Santo Cristo Milagroso

 DSCF8822O povo açoriano está, nestas dias que antecedem a festa de Pentecostes, voltado para ao Santuário da Esperança, na ilha de São Miguel.
Está a decorrer o novenário preparatório para as grandiosas solenidades em honra de Santo Cristo dos Milagres que, naquela ilha se vem, ininterruptamente, celebrando desde o século XVI, quando o Papa Paulo III ofereceu a duas religiosas micaelenses, a santa imagem, segundo relata o Pe. José Clemente.
A grande devota de Santo Cristo foi a Venerável Teresa da Anunciada que, segundo o seu biógrafo, tinha colóquios íntimos com o Seu Rei e Senhor.
Não se conseguiu ainda que a Igreja Romana elevasse às honras dos Altares a Venerável Religiosa. Todavia, Ponta Delgada já prestou condigna homenagem à Venerável Madre Teresa da Anunciada, colocando a sua estátua junto do convento onde ela passou os últimos anos de vida.
Bem merecia que algo mais se promovesse em ordem à finalização do processo de Beatificação
E isso em nada desmerece ou diminui o culto ao Senhor Santo Cristo, presente no convento da Esperança e, igualmente, em diversas igrejas das ilhas açorianas e até na Diáspora.
A ilha do Pico, além do culto normal a Jesus Cristo, - e ele é bem patente na veneração das Imagens do Bom Jesus de São Mateus, Calheta e Criação Velha, na paróquia da Silveira é o Senhor Santo Cristo, como nas do Senhor Jesus Crucificado de Santa Cruz das Ribeiras ou do Senhor Jesus das Preces, venerada na Matriz das Lajes - tem um culto especial à segunda Pessoa da Santíssima Trindade, em todas as igrejas paroquiais.
A Ilha do Faial festeja, oficialmente, em cumprimento de um voto muito antigo, o Santo Cristo da Praia do Almoxarife. São Jorge presta culto ao Santo Cristo da Caldeira. A Terceira venera na capela da Natividade de Angra, o Santo Cristo da Terceira.
Por toda a parte é o povo em prece ante as Imagens Venerandas, quer em corpo inteiro, quer em busto, ou no Senhor Crucificado, muito embora algumas imagens mereçam mais atenção dos fiéis, como é o caso do Santo Cristo do convento da Esperança, ou do Bom Jesus da paróquia de S. Mateus do Pico, ambos os templos declarados santuários pelo Prelado da Diocese.
Mas maior e mais vincado é o culto ao Senhor Santo Cristo dos Milagres de Ponta Delgada que ali atrai durante o novenário e festa, milhares de devotos, muitos idos das ilhas açorianas e numerosos vindos das terras da Diáspora, onde se encontram milhares de açorianos imigrados.
Quem um dia tomou parte nas festas e, principalmente, na Procissão, não ficou indiferente ante a fé dos devotos e dos sacrifícios que centenas deles fazem no cumprimento de promessas feitas em horas de angústias e dores.
A festa de Santo Cristo mantém o secular programa. A procissão segue, anualmente, o mesmo percurso de há séculos e não haja quem pretenda modificar o itinerário porque os micaelenses não consentem. E ainda bem que é assim. É um acto litúrgico e a liturgia não anda ao sabor dos modernismos mas mantém os seus princípios de culto a Deus e aos Seus Santos. E o Santo Cristo é, na realidade, a Segunda Pessoa da Santíssima Trindade: Um só Deus em três Pessoas iguais e distintas ensina o antigo catecismo. E o Concílio de Trento já declarara: “O Pai aquilo mesmo que o Filho, o Filho aquilo mesmo que o Pai, o Pai e o Filho, aquilo mesmo que o Espírito Santo, ou seja um único Deus por natureza”.
Não vim dar uma lição de catequese. Não me compete. Venho lembrar a festa da Segunda Pessoa da SS. Trindade – o Filho, que veio ao mundo, encarnou e se fez homem e sofreu e morreu pelos outros homens seus irmãos. E é uma passagem da Sua Vida – Cristo apresentado no Pretório de Pilatos à turba enraivecida, que hoje veneramos na sua bela e expressiva Imagem do Ecce Homo. Imagem milagrosa. Imagem que recorda aos homens um dos momentos mais angustiosos de Cristo ao sofrer a Paixão e Morte na Cruz. E são todos esses passos da Paixão que o povo crente recorda com fé, recolhimento e gratidão, implorando a seu jeito os favores de que necessita, quer materiais quer espirituais.
É por isso que milhares e milhares de devotos caminham descalços ou de joelhos sobre as calçadas, onde deixam algum dos seu sangue de mistura com dores físicas, a expiar as dores morais porque passaram em momentos de aflição e dor.
Não se pode assistir a estes actos de verdadeira penitência sem uma reflexão íntima de pena e angústia a compartilhar sofrimento com os irmãos que sofrem.  
Como Mons. Pereira da Silva terminava as suas palestras no Rádio Clube de Angra, a assinalar o lº centenário da festa do Bom Jesus, de São Mateus do Pico, em Agosto de 1962, assim finalizo este modesto escrito: Senhor Jesus, não olheis para a minha indignidade e faze-me um dos teus romeiros. Mete-me numa página do teu livro e dá-me um lugar no teu céu.

