AIPA apresenta Festival “O Mundo Aqui” em Novembro na cidade de Ponta Delgada

Graca-CastanhoA Directora Regional das Comunidades presidiu, ontem, à apresentação oficial da 4ª edição do festival “O Mundo Aqui”, que decorreu em Ponta Delgada. O festival, organizado pela AIPA, Associação dos Imigrantes nos Açores, decorre de 4 a 6 de Novembro nesta cidade micaelense.
Após ter congratulado os organizadores do festival pela sua grandiosidade em termos de qualidade e quantidade de acções, pela transversalidade, uma vez que oferece propostas para todas as idades e pela presença de um vasto número de países, Graça Castanho lembrou que “a Direcção Regional das Comunidades, ao apoiar iniciativas como “O Mundo Aqui” e actividades de associações e pessoas individuais que desenvolvem trabalho em prol das comunidades imigrantes, está a contribuir para a construção do presente e do futuro não só dos Açores, mas do mundo global que se quer diverso e multicultural, onde os valores da liberdade, democracia e respeito pela diferença devem imperar”.
Estabelecendo um paralelismo entre os emigrantes açorianos, radicados no estrangeiro, e os imigrantes a viver nos Açores, Graça Castanho referiu que ”apesar das dificuldades do momento histórico, quer uns quer outros continuam a lutar pela integração, pelo direito ao trabalho e à felicidade, nunca cruzando os braços perante as adversidades da vida. É esta capacidade de contornar obstáculos que melhor caracteriza os imigrantes pelo mundo fora. São, de facto, seres humanos determinados, com objectivos na vida e prioridades bem definidas”.
O Festival Mundo Aqui, apoiado pela Direcção Regional das Comunidades, é, sem dúvida, um momento privilegiado de “mostrar ao mundo a grandiosidade dos Açores, um arquipélago que acolhe, com qualidade e segurança, indivíduos de 86 nacionalidades diferentes”, acrescentou a Directora Regional das Comunidades.
Graça Castanho informou ainda que a Direcção Regional das Comunidades, nas últimas décadas, tem-se colocado ao lado das populações migrantes, contribuindo com os seus apoios, a realização de acções no terreno e atendimento ao público imigrante, em todas as ilhas dos Açores, para o bem-estar e a integração desta população que muito honra todos os açorianos e açorianas. “Os Açores de hoje nada têm a ver com a homogeneidade do passado. Hoje somos parte integrante do mundo porque o mundo está aqui representado”, concluiu.

Coronel Sérgio Ferreira é o novo comandante da Base das Lajes

O coronel Sérgio Ferreira é o novo comandante da Base Aérea n.º 4, nas Lajes, na ilha Terceira, substituindo no cargo o coronel Alexandre Figueiredo que terminou a sua comissão de serviço, disse ontem à Lusa fonte militar.
A transmissão do comando na Base das Lajes está prevista para 25 de Outubro, numa cerimónia nesta base militar portuguesa instalada na ilha Terceira, afirmou Alexandre Figueiredo, no final de uma audiência com o representante da República para os Açores para apresentação de cumprimentos de despedida.
“As Lajes continuam a ser um ponto geoestratégico fundamental no Atlântico, em qualquer cenário, como foi o caso do sismo do Haiti, apoiando as inúmeras aeronaves estrangeiras que prestaram auxílio àquele país”, frisou o responsável militar.
Alexandre Figueiredo salientou ainda que Portugal tem beneficiado da posição geoestratégica desta base militar portuguesa e da presença norte-americana nas Lajes.
“Sem os Açores, o país não teria a projecção internacional que tem e teria um papel mais diminuto do que aquele que tem”, afirmou, referindo ainda a importância dos gastos que a presença militar norte-americana gera no comércio local.
Por outro lado, salientou o papel da Força Aérea Portuguesa “no apoio a evacuações sanitárias entre as nove ilhas açorianas e na busca e salvamento de pessoas e embarcações no oceano Atlântico”.

