Promoção do turismo vai ter menos 7 milhões de euros em 2012

Sete-Cidades3A promoção do turismo no próximo ano vai sofrer uma redução radical de 33,9% das verbas que serão investidas através do Plano de Investimentos para 2012.
No corrente ano, o Governo tinha feito uma espécie de “forcing” total, com as verbas para a promoção a atingirem 22,1 milhões de euros. Cerca de 96% dessa verba foi para campanhas promocionais.
Era uma verba nunca vista. Em 2010, o total para as campanhas tinha atingido os 9,8 milhões, e em 2009 tinha sido de 10 milhões. O seu valor mais que duplicou em 2011…
Em termos de relação com a receita gerada, em 2010 o investimento em promoção correspondeu a cerca de 20% do total de cerca de 50,4 milhões gerados por todo o sector hoteleiro. No ano de 2011, a curiosidade é que à mais que duplicação da verba para promoção corresponderá provavelmente uma redução de cerca de 3% nas receitas dos hoteleiros – que, de acordo com o padrão para os proveitos de Janeiro a Agosto, deverão gerar em 2011 cerca de 49 milhões de euros. A promoção em 2011 terá custado cerca de 43% da receita total dos hoteleiros – ou seja, sensivelmente metade do que foi gerado.
Não será exagerado afirmar que o Governo terá atirado ao mar mais de 10 milhões de euros sem qualquer retorno...
Para 2012 há uma óbvia correcção em baixa. As campanhas publicitárias descem 34% para cerca de 14 milhões de euros, o que mesmo assim representa um fortíssimo crescimento de quase 43% em relação às verbas de 2010. Ou seja, continua a ser muito dinheiro: caso a receita dos hoteleiros atinja os 50 milhões de euros em 2012, a promoção terá custado 28%, ou seja, quase 1 em cada 3 euros gerados.
Se a estratégia irá resultar é uma incógnita que dificilmente se pode analisar sem pesar a perfomance do corrente ano – que foi, no mínimo, fraca: os Açores foram a única região do país que não recuperou dos números de 2010. Caso o Governo mantenha os mesmos fornecedores de serviços e o mesmo modelo, como parece ser o caso, é natural olhar para este investimento com reservas!
De resto, o modelo parece ser semelhante – significando um elevado investimento na promoção e pequeno na qualidade do destino.
Sinal disso é mais uma redução na “animação turística”, que baixa 21,4% e está reduzida a 76,4 mil euros. Nos anos de 2009 e 2010 essa rúbrica atingia os 150 mil euros, baixando este ano para 93 mil. Esse segmento, em teoria, deveria ser um forte galvanizador das iniciativas locais destinadas a animar a estadia do turista – um factor fundamental, que vai da apresentação de artistas locais nos bares e restaurantes a uma série de iniciativas gastronómicas e culturais. Tendo em conta o seu percurso, é uma área que não só não está aproveitada como arrisca-se a desaparecer no próximo Plano. Com prejuízos evidentes para a qualidade da animação do destino...
A “informação turística” é outra das áreas que mais cai, perdendo 31% para apenas 66,8 mil euros. Esse sector tinha recebido 1 milhão de euros em 2010 (embora apenas 50 mil em 2009 e 97 mil euros em 2011).

O caso dos trilhos

A “qualificação dos percursos pedestres e outros produtos turísticos” também perde 14% e fica-se por uma verba de 167 mil euros. Diga-se de passagem que a simples inserção desta rubrica já é por si só um bom sinal, uma vez que antes de 2010 ela nem existia. Mas é evidente que este ano a gestão deste importantíssimo sector (para um destino que se pretende “de natureza”) aconselharia um reforço significativo e não uma redução.
Os Açores têm 69 trilhos, cuja utilização regular implica uma atenção diária na sua manutenção e gestão. O facto é que um grande número de trilhos estiveram encerrados durante quase todo o ano de 2011.
A falta de investimento a este nível é bem visível num caso caricato. O trilho do Salto do Prego (Faial da Terra e Sanguinho) é talvez aquele que se mantém em melhores condições durante todo o ano. Um dos seus atractivos é a possibilidade dos utentes tomarem um banho de água fria sob a cascata que lhe dá nome, depois de uma viagem algo cansativa. O facto, no entanto, é que segundo a informação oficial, “são desaconselhados os banhos na cascata devido à possibilidade de queda de troncos de árvore”...
Um investimento a sério neste sector talvez permitisse aos turistas banharem-se naquela belíssima cascata – e levarem consigo uma imagem dos Açores puros e maravilhos, e não o receio de levarem com um tronco…

