Governo prepara-se para pagar 22,8 milhões pela SCUT em 2012...

scutsA factura a pagar pela SCUT de S. Miguel atinge no próximo 22,8 milhões de euros, que serão pagos no âmbito do Plano de Investimentos de 2012. Esse montante obrigou ao aumento em 21% da verba destinada à Secretaria Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos, e a reduções significativas em praticamente todas as áreas da sua responsabilidade.
Para se ter uma ideia da dimensão da factura, considere-se que este valor representa 4,66% de todo o Plano de Investimentos, 51% da verba para a Rede Viária, 36% do total orçamentado para esta secretaria regional, e 99,2% da rubrica “Construção de Estradas Regionais”.
Esta rubrica é praticamente esvaziada de qualquer verba, ficando apenas 48.500 euros para a conclusão da 2ª fase da variante à cidade da Horta, e 145 mil para a construção de um acesso à nova Escola de água de Pau (que no seu total representam 0,84%).
Se se considerar as verbas para a construção de estradas regionais, excluindo a SCUT, com outros anos, a redução é astronómica. A verba para 2012 representa apenas 9,2% da de 2011 (uma redução de 90%), 3,3% da de 2010, e 2,55% da de 2009. E, no entanto, há um crescimento desta rubrica de 990% em relação a 2011.
Por outro lado, há uma redução de 9,4% na verba para a “reabilitação de estradas regionais”, embora o total, de 12,4 milhões de euros, esteja em linha com anos anteriores.
Onde vai a SRCTE buscar o resto da verba necessária para a SCUT? Em algumas das 6 áreas em que se realizaram cortes superiores a 20%, num total de 11,2 milhões de euros.
O corte mais significativo realizou-se na rubrica da “construção, ampliação e remodelação de edifícios públicos”, que perde 63,8% em relação a 2011, num total de 3,3 milhões de euros.
Esta rubrica inclui obras nos palácios públicos e nas instalações da própria secretaria, assim como em outros edifícios públicos. A redução é feita sobretudo à custa desses outros edifícios, que praticamente desaparecem do Plano. As “beneficiações” nas instalações da SRCTE e nos palácios da Conceição e Santana ascendem agora a 71% dessa rubrica (no Plano anterior eram responsáveis por 39%, e com mais dinheiro). Desde 2009, e incluindo o ano de 2012, as instalações da SRCTE terão custado 4 milhões de euros, o Palácio de Santana 2,9 milhões, e o da Conceição 2,6 milhões. Estes são os dois palácios adstritos à Presidência e Vice-presidência do Governo Regional.  Em 2012, o Palácio da Conceição vê mesmo a sua verba reforçada em 39% para 650 mil euros. É praticamente a única área a aumentar a dotação nesta rubrica. As “diversas reparações em edifícios públicos” praticamente mantém a mesma dotação, com 48.500 euros.
Outra das grandes reduções desta secretaria é no capítulo da “Ciência, Tecnologia e Sistemas de Informação”, que no seu total perde 21,9%, correspondentes a cerca de 3 milhões de euros. A “investigação, ciência e tecnologia nos Açores” perde 19,6%, num total de 2,4 milhões de euros. O maior corte é no “apoio à formação avançada”, que perde 586 mil euros (40,2%). O apoio ao “desenvolvimento tripolar da Universidade dos Açores” perde 22,5% (menos quase 100 mil euros). e o “desenvolvimento das tecnologias de informação e comunicação” perde 27%, com menos 1,37 milhões de euros.
A Protecção civil perde também 21,2%, num total de quase 2 milhões de euros. Há cortes em quase todas as áreas, mas este valor deve-se fundamentalmente à redução da verba para a construção e remodelação de infra-estruturas e equipamentos, que perde 1,8 milhões. Trata-se do fim da construção do quartel de angra do Heroísmo e pelo não lançamento de mais nenhuma obra de vulto.
O maior corte percentual é no “sistema de transportes terrestres e segurança rodoviária”, que perde 98,3%, passando de 2,8 milhões para apenas 48 mil euros. O investimento total não baixa tão significativamente (apenas de 5,8 para 5,2 milhões), mas o financiamento do Plano é que desaparece.

