Aviso amarelo por chuva no Grupo Oriental

chuvaAs ilhas de São Miguel e Santa Maria estão sob alerta de aviso amarelo até às 12 horas de hoje, Sexta-feira, devido à previsão da ocorrência de precipitação.

O aviso foi emitido pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) e está em vigor desde as 18 horas de ontem, Quinta-feira.

O Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros dos Açores recomendou, entretanto, que sejam tomadas medidas de autoprotecção pela população, como manter limpos os sistemas de drenagem, bem como os adjacentes à sua residência, alertando as autoridades competentes, não circular sem necessidade. “Pode atrapalhar a circulação das forças de segurança ou cair em buracos ocultados por lençóis de água”, refere. “Em locais não pavimentados, as águas podem causar erosão dos solos, levando à queda de muros, taludes, postes, entre outros”, alerta ainda, apelando a população para que esteja “atenta às informações e indicações da Protecção Civil e Forças de Segurança”.

Antigo chef da selecção portuguesa de futebol no Botequim Açoriano

Chef Hélio LoureiroA inciativa “Botequim ComVida” volta ao restaurante O Botequim Açoriano, no concelho da Ribeira Grande, com a presença no próximo dia 12 de Janeiro do chef Hélio Loureiro.

O projecto, segundo o proprietário do espaço de restauração, Rúben Pacheco Correia, “pretende abrir a nossa cozinha e a gastronomia e produtos dos Açores em geral a chefs conceituados do nosso país, para que possam trabalhar com o melhor que há nos Açores, numa perspectiva de internacionalizar a nossa gastronomia”.

No âmbito do projecto, já passaram pelo restaurante chefs conhecidos da gastronomia portuguesa, como é o caso de Chakall, Paulo Morais, Cordeiro e Júlio Fernandes. O próximo jantar terá um custo de 45€, com bebidas incluídas, e consistirá num menu de degustação de vários pratos, criados pelo chef convidado, com a ajuda da chef residentes d’O Botequim, chef Dodo. 

Hélio Loureiro é um chefe de cozinha com mais de trinta anos de carreira, que se formou na Escola de Hotelaria e Turismo do Porto. É gastrónomo e investigador da arte da cozi­nha, com uma forte ligação ao mundo dos vinhos, sendo ainda autor de mais de vinte livros de gastronomia, apresentador de programas de televisão, como o “Gostos e Sabores” universo RTP, cronista em diversas publica­ções, e convidado para inte­grar o júri de concursos internacionais e nacionais. 

Depois de três anos como chefe de cozinha do Futebol Clube do Porto, foi convidado para a Selecção Portuguesa de Futebol em 1996 onde se manteve durante duas décadas. Recebeu recentemente o “Gourmand Award”, na categoria melhor livro do mundo, com o livro “Eating à la Porto “ que recebeu em Maio na China medalha de bronze entre milhares de publicações. É também presença semanal no programa da Praça da Alegria, onde apresenta, em colaboração com a Associação Portuguesa de Nutrição, receitas saudáveis sem sal adicionado.

 

Museu do Pico acolhe Montanha Pico Festival

picoO Museu do Pico acolhe, durante o mês de Janeiro, no Museu dos Baleeiros, nas Lajes do Pico, algumas das actividades que integram o programa do Montanha Pico Festival, numa iniciativa da associação MiratecArts.

Assim, durante todo o mês de Janeiro estará patente na Galeria de Exposições Temporárias do Museu dos Baleeiros a mostra “Pinturas”, da autoria do norte-americano de ascendência holandesa, Connor de Jong, actualmente a residir no Faial. Por sua vez, no Auditório do Museu dos Baleeiros serão exibidos, todas as Terças-feiras deste mês, pelas 21h00, com entrada livre, filmes galardoados e de grandes nomes da sétima arte.

A 8 de Janeiro será exibido “A Ordem Divina”, de Petra Biondina Volpe, uma comédia dramática sobre a mudança de mentalidades e a emancipação das mulheres, situada no início da década de 1970, na Suíça, que venceu o prémio de “Melhor Filme” no Tribeca Film Festival 2017.

A 15 de Janeiro será apresentado “Não Deixeis Cair em Tentação”, de Cédric Khan, que conta a história de um toxicodependente que se junta a uma comunidade de ex-toxicodependentes que vive em isolamento e usa a oração como forma de cura, enquanto a 22 de Janeiro será exibido “Eldorado XXI”, de Salomé Lama, que aborda a vivência da comunidade instalada a maior altitude no mundo, La Rinconada y Cerro Lunar, a 5.500 metros, nos Andes peruanos.