O Plano de Investimentos para 2012

O Plano Regional de Investimento terá para o ano de 2012 um total de 465 milhões de euros, o que representa uma redução de 8,15% em relação aos 506 milhões do corrente ano. Haverá menos 41 milhões de euros de investimento governamental. No total, o governo terá menos 113 mil euros por dia para investir, ficando-se em 2012 pelos 1,275 milhões de euros por dia. Para além dessa evidente redução, há outra pequena diferença de peso: o investimento que essa verba irá permitir é mais pequeno. No ano de 2011, a verba do Plano permitiu (em teoria) investimentos de 801 milhões de euros, fazendo-a corresponder a 63,2% do investimento real. Em 2012, a verba do Plano representa 64,4% do investimento previsto, o que representa uma descida do investimento de 9,85%, o que é superior à descida da verba do Plano.
As descidas não são iguais para todas as secretarias. E a que desce mais é a do Ambiente e Mar, com menos  23,9% de verbas, o que representa menos 15 milhões de euros em 2012. O corte nesta secetaria representa quase 37% do total dos cortes.
Segue-se a Secretaria da Economia, que perde em 2012 cerca de 20,7%, o que corresponde a menos 18,5 milhões de euros, o que representa 44,9% do total dos cortes.
Segue-se a Secrearia da Educação e Formação, que perde 17,3%, com menos 11,6 milhões de euros. A Secretaria da Agricultura também perde 13,5%, com menos quase 10 milhões de euros. A Secretaria do Trabalho e Segurança Social perde 11,6%, com menos quase 6 milhões de euros. E a Presidência perde 14,2%, com menos 4,5 milhões de euros.
Apenas 3 secretarias crescem. A da  Saúde, com mais 31,9%, é a que mais cresce percentualmente, com mais 9,5 milhões de euros, mas a da Ciência e Tecnologia é a que mais cresce em termos absolutos, com um aumento de 21,2%, e mais 11 milhões de euros. E a vice-presidência cresce 23,6%, com mais 3,9 milhões de euros.

Falhanço no mercado nacional impede crescimentos significativos no turismo

turistasEm Agosto deste ano, registaram-se nos Açores cerca de 178 mil dormidas, o que representa um aumento de 1,4% em relação ao mês homólogo. Apesar de ser um valor positivo, a verdade é que não só não mantém o palmarés conquistado em Julho (que este ano registou o maior valor de dormidas de sempre), como representa um crescimento muito ténue, quando comparado com o crescimento de 5,6% registado no país. Os valores de Agosto continuam abaixo das 184 mil dormidas registadas em 2008 e as 190 mil de 2007.

Em termos dos proveitos, o INE não publica os dados de Agosto, mas até Julho, o sector gerou 34,2 milhões de euros, o que representa uma descida de 3,2%, sendo a única região do país a registar perdas. A nível nacional houve um aumento de 7,3%, com crescimentos significativos em todas as restantes regiões.
Sendo Agosto o mês em que tradicionalmente mais turistas visitam a Região, refira-se que a taxa de ocupação baixou de 67,1% para 64,7%. A média de dormidas manteve-se nas 3,2 do ano passado. E o Rev Par (rendimento por quarto) ficou-se pelos 48,3 euros (a média nacional é de 55,5 euros).
A redução dos clientes nacionais é notória este ano. No caso do mês de Agosto, houve apenas 137 mil dormidas de portugueses, o que representa 41,2% do total. Trata-se de uma redução de 15% em relação ao ano passado, voltando mesmo para os níveis de 2008, embora nesse ano o turismo nacional tivesse representado 45% do total.
Considerando o ano, de Janeiro de Agosto as dormidas nacionais (que no entanto incluem dormidas profissionais e internas) baixou para 72,8% do total. Mas uma vez que nos meses de Julho e Agosto o peso das dormidas nacionais de lazer é mais significativo que nos restantes meses, e que em Julho houve igualmente uma redução de 10%, poderá falar-se numa situação de crise neste segmento.
Para se ter uma ideia do impacto desta perda de mercado, caso o sector tivesse conseguido manter as dormidas nacionais registadas em 2010, estar-se-ia perante um crescimento total em Agosto de cerca de 14%...
Tendo em conta que o mercado nacional tem sido alvo de diversas acções promocionais, com destaque para a iniciativa “visitazores com voo incluído” no início do ano e o “site do turismo”, é questionar a eficácia desses investimentos.

