66,3% dos novos empregos nos Açores foram criados na administração pública

palacio conceiçãoQuase um terço do crescimento do número de empregos registado nos 2º e 3º trimestres  do ano nos Açores foi conseguido através de entradas para a Adminsitração Pública, de acordo com os dados sobre o desemprego do INE.  No conjunto dos 2 trimestres, a administração pública regional criou 1.696 empregos, o que representa cerca de 66,3% do total de 2.559 empregos criados.
Aliás, parece que terá sido uma espécie de “trunfo” que foi usado: entre o 1º e o 2º trimestre, o aumento foi de apenas 203 empregos, mas entre o 3º e o 2º aumentou 1493, o que é o maior aumento verificado em todos os sectores. No conjunto dos 2 trimestres, foi igualmente o maior aumento por sectores.
O resultado é que neste momento os empregos na “Administração Pública, Defesa e Segurança Social Obrigatória” representam 12,88% do total de empregos, o que é o maior peso desde pelo menos 2009.
O 1º trimestre de 2013, que é tomado como referência, apresentava o mais baixo número de empregos desde o 2º trimestre de 2001.
O aumento de empregos foi obtido através de um claro reforço no peso so sector terciário e uma redução clara no sector secundário. Aliás, o sector secundário (que engloba as indústrias transformadoras e a construção civil) tem vindo a baixar o seu peso desde pelo menos o 4º trimestre de 2009 e encontra-se neste momento no seu mais baixo valor desse período. Em 2009, o sector secundário representava quase 25% do emprego, quando no 3º trimestre de 2013 já está nos 13,4%.
O problema é maior do lado da construção civil, mas mesmo as indústrias transformadoras não estão bem. Na construção as quebras são praticamente consecutivas, havendo neste momento apenas 5.634 trabalhadores, que é o mais baixo valor desde pelo menos 2009, quando chegaram a ser mais de 17 mil, ou seja, mais do triplo. Mas nas indústrias transformadoras, que registaram um aumento no 2º trimestre do ano, mas um ligeiro recuo no 3º trimestre, e apesar de um aumento de 14% em relação ao 3º trimestre de 2012, tem um dos valores mais baixos desde 2009.
Nos serviços, o “Alojamento, restauração e similares” também mostrou um aumento significativo no 3º trimestre, o que parece confirmar a tendência de haver mais emprego no Verão neste sector. Houve um aumento de 13,5% entre o 3º e o 2º trimestre, mas se se confirmar essa tendência, é provável que se verifique uma descida no próximo boletim trimestral. No 3º trimestre, no entanto, este sector regista o maior valor desde pelo menos 2009.

Açores têm 2.583 funcionários locais e uma média abaixo da nacional

Funcionários públicosO Jornal de Negócios publica esta semana um levantamento do número de funcionários das autarquias, que estima um total de 2.583 para os Açores. Estes valores devem ser lidos com alguma cautela, uma vez que o total nacional que é estimado pelo jornal, na casa dos 121 mil, está acima do total que é apresentado pela “Síntese Estatística do Emprego Público” (SEEP), da Direcção Geral da Administração e Emprego Público, no 2º trimestre do ano, e que é de 115 mil.
Os 2.583 funcionários registados nos Açores em 2013 revelam uma descida de 2,08% em relação a 2010, ano em que o jornal fez o mesmo levantamento.
Por estes valores, os Açores têm 2,13% do número de funcionários municipais do país, o que está abaixo da nossa taxa populacional, que é de 2,4%.
Juntando os funcionários públicos açorianos constantes do levantamento da SEEP, os Açores têm neste momento 17.471 funcionários públicos, sem contar com os funcionários do Estado, nas áreas da Segurança, Justiça e Militar.
Isso significa que o número de funcionários públicos da administração regional e local nos Açores representa  14,3% da população activa, enquanto que a média nacional é de apenas 10,66%.
Ponta Delgada é o município que tem maior número de funcionários, com 23,3% do total, embora esse valor fique abaixo do seu peso populacional de 27,8%.
Segundo o Negócios, “a câmara de Esposende, no distrito de Braga, continua a ser a que tem o número mais reduzido de funcionários por mil habitantes: 4,5, uma marca que deixa a Batalha (5 funcionários por mil habitantes) a alguma distância. No extremo oposto está Mourão, no Alentejo, com um rácio de 67,5. O Corvo, nos Açores, deixou o último lugar de 2010 e é agora penúltimo classificado na tabela, com 62,8 funcionários por cada mil habitantes. Alcoutim, no Algarve, é o terceiro município com maior rácio, com 60,8”.
O jornal estima que a média nacional é de 17,5 funcionários autárquicos por mil habitantes. Nos Açores, esse valor baixa para apenas 10,4. O valor mais baixo está em Angra do Heroísmo, com apenas 7,06 funcionários por mil habitantes. Ponta Delgada regista 8,7 e a Ribeira Grande 16,3.

