Artigos

Rafael Carvalho apresenta trabalho a solo “Origens” na sua terra natal

Rafael Carvalho, Presidente da Associação Viola da Terra, natural da Ribeira Quente, Concelho da Povoação, vai apresentar o seu primeiro trabalho a solo, intitulado "Origens", no próximo dia 3 de Fevereiro, pelas 21h30 no Centro Social e Paroquial da sua freguesia.

O trabalho conta com 10 temas instrumentais cinco dos quais originais e cinco variações dos temas tradicionais da Viola da Terra.

O lançamento do CD propriamente dito será no dia a seguir, 4 de Fevereiro, em Ponta Delgada, no Auditório Luís de Camões, pelas 20 horas.

Rafael Carvalho aprendeu a tocar Viola da Terra com Carlos Quental. Depois passou a dar formação na Escola de Viola da Terra da Ribeira Quente.

Foi membro fundador do Grupo de Violas/Foliões da Ribeira Quente em 1996 e do grupo Música Nostra em 2005.

Foi igualmente membro do Grupo Folclórico São Paulo de 1993 a 2005 e tem colaborado com os Grupos Folclóricos das Camélias (Furnas), São Pedro (Lomba do Cavaleiro), Água Retorta, Fajã de Baixo e da Associação Académica da Universidade dos Açores.

Na última década teve o prazer de acompanhar ao Desafio, Desgarrada e Velhas, cantadores como Jorge Rita, João Luis Mariano, Lupércio Albergaria, António Silva, António de Sousa, José Eliseu, João Angelo, Mota, João Leonel, José Fernandes, Vasco e Manuel Antão.

Já actuou em 8 das 9 Ilhas dos Açores, em Bruxelas, no Teatro da Trindade e nas Lojas Fnac do Colombo e Alfragide.

Foi Formador de Viola da Terra na Academia de Música da Povoação de 2007 a 2010.

Participou no I Encontro de Violas de Arame em 2009, em Castro Verde, representando os Açores e organizou em 2010, no Conservatório Regional de Ponta Delgada, o II Encontro de Violas de Arame.

Organizou com a Associação de Juventude Viola da Terra o I Encontro de Violas Açorianas, um evento que a Viola aguardou cerca de 5 séculos nos Açores para que se concretizasse.

Tem organizado desde 2009 o "DIA DA VIOLA DA TERRA" no Conservatório Regional de Ponta Delgada.

Concluiu o Curso Básico de Viola da Terra no Conservatório Regional de Ponta Delgada, tendo sido o primeiro músico Micaelense a submeter-se a exame de V Grau de Viola da Terra.

Actualmente é responsável pela Escola de Viola da Terra e Violão da Ribeira Quente que já formou, nos últimos 14 anos, dezenas de músicos que têm assegurado a continuidade dos grupos e tradições que existem na Freguesia.

Tem desenvolvido um conjunto de aulas de Viola da Terra online para pessoas que não têm acesso a um professor de Viola da Terra.

É formador da Escola de Viola da Terra do Grupo Folclórico da Fajã de Baixo. Exerce funções docentes de Viola da Terra no Conservatório Regional de Ponta Delgada.

É o responsável e Director Musical da Orquestra de Violas da Terra e está a desenvolver o primeiro Programa Mínimo de Viola da Terra Micaelense para o Conservatório Regional de Ponta Delgada, da Iniciação ao V Grau.

 

PSP apreende mais de uma dezena de condutores embriagados este fim-de-semana

Na passada sexta-feira, 20 de Janeiro, em Ponta Delgada, foi efectuada uma operação de fiscalização rodoviária, tendo sido fiscalizadas 32 viaturas e detectada uma infracção de natureza contra-ordenacional, por condução sob a influência de álcool com uma TAS de 0.66 g/l.

Na Lagoa, também na sexta-feira, foi detido um homem, de 42 anos de idade, por ter sido detectado em flagrante delito a furar dois pneus de uma viatura, tendo sido, igualmente, detidos, dois homens, maiores de idade, por condução de veículo automóvel, sob a influência de álcool com as TAS de 1.86 e 1.93 g/l.

Já na cidade da Ribeira Grande, foi detido um homem, por condução de um veículo automóvel, sob a influência de álcool, com uma TAS de 2.34 g/l.

Nas Capelas, também no dia 20 de Janeiro, foi detido um homem, de 38 anos de idade, por condução de veículo automóvel, sob a influência de álcool com a TAS de 1.42 g/l e um homem, de 29 anos de idade, por condução de veículo automóvel sem habilitação legal. No Nordeste foi, igualmente, detido um homem, de 24 anos de idade, por condução de um veículo automóvel, sob a influência de álcool com a TAS de 2.18 g/l.

Na Praia da Vitória, Terceira, foi efectuada uma operação de fiscalização rodoviária, tendo sido detectadas cinco infracções de natureza contra-ordenacional, nomeadamente por condução sob a influência de álcool, com uma TAS igual a 0.55 g/l e estacionamentos irregulares.

