Homem de 61 anos detido com mais de 200 doses de droga

algemas1Um homem de 61 anos foi detido esta Quinta-feira, 27 de Dezembro, pela PSP da esquadra de Investigação Criminal da divisão de Ponta Delgada, por suspeitas de tráfico de estupefacientes.

Segundo adianta o relatório de actividade da PSP, o homem foi detido em “flagrante delito”, no cumprimento de um mandado de busca, em que foram apreendidas “82 doses de Cannabis Sativa L (liamba), 120 doses de haxixe, 1.01 gramas de anfetaminas que dariam para 18 doses individuais e um artigo  relacionado com a actividade do tráfico de estupefacientes”.

De acordo com o mesmo relatório, ainda em Ponta Delgada, foi também detido um homem, de 38 anos, desta feita por condução sem habilitação legal para o efeito, envolvido num acidente de viação.

No mesmo dia, na Horta, ilha do Faial, a PSP da esquadra de Intervenção e Fiscalização Policial instaurou um processo-crime contra um homem de 39 anos, na sequência de um acidente de viação - “colisão com fuga”,   por “suspeita da omissão de auxílio ao condutor de um ciclomotor”.

Quanto à sinistralidade rodoviária, a PSP registou, na quinta-feira, a ocorrência de quatro acidentes de viação no arquipélago, dos quais resultaram apenas danos materiais. 

 

Homem suspeito de tráfico de droga detido pela PJ na posse de pólen de haxixe

PJUm homem de 45 anos foi detido, no concelho de Ponta Delgada, pela “presumível autoria de um crime de tráfico de estupefacientes”, avançou ontem a Polícia Judiciária (PJ), em comunicado.

A detenção, efectuada através do Departamento de Investigação Criminal de Ponta Delgada, com a colaboração da Guarda Nacional Republicana (GNR), ocorreu “na sequência da realização de uma operação policial, da qual resultou a apreensão de pólen de haxixe suficiente para mais de quinhentas e setenta e cinco doses individuais”. 

O detido, já com antecedentes criminais pela mesma tipologia de crime, foi presente às competentes autoridades judiciárias, tendo-lhe sido aplicada a medida coactiva de prisão preventiva, informa ainda a PJ.

 

Entretanto, a Polícia de Segurança Pública (PSP) deu conta da detenção, na quarta-feira, de um homem de 39 anos,  na sequência de uma denúncia de furto numa residência no concelho da Lagoa.

Já em Angra do Heroísmo, a PSP levou a cabo uma operação, com recurso a radar, em que foram controlados 1089 veículos, sendo detectada duas infracções graves, uso de telemóvel durante a condução e por não cumprimento de indicação dada pelo sinal de proibição de ultrapassar. No mesmo dia, a PSP registou a ocorrência de 15 acidentes de viação na região, dos quais resultaram dois feridos graves, seis ligeiros e danos materiais.

 

Ponta Delgada recebe em Março XXIV Congresso Internacional de Antropologia

camara PDLA abertura oficial do XXIV Congresso Internacional de Antropologia de Ibero-América vai realizar-se a 12 de Março de 2019 no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Ponta Delgada. O congresso vai reunir 70 palestras de investigadores de 11 países. As sessões plenárias decorrerão no auditório da Biblioteca Pública e Arquivo Regional de Ponta Delgada de 13 a 15 de Março. Trata-se de uma realização conjunta da Universidade de Salamanca (Espanha), Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina (Brasil) e Câmara Municipal de Ponta Delgada.

Estão confirmadas conferências e palestras de professores e investigadores de Portugal, Brasil, Espanha, Cabo Verde, México, Costa Rica, Paraguai, Peru, Chile, Colômbia e China.

A anteceder a abertura oficial do congresso, será realizada uma visita etnográfica ao Vale das Furnas e à Fábrica de Chá Gorreana. 

