Guerreiro falava no final de uma visita à empresa Sousa & Garcês, que dedica a sua actividade à instalação de canalizações no sector da construção civil há mais de 17 anos, mostrando-se pioneira na adopção de boas práticas que fomentam a sustentabilidade ambiental, destacando-se, por exemplo, a sua frota constituída por cinco veículos eléctricos, um híbrido e um motociclo eléctrico.