Criação de um domínio de 1º nível na Internet não é prioridade

internet-coresA criação de um domínio de primeiro nível para a Região Autónoma dos Açores não é um assunto prioritário, atendendo ao investimento que é necessário realizar.
A opinião é do Secretário Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos, José Contente, e foi expressa esta quarta-feira, no parlamento açoriano, durante a discussão de um projecto de Resolução do PPM propondo a criação de um domínio de primeiro nível na Internet para os Açores.
De acordo com José Contente, a operacionalização desta proposta teria um custo inicial estimado de 250.000 euros, aos quais acrescem cerca de 30.000 euros anuais para despesas com recursos humanos.
Em contrapartida, precisou o governante, o retorno expectável do investimento seria apenas de 30 euros por cada inscrição das empresas ou entidades que aceitassem aderir ao novo domínio de primeiro nível.
Para José Contente, a criação de um Top Level Domains para os Açores não garante que a Região deixe de utilizar todos os outros domínios que já existem, designadamente o PT.
“Não há também nenhuma certeza que um projecto desta natureza pudesse redundar na focalização da Região sob o nome AZORES ou AZO”, avançou ainda o governante.
Considerou ainda que não é por essa via que os Açores e a autonomia se distinguem no todo nacional ou internacional, uma vez que a Região já tem neste momento importantes projectos no âmbito das novas tecnologias de informação e da tecnologia espacial.
Essas, sim, são iniciativas que “focalizam de um modo mais substantivo a projecção dos Açores no meio do Atlântico”, assegurou José Contente, adiantando que “não é um site que irá ampliar a notoriedade dos Açores e da autonomia”.

PJ deteve presumível autor de sequestro de mulher com arma de fogo

pjA Polícia Judiciária anunciou ontem a detenção, em Ponta Delgada, São Miguel, de um homem de 29 anos pela presumível autoria de um crime de sequestro com arma de fogo, numa operação em que também libertou a vítima desse crime.
A operação, que envolveu um forte dispositivo de meios humanos e materiais, permitiu “em menos de três horas, localizar e deter o presumível autor” do crime, refere um comunicado da PJ, acrescentando que se trata de um motorista de profissão, residente em São Miguel.
A vítima era uma jovem com quem o detido manteve uma relação de namoro durante vários anos.
A PJ não adiantou pormenores sobre o local onde ocorreu a detenção.

“Vamos fazer tudo para proteger o Apoio Social e a Educação dos cortes orçamentais para 2012”, afirma Roberto Monteiro

roberto-monteiroApoio social e Educação são as duas áreas abrangidas pelos apoios autárquicos que a Câmara Municipal da Praia da Vitória não pretende afectar nas reduções orçamentais a que se vê obrigada pelos cortes que foi alvo nas transferências do Orçamento do Estado.
A confirmação foi dada pelo presidente da Autarquia na intervenção que proferiu perante várias dezenas de idosos reunidos no Auditório do Ramo Grande no âmbito das Jornadas Séniores da Praia da Vitória, que terminaram ontem à tarde.
“Vamos procurar por todos os meios proteger estas duas áreas. Com o cenário financeiro e orçamental que nos confrontamos, teremos de fazer opções. Vamos cumprir com todos os nossos compromissos, quer ao nível salarial quer com a Banca e fornecedores. Mas a área que será mais afectada será a dos apoios. Nesta vertente, não queremos afectar os apoios sociais e ao nível da Educação. Estou convicto que todos os praienses perceberão que, por exemplo, entre uma iluminação ou um qualquer evento e bolsas de estudo para estudantes com fracos recursos económicos, seja estes últimos os escolhidos como projecto a manter-se ao nível dos apoios municipais”, explicou o autarca.
“O que é certo é que vamos ter que mudar muitas coisas. Vamos ter que fazer opções e assumir as consequências desses actos. Daqui para a frente, vamos ter que mudar a maneira como gerimos os dinheiros públicos. Esta é uma certeza”, sublinhou Roberto Monteiro.