PS: “Conta de 2017 evidencia a trajectória de crescimento económico e estabilidade das finanças públicas”

Carlos Silva - PS Jul2019O PS/Açores considera que a conta da Região referente a 2017 “evidencia a trajectória de crescimento económico dos Açores e a estabilidade das finanças públicas regionais”.

A afirmação é do deputado socialista Carlos Silva, que falava à margem do debate parlamentar realizado esta terça-feira, na Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores.

“Mais uma vez, o Governo dos Açores, suportado pelo Partido Socialista, apresenta contas equilibradas e mantém como prioridade a aposta nas pessoas, nas funções sociais como a Saúde e a Educação, sem descurar o aumento do investimento publicado executado em 2017”, acrescentou o parlamentar socialista.

Carlos Silva considerou que as contas referentes ao ano de 2017 reflectem também a importância da “sustentabilidade e do equilíbrio das contas públicas, traduzido no facto de que o défice mantém o rácio de dívida pública dos Açores, em relação ao PIB (40,9%), como o mais baixo do País e um dos mais baixos da União Europeia”.

“Os dados apresentados sobre a Conta de 2017 confirmam, também, o aumento de 5% das Receitas Próprias da Região, fruto da dinâmica empresarial e da criação de emprego registada, bem como o crescimento do volume de investimento público realizado para os 374 milhões de euros, superando a taxa de execução do ano anterior”, acrescentou. 

Em relação ao Sector Público Empresarial Regional (SPER), o deputado do Grupo Parlamentar do PS/Açores adiantou que “as entidades apresentam, na sua globalidade, capitais próprios positivos superiores a 100 milhões de euros e que os resultados financeiros apresentados em 2017 confirmam a necessidade de prosseguir com a Reforma e Reestruturação do SPER, de forma a consolidar e dotar as empresas públicas dos meios necessários para melhorarem a sua eficiência operacional e prestarem um serviço público de qualidade”.

Carlos Silva referiu ainda que “o Grupo Parlamentar do Partido Socialista reconhece a importância das empresas públicas regionais e o seu contributo para o crescimento do PIB, que em 2017 superou os 4.128 milhões de euros, o que representa um valor recorde nos Açores”.

André Bradford tomou ontem posse como eurodeputado

André Bradford europaAndré Bradford tomou ontem posse como deputado ao Parlamento Europeu, reiterando o compromisso de defender intransigentemente os interesses dos Açores na Europa: “Agora a prioridade é, no meu caso concreto, a defesa das áreas que dizem respeito directamente à Região, que importam mais aos Açores e aos açorianos”.

“Para além das tradicionais áreas dos sectores produtivos, como a Agricultura e as Pescas, é altura das questões relacionadas com os Transportes, Juventude e Ambiente entrarem, também, na agenda das prioridades açorianas no âmbito europeu”, acrescentou o único deputado dos Açores a ser eleito para o Parlamento Europeu.

André Bradford referiu a importância da função técnico-política dos deputados europeus, quer em termos de acompanhamento de dossiês, da produção de relatórios e do tratamento político da legislação proposta pela Comissão Europeia, como também na “atenção permanente que é necessária para garantir a defesa dos interesses dos Açores e que exige um trabalho de sensibilização, de influência e de pressão política para - no meu caso concreto em que sou o único representante dos Açores – defender como prioridade a posição regional relativa a cada matéria”.

Sobre o trabalho realizado nas últimas semanas, André Bradford congratula-se com o facto de se ter incluído a questão da “Coesão Territorial” na Declaração Política do Grupo dos Socialistas e Democratas, a que pertence: “É importante garantir que a Coesão Territorial, que inicialmente não estava inscrita, faz parte da Declaração Política deste Grupo, porque assim é assumida como uma prioridade para os próximos anos, assegurando que são tidas em conta as especificidades territoriais, o que no caso dos Açores diz respeito ao nosso estatuto de Região Ultraperiférica.

Secretária Regional dos Transportes vai ser ouvida amanhã pelos deputados sobre os problemas nos transportes marítimos e aéreos

ALRAA 2017A Comissão Permanente de Economia, do parlamento regional, vai reunir-se amanhã na delegação da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, em Ponta Delgada, pelas 15h00, com recurso a videoconferência, e com a seguinte agenda:

- Audição da Secretária Regional dos Transportes e Obras Públicas, a fim de se pronunciar sobre a operação de transporte marítimo de passageiros e viaturas na Região, conforme solicitação do Secretário Regional Adjunto da Presidência para os Assuntos Parlamentares;

- Audição da Secretária Regional dos Transportes e Obras Públicas, sobre o Requerimento do Grupo Parlamentar do PSD, acerca da “divulgação indevida, no sítio electrónico da Altânticoline, de centenas de documentos com dados pessoais de passageiros da empresa pública de transporte marítimo de passageiros”;

- Audição da Senhora Secretária Regional dos Transportes e Obras Públicas, sobre o Requerimento do Grupo Parlamentar do PSD, acerca do “serviço prestado pela Azores Airlines ao Faial e ao Pico, designadamente obre os cancelamentos nas rotas LisboaHorta-Lisboa e Lisboa-Pico-Lisboa e sobre a modalidade dos residentes nas ligações interilhas”.