Secretaria não comenta

A Antena 1 tentou ontem contactar José Contente, que há cerca de um ano tinha referido que os pagamentos não iriam além dos 7 milhões de euros.
A estação pública diz que José Contente “não quis gravar declarações sobre o assunto”  e que “o seu gabinete explicou que o valor em causa poderá não ser utilizado na íntegra” e que “a verba está empolada porque a Região não sabe ao certo qual o valor da renda a pagar, pois o montante poderá variar consoante o número de viaturas que transitarem e o número de acidentes rodoviários”.
A Antena 1 conclui com uma curiosidade: “a renda anual das SCUT deveria representar uma percentagem não superior a 1% do PIB da Região, mas por este andar o mais certo é ultrapassar essa percentagem”.  O valor do PIB (de 2009) é de 3,7 mil milhões de euros, pelo que 1% representaria 37 milhões de euros por ano...

Bar Marina regressa com muitas novidades

Bar-Marina1A marina de Ponta Delgada está diferente, reabriu com nova gerência o Bar da Marina. O espaço emblemático da primeira Marina de São Miguel reabriu sob os comandos do empresário Luís Furtado que reuniu um conjunto de profissionais jovens através dos quais pretende servir o grande público com um serviço de restaurante/ bar todos os dias da semana no horário compreendido entre as sets e as duas horas da madrugada.
O empresário Luís Furtado assume que aposta principal é na qualidade, eficácia e no profissionalismo do serviço de restaurante/ bar. Na Marina de Ponta Delgada o cliente usufrui de serviço de pequeno-almoço, almoço e jantar sendo que existem preços muito em conta de forma a satisfazer as necessidades e anseios do público em geral.
Ao almoço o Bar Marina apresenta uma variedade de pratos de carne ou peixe onde existe também um Menu específico para o Prato do Dia, assim sendo, por apenas 6 euros o cliente tem direito a prato de carne ou peixe, pão, sobremesa e café. No Bar Marina o cliente usufrui também de promoções especiais para grupos, empresas bem como festas de aniversário.
A grande aposta do Bar MARINA são os preços acessíveis a todos os bolsos, aproveite e comprove a qualidade e serviço junto ao mar no Bar Marina.
À sexta-feira o Bar Marina apresenta música ao vivo, ao sábado e vésperas de Feriado os clientes podem desfrutar de karaoke e animação garantidos porLúcia Alcaidinho, Luís Costa e Paulo Pinheiro, e por último aos domingos existe música ambiente.
Este fim de semana o Bar da Marina apresenta mais uma noite de festa com a actuação de Jéssica Sousa, finalista do Açor Talentos, no Sábado actua Margarida Cabral, vencedora do Açor Talentos, no domingo durante a tarde há uma festa de temática destinada aos mais novos alusiva ao dia das Bruxas., Por ultimo no dia 31 de Outubro decorrerá um grande jantar seguido de uma grande festa alusivo ao já tradicional festejo do “HALLOWEEN” que contará com as actuações das “Street Dancers”, Luís Costa, Paulo Pinheiro, Lúcia Alcaidinho, Jéssica Sousa e Rodrigo Rego acompanhados pela Banda INCOGNITUS. Haverá também um concurso de fantasias onde no decorrer da noite haverá prémios a sortear e a atribuir
O menu de jantar “HALLOWEEN” é o seguinte sopa, prato de peixe ou carne, sobremesa, café, bebida a descrição (excluindo o vinho) por 12.50 euros.

