Comissão municipal de protecção civil dá parecer positivo ao plano de emergência da SAAGA

COMISSO-MUNICIPAL-DE-PROTEA Comissão Municipal de Protecção Civil acaba de dar parecer positivo ao Plano de Emergência Externo da SAAGA, empresa que opera no sector energético, sobretudo no aprovisionamento, armazenagem e enchimento de produtos petrolíferos e outras actividades correlacionadas.

Na reunião da Comissão de Protecção Civil, todos os membros deste órgão municipal deram contributos com vista ao melhoramento do Plano de Emergência Externo da SAAGA, o qual acabou por receber parecer positivo no final do encontro.

A partir de agora e até 14 de dezembro, o referido plano vai estar em consulta pública, baixando depois à Assembleia Municipal para discussão e aprovação. Posteriormente, o Plano de Emergência Externo da SAAGA será enviado ao Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA) para aprovação final.

Na reunião da Comissão Municipal de Protecção Civil estiveram presentes o Vereador Alberto Leça, responsável directo da autarquia por esta área, e a Vereadora do Ambiente, Luísa Magalhães, bem como os restantes membros que compõem este órgão, desde os elementos do Serviço Municipal respectivo, passando por entidades militares, policiais e restantes organismos que lidam directa e indirectamente com questões relacionadas com matérias relacionadas com a protecção dos cidadãos.

Segundo foi referido na reunião de hoje, o Plano de Emergência Externo da SAAGA, que acaba de receber o parecer positivo da Comissão Municipal de Protecção Civil, é de extrema importância, tendo em conta toda a área envolvente da empresa, quer em termos habitacionais, quer em termos de serviços, sobretudo no que respeita à segurança do aeroporto de Ponta Delgada.

Em causa está o facto de a SAAGA exercer uma actividade considerada de risco e a existência de um plano de prevenção em caso de eventuais acidentes.

A SAAGA trabalha concretamente na armazenagem de combustíveis, enchimento de garrafas de gás, carros-cisternas e combustíveis Líquidos, além da armazenagem e enchimento de carros-tanques, bancas marítimas e instalações aéreas, da armazenagem de Jet e abastecimento de aviões.

Governo apoia espaços de tecnologias de informação e comunicação

A Secretaria Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos acaba de abrir concurso destinado ao apoio à instalação, funcionamento e desenvolvimento de espaços de tecnologias de informação e comunicação (TIC) permanentes, para o acesso público e gratuito à Internet em banda larga.

Os Espaços TIC são espaços públicos de acesso gratuito às TIC e à Internet, onde são promovidas as aquisições de competências básicas em TIC e a socialização e integração dos cidadãos na Sociedade de Informação e do Conhecimento.

O concurso agora lançado tem como objectivos apoiar a instalação, funcionamento e actualização de Espaços TIC de acesso público, bem como melhorar a sua acessibilidade às populações, proporcionando alternativas de ocupação de tempos livres aos cidadãos em geral, e aos jovens, em particular, numa perspectiva educacional.

A Secretaria Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos pretende ainda promover a realização de actividades formativas na área das TIC e facilitar a transferência de know-how tecnológico.

Podem candidatar-se ao concurso entidades públicas do poder local da Região Autónoma dos Açores e entidades privadas sem fins lucrativos, sediadas na Região Autónoma dos Açores.

As candidaturas deverão ser submetidas à Direcção Regional da Ciência, Tecnologia e Comunicações até às 17h (hora dos Açores), do dia 31 de Dezembro de 2011, através do site http://www.azores.gov.pt/Gra/sctr/.

Navio de cruzeiro “Queen Elizabeth” está hoje de regresso a Ponta Delgada

cruzeiros---foto-marco-sous_120_119_120_119O último dia deste mês de Novembro marca o regresso, pelas 12h, do novíssimo navio Queen Elizabeth, a mais recente "jóia" da lendária companhia Cunard Line. Depois da estreia a 2 de Janeiro deste ano, esta segunda escala em Ponta Delgada integra-se num cruzeiro de 23 dias às Caraíbas, com início e terminus em Southampton. A bordo deste requintado paquete viajam cerca de 2000 passageiros, na sua maioria britânicos, e 1000 tripulantes. Depois de largar amarras do terminal das Portas do Mar (18h), o elegante navio irá rumar a Barbados, primeira paragem contemplada no périplo pelas mais referenciadas ilhas da zona este das Caraíbas.

Construído nos famosos estaleiros italianos Fincantieri, em Monfalcone, foi inaugurado a 11 de Outubro de 2010, no famoso porto de Southampton, em Inglaterra, numa cerimónia que contou com a presença da rainha Isabel II, madrinha do navio.

Tem como principais características 294 metros de comprimento, 32,3 metros de largura, 8 metros de calado, desloca 92 mil toneladas de arqueação bruta, com capacidade máxima para transportar 2092 passageiros e 1046 tripulantes.