Recorde-se que a Secretária regional dos Transportes, Ana Cunha, chamou ao seu gabinete a administração da SATA, tendo no final dado esclarecimentos sobre os problemas dos últimos dias na operação para as ilhas do Faial e Pico.

Governo responde ao PSD-Açores e diz que “não anda a reboque a de ninguém”

Berto Messias parlamentoBerto Messias assegura que “o Governo não anda a reboque de ninguém, muito menos do líder do PSD, que diz uma coisa e faz outra”.

O Secretário Regional Adjunto da Presidência para os Assuntos Parlamentares afirmou que “o propósito do líder do PSD/Açores é fazer folclore político e mediático com as questões referentes aos transportes marítimos e aéreos”.

Berto Messias frisou que, “só depois do Governo tornar pública a sua intenção de ir à Comissão de Economia da Assembleia Legislativa para dar todas as informações aos deputados, é que chegou o pedido do PSD/Açores para uma reunião com o Presidente do Governo sobre este assunto”.

O Secretário Regional, numa reação a criticas dos social-democratas, salientou que, afinal, a “urgência do líder do PSD/açores era para aparecer nos jornais e não para solicitar a tal reunião”.

“Isto comprova, mais uma vez, que o líder do PSD/Açores diz uma coisa e faz outra. Não andamos a reboque de ninguém, muito menos de protagonistas políticos que dizem uma coisa e fazem outra, como a nova liderança do PSD/Açores”, frisou.

Berto Messias assegurou que o Governo dos Açores está “empenhado em ultrapassar as dificuldades e as contingências externas que têm surgido”, para prosseguir o “caminho de crescimento que temos trilhado, em que os transportes aéreos e marítimos tiveram e têm um papel fundamental”.

O governante lembrou que, “há poucos anos, os problemas existiam em torno da falta de capacidade de crescimento”, ao passo que agora “os problemas residem nos altos índices de crescimento e de procura e na nossa capacidade de responder a isso”.

“É inquestionável, por isso, que fizemos um grande trabalho, em parceria com os agentes económicos e sociais, alcançando índices de crescimento recorde em toda a Região. Por isso, temos a consciência que fizemos muito, mas temos ainda muito para fazer, e é nisso que estamos empenhados”, realçou Berto Messias.

O Secretário Regional garantiu que o Executivo está “a trabalhar com grande empenho, reconhecendo os problemas e constrangimentos, encontrando soluções para esses problemas e ouvindo atentamente as preocupações e reivindicações das forças vivas locais de cada uma das ilhas”.

“Uma matéria tão séria como esta não se coaduna com abordagens levianas que nada contribuem para o futuro da Região”, Berto Messias.

 

PSD da Terceira acusa governo de “falhas claras”

 

O PSD/Terceira considerou ontem que “as falhas claras da governação socialista” estão a prejudicar claramente “os empresários terceirenses, de uma forma geral, e particularmente os que estão ligados ao Turismo, dado o descontrolo absoluto que se vive ao nível das ligações aéreas e marítimas”.

“É o quarto mês consecutivo em que a Terceira regista uma perda de turistas, comprovada pelas estatísticas de abril que mostram quebras, face a Abril do ano passado, de 11,5% no total das dormidas”, adianta Mónica Seidi, vice-presidente dos social democratas.

“De Janeiro a Abril deste ano, registaram-se 610,8 mil dormidas nos estabelecimentos hoteleiros, de turismo no espaço rural e de alojamento local nos Açores, um valor superior em 17,4% ao registado em igual período de 2018”, explica.

“Confirmando as lacunas graves ao nível das ligações aéreas, a que se junta o verdadeiro descalabro do início da operação sazonal da Atlânticoline, de janeiro a Abril de 2019, a Terceira perdeu 16,8% do total de dormidas face ao ano anterior”, reclama a social democrata.

“A falta de estratégia já parece uma coisa normal, sendo anunciadas medidas avulsas e não articuladas, que não resolvem os problemas”, disse.

“A promoção do destino Terceira não existe de forma eficaz, nem está direccionada aos mercados que nos interessam”, refere Mónica Seidi, para quem “essa promoção não se faz apenas em feiras”, e pugnando pela criação “de sinergias entre várias entidades”.

