Artigos

Qualidade da água distribuída “é boa, mas pode ser melhorada” diz entidade reguladora

agua-de-jarra-1A qualidade da água fornecida pelos municípios dos Açores “é boa”, mas pode ser melhorada, segundo a entidade reguladora regional, que identificou alguns pontos de contaminação nas redes e “vários casos de falta de higiene nos reservatórios”.
Em declarações aos jornalistas, durante um seminário técnico relacionado com a gestão de águas e resíduos, a decorrer na cidade da Horta, o presidente da Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos dos Açores (ERSARA), Hugo Pacheco referiu ontem que “é possível fazer mais” no sentido de melhorar a qualidade da água fornecida aos açorianos.
“Os dados que dispomos apontam para que tenhamos água de qualidade, mas obviamente que podemos fazer mais”, admitiu o gestor, adiantando que o objectivo é que “os Açores sejam um caso de excelência” nesta matéria.
Segundo o responsável, a água de origem (águas das nascentes ou dos furos) existente no arquipélago “é de boa qualidade”, mas sofre “alguma degradação” pelos sistemas por onde passa, embora essa situação seja “facilmente tratável”.
De acordo com um levantamento efectuado pela ERSARA, o município dos Açores que apresenta melhor qualidade na água fornecida ao consumidor é Santa Cruz das Flores, ao passo que a Calheta de São Jorge e Santa Cruz da Graciosa são os concelhos com pior registo.
Hugo Pacheco adiantou que a ERSARA visitou todas as autarquias dos Açores e descobriu vários pontos de contaminação, quer nas zonas de captação de água, quer nos furos e reservatórios municipais.
Além disso, foram registados vários casos de falta de higiene e de limpeza nos reservatórios, alguns dos quais eram mesmo utilizados como armazém para guardar “botas, enxadas” dos funcionários e até “veneno para ratos”.
“Verificámos que havia muito desconhecimento sobre os riscos que estas situações podem representar para a qualidade da água”, adiantou o presidente do conselho de administração da ERSARA, sublinhando que foi necessário efectuar um trabalho de sensibilização junto das câmaras municipais.
Hugo Pacheco anunciou também a intenção da lançar uma recomendação, destinada a todos os municípios, no sentido de tentarem uniformizar os critérios de cobrança da água, tendo em conta a diversidade de procedimentos que existem.
“Não vamos dizer qual é o custo que cada entidade tem de cobrar pela água, o que queremos é dar as ferramentas para que possam calcular o seu tarifário”, explicou o responsável, recordando que há autarquias que não cobram o suficiente para suportar os encargos com a manutenção da sua rede de abastecimento de água.
No seu entender, essa será uma “tarefa difícil”, já que será necessário, neste período de crise, ter em atenção algumas “considerações sociais” num eventual aumento das tarifas da água, nomeadamente com as famílias carenciadas ou numerosas.

Oito milhões de euros para implementar Programa de Valorização do Emprego

bradfordNo final da visita estatutária do executivo regional à ilha das Flores foi emitido o comunicado do conselho do Governo onde entre diversas medidas consta a autorização de a celebração de um contrato-programa entre a Região e a empresa Ilhas de Valor, SA, no montante global de 8.000.000,00€ (oito milhões de euros), destinado à implementação do Programa de Valorização do Emprego.
A empresa de capital público Ilhas de Valor foi designada como entidade gestora deste programa tendo em atenção a experiência acumulada na gestão operacional de diversas linhas de crédito e outros instrumentos financeiros de apoio às empresas da Região.
O Programa de Valorização do Emprego, recentemente apresentado, visa apoiar as empresas tendo em vista a manutenção do nível de emprego através da disponibilização de empréstimos reembolsáveis sem juros, com um prazo máximo de seis anos e um período de carência de capital de 36 meses, num montante equivalente a oito vezes o valor mensal da retribuição mínima garantida por cada posto de trabalho permanente a manter.
Outra das medidas aprovadas foi a criação de uma Infraestrutura de Dados Espaciais Interactiva dos Açores, abreviadamente designada por IDEiA, através da aprovação de um regime jurídico que fixa as normas gerais referentes ao seu desenvolvimento e funcionamento, definindo ainda o quadro jurídico que transpõe para direito interno regional a Directiva Comunitária “Inspire”, que estabelece uma Infraestrutura de Informação Geográfica na União Europeia.
Com o propósito de dotar a Região com um sistema integrado de informação geográfica de âmbito regional e de serviço público, pretende-se estabelecer uma infraestrutura de dados espaciais assente num sistema informatizado, aberto às entidades produtoras e utilizadoras de informação geográfica ou passível de referenciação geográfica, na qual são integrados os vários tipos de cartografia existentes, em simultâneo com informação de natureza estatística ou descritiva relativa a todos os domínios onde tal se mostre conveniente.

