Azores Airlines vai retomar a ligação entre a ilha Terceira e a cidade do Porto

sata avião neoA Secretária Regional dos Transportes e Obras Públicas anunciou que a Azores Airlines vai retomar a ligação Terceira-Porto.

Em declarações aos jornalistas, após ser ouvida pela Comissão de Economia da Assembleia Legislativa, sobre transportes, acessibilidades e infra-estruturas portuárias na ilha Terceira, Ana Cunha adiantou que esta ligação será retomada no Inverno IATA.

A titular da pasta dos Transportes adiantou também que a certificação para uso civil da pista da Base das Lajes “ocorrerá até ao final do mês de Julho”.

Ao nível das infra-estruturas, Ana Cunha explicou que o início das obras do terminal de carga da Aerogare Civil das Lajes, “que estava dependente de uma questão da transferência de terreno para a Região, está já resolvida, aguardando-se apenas a formalização dessa transferência até ao final do mês de Junho”.

Assim sendo e “seguindo o processo concursal nos seus trâmites, haverá a comunicação da adjudicação ao empreiteiro e se tudo correr linearmente, no final de Setembro poderemos ver já a empreitada a ter o seu início”, disse.

Na área dos transportes marítimos, em relação ao terminal de Transhipment, Ana Cunha referiu que “já foi publicitado uma resolução do Conselho de Governo, em Maio passado, que mandatava a Portos dos Açores para lançar os procedimentos para atribuição da concessão” deste terminal, sendo que, “em relação à opção do terminal de cruzeiros no cais dito dos Americanos, que o Governo Regional dos Açores, através da Portos dos Açores, já está a trabalhar no desenvolvimento desta opção, e a considerar esta opção”, no âmbito do estudo de reordenamento da bacia do Porto da Praia da Vitória, que a Portos dos Açores está a efectuar. 

No que se refere à Linha Lilás, a Secretária Regional referiu que a Atlânticoline tinha já programada a realização de três viagens por ocasião das Sanjoaninas. “À semelhança das viagens que assegura durante as festas concelhias da Calheta de S. Jorge, também para a ilha Terceira, as Sanjoaninas seriam servidas por três ligações, em três semanas”.

Nesta audição foi feito um ponto de situação no que concerne ao desenvolvimento do terminal de Gás Natural Liquefeito (LNG) no Porto da Praia, tendo a Secretária Regional reafirmado que “é uma intenção deste Governo prosseguir com esse desenvolvimento”.

Ana Cunha frisou o “acordo de consultoria que foi estabelecido com o Banco Europeu de Investimento, para estudo das diversas envolvências, desse desenvolvimento do LNG no Porto da Praia”.

Para a Secretária Regional “o que se tentou”, nesta reunião, foi “dar ponto de situação em relação a tudo o que era ponto do programa do Governo, respeitante à ilha Terceira, nestas áreas e julgo que foi conseguido”.

 

Azores Airlines liga os Açores a Boston a partir de 349€

 

A Azores Airlines vai ligar Ponta Delgada a Boston, nos Estados Unidos da América, a partir de 349€, para viagens entre 11 de Novembro e 02 de Dezembro de 2018. A campanha, que é um dos Top Deals da Azores Airlines do mês de Junho, é válida para reservas efectuadas entre 18 e 30 de Junho, em qualquer canal de vendas do Grupo SATA.

A tarifa inclui bagagem de porão até 23kg, refeição a bordo, possibilidade de escolha de lugar e a oferta de franquia adicional de 10 a 15 Kgs no transporte de equipamentos desportivos.

A campanha é limitada ao número de lugares disponíveis em voos operados pela Azores Airlines, não acumuláveis com outra oferta, desconto ou promoção. O valor poderá variar consoante a rota, as taxas e o local de emissão do bilhete.

Esta ligação será operada pelos novos Airbus A321neo, aviões preparados para voos de longo curso, uma aposta do Grupo SATA para a renovação da sua frota prevista até 2021.

10 Fest Açores regressa amanhã às Portas do Mar

Hiele 2 10 festEntre 21 e 30 de Junho, o 10 Fest Açores, organizado pela Escola de Formação Turística e Hoteleira (EFTH) dos Açores, convida mais uma vez para 10 dias de experiências gastronómicas únicas, em que se reinventam os produtos regionais.