Vila das Lajes,
Maio de 2012.

Festas do Senhor Santo Cristo com transmissão na Internet

 DSC 0264As grandiosas festas em honra do Senhor Santo Cristo dos Milagres tiveram início no passado dia 10 e terminam no dia 17 de Maio, e serão presididas pelo Núncio Apostólico em Portugal, D. Rino Passsigato.
Os principais momentos serão transmitidos em directo pela Internet, tal como no ano passado, permitindo que possam ser acompanhados pelos emigrantes açorianos espalhados pelo mundo.
A transmissão directa, disponível no endereço electrónico www.santo-cristo.com, incluirá a Procissão da Mudança, que se realiza hoje, a Solene Concelebração Eucarística e a Saída e Recolher da Veneranda Imagem do Senhor Santo Cristo dos Milagres, a 13 de maio.
Com esta iniciativa, a Irmandade do Senhor Santo Cristo dos Milagres pretende promover as maiores festas religiosas que se realizam nos Açores e, em simultâneo, preservar uma das mais antigas tradições açoriana junto da diáspora.
As Festas do Senhor Santo Cristo dos Milagres atraem todos os anos a Ponta Delgada milhares de peregrinos oriundos de todas as ilhas do arquipélago, de vários pontos do país e das comunidades emigrantes.
Nos arraiais da festa estão previstos os habituais concertos, destacando-se a participação, para além de bandas filarmónicas locais, da Banda Militar dos Açores e da Orquestra Ligeira de Ponta Delgada.

“O importante destas festas é transformar o Homem”, diz Monsenhor Agostinho Tavares

monsenhorA cidade de Ponta Delgada acordou hoje para prestar, mais uma vez, homenagem ao Senhor Santo Cristo dos Milagres. Uma tradição com mais de trezentos anos que reflecte a fé inabalável de milhares de crentes e fiéis na Imagem do “Ecce Homo”.
Neste dia em que emigrantes e gentes de outras ilhas e pontos do país nos visitam, o Reitor do Santuário do Senhor Santo Cristo dos Milagres, o Monsenhor Agostinho Tavares, fala-nos que as festas que agora que estamos a comemorar são especiais porque “estão dentro do coração das pessoas e estão confiadas a uma Mesa da Irmandade que tem vindo a mantê-las sempre com o mesmo percurso e no quinto domingo depois da Páscoa.” Além disso, realça o facto de a festa em si ser “uma coisa exterior”. “O importante dessas festas”, diz, “são os motivos pelos quais elas se realizam, isto é, transformar o homem e encontrar-se a si mesmo e dizer ‘sou justo, sou fraterno, pacífico, sou um homem que não se altera nas bebidas e nas drogas’, portanto ‘luto pelos direitos e valores e procuro que isso aconteça durante a minha vida’.” A festa é, assim, “um encontro consigo e que nos leva a encontrar com o olhar do Senhor Santo Cristo”, tendo salientado que “o resto é sempre uma coisa nova. Se não buscarmos a verdade, não nos encontramos a nós mesmos, e se isso acontece não encontramos aquele que nos cria. Por isso, a festa em honra do Santo Cristo é sempre uma novidade, desde que começou a existir, até porque o ponto de referência da nova humanidade foi Jesus Cristo, morto e ressuscitado”, explica emocionado, pois, embora muitos crentes se concentram para celebrar a presença do Senhor Santo Cristo, muitos deles em penitência e em sofrimento, pedindo pelos seus entes queridos ou, simplesmente, prestando uma  homenagem, esta é uma festa em que se deve festejar, igualmente, o Senhor ressuscitado.

 

»» LER MAIS na versão impressa

 

A Paixão de Cristo que nos une!