WestCanyon Turismo Aventura viaja pelo ‘interior’ da ilha das Flores

 

actividades-radicais-floresCom Canyoning, passeios pedestres, JeepTours e Corvo Discovery, a WestCanyon Turismo Aventura dá a conhecer aos amantes da Natureza as maravilhas da Ilha das Flores permitindo-lhes conhecer mais um pouco dos seus "recheios" e passar momentos divertidos.

Criada em 2009 com o intuito de colmatar a carência de actividades terrestres, a empresa gerida por Marco Melo, técnico de animação desportiva licenciado em Desporto, é especializada no produto de turismo de aventura, desenvolvendo programas em diferentes subprodutos.

Com disponibilidade para oferecer serviços personalizados e adaptados a qualquer nicho de mercado que procure desenvolver actividades de turismo na natureza, desde a sua componente de soft adventure até hard adventure, a WestCanyon aposta forte no canyong, nos passeios pedestres, nos JeepTours e no Corvo Discovery.

 

Canyoning

 

É uma actividade com diferentes níveis de dificuldade, a enquadrar de acordo com a experiência dos clientes. Numa Ilha com cerca de 142 km2 e com mais de trinta ribeiras equipas, esta é uma actividade que permite contactar com ambientes diferentes do dia-a-dia. Marco Melo garante todo o equipamento e uma experiencia inesquecível. Os serviços podem ir desde o baptismo de canyoning a descidas extremas com grandes verticais e saídas para o mar.

 

Passeios Pedestres

 

É um produto realizado por entre trilhos e caminhos na natureza virgem e pura, que retrata bem o que outrora eram os principais elos de ligação entre as diferentes freguesias da Ilha. Deste modo, pode-se vivenciar um pouco da história da Ilha e ainda se maravilhar com a bela Fauna e Flora características dos Açores. A ilha das Flores apresenta uma beleza e variedade de percursos impar, disponibilizando a empresa serviços adaptados a qualquer tipo de clientes e expectativas, desde percursos interpretativos aos onde impera a aventura.

 

JeepTours

 

Com este serviço que pode ser de um ou meio-dia, pretende-se que os turistas, num curto espaço de tempo, consigam fruir das melhores paisagens da ilha, acompanhados por um guia conhecedor dos melhores recantos desta ilha de paisagens inesquecíveis.

 

Corvo Discovery

 

Com este serviço, os turistas têm a oportunidade de conhecer o que de melhor tem a ilha vizinha das Flores, mas igualmente terem a oportunidade de fruir da magnífica costa nordeste das Flores, nomeadamente desfrutando das magníficas grutas do galo e a catedral. Uma vez na Ilha do Corvo, o caldeirão, uma cratera com cerca de 3 km de perímetro e 300 m de profundidade, convidam a uma pequena caminhada rumo a um piquenique no meio de uma paisagem onde reina a calma e a tranquilidade.

 

"Uma viagem ao ‘interior’ da ilha"

 

Dependendo da condição física de cada pessoa, as actividades podem ser realizadas por preços desde os 25 euros, a partir dos 13 anos de idade. Com seguros, transferes e piqueniques, dependendo de cada opção, as actividades podem realizar-se com um mínimo de duas pessoas.

Desde o início da actividade, os turistas portugueses têm sido os que mais têm procurado a WestCanyon, mas 2011 viu mais estrangeiros a procurar este tipo de "aventura".

A divulgação, de acordo com Marco Melo, tem passado pelas redes sociais, sítio online (www.westcanyon.net), e informação postada localmente.

Quanto à população loca, e embora seja uma empresa recente, no decorrer deste ano a presença nas actividades realizadas já se começou a notar mais.

Desportos para todas as faixas etárias que têm merecido críticas muito positivas de todos os participantes, quer sejam principiantes ou já tenham tido alguma experiência anterior.

Marco Melo descreve ao "Diário dos Açores" alguns dos troços e sensações que os interessados podem usufruir, relatando, por exemplo, no canyoning um troço simples, "mas muito bonito, que permite a quem pratica deparar-se com o ‘interior’ da terra… é uma experiência totalmente diferente", revela.