Já em Vila Franca do Campo foi detido um homem, de 45 anos de idade, por condução de um ciclomotor sob a influência de álcool com a TAS de 2.02 g/l.

Foi detido também um homem, de 40 anos de idade, por condução de veículo automóvel sob a influência de álcool com a TAS de 2.43 g/l.

Na cidade da Horta foi, igualmente, feita uma detenção a um homem, de 43 anos de idade, por condução de um veículo automóvel sob a influência de álcool, com uma TAS de 1.74 g/l.

No Domingo, 22 de Janeiro, em Ponta Delgada foi efectuada uma operação de fiscalização rodoviária, tendo sido fiscalizadas 35 viaturas; detectadas cinco infracções de natureza contra-ordenacional, nomeadamente, por condução sob a influência de álcool com as TAS de 0.66, 0.89 e 0.94 g/l e por falta de documentos, bem como foi detido um homem, por condução de veículo sem habilitação legal.

Foi também entregue sob detenção, um homem, de 23 anos de idade, por furto no interior de loja de roupa no centro comercial Parque Atlântico, o qual foi surpreendido à saída, após o alarme ter sido accionado, na posse de diversos artigos, tendo sido entregue à PSP, sob detenção, pela funcionária.

No Faial, foi também realizada uma operação de fiscalização rodoviária, na qual foram fiscalizados 44 veículos, sendo detectadas nove infracções de natureza contra-ordenacional, em concreto, cinco diversas no âmbito de legislação avulsa, uma por utilização de telemóvel durante a marcha do veículo, duas por condução de veículo a motor sob influência do álcool, sendo uma "Grave" e uma "Muito Grave" e uma por falta de seguro de responsabilidade civil, originando, de igual modo, a correspondente apreensão do veículo em causa, bem como detidos dois homens de 59 e 49 de idade, pela prática dos crimes de condução de veículo a motor sob influência do álcool, apresentando ambos uma TAS de 2.09 e 1.35 g/l respectivamente. No decorrer da operação, foram ainda apreendidas a dois homens de 41 e 36 anos de idade, 4 doses de liamba, sendo elaborados os correspondentes autos de ocorrência.

De 20 a 22 de Janeiro, ocorreram na Região 24 acidentes de viação, dos quais resultaram um ferido grave, dois ligeiros e danos materiais.

 

Ricardo Silva garante que a Ribeira Grande dispõe de uma “boa rede de equipamentos sociais”

ricardo-silvaO presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande, Ricardo Silva, defendeu ontem, que o concelho já está provido de uma "boa rede de equipamentos sociais", sinal revelador de que "temos dado passos importantes para enfrentar os desafios futuros".

Ricardo Silva falava na cerimónia de lançamento da primeira pedra da empreitada de construção da Creche, do Centro de Apoio Social e Acolhimento Bernardo Manuel da Silveira Estrela.

Para o autarca, a construção de equipamentos sociais de apoio à infância, juventude e terceira idade tem feito com que a Ribeira Grande seja um "concelho forte". Estão em curso ou projectadas as obras da Casa do Povo de Rabo de Peixe, creche da freguesia da Maia, o CAO da Santa Casa da Misericórdia da Ribeira Grande e o Lar de Idosos do Pico da Pedra.

A creche agora projectada em terreno da propriedade do Centro de Apoio Social e Acolhimento Bernardo Manuel da Silveira Estrela, para além de vir a complementar capacidade de resposta às crianças com idades até aos três anos, vai permitir reduzir a longa lista de espera existente. A creche, com capacidade para 78 crianças, vai também possibilitar uma melhoria significativa das condições ao nível do espaço, do equipamento e material passando a dispor de melhores condições para o desenvolvimento de actividades de natureza sócio educativa.

O equipamento tem uma área coberta de 1804 m2 e vai abranger outras valências, como uma ludoteca, salão multiusos e uma sala de intervenção precoce. A obra está orçada em cerca de 1.5 ME, cujo financiamento é do Governo Regional, tendo um prazo de execução de 240 dias.

Pedro Bicudo desmente a sua saída da RTP/Açores

rtp-aores.2A Subcomissão dos Trabalhadores da RTP/Açores teve na passada quarta-feira uma reunião de esclarecimento com o Director daquele canal televisivo, cujo tema de discussão foi o orçamento para o ano de 2012.

Na ocasião, levantada a questão da previsão meteorológica, que levou os meteorologistas a chegarem a anunciar o fim da sua colaboração com a RTP-Açores, Pedro Bicudo atribuiu a responsabilidade "pelas decisões que estão na origem da situação directamente ao Conselho de Administração. Alega que Lisboa decidiu atribuir as verbas programa a programa, tendo mesmo eliminado o ‘Troféu’, vítima de morte súbita quando se encontrava na pausa de Natal, e diz que resta a missão de ‘executar’ as determinações superiores", informa comunicado de imprensa da SubCT.

Este é um argumento que a SubCT "não pode aceitar, esperando da direcção da RTP-Açores mais do que a simples e obediente execução das vontades que vão contra o que está estipulado na lei, posições firmes e consistentes no cumprimento da sua função mais importante, gerir" afirma.