Cada passageiro transportado custou 96,5 euros à Atlanticoline em 2012

AtlanticolineA Atlanticoline gerou em 2012 cerca de 2,8 milhões de euros de receita, o que representou cerca de 22,6% dos custos que a empresa teve no ano. Entre 2011 e 2012, esse défice piorou: as despesas aumentaram 1,07% para 12,355 milhões de euros, enquanto que as receitas baixaram 8,27% para 2,792 milhões de euros. Objectivamente, o total de receitas da empresa não chegou para cobrir os custos com o combustível, que em 2012 aumentaram para 3 milhões de euros...
Os “fornecimentos de serviços externos” constituem o grande culpado deste estado de coisas. Em 2012 essa rúbrica representou 10,2 milhões de euros, o que representa 82,6% desses serviços. O fretamento dos navios, com 6,16 milhões de euros, representam 60% dessa rúbrica e praticamente o dobro do que é gasto em combustível. Só o fretamento, é mais caro do que todas as despesas de funcionamento mais os gastos com pessoal...
Por cada bilhete comprado na Atlanticoline, que em 2012 custaram por passageiro cerca de 15,4 euros,  houve outros 104,8 euros que tiveram de entrar na empresa para compensar o seu custo. Desses, 8,27 euros foram obtidos através de outros gastos a bordo dos navios. Mas os restantes 96,6 euros tiveram de ser obtidos através do recurso à banca e de subsídios do Governo.
O passivo da Açorline atingiu em 2012 os 9 milhões de euros, que tiveram de ser cobertos por 9 milhões de euros de “subsídios à exploração”. Refira-se que a SATA Air Açores, nas rotas inter-ilhas, recebe cerca de 19 milhões de euros do Plano de Investimentos, só que em 2012 movimentou 343 mil passageiros. Ou seja, para quase o dobro em subsídio, movimentou quase o triplo de passageiros.
Entre 2010 e 2012, o Governo Regional atribuiu à Atlanticoline um total de 29,7 milhões de euros de subsídios à exploração...
O resultado é que a empresa terminou o ano, com um lucro de 96 mil euros. A administração da empresa alega, no entanto, no seu Relatório e Contas, que o Governo Regional não transferiu a totalidade desse subsídio e que por essa razão teve de recorrer a um empréstimo bancário de 2 milhões de euros e de gastar o ‘plafond’ de duas contas caucionadas, num total de 3 milhões, para fazer face a todas as despesas.
Segundo a Lusa, a Atlânticoline tem  a receber dos Estaleiros Navais de Viana dos Castelo, uma indemnização de 7 milhões de euros, relativa à devolução do navio “Atlântida”, adquirido pela Região, mas recusado mais tarde por não cumprir todos os requisitos do caderno de encargos.
O passivo da empresa pública tem vindo, por isso, sempre a aumentar, e já vai em quase 10 milhões de euros, cerca do dobro do que tinha registado dois anos antes (5,4 milhões de euros em 2010).
A operação marítima da Atânticoline é assegurada por dois navios (“Express Santorini” e “Hellenic Wind”), ambos fretados ao armador grego Hellenic Seaways, um dos quais opera entre as ilhas do Grupo Central (Faial, Pico, São Jorge, Terceira e Graciosa), e o outro entre o Grupo Central e o Grupo Oriental (São Miguel e Santa Maria).
A empresa possui ainda uma pequena embarcação de transporte de passageiros “Ariel”, que assegura ligações regulares entre as ilhas do Grupo Ocidental (Flores e Corvo).
Em 2012 foram realizadas 1240 viagens, percorrendo um total de 37 mil milhas. Em média, o Helenic Wind é o que mais combustível consome, com uma média de 114,7 euros por milha, enquanto que o Express Santorini representa 97,5 euros por milha (e o Ariel 4,2 euros por milha.
O Hellenic Wind representou um total de 1,6 milhão de euros e o Express 1,4 milhão de euros em combustível. 