“Tirar partido dos produtos açorianos e explorar as suas potencialidades, tendo em conta o receituário tradicional é o lema e a inspiração. A EFTH pretende continuar a liderar um movimento de actualização da cozinha açoriana, que sirva de motivação às empresas, aos profissionais e aos jovens, apostando sempre na inovação”, afirma a directora da EFTH, Graça Teixeira.

Assim, serão criados momentos únicos entre os formandos da escola e os chefs participantes para celebrar com o público a riqueza gastronómica dos Açores. Jéssica Carreira e David Costa (Adega, San José, California), Justa Nobre (O Nobre, O Nobre Estoril, À Justa, Lisboa), Roberto Sihuay (Ceviche 103, La Turuleka, Nikkei 103, Barcelona), Luís Gaspar (Sala de Corte, Lisboa), Nuno Mendes (Chiltern Firehouse, Taberna do Mercado, Londres) e Tiago Bonito (Largo do Paço, Amarante) são alguns dos chefs convidados para este evento.

A 30 de Junho, o 10 Fest encerra com um after party, onde terão destaque os cocktails que serão dados a conhecer ao público e que foram pensados e trabalhados pelos chefs, durante o ano lectivo, com os formandos de mesa e bar da EFTH.

Aeroporto de Ponta Delgada cai de 133º para 138º

Aeroporto PDLO Aeoporto de Ponta Delgada desceu no ranking europeu dos aeroportos, passando de 133º para 138º, segundo o Airports Council International “ACI) Europa, citado pelo PressTUR.

De facto, o Aeroporto de Ponta Delgada recuou no ranking dos maiores aeroportos europeus, de 133º em 2016 e 2017 para 138º este ano, mas neste caso sem queda do número de passageiros, mas por que praticamente estagnou, tendo um aumento de passageiros de apenas 0,4% ou 1,9 mil, para 473,6 mil.

Por sua vez, o Aeroporto de Lisboa, dado como “esgotado” há mais de um ano, teve ainda assim o 8º maior aumento de passageiros no primeiro quadrimestre deste ano e no mês de Abril.

A informação divulgada pelo ACI, com dados de 243 aeroportos da Europa, mostra que além de ser dos aeroportos que mais cresce em número de passageiros é, também, dos que tem um dos maiores aumentos do número de voos, que é alegadamente o que está a estrangular o crescimento.

A informação recolhida pelo PressTUR indica que o Aeroporto de Lisboa, 25º maior da Europa no primeiro quadrimestre de 2016 e 22º em 2017, nos primeiros quatro meses subiu a 17º, com 8,46 milhões de passageiros, ultrapassando Oslo, Estocolmo, Moscovo Domodedovo, Manchester e até Londres Stansted.

Essa evolução no ranking europeu decorre de um aumento de mais de um milhão de passageiros, com uma subida em 13,8%, que foi a 5ª mais forte entre os maiores aeroportos europeus.

Dos outros aeroportos portugueses incluídos pelo ACI no seu ranking, apenas também o Porto melhorou a sua posição, mas apenas em um lugar, de 52º para 51º maior, com 3,42 milhões de passageiros.

O Porto, que dirigentes da ANA, gestora dos aeroportos portugueses detida pelo grupo francês Vinci, têm insistido em posicionar como alternativa a Lisboa, teve um crescimento em 11,7% ou 358,7 mil passageiros no quadrimestre.

Já Faro, Funchal e Ponta Delgada baixaram no ranking dos maiores aeroportos europeus em número de passageiros.

Faro baixou de 76º em 2016 e 2017 para 82º este ano, por uma queda do número de passageiros em 1,3% ou cerca de 22,3 mil, para 1,69 milhões, e o Funchal caiu de 99º em 2016 para 102º em 2017 e 106º este ano, com uma queda do número de passageiros em 1,1% ou 10,6 mil, para quase 956 mil.

Em “movimentos”, partidas e chegadas de aviões, os dados do ACI posiciona Lisboa como o 22º aeroporto europeu mais activo, um lugar acima do primeiro quadrimestre de 2017, por um aumento do número de movimentos em 11,5% ou cerca de 6,6 mil.

Lisboa foi, assim, o aeroporto europeu com o 7º maior aumento de movimentos no quadrimestre, apenas superado por Moscovo Sheremetyevo, com mais cerca de 12,6 mil (+14,1%, para 102,3 mil), Frankfurt, com mais 11,8 mil (+8,4%, para 152,7 mil), Istambul Ataturk, com mais 10,4 mil (+7,8%, para 143,3 mil), Ancara, com mais 8,1 mil (+26,5%, para 38,8 mil), Madrid, com mais 7,6 mil (+6,6%, para 123,4 mil), e Moscovo Vnukovo, com mais 6,7 mil (+18,2%, para 43,8 mil).

