Fim-de-semana de Natal marcado por detenções por violência doméstica e condução com álcool

PSP3A Polícia de Segurança Pública (PSP) da Esquadra de Ponta Delgada deu conta da detenção, no passado dia 23 de Dezembro, de um homem de 51 anos por violência doméstica. A vítima foi uma mulher, de 47 anos de idade.

Pelo mesmo crime, foi detido, também em Ponta Delgada, mas no dia 21, um homem de 36 anos. Segundo avançou a PSP no relatório de actividade policial, a vítima de violência doméstica foi a mulher do detido, de 45 anos, tendo o mesmo homem “ameaçado e coagido” os agentes da polícia “no acto da detenção no interior da sua residência”.

Já na Lagoa foi detido um homem de 24 de anos por ter agredido com recurso a arma branca outro homem, de 48 anos.

Entretanto, a PSP da Esquadra de Intervenção e Fiscalização Policial deteve um homem, de 25 anos, “pelo crime de injúrias, ameaças e agressões a Agente de Autoridade”, adianta a mesma fonte policial.

 

66 acidentes de viação nos Açores

 

Segundo adianta ainda a PSP no mesmo relatório, entre os dias 20 e 25 de Dezembro, foi registada a ocorrência de 66 acidentes de viação no arquipélago dos Açores, dos quais resultaram dois feridos graves, 10 ligeiros e danos materiais.

A mesma fonte refere também a detenção, no mesmo período, de cinco condutores alcoolizados na ilha de São Miguel, um dos quais do sexo feminino. 

Os condutores detidos tinham entre 26 e 54 anos de idade e apresentavam taxas de álcool no sangue a variar entre os 1.72 e os 2.16 g/l. Dois destes detidos foram intervenientes em acidentes de viação, apontou a PSP.

Protecção Civil dos Açores reforça em 2019 formação de bombeiros

Bombeiros CORO Secretário Regional da Saúde apresentou, em Angra do Heroísmo, as novidades do Plano de Formação do Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros dos Açores, destinado à formação de bombeiros e outros agentes da Protecção Civil.

“Para o próximo ano decidimos reforçar a formação, numa aposta que nos permite manter os níveis de qualificação e acrescentar outras competências aos corpos de bombeiros, nomeadamente com a introdução de uma nova formação a equipas de busca e resgate em estruturas colapsadas”, salientou Rui Luís.

O Secretário Regional, que falava à margem do balanço do Programa de Formação de Bombeiros de 2018 e da apresentação do Plano de Formação de Bombeiros para 2019, frisou que a formação dos bombeiros, da sociedade civil e de agentes da Protecção Civil é um eixo primordial para a segurança efectiva das populações.

Para a implementação do curso de busca e resgate em estruturas colapsadas foram já preparados quatro elementos da Protecção Civil, que adquiriram formação na Universidade do Texas, nos EUA.

O objectivo final será a criação de nove equipas especializadas, uma por cada ilha do arquipélago, e duas brigadas de intervenção em busca e resgate, em São Miguel e na Terceira.

Para o Secretário Regional, este exemplo de formação especializada e orientada para as corporações demonstra bem um dos “requisitos essenciais” para os bombeiros açorianos levarem a cabo a sua missão. 

“A herança histórica diz-nos que, em ilhas susceptíveis à ocorrência de catástrofes, tanto maior será a redução de danos quanto maior for a preparação dos bombeiros e das populações e, por isso, nunca é demais o investimento neste sector”, salientou.

O titular da pasta da Protecção Civil reiterou que o Plano de Investimentos para 2019 prevê a aquisição de equipamentos para os bombeiros actuarem em estruturas colapsadas, nomeadamente em situações de sismo.

No balanço da formação ministrada a bombeiros em 2018, o Presidente do Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros dos Açores revelou que foram realizadas 114 acções, abrangendo mais de 1.100 formandos.

Foram ministradas acções para tripulante de ambulância de socorro e de transporte, salvamento e desencarceramento, e combate a incêndios.

Carlos Neves adiantou que, no próximo ano, haverá um aumento do número de cursos destinados às corporações, prevendo-se um total de 125 acções de formação.