41% dos contentores sairam vazios dos portos açorianos em 2012...

Porto de Ponta DelgadaO movimento de mercadorias nos portos do Açores baixou cerca de 9% no ano passado, ficando-se por cerca de 2,3 milhões de toneladas carregadas e descarregadas.
Foram descarregadas em 2012 cerca de 1,69 milhões de toneladas, o que representa uma variação de -7,5% em relação a 2011, e foram carregadas 626 mil toneladas, numa variação de -12,8%.
A diferença entre mercadorias descarregadas e carregadas também aumentou. Em 2011, as mercadorias carregadas representavam 39,3% das descarregadas, e em 2012 esse valor baixou para 37%.
As principais mercadorias carregadas foram os “Produtos alimentares, bebidas e tabaco”, com 42% do total. Mas apesar do aumento de 9,35% em 2012, o seu peso nas importações da mesma categoria baixou de 68,14% para 64,57%.
As principais mercadorias descarregadas são “Coque e produtos petrolíferos refinados”, com 440 mil toneladas, o que representa 26% do total, seguidas da “Produtos alimentares, bebidas e tabaco”, com 408 mil toneladas, ou 24% do total. A descarga de produtos petrolíferos registou um aumento de 10,3%, enquanto que os produtos alimentares aumentaram 15,4%.
Cerca de 74% das mercadorias carregadas foram-no por contentor, enquanto que apenas 40% das mercadorias descarregadas foram contentorizadas.
Cerca de 41% dos contentores carregados nos Açores foram transportados vazios, o que é um valor que aumentou em relação aos 35% verificados em 2011. Nos portos dos Açores foram descarregados em 2012 um total de 46.559 contentores, o que revela uma descida de 21% em relação aos 58.928 registados um ano antes.

 

