Vindimas com aumento para o dobro em relação à produção de 2010 no Pico, Terceira e Graciosa

Produo-de-Vinho-de-CheiroAs estimativas e números registados em altura de vindimas falam por si. Até ao momento, e em comparação com o ano anterior, as vindimas registam um aumento de produção do dobro quer na Terceira, Pico ou Graciosa.
A reportagem do “Diário dos Açores” foi ao encontro dos responsáveis de cooperativas e adegas das ilhas do Grupo Central e a constatação foi idêntica: a produção aumentou, não atinge ainda as médias dos últimos 5 anos (com excepção de 2010), e os resultados têm sido satisfatórios.

No Pico a produção mais que triplicou em relação a 2010

Depois de um ano mau para todos (em 2010) os viticultores estão a colher mais uvas este ano, como referiu ao “Diário dos Açores” Ernesto Ferreira, Presidente da Cooperativa Vitivinícola da ilha do Pico. “As vindimas estão a correr melhor do que no ano transacto, mas ainda aquém do que é normal. Está abaixo da média das produções dos últimos 5 anos, excluindo a campanha anterior”, refere, acrescentando que “há uma nítida recuperação em relação à campanha anterior”.
E porque os números mostram a evidente recuperação, até sábado passado a cooperativa da ilha Montanha já tinha recebido cerca de 275 toneladas. “Em 2010 o total da produção de uvas foi de 81 toneladas e este ano os números já mais que triplicaram em relação ao ano anterior”, explicou Ernesto Ferreira.
A estimativa para 2011 da Cooperativa do Pico é que se ultrapassem as 300 toneladas e a data para recepção de uvas estende-se, ainda, até dia 26 de Setembro, sendo que Ernesto Ferreira pondera, nesta altura, caso seja necessário, alargar o prazo de recepção de uvas para mais algumas semanas.
Ernesto Ferreira espera, agora, que as vinhas continuem a recuperar. Segundo o dirigente, a recuperação verificada este ano “deveu-se a um melhor cuidado com os tratamentos dos viticultores, também devido ao facto de outras vinhas terem entrado em produção porque há muitas que têm sido plantadas recentemente”, disse.
“Agora é esperar que para o ano seja ainda melhor do que 2011. A recuperação verificada este ano não vem compensar o abaixamento de produção drástico verificado em 2010, mas de qualquer forma é mais estimulante aquilo que se passa agora”, desabafou Ernesto Ferreira.
A Cooperativa Vitivinícola da ilha do Pico tem 230 sócios e neste momento serão cerca de duas centenas que entregam uvas na altura das vindimas.
A qualidade tem sido, na opinião de Ernesto Ferreira, bastante razoável. “Embora varie de castas para castas, em relação às uvas tradicionais brancas a qualidade foi média/ superior, já em relação às tintas será uma qualidade mediana o que vai obrigar a certos cuidados na elaboração dos vinhos”, elucidou.
A cooperativa do Pico espera, nesta altura, que uma legislação que já está discutida há muito tempo venha a entrar em vigor. A Denominação de Origem Protegida, DOP, poderá valorizar os vinhos em questão. Esta legislação deverá ser publicada a curto prazo e segundo Ernesto Ferreira a cooperativa tem vinhos de qualidade que poderão receber esse estatuto.

Adega Cooperativa dos Biscoitos (Terceira) está a receber sensivelmente o dobro das uvascolhidas o ano passado

Números muito acima dos registados em 2010. É assim que define, à primeira vista, Paulo Mendonça, Presidente da Adega Cooperativa dos Biscoitos, os primeiros resultados das vindimas deste ano na ilha Terceira.
Em relação ao verdelho deu entrada na cooperativa em 2011 sensivelmente o dobro do que no ano passado. “Estamos a falar à volta dos 9500 kg de verdelho o que está bastante acima da entrada no ano anterior”, afirmou Paulo Mendonça.
Em relação aos tintos passa-se o mesmo. “Estamos com a produção de 5 mil litros feitos já”.
“Em comparação com 2010, e por números redondos, pode-se dizer que a produção aumentou o dobro”, explicou o responsável que assumiu a direcção da cooperativa terceirense já em 2011.
Em relação ao verdelho a novidade nos Biscoitos foi o acompanhamento da vindima por um enólogo, tendo sido introduzidas novas técnicas. “A própria Adega tem, também, este ano novo equipamento, nomeadamente uma rede fria que permitiu implementar os novos procedimentos efectuados. Por conseguinte, neste momento é já possível verificar um melhoramento na qualidade”, salienta Paulo Mendonça.
Quanto aos associados, a Adega dos Biscoitos mantém o mesmo número de sócios que no ano transacto, no entanto o número de produtores efectivos ronda os 20 membros, ou seja, actualmente menos de 50% dos associados entregam na cooperativa.
De acordo com Paulo Mendonça, a Cooperativa dos Biscoitos está numa fase de reestruturação desde a saída do anterior presidente, estando a actual direcção a proceder a um saneamento financeiro uma vez que foram encontrados alguns problemas.
Nota ainda para o regresso de produtores que já estavam afastados há dois ou três anos.
Ainda em relação aos números, e por comparação a uma boa média de produção verificada em 2009, Paulo Mendonça refere que o verdelho teve este ano uma produção muito próxima e até o tinto é provável que esteja acima.

Em 2010 muitos não vindimaram na Graciosa, 2011 viu a produção aumentar significativamente

De acordo com João Picanço, Presidente da Adega Cooperativa da Graciosa, a ilha Branca e a sua Adega Cooperativa terá recebido três vezes mais uvas em relação ao ano anterior. Segundo João Picanço, “este ano serão recebidas na adega cerca de uma dúzia de toneladas, um número muito superior ao verificado o ano passado quando foram recepcionadas apenas 5 ou 6”.
Os anos normais chegam às 15/16 toneladas, tendo 2011 um registo muito mais próximo dos números que se assinalavam antes de 2010.
“O ano passado foi um ano muito mau de uvas”, afirmou João Picanço, constatando que em 2010 houve produtores que nem chegaram a vindimar. O próprio presidente da cooperativa não vindimou o ano passado e este ano embora esperasse mais, ainda assim considera o saldo positivo. “Mais tarde as uvas também não engrandeceram, talvez por causa da seca, mas ainda assim foi muito maior a produção deste ano”, referiu.
A Adega Cooperativa da Ilha Graciosa tem este ano 12 produtores a vindimar e para João Picanço a uva tem muita qualidade.