Concurso “Geração €uro”para alunos do ensino secundário

euro-concursoO Banco Central Europeu (BCE) e doze bancos centrais nacionais da área do euro (Nationale Bank van België/Banque Nationale de Belgique, Deutsche Bundesbank, Banco de España, Central Bank of Cyprus, Central Bank of Ireland, Banca d’Italia, De Nederlandsche Bank, Oesterreichische Nationalbank, Banco de Portugal, Banka Slovenije, Národná banka Slovenska e Suomen Pankki/Finlands Bank) lançaram em conjunto um concurso dirigido a alunos do ensino secundário. O Concurso “Geração €Euro” dará à primeira “geração euro” – jovens que cresceram com o euro – a oportunidade de compreender interactivamente como funciona a política monetária na área da moeda única e de que forma se relaciona com o conjunto da economia. Deste modo, os alunos aprofundarão os seus conhecimentos sobre banca central.
O concurso, dividido em três fases, desenrolar-se-á em 12 países da área do euro no ano lectivo de 2011/2012 e prevê-se que se realize anualmente. A equipa vencedora de cada país participante e a equipa vencedora das escolas internacionais ou europeias serão convidadas para um evento a nível europeu, que terá lugar no BCE, em Frankfurt, onde o Presidente do BCE lhes entregará um prémio.
Cabe aos bancos centrais nacionais a organização do concurso a nível nacional, enquanto no caso das escolas internacionais e europeias a organização é da responsabilidade do BCE. A primeira fase do concurso arrancou com um questionário online no início deste mês. A segunda fase, que consiste na redacção de um ensaio, implica um esforço de equipa.

Nesta fase, as equipas têm de prever a decisão do Conselho do BCE sobre a taxa de juro para Março de 2012, expondo num ensaio as razões subjacentes. As cinco equipas que passarem à terceira (e última) fase serão convidadas a apresentar oralmente a sua decisão sobre a taxa de juro para Junho de 2012 a um júri composto por especialistas nas instalações do BCE em Frankfurt am Main. Para mais informações sobre o concurso, consultar o sítio www.generationeuro.eu ou enviar um pedido para Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. .

RTP Açores com a reestruturação da estação é reduzida a janela de 4 horas

rtp-aores_180_180A decisão está assumida: a emissão regional da RTP Açores irá passar a 4 horas de emissão diária, no caso, entre as 19 e as 23 horas. A mesma situação já acontece no arquipélago da Madeira que presentemente dispõe de 4 horas de emissão diárias.
Na passada segunda-feira à porta fechada aos órgãos de governo próprio das regiões autónomas, as decisões sobre o futuro da RTP- Açores e Madeira foram assumidas entre o conselho de administração da RTP e o Governo Central e somente depois comunicadas à a delegação da Assembleia Legislativa dos Açores. Miguel Relvas fechou o plano de reestruturação da empresa, sem ouvir os deputados dos Açores.
O ministro reuniu na tarde de 24 de Outubro com uma delegação parlamentar dos Açores, mas apenas para os informar das decisões já tomadas. Hernani Jorge, o presidente da delegação diz que é total desrespeito pela Assembleia Regional.
Em relação ao futuro da RTP - Açores, Miguel Relvas não fez qualquer tipo de cedências.
O Ministro mantém todas as decisões que já tinha anunciado anteriormente e reforça-as. Muito em Breve haverá redução de custos e a nossa RTP Açores irá passar a formato de janela de 4 horas um cenário que se afigura incontornável.

