Reabilitada Casa da Moagem na Lomba da Maia

Casa da Moagem - inauguração obrasForam inauguradas as obras de recuperação da Casa da Moagem, na freguesia da Lomba da Maia. Uma acção que, segundo o presidente da câmara da Ribeira Grande, constitui “mais um passo dado pela Câmara da Ribeira Grande na reabilitação, preservação e conservação do património existente no concelho”.

Alexandre Gaudêncio presidiu à cerimónia de inauguração das obras de recuperação da Casa da Moagem e explicou o intuito da empreitada levada a efeito no local. “Este é um edifício que diz muito aos ribeiragrandenses, em especial à população da Lomba da Maia, pelo que não podíamos deixar de intervir na sua preservação.”

Alexandre Gaudêncio revelou que a “intervenção levada a efeito na Casa da Moagem segue a linha de promoção turística da Ribeira Grande através da recuperação e manutenção do edificado, ficando o espaço ao serviço da comunidade em geral.”

A Casa da Moagem será “mais um ponto de atracção turística na Lomba da Maia mas também servirá a população local, principalmente os mais jovens, pois é neste local que irá começar a funcionar a escola de música, uma valência que a freguesia já necessitava e que vai movimentar dezenas de jovens”, acrescentou Alexandre Gaudêncio.

Construída no início da década de cinquenta do século XX para moer cereais, a Casa da Moagem “já não serve o propósito para que foi construída, mas a Câmara da Ribeira Grande entendeu não deixar cair este património”, referiu o edil na cerimónia de apresentação, acompanhado pelos vereadores Filipe Jorge e Cátia Sousa e pelo presidente da junta de freguesia da Lomba da Maia, Alberto Ponte.

Detido empresário suspeito de tráfico de droga em Ponta Delgada e Ribeira Grande

Apreensão PSP - PDLA Polícia de Segurança Pública (PSP), através da Esquadra de Investigação Criminal de Ponta Delgada, deteve em flagrante delito um homem de 51 anos, empresário, suspeito de tráfico de droga.

A detenção ocorreu na passada Quarta-feira, 11 de Abril, no âmbito de uma operação policial levada a cabo em vários locais da ilha de São Miguel, na sequência de uma investigação que decorre “há cerca de oito meses”, avançou ontem a PSP. “O agora detido é suspeito de desenvolver a sua actividade ilícita de tráfico de estupefacientes através da venda directa a diversos consumidores do concelho da Ribeira Grande, área onde reside e do concelho de Ponta Delgada, área onde foi interceptado no âmbito da referida operação”, refere a força de segurança, em comunicado.

Além da detenção, foram ainda apreendidas cerca de 1000 doses de heroína e recolhidos “outros indícios relacionados com o crime de tráfico de estupefacientes”. Após primeiro interrogatório judicial, ao empresário de 51 anos foi aplicada a medida de coacção de prisão preventiva.

Segundo adiantou também a PSP, na Quinta-feira, dia 12, foi detido um jovem de 16 anos de idade, através da Esquadra de Trânsito, por furto de um veículo e condução do mesmo sem habilitação legal para o efeito, tendo sido  ainda interveniente num acidente de viação”. Foram também detidos dois indivíduos em São Miguel por condução sem habilitação legal, outro por cumplicidade, e um condutor alcoolizado, com 1,80 g/l de álcool no sangue. Quanto à sinistralidade rodoviária, na Quinta-feira a PSP registou a ocorrência de 5 acidentes de viação, dos quais resultaram um ferido ligeiro e danos materiais.

 

Açoriana conquista primeiro lugar no Campeonato Nacional 2018 WABBA Portugal

mariana saraivaA atleta micaelense Mariana Saraiva, natural de Vila Franca do Campo, sagrou-se campeã nacional na categoria Miss Bikini Tall, no Campeonato Nacional 2018 WABBA Portugal.

A competição, organizada pela World Amateur Body Building Association (WABBA), aconteceu no passado sábado, 7 de Abril, no Casino Estoril, e juntou dezenas de atletas de renome na área do bodybuilding em Portugal.

Mariana Saraiva ganhou também a terceira posição na categoria “Overall beauty” do mesmo campeonato nacional. 

A jovem atleta é treinada por José Ávila, da Team Marshall, equipa que é igualmente responsável pela preparação do jovem Rafael Cabral, de 17 anos, que alcançou o sexto lugar na categoria Men Model Short/Medium no mesmo campeonato.

Ao Diário dos Açores, o treinador destacou que a vitória alcançada deve-se sobretudo à dedicação diária e força de vontade de Mariana Saraiva, garantindo que o próximo passo é a presença da atleta no “Madeira Supremo - Fitness & Performance Open”, a 30 de Junho deste ano. 

Na sua página da rede social Facebook, Mariana Saraiva publicou um texto de agradecimento, onde diz ter sentido um “turbilhão de emoções” ao ganhar o prémio. “Não tenho palavras para descrever o quanto é emocionante sentir a adrenalina de subir em cima daquele palco”, descreveu.

A campeã nacional agradeceu o apoio da família e amigos, a par da colaboração da Team Marshall, da qual faz parte também  Alexandre David, num percurso que considerou ter sido “difícil mas muito gostoso”.

Recorde-se que a jovem micaelense já participou e ganhou anteriormente outras competições, como foi o caso do primeiro lugar alcançado na categoria Bikini Fitness, no Open Internacional de Culturismo dos Açores, que ocorreu em Ponta Delgada.

 

(Foto: Direitos Reservados)

Açores registam mais 200 novas empresas dedicadas ao artesanato

ricardo medeiros artesanatoO número de empresas de artesanato registou um crescimento de cerca de 56 por cento nos Açores desde 2012, estando actualmente inscritas 559 unidades produtivas no Centro Regional de Apoio ao Artesanato (CRAA).

