PS acusa PSD de “só ter conseguido passagens aéreas mais caras” quando esteve no Governo

berto-messias-parlamentoO líder da bancada socialista no Parlamento Regional, Berto Messias, criticou ontem a presidente do PSD/Açores, por prometer baixar as tarifas aéreas para Lisboa, lembrando que, quando Berta Cabral esteve no Governo, “só conseguiu passagens mais caras.”
De acordo com a agência Lusa, o deputado socialista recordou, no plenário da Assembleia Regional, reunida na cidade da Horta, que a líder do PSD/Açores e candidata a presidente do Governo nas eleições de Outubro, foi Directora Regional dos transportes e presidente da transportadora aérea SATA, antes do PS ter chegado ao Governo em 1996.
Na sua intervenção disse que Berta Cabral “só conseguiu passagens aéreas mais caras do que actualmente”, e lembrou que nesse tempo, o ordenado mínimo era de 54 contos (272 euros) e “não dava sequer para uma única passagem para Lisboa.”
O líder parlamentar socialista criticou também a ausência de renovação interna no PSD/Açores, que reelegeu como dirigentes regionais antigas figuras do partido, que ocupam cargos políticos “há mais de 30 anos.”
Apesar das críticas do PS, o líder parlamentar do PSD, Duarte Freitas, também em declaração política, considerou que é possível praticar tarifas mais acessíveis entre a Região e Lisboa, através de financiamentos comunitários.
“Vamos reduzir significativamente os preços das passagens aéreas, com a reafectação de verbas e com a angariação de novos montantes, por via do Posei/Transportes”, prometeu Duarte Freitas.
O deputado social-democrata sublinhou, por outro lado, a “legitimidade” da liderança de Berta Cabral no PSD/Açores, reeleita em congresso no passado fim de semana, em contraponto com a “insegurança” de Vasco Cordeiro, que foi nomeado candidato do PS às eleições regionais, sem ter sido sufragado pelos militantes do partido.
A opção de Vasco Cordeiro de abandonar o Governo para se dedicar à campanha eleitoral, reocupando o cargo de deputado, mereceu também críticas durante o debate parlamentar que se seguiu, em especial do deputado Paulo Estêvão, do PPM, que acusa os socialistas de darem, com esta postura, uma “péssima” imagem do Parlamento.
Os deputados do PS preferiram, no entanto, criticar o futuro da líder do PSD/Açores, que anunciou que só deixará a presidência da Câmara de Ponta Delgada por altura das Festas do Divino Espírito Santo.
Na opinião de Berto Messias, a escolha da data é “lamentável”, porque revela um “aproveitamento” político de uma festa que “é do povo, e não do PSD, nem da sua presidente.”
Artur Lima, do CDS/PP, lamentou também que os social-democratas tenham adoptado, durante o Congresso do PSD, um discurso de “prometer tudo a todos”, que considerou não fazer sentido em tempo de crise e de austeridade.
Zuraida Soares, do Bloco de Esquerda, e Aníbal Pires, do PCP, criticaram, por outro lado, a falta de propositura do PSD e a ausência de soluções para os problemas da região, que consideraram ser impróprias de um partido que pretende voltar a governar na Região.

CDS vai propor agendamento potestativo de uma comissão parlamentar de inquérito às contas da Saúde

 A bancada do CDS/PP na Assembleia Legislativa dos Açores vai solicitar o agendamento potestativo da proposta de criação de uma comissão parlamentar de inquérito às contas da Saúde, revelou ontem fonte partidária.
Segundo a mesma fonte, a proposta deveria dar entrada nos serviços do parlamento ainda durante o dia de ontem e visa ultrapassar o eventual chumbo da maioria socialista à introdução deste tema na agenda de plenário de Abril, que ontem teve início na cidade da Horta.
A proposta centrista, dirigida à Mesa da Assembleia, está ainda a ser consensualizada com os restantes partidos da oposição (PSD, BE, PCP e PPM), e tem como objectivo esclarecer a forma como são gastos os dinheiros dos contribuintes na área da Saúde.
O CDS/PP contesta, nomeadamente os “milhões de euros” gastos até agora na informatização “falhada” do Serviço Regional de Saúde, os atrasos na implementação da medicina nuclear e as contradições sobre o Centro de Radioterapia dos Açores.
O CDS/PP já tinha anunciado, no início de abril, a intenção de propor esta comissão parlamentar de inquérito, mas o secretário regional da Saúde, Miguel Correia, reagiu afirmando estar “tranquilo” e “disponível” para prestar os esclarecimentos necessários.

Governo tem “consciência tranquila”, diz André Bradford

andre-bradford-assembleiaO Secretário Regional da Presidência afirmou ontem que o Governo Regional “tem a consciência absolutamente tranquila, na forma como lida com o poder autárquico, do ponto de vista institucional e político.”
De acordo com nota de imprensa emitida pelo Gabinete de Apoio à Comunicação Social (GaCS), André Bradford, que falava no debate suscitado pela declaração política do líder da bancada parlamentar do PS/Açores, respondeu assim ao líder parlamentar do PSD/Açores  que “disse por mais de uma vez que, se o PSD fosse poder, trataria o poder autárquico com respeito, respeitaria o poder autárquico.”
O governante adiantou ainda que não lhe parece “legítimo, de um partido que é liderado por uma autarca que passou os últimos meses  em todas as ilhas e mais alguma menos na ilha onde foi eleita, uma autarca que viaja como autarca a fazer campanha eleitoral nos Açores inteiros, uma autarca que não desenvolve um projecto visível em Ponta Delgada há meses sem fim, que não fala com os seus eleitores há meses sem fim, vir falar em respeito pelo poder autárquico”, disse.