Dia de Maios assinalado hoje em Ponta Delgada

maios A Câmara de Ponta Delgada, através da Biblioteca Municipal Ernesto do Canto, volta a assinalar, este ano, o Dia dos Maios.
Assim, hoje, entre as 8h00 e as 18h00, no Largo da Igreja Matriz de Ponta Delgada, diversas instituições irão mostrar os seus Maios, numa exposição que se encontra aberta a toda a comunidade em geral.
São várias as instituições que participam no Dia dos Maios, à semelhança do que acontece todos os anos. Nesta iniciativa podem participar todos os interessados, os quais deverão deixar os seus Maios no Largo da Matriz, a partir das 8h00.
Ao abrir esta iniciativa à comunidade em geral, com a colocação de Maios no Largo da Matriz, a Câmara de Ponta Delgada mantém a tradição.  
O Dia dos Maios tem como principais objectivos a promoção, valorização e divulgação do centro histórico de Ponta Delgada.
Paralelamente, pretende-se retomar e promover aspectos do património cultural junto dos turistas que nesta altura do ano visitam a cidade de Ponta Delgada.
À semelhança do que aconteceu em anos anteriores, deverão encontrar-se espalhados pela cidade e pelo concelho de Ponta Delgada vários Maios, numa manifestação espontânea de cariz puramente popular.

Ministério da Economia responsabiliza Governo Regional por atrasos na fibra óptica

 alvarosantospereira5O Ministério da Economia atribuiu ontem à Direcção Regional da Ciência, Tecnologia e Comunicações dos Açores a responsabilidade pelo atraso na ligação do cabo de fibra óptica às Flores e ao Corvo, disse à agência Lusa fonte da tutela.
“O Ministério da Economia apenas está à espera de receber o contrato que a Direcção Regional tem que celebrar. Estamos à espera que se entendam”, disse a fonte, sublinhando que as questões levantadas pelo presidente do Governo Regional “não dizem respeito ao Governo da República.”
Carlos César disse, na  passada quarta-feira, que o atraso do Governo da República na extensão do cabo de fibra óptica às Flores e Corvo é “desprezível”, assegurando que o problema será resolvido este mês.
“É um comportamento inacreditável, de usura por parte da PT e desprezível por parte do Governo da República”, afirmou Carlos César, numa intervenção perante o Conselho de ilha das Flores.
A fonte do Ministério da Economia lamentou que os responsáveis governamentais da região tenham omitido neste processo a responsabilidade da Direcção Regional, que “tem que se entender com a outra parte.”
Na passada quarta-feira, o PSD/Açores denunciou, em comunicado, que a entrada em vigor do contrato para a instalação daquele cabo depende da aprovação da candidatura a fundos comunitários, nomeadamente ao Programa Operacional dos Açores para a Convergência (PROCONVERGÊNCIA).
A Portugal Telecom (PT), na resposta a uma petição entregue sobre esta matéria na Assembleia Legislativa dos Açores, referiu que “a eficácia do contrato [relativo à instalação do cabo de fibra óptica] está dependente cumulativamente do visto do Tribunal de Contas, já emitido, e da assinatura do contrato de financiamento com o fundo PROCONVERGÊNCIA, sendo que somente após disponibilização do financiamento público será possível dar início à instalação do cabo submarino referido.”
Recorde-se que o PSD/Açores havia requerido na  quarta-feira a audição parlamentar do vice-presidente do Governo Regional para explicar o atraso na aprovação desta candidatura, já que as ilhas das Flores e do Corvo são as únicas do arquipélago que ainda não estão ligadas ao cabo de fibra óptica.
O contrato para a realização desta obra foi assinado em meados de Maio de 2011, mas os trabalhos ainda não começaram, o que tem motivado protestos do Executivo Regional.

Mercado da Graça adere à campanha “Cidade com Vida”

mercadoO Mercado da Graça aderiu à campanha da Câmara do Comércio e Indústria - “Ponta Delgada – Cidade com Vida” e vai estar aberto a 5 de Maio até mais tarde.
Assim, no próximo sábado, 5 de Maio, o Mercado da Graça abre como habitualmente às 07h00 fechando as portas às 17h00.
À campanha promovida pela Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada, que está em curso até ao natal, aderiram um total de 80 estabelecimentos do centro histórico da cidade, na área compreendida entre o Mercado da Graça e o Largo 2 de Março.
“Ponta Delgada – Cidade com Vida” tem como objectivo a promoção do comércio tradicional e a animação de rua e apresenta-se como ponto de partida para novos modelos de funcionamento das lojas do centro histórico da cidade.
A adesão do Mercado da Graça a esta iniciativa é considerada importante, uma vez que se trata de um espaço tradicional da cidade de Ponta Delgada ao qual centenas de pessoas acorrem, aos sábados, para fazerem as suas compras, além do que se revela atractivo para os turistas.