Durante o evento serão lançados livros, como o Dicionário de Antropologia, editado por Angel Aguirre Baztán, e Diálogo intercultural, religiosidades populares, música e migrações, por Luiz Nilton Corrêa, Angel-B. Espina Barrio e Jaime Roberto Montes Miranda (este reúne as comunicações do XXIII Congresso realizado em 2017, em La Serena, Chile).

A conferência de abertura estará a cargo de Alexandre Fernandes, do Museu do Amanhã, do Rio de Janeiro, Brasil, e a de encerramento de Ángel Espina Barrio, da Universidade de Salamanca, Espanha.

Entre as comunicações já confirmadas estão “Um património desconhecido: os testamentos da ilha de São Jorge (1518-1644)”, por Artur Teodoro de Matos; “A educação em antropologia: perspectivas contemporâneas”, por Luiz Henrique Sormani Barbugiani; “Imersão sensorial no museu”, por Ana Laura N. Gortari do Couto; “Museu Corporativo: Identidade e Cultura das Organização”, por Luiz Nilton Corrêa; “Patrimónios Incógnitos”, por Antonieta Costa; “Esculturas Cantantes: Etnografia do Presente Pós-visual”, por Iván Rendón.

Dois autores específicos – um brasileiro, Gilberto Freyre e outro português, Raul Brandão – serão os temas, respectivamente, das palestras de Pablo González Velasco “A hispanotropicologia de Gilberto Freyre. 50 anos da visita à Universidade de Salamanca” e de Manuel Urbano Bettencourt: “Raul Brandão e as Ilhas Desconhecidas”. 

A situação crítica de museus, como o Nacional, do Brasil, no Rio de Janeiro, destruído por um incêndio, estará a cargo de Edgar Silva Gomes – “Da casa ao museu: ensaio sobre o (des)caso com o Museu Nacional da UFRJ” – e de Giane Maria de Souza – “As estratégias políticas de celebração da vida e lamentações de morte do Museu Nacional do Rio de Janeiro: e o sepultamento das políticas culturais participativas no Brasil”. 

Experiências concretas em diversos países serão abordadas por especialistas como Fernando González y Galán, em “Os museus do século XXI no Paraguai”; Jefferson Castro Benítez, da Colômbia, em “Museus do horror e a morte em Medellín (Colômbia); José Manuel Hidalgo, em “Musealização do património arqueológico e turismo cultural em Vigo (Galicia, Espanha)”; Carlos Montes Pérez, em “O património industrial e o turismo nas antigas comarcas mineiras”; Bojing Wu, em “Aspectos culturais da comunidade chinesa no Peru: a festa do ano novo chinês sob uma perspectiva comparativa”.

Deste congresso internacional fará ainda parte um conjunto de palestras sobre Portugal e o Brasil.

Vilafranquense sagrou-se campeão nacional de vídeo subaquático

premio videoGuy Pinto da Costa sagrou-se campeão nacional de vídeo subaquático do ano 2018, numa competição organizada pela Federação Portuguesa de Actividades Subaquáticas (FPAS).

O tema este ano foi livre e foi na modalidade não presencial sendo obrigatório que as imagens tivessem sido captadas em 2018 e em Portugal.

Os troféus foram entregues no passado  dia 16 de Dezembro, em Sesimbra, sendo que os dois primeiros lugares foram atribuídos a vídeos com imagens captadas no decorrer deste ano no mar dos Açores.

O vídeo intitulado “Mergulho na Noite” obteve o 1º lugar e “Dança no Azul” ficou em 2º lugar. O primeiro vídeo retrata as espécies marinhas que vivem durante a noite, um mundo totalmente desconhecido que é revelado pelas imagens captadas. O segundo “Dança no Azul” tem como protagonista uma graciosa jamanta que parece bailar entre os mergulhadores no intenso azul característico do mar açoriano. 