Finalmente, a 29 de J  aneiro, terá lugar a exibição de “Gauguin”, de Edouard Deluc, que narra o itinerário artístico do pintor a partir da sua ida para o Taiti, com o intuito de libertar a sua arte da moral, política e estética dos códigos da Europa civilizada.

Festival na ilha Graciosa destaca o potencial da produção de alho

graciosaA Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo – Associação Empresarial das Ilhas Terceira, São Jorge e Graciosa -, com o Núcleo Empresarial da Ilha da Graciosa,  promovem, nos dias 1 e 2 de Fevereiro, o Festival do Alho, a realizar na Ilha Graciosa.

 A iniciativa, desenvolvida em parceira com a Vice-presidência do Governo Regional, através da SDEA, no âmbito das acções de Capacitação das Empresas Regionais, visa “incentivar a produção de alho na ilha Graciosa, contribuir para a promoção da sua utilização e venda, a nível local, regional e nacional, assim como estimular a utilização e consumo de produtos regionais”, revela a organização, em nota de imprensa.

Outro objectivo passa também por “criar várias dinâmicas capazes de envolver directamente as empresas e população da ilha Graciosa”. 

Segundo a organização, o programa do festival irá incluir a realização de conferências, showcooking, workshops, actividades escolares, menus especiais na restauração, visitas guiadas e venda de produtos regionais.

 

Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico vence Prémio Nacional da Paisagem

paisagem cultural vinha do pico

A Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico venceu o Prémio Nacional da Paisagem de 2018, uma iniciativa do Ministério do Ambiente que visa a divulgação de boas práticas territoriais que promovam a qualidade da paisagem e que aumentem a consciência cívica sobre o seu valor cultural.

O prémio rege-se por critérios que atendem a factores como o desenvolvimento sustentável e a coesão territorial, a valorização do território através da paisagem e da sua gestão e a forma como as acções são geradoras de identidade e de qualidade de vida.

Segundo avançou o Executivo regional em nota, a Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico será também a representante de Portugal na 6.ª edição (2018/2019) do Prémio da Paisagem do Conselho da Europa, que visa distinguir a implementação de uma política ou de medidas de protecção, gestão e/ou ordenamento da paisagem que constituam uma boa prática de sensibilização e participação pública.

A candidatura da Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico foi promovida pelo Governo dos Açores, através da Secretaria Regional da Energia, Ambiente e Turismo, e sagrou-se vencedora entre 27 projectos de todo o país, fruto do consenso do júri pela sua qualidade e exemplo de uma correcta implementação da Convenção Europeia da Paisagem, da Política Nacional de Arquitectura e da Paisagem e da Política de Ordenamento do Território.

Para a Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo, a Paisagem da Vinha do Pico “é o palco de um processo absolutamente extraordinário de implementação, com sucesso reconhecido, das políticas de ordenamento do território, de paisagem e de conservação da natureza, pelo que é com enorme satisfação que recebemos este prémio e vemos os Açores, uma vez mais, serem distinguidos a nível nacional pela qualidade dos seus recursos e, simultaneamente, pelas políticas levadas a cabo pelo Governo Regional”.

Marta Guerreiro salientou que, ao longo dos últimos anos, foi desenvolvido um vasto conjunto de medidas e acções pelo Governo dos Açores que fizeram “renascer e consolidar uma paisagem vitícola viva, com características únicas e com uma relevância económica, social e cultural cada vez maior”.A titular da pasta do Ambiente destacou o Museu do Vinho, a sede do Parque Natural e do Gabinete Técnico da Vinha, o Centro de Interpretação da Paisagem da Vinha e a Casa dos Vulcões, que entrará em funcionamento em 2019, como “verdadeiros exemplos do trabalho prosseguido em termos de reabilitação do património edificado, que permitiu reconstruir ruínas e, consequentemente, dar um novo uso ao património público, valorizando o passado histórico da vinha do Pico”.

Recorde-se que o Prémio Nacional de Paisagem de 2012 foi atribuído ao Laboratório de Paisagem das Furnas, que foi o primeiro projecto nacional candidato ao Prémio da Paisagem do Conselho da Europa.