Nesse sentido, a SubCT vai, através da Comissão de Trabalhadores, pedir um esclarecimento ao Conselho de Administração sobre esta ingerência denunciada pela direcção da RTP-Açores.

Pedro Bicudo informou, ainda, que o orçamento da informação TV teve um reforço de mais de 100 mil euros, relativamente a 2011, para obstar a que se repita a derrapagem com a contratação de serviços externos, como aconteceu nos últimos meses do ano passado. Esta opção, segundo disse, "obrigou a reduzir o orçamento da produção", o que justificou dizendo que "a RTP-Açores deve prosseguir a sua missão primordialmente como um canal de informação regional."

A SubCT considera, contudo, que houve "má gestão, ao ponto de as verbas destinadas ao referidos serviços externos se terem esgotado vários meses antes do final do ano, passando a haver, então, subitamente, orçamento disponível para trabalho extraordinário."

Equipamentos

O ano passado foram investidos "dezenas de milhares de euros num equipamento para enviar o sinal de TV de Ponta Delgada para Angra e Horta, um erro enorme porque não tem utilidade prática", considera a comissão de trabalhadores. Além de alguns retransmissores de rádio (para a Antena1 e para a Antena 3) adquiriu-se, com o apoio do Governo Regional, um sistema para directos de notícias de TV ("mochila") apresentado no estúdio da TV, numa cerimónia enquadrada pelos cenários do "Grande Entrevista" e do Telejornal. Um mês depois o equipamento ainda não está disponível, tendo o Director informado que "será entregue com muita brevidade."

Pedro Bicudo desmente demissão

Face a notícias surgidas nos últimos dias, dando como certa a sua substituição, a SubCT questionou o Director sobre o fundamento das mesmas. Pedro Bicudo negou essa notícia, reafirmando a sua intenção de continuar o seu trabalho nos Açores.

Programa ‘recuperou’ 41 agressores em casos de violência doméstica

natrcia-gasparUm "projecto inovador de reabilitação psicossocial de agressores em casos de violência doméstica" lançado em Ponta Delgada, já envolveu 81 indivíduos, 41 dos quais terminaram e processo e não têm registo de reincidência.

"Desde 2009, foram sujeitos a avaliação 110 indivíduos, tendo 81 chegado a este projeto, dos quais 41 já acabaram o programa e ainda não há registo de reincidência", revelou Natércia Gaspar, directora regional da Solidariedade e Segurança Social, em declarações à Lusa.

Natércia Gaspar salientou, no entanto, que nem todos os agressores reabilitados voltaram para casa, tendo alguns conseguido a reconciliação com as companheiras, enquanto outros estão a viver novas relações.

O programa CONTIGO consiste numa intervenção terapêutica junto do agressor, que frequenta sessões durante 18 semanas, onde "desmonta estereótipos e conceitos", como a posse e o ciúme, mas também analisa questões como a igualdade do género e a criminalidade da violência doméstica.

Este projeto, que envolve a Direcção Geral de Reinserção Social, o Ministério Público da Comarca Judicial de Ponta Delgada, a PSP e a equipa de Apoio Integrada à Mulher em Situação de Risco, decorre actualmente apenas na Comarca de Ponta Delgada, mas o executivo regional pretende alargá-lo a outras ilhas do arquipélago.

"É um programa inovador, conseguido por técnicos açorianos, que já mereceu referências de boas práticas de instituições europeias", frisou Natércia Gaspar, acrescentando que o CONTIGO também já "serviu de referência a nível nacional para experiências similares".

Apesar dos dados positivos deste projeto, a sua eficácia ao nível da reabilitação de agressores é questionada pela Associação para a Igualdade e Direitos das Mulheres (UMAR) nos Açores, que encara com "alguma relutância" aspectos deste programa.

"Em que medida um programa deste tipo pode estar a facilitar a manutenção destas situações e não a ir à raiz?. Até que ponto o facto de se estar a co-relacionar a vítima com o agressor, na recuperação deste, será benéfico?", questionou Clarisse Canha, da UMAR/Açores, em declarações à Lusa.

Para Clarisse Canha, a reabilitação deve centrar-se na "responsabilização do agressor", defendendo que deve "ser ele próprio a interiorizar-se disso e não apenas a mulher a perdoar".

Nesse sentido, considerou "importante haver intervenção com os agressores, mas no sentido de os responsabilizar pelos actos que cometem, trabalhar comportamentos, conceitos e práticas que os levam a praticar a violência contras mulheres, seja física, psicológica sexual".

No mesmo sentido, a psicóloga Raquel Fontes salientou que, "um programa onde a vítima é envolvida na recuperação do agressor está a fomentar o papel da mulher enquanto cuidadora em detrimento de si, acreditando que a relação pode resultar ou que o agressor irá mudar".

Nos gabinetes que tem abertos em Ponta Delgada e na Ribeira Grande, em S. Miguel, a UMAR realizou no ano passado 372 atendimentos psicossociais e jurídicos a 64 mulheres vítimas de violência doméstica.