quadro-contentores

quadro-mercadorias

Resultados dos exames do 1º ciclo com apenas 7 escolas positivas

Quadro - escolaDas 146 escolas públicas açorianas onde se realizaram provas do 4º Ano, apenas 7 conseguiram médias de 3 ou mais pontos (em 5 possíveis) nos exames de 2012. Estes dados, que ainda não foram publicados pelo Juri Nacional de Exames, foram retirados do jornal Público, e são necessariamente mais genéricos do que os Rankings que o Diário dos Açores costuma publicar. No entanto, a comparação é feita apenas entre alunos internos, e embora não nos permita saber o número de provas positivas, dá uma nota geral do que se passa em termos de exames.
E apartentemente a situação é bastante má!
As escolas com média igual ou superior a 3 equivalem a apenas 90 provas, o que corresponde a 1,84% do total de 4.888 provas de exame. Mesmo esticando para as médias até 2,5 pontos, são 59 as escolas nessa situação, o que representa 40,4% das escolas. Em termos de provas, são 2.060, o que representa cerca de 42% das provas no lado positivo.
Ou seja, está tudo a puxar para o negativo. A melhor escola açoriana é a Escola Básica do 1º Ciclo com Jardim de Infância de Pedro Miguel, na Horta, mas ocupa apenas a 548ª posição nacional (a Colmeia atinge o 120º lugar, sendo a melhor escola dos Açores, mas por uma questão de opção editorial não faz parte deste ranking, que é dedicado em exclusivo às escolas públicas). A sua média geral foi de 3,25, com apenas 8 provas. 
As piores escolas em termos de resultados nos exames são a Escola Básica do 1º Ciclo com Jardim de Infância Manuel A. de Vasconcelos, no Pilar da Bretanha, Ponta Delgada, e a Escola Básica do 1º Ciclo com Jardim de Infância Beato João Baptista Machado, na Ribeirinha, Angra do Heroísmo, com uma média de apenas 1,5 valores. Estão entre os 20 piores resultados do país, embora cada uma tenha apenas 4 provas em exame...
Refira-se que o sistema de ensino regional é caracterizado pelo baixo número de provas de cada escola. Há apenas 9 escolas com mais de 100 provas e 19 com um número entre 50 e 100. E 117 escolas têm menos de 50 provas.
A escola que apresentou mais alunos a exame foi a Escola Básica do 1º Ciclo com Jardim de Infância de Santa Clara, em Santa Clara, Ponta Delgada, enquanto que a que teve menos foi a Escola Básica Integrada Mouzinho da Silveira, Vila do Corvo, no Corvo, com apenas 1 aluno (2 provas).
Matemática consegue uma melhor média que o  Português. Matemática consegue 24 escolas com médias acima dos 3 valores, enquanto que o melhor resultado atinge os 3,67 valores, na Escola Básica do 1º Ciclo com Jardim de Infância do Cabo da Praia, Cabo da Praia, Praia da Vitória.
Já o Português apenas consegue 3 escolas com médias de 3 valores (Escola Básica do 1º Ciclo com Jardim de Infância de Pedro Miguel, Pedro Miguel, na Horta, a Escola Básica do 1º Ciclo com Jardim de Infância das Ribeiras, Ribeiras, nas Lajes do Pico e a Escola Básica do 1º Ciclo da Candelária, Candelária, na Madalena). É uma diferença significativa...

 