As três escalas com que a Cunard Line nos brindou este ano são sinónimo da relevância que os Açores têm vindo a conseguir nos últimos anos. A visita do ilustre cunarder certamente não passará despercebida, uma vez que estaremos na presença de um dos mais mediáticos navios da actualidade, operado pela famosa Cunard Line, uma das maiores referências da história marítima do século XX.

Campanha de Natal do Banco Alimentar resulta na angariação de um total de 22 toneladas de alimentos em São Miguel

banco-alimentar-contra-a-fo_120_91No passado fim de semana – 25, 26 e 27 de novembro, o Banco Alimentar Contra a Fome - S. Miguel angariou um total de 22 toneladas de géneros alimentares, na campanha que se realizou em toda a ilha, representando mais 60 % relativamente à campanha de Primavera, e sensivelmente o mesmo que no Natal passado.

Foi uma excelente campanha, tendo em consideração o ambiente de crise, e podemos afirmar que os açorianos continuaram a ser solidários para com as famílias em necessidade. Aliás, em 2011, e até ao momento, já se ultrapassaram as 550 toneladas recebidas, o que supera os valores alguma vez alcançados.

Alcançou-se um recorde de participação de voluntários, mais de 280 voluntários, a maior parte grupos de jovens, que ofereceram algum do seu tempo para colaborarem connosco, fazendo a recolha em 17 superfícies comerciais, o transporte e a triagem dos alimentos em armazém.

Os produtos recolhidos estão agora prontos para serem distribuídos, através da nossa rede de cerca de 70 instituições parceiras que abrangem todas as freguesias da ilha, entregando localmente cabazes às famílias ou servindo refeições, nas próprias instalações ou ainda, no apoio domiciliário. Contrariamente ao que se pode pensar, o resultado da campanha não se destina a ser distribuído só durante o Natal. Todos os dias são recebidos pedidos de apoio, pelo que estes donativos têm de ser geridos da melhor forma para que haja sempre uma resposta eficaz às situações de emergência social.

Quem ainda pretende contribuir, até 4 de Dezembro ainda o pode fazer através da campanha VALE, em todas as lojas do Continente-Modelo, ou através do portal www.alimentestaideia.net para doações de alimentos pela Internet. Durante o resto do ano, as portas do nosso armazém estão sempre abertas para receber alimentos!

O Banco Alimentar agradece a todos quantos nos ajudaram a alcançar mais este excelente resultado!

Biólogo açoriano participa na primeira missão "Global Reef Expedition"

 

"Portugal não possui nenhuma zona de corais tropicais mas as metodologias e os resultados das investigações nessa área também servem a ciência do país, nomeadamente do Departamento de Oceanografia e Pescas (DOP) dos Açores" disse à Lusa o biólogo João Monteiro.

O biólogo, que faz parte do Centro do Instituto do Mar (IMAR) da universidade açoriana, estuda as microalgas do género "Synbiodinium" que residem no interior dos corais.

"Se os corais perderem as microalgas, o que acontece através de um fenómeno de lixiviamento [bleaching] e do aquecimento da temperatura da água que provoca stress os recifes de corais podem estar em causa", salientou o investigador.

Vencedor de um concurso internacional, João Monteiro, de 32 anos, procura "apurar os mecanismos daqueles fenómenos para encontrar soluções que diminuam o problema" e estas investigações podem também servir outros investigadores do DOP que fazem estudos sobre os corais de profundidade no mar dos Açores.

Além disso, adiantou, a universidade açoriana e o país vão beneficiar "do desenvolvimento de novas valências na investigação além da exposição internacional que reforça e demonstra à sociedade nacional e internacional que o que se faz tem significado".

João Monteiro admitiu que "o aquecimento global tem consequência no eventual desaparecimento das zonas de corais" que são importantes fontes económicas que só no caso do Havai se estima "rondem os 24,5 biliões de euros".

"São os corais que alimentam peixes, protegem a orla costeira, são um produto turístico na área do mergulho, produzem a areia branca de muitas praias e suportam um quarto de todas as espécies marinhas conhecidas no planeta", sustentou João Monteiro.

Ainda que só ocupem menos de 0,1 por cento da superfície dos oceanos cerca de 60 por cento dos recifes de corais estão ameaçados podendo as investigações de João Monteiro contribuir para saber como as algas poderão lidar com o aquecimento global.

A missão, com 24 cientistas, vai usar o navio Golden que está equipado com laboratórios, câmara hiperbárica e um hidroavião Cessna 208. A missão é apoiada pela Living Oceans Foundation, fundada na Califórnia em 2000 pelo príncipe Khaled Bin Sultan da Arábia Saudita.

Um biólogo da Universidade dos Açores (UAç), que investiga o "lixiviamento" das microalgas dos corais, vai integrar a primeira missão "Global Reef Expedition" que decorre em março do próximo ano nas Caraíbas, Pacífico e Índico.