Miguel Relvas mostra “incompreensão e
relutância” para
discutir autonomia

Segundo avança a agência Lusa a delegação da Assembleia Legislativa dos Açores  que esteve segunda-feira reunida com o ministro-adjunto e dos Assuntos Parlamentares  informou que Miguel Relvas mostrou uma “absoluta incompreensão e relutância” em discutir a eventual autonomia administrativa e financeira da RTP/Açores.
O balanço foi avançado à Lusa pelo deputado Hernâni Jorge, que chefiou a delegação parlamentar que reuniu em Lisboa com o ministro que tutela a Comunicação Social e com membros do conselho de administração da RTP. Os deputados ao Parlamento Regional foram à capital exigir a autonomia editorial, administrativa e financeira da RTP/Açores, mas saíram da reunião desagradados com posição do ministro em relação às suas reivindicações.
“O senhor ministro manifestou absoluta incompreensão e relutância em sequer avaliar a nossa proposta”, lamentou Hernâni Jorge, recordando que Miguel Relvas “é contra” qualquer “autonomia” do canal regional de televisão.
Segundo o deputado socialista, o governante terá acrescentado que, se a região pretende autonomizar o canal regional da RTP, “deve também meter  lá o dinheiro”. O deputado atribuiu ainda ao ministro a afirmação: “Lisboa paga, Lisboa manda”.
Hernâni Jorge lamentou que o “registo” da conversa do ministro-adjunto na reunião com a delegação açoriana tenha sido “do pior que pode haver”, acusando-o de “desrespeito” pela Assembleia Regional e pelas autonomias.
Contactado pela Lusa, o gabinete de Miguel Relvas escusou-se a comentar as declarações do deputado.
O Governo da República deverá assim manter a intenção de reduzir a emissão  da RTP/Açores e da RTP/Madeira para uma janela de quatro horas diárias (entre as 19:00 e as 23:00) e de reduzir também os custos de operação dos canais e as despesas com pessoal.
O deputado açoriano lamentou também que, logo à entrada para o encontro, Miguel Relvas tenha comunicado aos parlamentares que tinha acabado de aprovar o plano de reestruturação da RTP e que o presidente do conselho de administração,
Guilherme Costa, não estaria presente na reunião porque iria dar uma conferência de imprensa logo a seguir.
“Lamentamos que tenhamos vindo cá para nada, porque podíamos ter ficado em casa, a acompanhar pela televisão a conferência de imprensa do presidente da RTP”, ironizou Hernâni Jorge.
O deputado socialista entende que o Parlamento açoriano deve “reagir de forma veemente” a este “desrespeito pela assembleia e pelas autonomias”.

Governo dos Açores recorre a tribunal para obrigar RTP a cumprircontrato de serviço público

Segundo noticia avanda ontem O Governo Regional dos Açores vai interpor uma acção judicial contra a RTP para o cumprimento do contrato de concessão do serviço público de rádio e televisão, bem como uma providência cautelar para evitar medidas que inviabilizem essa concessão.
“A lei impõe à concessionária um determinado serviço público que só pode ser conseguido com meios e uma autonomia financeira que não existe”,afirmou André Bradford, secretário regional da Presidência, numa conferência
de imprensa em Ponta Delgada em que reagiu às medidas anunciadas na segunda-feira pela administração da RTP.
André Bradford especificou que esta iniciativa judicial, que será desencadeada em conjunto com um grupo de cidadãos, visa especificamente contrariar a intenção de reduzir a produção própria da RTP/Açores a quatro horas diárias,
bem como a redução dos meios humanos “sem uma explicação clara sobre o seu impacto na actividade da RTP/Açores”.