No ‘jeeptour’, mostrar a ilha e passar por estradas totalmente diferentes do comum, com imagens e perspectivas totalmente diferentes do dia-a-dia, pode tornar uma viagem no mínimo satisfatória.

Satisfatório é, até ver, o balanço que o criador e responsável pela WestCanyon, fascinado por poder mostrar "as magníficas belezas da sua ilha" aos visitantes e interessados.

Poder mostrar "a natureza virgem e intacta" é algo que motiva Marco Melo que, no entanto, critica os preços dos bilhetes aéreos para a ilha das Flores, um entrave e feedback negativo para a maioria dos clientes que passam pelo ponto mais Ocidental da Europa.

Ainda assim, e para o jovem empresário, a WestCanyon continua apostada em mostrar aquela que dizem ser "a mais bonita ilha dos Açores".

SATA disponibiliza bilhetes prémio online A partir de Outubro, a SATA disponibiliza aos membros SATA IMAGINE, a possibilidade de emitirem os seus bilhetes prémio directamente no site da SATA (www.sata.pt) Agora, a emissão de bilhetes prémio (bilhete emiti

sataA partir de Outubro, a SATA disponibiliza aos membros SATA IMAGINE, a possibilidade de emitirem os seus bilhetes prémio directamente no site da SATA (www.sata.pt)
Agora, a emissão de bilhetes prémio (bilhete emitido com dedução de milhas) está mais facilitada pois, a qualquer hora do dia e em qualquer local, os membros SATA IMAGINE poderão emitir os seus bilhetes online em www.sata.pt.
Um processo de reserva personalizado e a possibilidade de consultar a disponibilidade de lugares à distância de um clique, são novas facilidades que visam introduzir mais comodidade e flexibilidade na emissão de bilhetes prémio online.
Para comprar bilhetes prémio online, bastará que o membro efectue o seu login com a conta SATA IMAGINE e aceda à área “Bilhetes SATA IMAGINE” no menu de serviços da página principal.
Aliada a esta inovadora funcionalidade está a vantagem de consultar as milhas de uma forma mais simples e directa, obtendo também, previamente, a informação do número de milhas necessárias para a aquisição dos bilhetes prémio.
Recorde-se que continua a ser possível a emissão de bilhetes prémios nos restantes canais da SATA, nomeadamente, lojas de venda e Call Center (707 227 282).

Campanha que aborda a “língua” açoriana é patrocinada pelo Governo Regional...

campanha-mme-de-veras2“Mêm de veras” e “Eles dân carre à gente” são duas das frases publicitárias que estão a ser utilizadas em cartazes de grande formato em Lisboa pelo operador turístico Soltropico. E que parecem não estar a agradar a muitos açorianos.
A frase comum às duas expressões, e que serve de fio condutor à promoção daquela agência, é “Por este preço, comece já a praticar o seu açoriano”. O que, diga-se de passagem, não é propriamente aconselhável fazer quando os turistas chegarem aos Açores, pela possibilidade da sua “fluência” ser facilmente entendida como “escárnio” da idiossincrasia açoriana.
Não é, de resto, uma questão de idade, uma vez que a campanha da Soltropico está a ser divulgada, e fortemente criticada, na internet.
Curiosamente, são os próprios açorianos que estão a pagar por esta campanha. De acordo com uma decisão da Secretaria da Economia, foi atribuída em Agosto uma verba de 60 mil euros àquela empresa para ser utilizada em publicidade até ao final do ano.
O contrato refere “a promoção do destino turístico “Açores” no mercado nacional, através do desenvolvimento de um Plano de Marketing e Comunicação que inclui exibição de outdoors na Zona da Grande Lisboa e na Zona do Grande Porto; emissão de spots de Rádio; exibição de anúncios na Rede Nacional de Multibanco; exibição de banners em sites da Internet especializados em turismo; e inserção de anúncios na imprensa especializada e genérica”.
Même de veras? Même!!! E até dân carre... O pió, même, é quêles podim nã tá a gostá...

Mais Lidas nos últimos 3 dias

Alojamento Local cresceu 37% em 2018
sexta, 15 fevereiro 2019, 00:00
“O vinho é um meio de aproximar as pessoas”
sexta, 15 fevereiro 2019, 00:00
Pescadores pedem a activação do Fundopesca
sexta, 15 fevereiro 2019, 00:00