Rank1 Nome Concelho Média
548 EB1ºCcJI de Pedro Miguel, Pedro Miguel Horta 3,25
646 EB1ºCcJI de Santo Amaro, Santo Amaro Velas 3,2
723 EB1ºCcJI das Ribeiras, Ribeiras Lajes do Pico 3,17
831 EB1ºC da Candelária, Candelária Madalena 3,13
950 EB1ºCcJI das Velas, Velas Velas 3,08
1229 EB1ºCcJI dos Cedros, Cedros Horta 3
1275 EB1ºCcJI do Cabo da Praia, Cabo da Praia Praia da Vitória 3
1375 EB1ºCcJI de Santa Clara, Santa Clara Ponta Delgada 2,97
1398 EB1ºe2ºCcJI António José de Ávila Horta 2,96
1521 EB1ºCcJI do Ramalho, Santa Clara Ponta Delgada 2,93
1530 EB1ºCcJI do Outeiro, Arrifes Ponta Delgada 2,93
1578 EB1ºCcJI Eng, José Cordeiro Piedade, Arrifes Ponta Delgada 2,92
1770 EB1ºCcJI da Ribeirinha, Ribeirinha Lajes do Pico 2,88
1835 EB1ºCcJI D, Manuel de Medeiros Guerreiro, Santa Cruz Lagoa  2,86
1909 EB1ºCcJI Cardeal Humberto Medeiros, Arrifes Ponta Delgada 2,84
1933 EB1ºCcJI Irmãos Goulart, Fontinhas Praia da Vitória 2,83
1974 EB1ºCcJI da Carreirinha, S, Bento Angra do Heroísmo 2,83
2035 EB1ºCcJI do Raminho, Raminho, Angra do Heroísmo Angra do Heroísmo 2,81
2104 EB1ºC da Calheta do Nesquim, Calheta do Nesquim Lajes do Pico 2,8
2115 EB1ºCcJI das Lajes do Pico, Lajes do Pico Lajes do Pico 2,8
2141 EB1ºCcJI Marquês Jácome Correia, Rosário Lagoa  2,79
2154 EBIcJI dos Biscoitos Angra do Heroísmo 2,79
2156 EB1ºCcJI da Beira, Velas Velas 2,79
2193 EB1ºCcJI do Aeroporto, Vila do Porto Vila do Porto 2,78
2199 EB1ºCcJI da Algarvia, Algarvia Nordeste 2,78
2371 EB1ºCcJI de Ponta Delgada, Ponta Delgada, Santa Cruz Stª Cruz da Graciosa 2,75
2410 EB1ºCcJI de São José, São José Ponta Delgada 2,74
2432 EB1ºCcJI da Base Aérea n,º 4, Vila das Lajes Praia da Vitória 2,73
2446 EB1ºCcJI Prof, António dos Santos Botelho, São Miguel Vª Franca do Campo 2,73
2532 EB1ºCcJI da Relva, Relva Ponta Delgada 2,71
2533 EB1ºCcJI do Porto Martins, Porto Martins Praia da Vitória 2,71
2533 EB1ºCcJI do Porto Martins, Porto Martins Praia da Vitória 2,71
2556 EBIcJI Francisco Ornelas da Câmara Praia da Vitória 2,7
2579 EB1ºCcJI do Cantinho, S, Mateus da Calheta Angra do Heroísmo 2,7
2580 EB1ºCcJI do Faial da Terra, Faial da Terra Povoação 2,7
2657 EBIcES Tomás de Borba Angra do Heroísmo 2,69
2669 EB1ºCcJI Dr, José Pereira Botelho, Santa Cruz Lagoa  2,68
2683 EB1ºCcJI dos Foros, Conceição Ribeira Grande 2,68
2752 EB1ºCcJI da Ribeirinha, Ribeirinha Angra do Heroísmo 2,67
2760 EB1ºCcJI da Praia do Almoxarife, Praia do Almoxarife Horta 2,67
2761 EB1ºCcJI de São João, São João Lajes do Pico 2,67
2783 EB1ºCcJI de Santa Bárbara, Santa Bárbara Ribeira Grande 2,66
2797 EB1ºCcJI Prof, António A Mota Frazão, Pico da Pedra Ribeira Grande 2,65
2943 EB1ºCcJI de Vila do Porto, Vila do Porto Vila do Porto 2,62
2991 EB1ºCcJI de São Pedro, São Pedro Ponta Delgada 2,61
3053 EBIcES de São Roque do Pico São Roque do Pico 2,6
3092 EB1ºCcJI da Covoada, Covoada Ponta Delgada 2,58
3117 EB1ºCcJI da Fonte Bastardo, Fonte Bastardo Praia da Vitória 2,58
3156 EB1ºCcJI da Matriz, Matriz Ribeira Grande 2,57
3197 EBIcES Cardeal Costa Nunes Madalena 2,56