“Há hoje mais 200 novas empresas” no sector, revelou o Director Regional do Apoio ao Investimento e Competitividade Empresarial, na cerimónia de inauguração da Azores Craftlab – Incubadora de Empresas de Artesanato dos Açores.

Ricardo Medeiros salientou que esta incubadora, instalada num edifício totalmente reabilitado no centro histórico de Ponta Delgada, “vai apoiar projectos e ideias de negócio, reforçando a capacidade empresarial para a criação de novos produtos baseados nos recursos naturais e associando a inovação à tradição”.

O Director Regional frisou que se trata de uma incubadora que tem características únicas no país, por um lado, porque, tendo em conta as especificidades do território açoriano, “a Azores Craftlab oferece um modelo de incubação física, mas também virtual [para unidades produtivas de outras ilhas], até ao período máximo de três anos” e, por outro, porque “não só oferece um espaço de escritório aos empreendedores, como também áreas de cowork e fablab”.

Num espaço totalmente equipado, é disponibilizada prestação de consultoria, formação, apoio no acesso a soluções de financiamento e à comercialização de produtos e serviços, contando ainda com uma zona expositiva e promocional, com artesanato certificado de todas as ilhas, aberto ontem ao público.

O Director Regional salientou a importância da dinamização que tem sido promovida pelo Governo dos Açores neste sector em todas as ilhas, designadamente com acções de formação, projectos de inovação e campanhas de promoção, quer na Região quer no exterior, através do Centro Regional de Apoio ao Artesanato.

Além destas medidas, Ricardo Medeiros destacou o papel do Sistema de Incentivos ao Desenvolvimento do Artesanato - SIDART, a que, só este ano 141 empresas candidataram 220 projectos.

No total, estes projectos representam um investimento de mais de meio milhão de euros.

“Verifica-se, assim, que, nos últimos três anos, houve não só um aumento considerável de candidaturas, como também os artesãos têm apostado na melhoria das unidades produtivas e na qualificação e inovação do seu produto”, frisou.

A Azores CraftLab integra a Rede de Incubadoras dos Açores, uma iniciativa do Governo Regional que visa promover o desenvolvimento económico dos Açores, contribuindo para a sua coesão económica, social e territorial.  

Actualmente, já se encontram a funcionar quatro incubadoras no âmbito da Rede, que prevê 12 incubadoras de base local, três de base tecnológica e três de base temática, nesta legislatura.

“Relativamente ao número total de empresas incubadas, estamos hoje a falar de 76 empresas, o que julgo ser bastante expressivo e encorajador e um bom prenúncio do que poderemos ter, à medida que a rede for crescendo e consolidando a sua missão”, afirmou Ricardo Medeiros. 

Seis novas confirmações para o Monte Verde Festival

Monte Verde Festival - públicoOs artistas Piruka, Slow J, ProfJam, Blaya, Primal Attack e Supa Squad são os novos nomes confirmados para o cartaz da sétima edição do Monte Verde Festival, que acontece a 9, 10 e 11 de Agosto na Ribeira Grande.

Os seis novos nomes juntam-se aos já anunciados Opal Ocean, Wet Bed Gang, NBC, Isaura e Beatbombers. Segundo a organização, fica ainda a faltar “o anúncio de muitos mais artistas, incluindo os cabeças de cartaz para esta que promete ser mais uma edição em grande do Monte Verde Festival”.

Piruka é sinal de milhões de visualizações e é provavelmente o rapper mais em voga no panorama do hip-hop nacional no momento. Temas como “Se eu não acordar amanhã” e “Ca Bu Fla Ma Nau” foram recorrentemente ouvidos nas rádios nacionais e ajudaram o rapper da Madorna a ter uma ascensão meteórica na música portuguesa. 

Slow J é outra das confirmações, marcando assim o seu regresso ao Monte Verde Festival depois de na última edição ter sido o ponto alto da Welcome Party. Em 2017 lançou “The Art of Slowing Down”, o seu álbum de estreia que funde o hip-hop, rock, semba, fado, o R&B e até uma balada pop acústica e que se tornou rapidamente num caso sério da música portuguesa. Do álbum fazem parte temas como “Casa” e “Vida Boa”, temas estas que foram uma autêntica lufada de ar fresco na música nacional.

Na sétima edição do Monte Verde Festival o hip-hop nacional vai estar bem representado e a juntar aos dois nomes já referidos temos ProfJam numa estreia absoluta em São Miguel. O seu rap não tem caracterização e é o próprio que o afirma: “cuspo imaginação, ideias e ideais, não acredito em rótulos, gosto mais de livros de instruções”. 

Blaya é outra das confirmações. Depois do sucesso alcançado com os Buraka Som Sistema, a artista lança-se agora a solo e para 2018 está previsto o lançamento do seu novo álbum. 

As sonoridades do rock também têm o seu lugar no palco do MVF com os Primal Attack. A banda lisboeta formada em 2012 conta já com dois álbuns, tendo o seu último álbum sido lançado em 2017. “Heartless Oppressor” é o seu mais recente disco.

Para completar o leque de confirmações juntam-se também os Supa Squad com a sua fusão entre new roots, reggae, dancehall e moombathton. Esta dupla de cantores e produtores tem vindo a alcançar cada vez mais sucesso a nível nacional e temas como “The One” ou “That Body” foram ouvidos por todo o país, tocando por todas as rádios nacionais. O seu estilo é único em Portugal e em agosto vão estar presentes na sétima edição do Monte Verde Festival.

Os bilhetes para festival já se encontram à venda, custando numa primeira fase de vendas 23 euros, mais 5 euros com campismo incluído.