Reestruturação
da RTP  aprovada

Segundo a Comissão de Trabalhadores da televisão do Estado, vai ser também criada uma empresa autónoma para gerir os meios técnicos e à qual a RTP vai subcontratar serviços.
Uma das medidas do plano de reestruturação, aprovado entre o conselho de administraçao da RTP e o ministro-adjunto e dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, implica a abertura de um plano de rescisões por mútuo acordo, a partir de Novembro.
Mas não só. Segundo a Comissão de Trabalhadores (CT), vai ser criada uma empresa autónoma para gerir os meios técnicos e à qual a RTP vai subcontratar serviços.
Não está prevista, para já, a alienação de uma rádio, mas mantém-se a privatização de um canal, mantendo-se ao mesmo tempo uma emissão generalista, com seis minutos de publicidade por hora.
A Comissão de Trabalhadores assumiu ao Diário de Notícias que vai “prosseguir com uma queixa no Tribunal de Trabalho, no Ministério do Trabalho e ao provedor de Justiça”. A porta-voz do organismo, Ângela Camila, explica que vai ser “pedida uma audiência ao presidente da República e também na Assembleia”. Em causa estão as medidas que, considera, “vão contra a lei da rádio e televisão e é inconstitucional”.
Segundo a Antena 1 Açores “A comissão de trabalhadores da RTP considera que o plano de rescisões amigáveis, avançado na segunda-feira pelo presidente da estação pública de televisão, “pode ser razoável”, salvaguardando que “tudo depende de como isso é feito”.
O presidente da RTP, Guilherme Costa, confirmou na segunda-feira que a empresa vai avançar até meados de Novembro com um novo plano de rescisões voluntárias e que tem provisões suficientes para rescindir com 300 trabalhadores, avançando que se trata de um montante superior a “30 milhões de euros”.
Ângela Castelo Branco considerou que, “se se for pela mesma via de 2009 e 2010, é uma boa saída para a empresa” porque “ficam garantidas as condições para os trabalhadores que se vão embora e a empresa diminui o quadro de pessoal”. No entanto esta responsável da comissão de trabalhadores da RTP “não sabe se é essa a grande importância deste plano”.
Sobre a quantia avançada por Guilherme Costa (30 milhões de euros em provisões para a rescisão de 300 trabalhadores), Ângela Castelo Branco considera que “não se trata de a quantia ser suficiente ou não, trata-se de saber se há esse número de trabalhadores” disponíveis para uma rescisão amigável.
“Ficamos preocupados com o número avançado porque temos desconhecimento de como se chega a esse número de 300 pessoas e o conselho de administração vai ter de explicar à comissão de trabalhadores. Dentro de vários sectores, temos falta de pessoas e temos muito interesse em tentar perceber em que é isso vai prejudicar a empresa no seu funcionamento diário”, disse ainda Ângela Castelo Branco.
A responsável adiantou que a comissão de trabalhadores está também preocupada com outros aspectos do plano de sustentabilidade económica e financeira, anunciado na segunda-feira pelo presidente da RTP.
Entre esses aspectos, Ângela Correia nomeou o contrato de concessão do serviço público, que “de certa maneira está a ser violado”, a “possibilidade de redução das emissões da RTP Madeira e RTP Açores, que está por explicar”, bem como “a alienação de um destes canais e a forte aposta na informação, que põe em causa as obrigações de serviço público”.
A comissão de trabalhadores da RTP deverá receber o plano de sustentabilidade económica e financeira “por escrito” na quarta-feira, altura em que “vai estudar com muita atenção” todo o projecto.”O Diário dos Açores desenvolveu esforços para obter uma reacção da subcomissão de Trabalhadores da RTP Açores mas Teresa Nóbrega assumiu que qualquer reacção só deverá ser comunicada no decorrer do dia de hoje. Por seu turno o director da RTP Açores, Pedro Bicudo, esteve incontactável até à hora de fecho da nossa edição.

SATA destacada em revista internacional de “gestão de projectos”

diasporaA SATA foi recentemente destacada na mais prestigiada publicação sobre Gestão de Projectos, a PM Network, do PMI Institute
Com pouco mais de um ano de implementação de metodologias inovadoras na área de Gestão de Projectos, a SATA foi reconhecida internacionalmente pela mais prestigiada revista da especialidade, a PM Network, através da publicação de um artigo na edição de Outubro, sobre a aplicação prática destas metodologias no desenvolvimento interno de uma das aplicações SATA para suporte ao negócio.
A SATA vê assim reconhecido o trabalho na área de Gestão de Projectos, com um artigo de referência na revista “PM Network” do Project Management Institute – instituição líder mundial na área de gestão de projectos. De salientar também, que a SATA já participou, como oradora, em diversos eventos nacionais para partilha da sua experiência nesta área.
O projecto em causa é relativo à aplicação para suporte aos processos de negócio da SATA Gestão de Aeródromos, o qual permitiu alcançar uma poupança substancial nos custos de exploração e simultaneamente uma melhoria na eficiência de operação nos aeródromos que gere.
A aplicação deste tipo metodologias traduz-se numa maior entrega de valor ao cliente através do necessário alinhamento entre o IT da SATA e sua orientação estratégica, garantido ciclos de entrega curtos e com o envolvimento da organização como um todo.