3248 EBIcJI das Furnas Povoação 2,54
3260 EB1ºCcJI da Calheta, Calheta Calheta (R,A,A,) 2,53
3316 EB1ºCcJI da Conceição, Conceição Ribeira Grande 2,5
3342 EBIcES Padre Maurício de Freitas Santa Cruz das Flores 2,5
3342 EBIcES Padre Maurício de Freitas Santa Cruz das Flores 2,5
3410 EB1ºCcJI dos Altares, Altares, Angra do Heroísmo Angra do Heroísmo 2,5
3419 EB1ºCcJI D, António de Sousa Braga, St, Espírito Vila do Porto 2,5
3421 EB1ºCcJI das Bandeiras, Bandeiras Madalena 2,5
3441 EB1ºCcJI Manuel Inácio de Melo, Salga Nordeste 2,5
3496 EB1ºCcJI do Livramento, Livramento Ponta Delgada 2,48
3530 EB1ºC da Urzelina, Urzelina Velas 2,47
3544 EB1ºC Dr, Carlos Bettencourt Leça, Ginetes Ponta Delgada 2,47
3560 EB1ºCcJI da Vila da Praia S, Mateus Stª Cruz da Graciosa 2,46
3588 EB1ºC com Pré-Escolar da Ponta Delgada São Vicente 2,45
3617 EB1ºCcJI Prof, Octávio Gomes Filipe, Rosário Lagoa  2,44
3687 EB1ºCcJI do Pico da Urze, S, Pedro Angra do Heroísmo 2,42
3720 EB1ºCcJI da Vila de Capelas, Vila de Capelas Ponta Delgada 2,4
3721 EB1ºCcJI de Santo António, Santo António Ponta Delgada 2,4
3724 EB1ºCcJI do Nordeste, Nordeste Nordeste 2,4
3741 EB1ºCcJI Francisco José Medeiros, Fenais da Luz Ponta Delgada 2,4
3742 EB1ºCcJI de Casa da Ribeira, Santa Cruz Praia da Vitória 2,4
3751 EB1ºCcJI Pd, Manuel Ernesto Ferreira, São Pedro Vª Franca do Campo 2,39
3760 EB1ºCcJI Prof, Amâncio da C, Leite, Lomba da Maia Ribeira Grande 2,39
3778 EB1ºCcJI Pd, Dr, L, da C, Moniz de Sá, Porto Formoso Ribeira Grande 2,38
3796 EB1ºCcJI Pd, Lino Vieira Fagundes, Vila das Lajes Praia da Vitória 2,38
3798 EB1ºCcJI de Santa Bárbara, Santa Bárbara Ponta Delgada 2,38
3804 EB1ºCcJI de Santa Rita, Santa Cruz Praia da Vitória 2,38
3822 EB1ºCcJI Infante D, Henrique, Sé Angra do Heroísmo 2,37
3826 EB1ºCcJI da Matriz, S, Sebastião Ponta Delgada 2,37
3830 EB1ºCcJI de Santo Amaro, Ribeirinha Angra do Heroísmo 2,36
3863 EB1ºCcJI de São Vicente Ferreira, São Vicente Ferreira Ponta Delgada 2,35
3885 EB1ºCcJI Tavares Canário, Santa Cruz Lagoa  2,34
3887 EB1ºCcJI da Lagoa, Rosário Lagoa  2,34
3897 EB1ºCcJI de S, João de Deus, Santa Luzia Angra do Heroísmo 2,33
3898 EB1ºCcJI de Castelo Branco, Castelo Branco Horta 2,33
3911 EB1ºCcJI de S, Mateus da Calheta, S, Mateus da Calheta Angra do Heroísmo 2,33
3912 EB1ºCcJI da Agualva, Agualva Praia da Vitória 2,33
3920 EB1ºCcJI da Candelária, Candelária Ponta Delgada 2,33
3921 EB1ºCcJI da Almagreira, Almagreira Vila do Porto 2,33
3944 EB1ºCcJI dos Milagres, Arrifes Ponta Delgada 2,32
3978 EB1ºCcJI Pd, António Nunes, Remédios Ponta Delgada 2,31
4014 EB1ºCcJI Prof, Dr, A, Linhares Furtado, Fajã de Baixo Ponta Delgada 2,29
4045 EB1ºCcJI Pd, José Gomes Pereira, Feteiras Ponta Delgada 2,28
4057 EB1ºCcJI do Posto Santo, Posto Santo Angra do Heroísmo 2,27
4072 EB1ºCcJI Mon, João Maurício Amaral Ferreira, Povoação Povoação 2,25
4087 EB1ºCcJI João Francisco Cabral, Ajuda da Bretanha Ponta Delgada 2,25
4109 EB1ºCcJI de São Brás, São Brás Ribeira Grande 2,25
4114 EB1ºCcJI das Cinco Ribeiras, Cinco Ribeiras Angra do Heroísmo 2,25