O aeroporto europeu com mais movimentos no primeiro quadrimestre foi Amesterdão Schiphol, com 154,1 mil (+2,5% que no período homólogo de 2017), Frankfurt, com 152,7 mil, Londres Heathrow, com 152,2 mil, Paris Charles de Gaulle, com 145,6 mil (-1,5%), Istambul Ataturk, com 143,3 mil (+7,8%), Madrid, com 123,4 mil (+6,6%), Munique, com 120,5 mil (+0,8%), Moscovo Sheremetyevo, com 102,3 mil (+14,1%), Barcelona, com 95,4 mil (+6,8%), e Roma, com 89,8 mil (+1,7%).

Lisboa foi 22º com 64,5 mil (+11,5%), o Porto foi 53º com 27,1 mil (+7,8%), Faro foi 99º, com 11,8 mil (-1,1%), Funchal foi 118º, com 7,3 mil (-7%), e Ponta Delgada foi 133º, com cinco mil (-4,5%).

Governo alerta para importância de garantir uma pescaria sustentável de atum

Pescadores - atumO Director Regional das Pescas remeteu ontem um comunicado às associações do sector da pesca alertando para “a importância” de garantir que a pescaria de atum seja realizada de “uma forma responsável e sustentável”.

No documento enviado, Luís Rodrigues congratulou-se com “a abundância de atum que se tem verificado no mar dos Açores”, mas adverte os parceiros do sector para “a necessidade de se fazer uma gestão das capturas” de tunídeos.

“Por um lado, a gestão de capturas permite assegurar uma melhor estiva, conservação e armazenamento, por forma a garantir um produto de excelência, e, por outro, é uma forma de regular o valor do atum no mercado, não deixando que o preço por kg caia”, refere.

Segundo Luís Rodrigues, “é prudente gerir bem as ‘manchas’ de atum”, acrescentando que “Portugal já atingiu 66% da quota de atum patudo”.

“Agora, mais do que nunca, é importante garantir uma pesca em qualidade e não em quantidade”, defende.

O Director Regional das Pescas lembra “as diligências” do Governo dos Açores, nos últimos anos, junto da ICCAT - Comissão Internacional para a Conservação dos Tunídeos do Atlântico e da Comissão Europeia para a defesa da pesca de atum de salto e vara.

“O Executivo açoriano tem reivindicado em Bruxelas a redução do número de dispositivos agregadores de peixe (FAD) por embarcação, bem como a diminuição do número de embarcações cercadoras a pescar no Atlântico”.

No documento enviado, Luís Rodrigues destaca ainda a realização da I Conferência Internacional de Salto e Vara, organizada pelo Governo dos Açores, com projecção a nível mundial, “para defender uma pescaria altamente selectiva e ‘amiga’ do ambiente, dado que não apresenta capturas acessórias”.

O Director Regional refere ainda a Declaração dos Açores de Apoio à Pesca de Atum de Salto e Vara, que resultou daquela conferência internacional e que se constitui como “um código de conduta” para as pescarias do atum, tendo sido assinada por 16 países e mais de 100 instituições do sector da pesca.

Exportações para o estrangeiro crescem 8%

exportações graficoAs exportações dos Açores para fora do país atingiram, de Janeiro a Abril, um valor de 28 milhões de euros, o que representa um acréscimo relativamente a igual período do ano de 2017 de 8,1 % e dizem respeito, na sua maior parte, ao comércio de carne, peixe e conservas.

O crescimento verificado é semelhante ao que se verificou no total do ano passado. 

No total do ano de 2017 as exportações atingiram 91 milhões de euros. 

Este ano, se continuar neste ritmo, poderá chegar aos 100 milhões. 

As vendas para o exterior servem para compensar as importações, que nestes primeiros 4 meses representaram 36 % das aquisições fora do país, um cenário que tem vindo a ser favorável, nos últimos tempos, nesta balança comercial com o exterior.

Os maiores volumes de exportação dos Açores são em carne, peixe fresco, conservas, bebidas e tabaco.

Nas importações os valores mais significativos são produtos agrícolas e produtos das indústrias alimentares, de bebidas e de tabaco.

 

Texto e gráfico de Rafael Cota/Exclusivo Diário dos Açores