O ano de 2018 foi profícuo em prémios para este vídeografo de  Vila Franca do Campo que alcançou também, pelo segundo ano consecutivo, o 1º lugar no concurso de vídeo promovido pelo  Governo Regional dos Açores  integrado no programa “Açores Entre-Mares”,  com um vídeo intitulado  “Mero, o Senhor dos Açores”  e também no concurso “Silently  7” que decorreu na Croácia, onde obteve  o prémio “Melhor Realização” com o vídeo intitulado “In Love”.

Os vídeos do Mar dos Açores, da autoria de Guy Pinto da Costa podem ser vistos através dos seguintes links: http://www.youtube.com/user/guydacosta1 e  http://www.vimeo.com/user855523.

Bispo lembra que o presépio devolve a “esperança” como alternativa a uma “sociedade do medo”

Bispo de Angra - igreja açroesO Bispo de Angra presidiu à missa da Solenidade do Natal do Senhor na Igreja Matriz de Ponta Delgada e apelou a todos aqueles que perderam a esperança neste mundo a olhar o presépio e a recuperarem a dignidade “tantas vezes forçada”.

“Quero dirigir-me a vós, pobres e excluídos, marginalizados e simples do nosso tempo e da nossa diocese, convidando-vos à esperança que nos vem da celebração comprometida do Natal de Jesus de Nazaré. Vinde connosco à comunidade cristã na qual encontrareis a Jesus Encarnado na assembleia reunida, na Palavra proclamada, nos gestos libertadores dos sacramentos, na partilha fraterna e de vida”, disse D. João Lavrador na Missa da Vigília da Solenidade do Natal do Senhor. 

“Exorto-vos a vós que perdestes a esperança neste mundo a que junto do presépio reconheçais o valor da vossa dignidade e quanta força e coragem, sabedoria e entusiasmo vos traz a comunhão de vida com Jesus Cristo que se manifesta também nos gestos de partilha da comunidade cristã”, acrescentou diante de centenas de fiéis.

O prelado insular referiu-se à sociedade actual como uma sociedade que instala o medo e lembrou que o acontecimento que se celebra na noite de Natal - o nascimento do Salvador - é a grande fonte de esperança.

O prelado, que presidiu pela primeira vez às celebrações de Natal em Ponta Delgada, destacou que a notícia e o acontecimento do nascimento de Jesus de Nazaré “ultrapassa o tempo e perpetua-se num continuo ‘hoje’ da história dos homens”, trazendo esperança a uma humanidade dominada pelo medo.

D. João Lavrador lembrou, de resto, que “estamos numa sociedade e numa cultura do medo” que se manifesta em várias vertentes. E exemplificou: “medo de Deus; medo de si próprio e de se encontrar com a voz da sua consciência; medo das outras pessoas que em vez de irmãos são encaradas como inimigos; medo da vida e do futuro; medo do compromisso e da decisão definitiva; medo de percorrer novos caminhos e de conversão; medo à novidade que o Evangelho nos traz e, por isso, revolve-se um passado de imoralidade com ingredientes de sedução”.

O prelado açoriano lembrou que o medo “paralisa a inteligência e ofusca a verdade sobre o ser de cada pessoa” e, tal como os pastores foram  exortados a não terem medo, também a humanidade hoje é convidada a aproximar-se a Deus através do “despojamento na inteligência, na vontade, nos interesses e nos afectos”.

“Só em Jesus Cristo o homem se descobre verdadeiramente no seu ser e na sua vocação”, afirmou ainda sugerindo que nos deixemos “encantar pela beleza e harmonia do presépio e conformemos a nossa vida com a simplicidade que dele dimana”

O prelado terminou a homilia com uma prece dirigida a Nossa Senhora para derramar as “suas bênçãos sobre as famílias, crianças, jovens, idosos, pobres e emigrados, presos ou doentes hospitalizados para que à luz do nascimento do Seu Filho sintam a consolação e a alegria”, apresentando a todos os diocesanos, “a viver na nossa região ou na diáspora, tendo muito presente os que mais sofrem neste natal, os meus votos de santo e feliz Natal”.