 DSCF0234A Irmandade do Senhor Santo Cristo dos Milagres elegeu como mensagem de reflexão para as festividades deste ano, a expressão simbólica: A PAIXÃO DE CRISTO QUE NOS UNE!
Na verdade, a contemplação da Veneranda Imagem do Senhor Santo Cristo dos Milagres - o Ecce Homo - transporta-nos sempre, para os mistérios dolorosos da Paixão e da Morte de Jesus Cristo que sinalizam um elevado exemplo de humildade e de amor ao próximo.
Pretende a Irmandade, com esta iniciativa, considerar a partilha e a solidariedade que o sofrimento infringido a Jesus representa, nos seus penosos momentos, como valores que devem sustentar, na vivência da Fé de cada um, o comportamento, nos dias difíceis que se atravessam, dos devotos e peregrinos do Senhor Santo Cristo dos Milagres.
E, quando, em procissão gloriosa, a Veneranda Imagem percorrer, outra vez, as ruas da cidade de Ponta Delgada, cumprindo-se a secular tradição, revelar-se-ão, então, novos sinais de esperança e de reconhecimento da bondade divina que saciarão o coração de todos na sua entrega à acção de graças.
As grandiosas festas em honra do Senhor Santo Cristo dos Milagres tiveram início no dia 10 e terminam no dia 17 de Maio, e serão presididas pelo Núncio Apostólico em Portugal, D. Rino Passsigato.
Hoje e amanhã são os dias maiores das festividades com a mudança da veneranda Imagem do Senhor Santo Cristo, com a vigília nas Igrejas de Nossa Senhora da Esperança e da Conceição (vulgo São José), com a solene Concelebração Eucarística, no Campo de São Francisco, e com a Procissão em honra do Senhor, pretendendo a Irmandade, neste caso, manter a formação de segundas filas para as opas e para os figurantes com trajes alusivos.
Nos arraiais da festa estão previstos os habituais concertos, destacando-se a participação, para além de bandas filarmónicas locais, da Banda Militar dos Açores e da Orquestra Ligeira de Ponta Delgada.

14 Filarmónicas
na procissão
do Senhor Santo
Cristo dos Milagres

São 14 as filarmónicas da ilha de São Miguel que vão incorporar-se, este ano, na grandiosa Procissão em honra do Senhor Santo Cristo dos Milagres, que se realiza, em Ponta Delgada, amanhã.
A Mesa da Irmandade do Senhor Santo Cristo dos Milagres efetuou, no final do passado mês de março, o habitual sorteio para o preenchimento dos respetivos troços no cortejo processional tendo, então, sido confirmada a participação das seguintes filarmónicas:
- Filarmónica Lira do Norte (Rabo de Peixe)
- Banda Sagrado Coração de Jesus (Faial da Terra)
- Banda Lira Nossa Senhora da Saúde (Arrifes)
- Filarmónica Fraternidade Rural (Água de Pau)
- Banda de Nossa Senhora das Vitórias (Santa Bárbara)
- Filarmónica Lira das Sete Cidades (Sete Cidades)
- Filarmónica Estrela d’Alva (Lagoa)
- Sociedade Filarmónica Minerva (Ginetes)
- Filarmónica Aliança dos Prazeres (Pico da Pedra)
- Filarmónica Eco Edificante (Nordeste)
- Filarmónica Imaculada Conceição (Fazenda)
- Filarmónica Lira de Nossa Senhora da Estrela (Candelária)
- Filarmónica Estrela do Oriente (Algarvia)
- Filarmónica São Salvador do Mundo (Ribeirinha).
O programa das festividades deste ano abriu no dia 10 de Maio com o Concerto de Abertura, por grupos vocais e instrumentais do Conservatório Regional de Ponta Delgada, na Igreja de Nossa Senhora da Conceição, sede da Paróquia de São José.
Ontem, a execução do Hino do Senhor Santo Cristo, por ocasião da inauguração da iluminação decorativa da fachada do Santuário do Senhor Santo Cristo dos Milagres e do Campo de São Francisco esteve a cargo da Filarmónica Aliança dos Prazeres (Pico da Pedra), tendo-se seguido o desfile da Charanga dos Bombeiros Voluntários de Ponta Delgada.
Hoje, a Procissão da Mudança será acompanhada pela Filarmónica Fraternidade Rural (Água de Pau), estando em programa, a atuação da Orquestra de Violas da Terra e um concerto pela Banda Sociedade Filarmónica Minerva (Ginetes).
Amanhã, Domingo do Senhor, o concerto no arraial do Campo de São Francisco será executado pela Banda Lira das Sete Cidades (Sete Cidades).
Na segunda-feira, feriado municipal, o programa apresenta Cantigas ao Desafio pelos cantadores da Associação dos Cantadores dos Açores e o concerto da Orquestra Ligeira de Ponta Delgada.
A 17 de Maio, último dia das festas, está confirmada a atuação do grupo Bora Lá Tocar, ficando o concerto de encerramento a cargo da Banda da Zona Militar dos Açores.
Fonte: Guia da Irmandade do Senhor Santo Cristo dos Milagres

Quando a fé supera todas as adversidades – os milagres acontecem

mulherOlinda Lopes Piedade, de 69 anos, vive há 45 em Alverca, embora seja natural de Tomar. Trabalhou no hospital Reynaldo dos Santos como enfermeira durante 28 anos, tendo passado os últimos 11 anos no bloco operatório. Quando teve de se retirar por força maior do destino – um cancro na medula óssea – confessa que foi “uma dor muito grande porque me sentia profissionalmente realizada pois trabalhava num local em que podia ajudar muitos outros irmãos que precisassem de uma mão amiga.”
Já vem às festas do Senhor Santo Cristo dos Milagres há seis anos. Começou por vir por influência de uma colega de trabalho dos Açores que lhe falava sobre o culto ao Senhor, em grande parte porque sabia que Olinda tem uma enorme fé cristã.

 

»»LER MAIS na versão impressa