“O PSD/Açores já pediu responsabilidades ao Governo Regional, que tutela a SATA e a Atlânticoline. E, na nossa ilha, somos diariamente confrontados com as queixas das pessoas, algumas delas empresários do sector, já com prejuízos contabilizados, isto quando o verão ainda está a começar”, avança a responsável.

“Prova-se, a cada mês que passa, que lidamos com modelos esgotados, e mal geridos por um governo também ele esgotado”, concluiu o PSD/Terceira, para quem “uma mudança nos Açores é urgente, e ela só poderá acontecer pelas mãos do PSD”.

PSD apela ao Governo para que antecipe vinda do navio “Mestre Jaime Feijó”

LUIS-MAURICIO-PORTO-PRAIA-19JUN2019O líder parlamentar do PSD/Açores apelou ontem ao Governo Regional para que antecipe a vinda do novo navio de transporte de passageiros ‘Mestre Jaime Feijó’, alegando que o período crítico que afecta este sector justifica “medidas extraordinárias”.

“Fazemos um apelo ao Governo Regional no sentido de garantir que o navio ‘Mestre Jaime Feijó’, que vem substituir o ‘Mestre Simão’, venha o mais depressa possível, de modo a diminuir os constrangimentos que afectam o transporte marítimo de passageiros nas ilhas do Grupo Central”, afirmou Luís Maurício, após uma visita ao Porto da Praia da Vitória.

O presidente da bancada social democrata, que falava no encerramento das jornadas parlamentares do partido, salientou que, “numa situação excepcional, impõe-se uma atitude excepcional”.

“Nesse sentido, e no que diz respeito à questão do transporte marítimo de passageiros, o PSD apela ao Governo Regional para que apresse a vinda do navio ‘Mestre Jaime Feijó’, com vista a que a operação no Grupo Central retome a normalidade”, disse.

Recorde-se que a embarcação ‘Mestre Jaime Feijó’, cuja construção está quase concluída, vem substituir o navio ‘Mestre Simão’, que encalhou no Porto da Madalena em Janeiro de 2018.

Luís Maurício sublinhou que “os açorianos já perderam a conta aos incidentes ocorridos no serviço público de transporte marítimo de passageiros”, apesar das dezenas de milhões de euros investidos.

“Este Verão, o adiamento da chegada de um dos navios já prejudicou a mobilidade dos açorianos. A juntar a este problema, que resulta de um planeamento insuficiente, regista-se ainda a contrariedade que foi a recente avaria no navio ‘Gilberto Mariano’”, frisou, justificando assim o apelo ao Governo Regional para que antecipe a vinda do ‘Mestre Jaime Feijó’.

O líder parlamentar do PSD/Açores considerou que as “falhas de planeamento” nos serviços públicos de transporte marítimo e aéreo “têm graves consequências para os açorianos”, dada a “importância primordial que têm na vida das pessoas e na actividade das empresas”.

Segundo Luís Maurício, “essa falta de planeamento no transporte marítimo de passageiros, que se tornou evidente nas últimas semanas, também se verificou nas ligações aéreas”.

“Tem havido vários cancelamentos de voos da SATA Internacional entre o continente e as ilhas do Faial e Pico. Há também escassez de lugares nas ligações inter-ilhas, o que assume especial gravidade no caso dos residentes que têm de se descolar por motivos de saúde”, afirmou.

O líder da bancada social democrata referiu que “vir agora, no meio desta ‘tempestade’, dizer que faltam 30 pilotos na SATA para fazer face às necessidades, é uma atitude própria de quem governa a reboque da realidade”.

“Foi perante todos estes problemas que o presidente do PSD/Açores pediu explicações, nomeadamente ao Presidente do Governo Regional. Até esse momento, o Governo manteve-se em silêncio”, lembrou.

O social democrata acrescentou que “são essas explicações, que os açorianos exigem, que o PSD vai pedir à Secretária Regional dos Transportes” amanhã na Comissão Parlamentar de Economia, tendo anunciado que já se encontra agendada a audição pedida pelo partido sobre a falta de lugares nos voos inter-ilhas e o cancelamento de ligações entre o continente e as ilhas do Faial e Pico.

Luís Maurício aproveitou ainda a ocasião para desafiar o Governo Regional a “tomar uma decisão célere” sobre o estudo que recebeu sobre as diferentes opções para a construção do cais de cruzeiros no Porto da Praia da Vitória.

“A proposta de construção do cais de cruzeiros foi apresentada pelo PSD/Açores no parlamento e aprovada por unanimidade. Esperemos que, finalmente, o cais de cruzeiros possa ser uma realidade na Praia da Vitória”, concluiu.