4129 EBIcJI de Ponta Garça Vª Franca do Campo 2,24
4133 EB1ºCcJI de Santa Cruz, Santa Cruz Stª Cruz da Graciosa 2,24
4134 EB1ºCcJI Lomba da Fazenda, Lomba da Fazenda Nordeste 2,24
4151 EB1ºCcJI Cecília Meireles, Fajã de Cima Ponta Delgada 2,23
4155 EB1ºCcJI Prof, Teotónio M, de Andrade, Ribeira Seca Vª Franca do Campo 2,22
4173 EB1ºCcJI Francisco Medeiros Garoupa, Água d’Alto Vª Franca do Campo 2,21
4182 EBIcJI de Vila do Topo Calheta (R,A,A,) 2,2
4186 EB1ºCcJI das Doze Ribeiras e Serreta Angra do Heroísmo 2,2
4198 EB1ºCcJI da Vila Nova, Vila Nova Praia da Vitória 2,19
4207 EB1ºCcJI da Ribeira do Meio, Lajes do Pico Lajes do Pico 2,19
4209 EB1ºCcJI Prof, Manuel Francisco Correia, Achadinha Nordeste 2,19
4231 EB1ºCcJI Comendador Ângelo José Dias, Mosteiros Ponta Delgada 2,17
4235 EB1ºCcJI de Fenais da Ajuda, Fenais da Ajuda Ribeira Grande 2,17
4236 EB1ºCcJI José Furtado Leite, Água Retorta Povoação 2,17
4267 EB1ºCcJI de São Roque, São Roque Ponta Delgada 2,15
4270 EB1ºCcJI da Ribeirinha, Ribeirinha Ribeira Grande 2,14
4287 EB1ºCcJI Prof, Maximino F, Rocha, Terra Chã Angra do Heroísmo 2,13
4288 EB1ºCcJI da Vista Alegre, Matriz e Conceição Horta 2,13
4325 EB1ºCcJI de São Bartolomeu dos Regatos, São Bartolomeu Angra do Heroísmo 2,1
4326 EB1ºCcJI Pd, José Cabral Lindo, Sete Cidades Ponta Delgada 2,1
4336 EB1ºCcJI de Santa Luzia, Santa Cruz Praia da Vitória 2,1
4342 EB1ºCcJI de Santa Bárbara, Santa Bárbara Angra do Heroísmo 2,09
4344 EB1ºCcJI Madre Teresa da Anunciada, Ribeira Seca Ribeira Grande 2,09
4354 EB1ºCcJI da Luz, Luz Stª Cruz da Graciosa 2,08
4361 EBI de Água de Pau Lagoa  2,07
4368 EB1ºCcJI António Medeiros Frazão, Calhetas Ribeira Grande 2,06
4371 EB1ºCcJI da Lomba do Loução, N, Sr,ª dos Remédios Povoação 2,06
4375 EB1ºe2ºCcJI das Lajes das Flores Lajes das Flores 2,05
4378 EB1ºCcJI da Ribeira Quente, Ribeira Quente Povoação 2,05
4388 EB1ºCcJI da Aldeia Nova, Vila das Lajes Praia da Vitória 2,04
4392 EB1ºCcJI António Tavares Torres, Rabo de Peixe Ribeira Grande 2,01
4408 EB1ºCcJI da Feteira, Feteira Horta 2
4415 EB1ºCcJI da Criação Velha, Criação Velha Madalena 2
4428 EB1ºCcJI de S, Brás, S, Brás Praia da Vitória 2
4469 EBI Mouzinho da Silveira, Vila do Corvo Corvo 2
4482 EB1ºCcJI Prof, Manuel Jacinto da Ponte, Maia Ribeira Grande 1,98
4483 EBIcJI da Vila de Rabo de Peixe Ribeira Grande 1,98
4488 EB1ºCcJI do Guadalupe, Guadalupe Stª Cruz da Graciosa 1,94
4492 EB1ºCcJI dos Flamengos, Flamengos Horta 1,93
4494 EB1ºCcJI D, Paulo José Tavares, Rabo de Peixe Ribeira Grande 1,93
4510 EB1ºCcJI da Lomba do Botão, Povoação Povoação 1,9
4516 EB1ºCcJI Dr, Francisco M, de Faria e Maia, Cabouco Lagoa  1,89
4525 EB1ºCcJI da Silveira, Lajes do Pico Lajes do Pico 1,83
4537 EB1ºCcJI de S, Pedro, São Pedro Vila do Porto 1,8
4539 EB1ºC de São Mateus, São Mateus Madalena 1,8
4577 EB1ºCcJI de Fenais da Luz, Fenais da Luz Ponta Delgada 1,57
4590 EB1ºCcJI Beato João Baptista Machado, Ribeirinha Angra do Heroísmo 1,5
4593 EB1ºCcJI Manuel A, de Vasconcelos, Pilar da Bretanha Ponta Delgada 1,5