O SRPCBA levou também a cabo, no último ano, mais de uma centena de outras formações e acções de sensibilização, no âmbito da formação a profissionais de saúde, dos clubes de protecção civil, dos cursos de suporte básico de vida e da formação a agentes da protecção civil local. “A Protecção Civil não deve ser encarada como um reduto exclusivo da governação, ela deve ser encarada como um ato de cidadania e de responsabilidade partilhada”, sublinhou o Secretário  Regional.

Jovem socialista da ilha de São Jorge acusado de devassa da vida privada

André EnesAndré Enes, líder honorário da JS de  São Jorge, membro do secretariado de Ilha do PS São Jorge, deputado municipal da Calheta e Coordenador de Serviços de ilha nomeado pelo Vice-Presidente Sérgio Ávila, está acusado de alegada “devassa da vida privada” naquela ilha, revelou ontem a Antena 1 Açores.

O jovem terá, alegadamente, filmado três mulheres, uma delas agente da PSP, no balneário do ginásio que frequentam.

Ontem foi levado a julgamento pelas três vítimas, sendo a sentença conhecida hoje.

De acordo com a rádio pública, em Tribunal foi apresentada prova documental sobre o ‘modus operandi’: uma câmara “go pro” com que André Enes terá filmado as vítimas e que foi apreendida pela agente policial, seguindo-se depois buscas na residência do arguido. 

Esta prova deverá ser suficiente para a condenação, diz Celso Pacheco, advogado de uma das queixosas.

Em declarações à Antena 1 Açores, este advogado do continente, já que outros da ilha se recusaram a representar as vítimas - segundo a rádio -, defendeu em sede de julgamento que André Enes teve uma conduta ilícita, uma prática de factos reiterada e de forma premeditada e, por isso, assume, a sentença só pode ser a condenação. 

O arguido, defendido por um advogado oficioso, não compareceu em Tribunal.

Celso Pacheco diz que é uma atitude condenável e revela uma clara falta de respeito e de valores, contando que isso tenha peso na sentença.

Ainda de acordo com a Antena 1 Açores, também para a sentença deverá pesar o testemunho do proprietário do ginásio, que terá deixado claro que André Enes tinha livre acesso ao ginásio, mas não aos balneários, fruto da sua actividade de fiscalização ao serviço do governo.

O crime de devassa da vida privada tem uma moldura penal de 240 dias de multa.

Furnas e Ribeira Grande voltam a mostrar tradicionais presépios

Presépio das Furnas

O coração da cratera do vulcão das Furnas volta a receber mais uma edição do Presépio das Caldeiras que terá as luzes acesas até ao próximo dia 6 de Janeiro.

“É porventura um presépio único no mundo”, refere o pároco Ricardo Pimentel, ouvidor da Povoação, que destaca o empenho colocado pelas autoridades para manter viva esta tradição.

“Num momento em que na Europa tudo o que é presépio ou manifestação de fé é escondido é de louvar que a junta e a Câmara mantenham esta tradição”, refere numa entrevista ao Igreja Açores.

O Presépio da Caldeira das Furnas é composto por cinco mil figuras, dispostas ao longo de toda a caldeira, e acompanham a natureza exuberante destas paragens, convivendo com as fumarolas bem como com o verde luxuriante do lugar. À noite, com as luzes ganha um novo encanto e é a melhor altura para uma visita, garante o padre Ricardo Pimentel.

Este ano, o mais célebre presépio de Natal da ilha de São Miguel conta com mais de mil lâmpadas, dois mil metros de mangueira e cerca de 5000 figuras.

De 24 até 26 de Dezembro e de 30 de Dezembro até ao dia 2 de Janeiro o presépio ficará iluminado continuamente. Nos restantes dias, a iluminação estará disponível das 18h00 à 01h00.

Durante a época natalícia, também o Observatório Microbiano dos Açores, sediado no antigo Chalé de Misturas, terá um horário de abertura mais alargado, podendo também ser visitado à noite.

O presépio das Furnas começou em 1976, ao que tudo indica, com um Grupo de Jovens das Furnas (J.D.F.), que na altura também tinha dotes para ensinar pintura, música, entre outras particulares. Depois de estar cerca de dois anos estagnado, recomeçou com muita força e vontade popular até aos dias de hoje, sempre enriquecido, de ano para ano.

Durante muito tempo a ornamentação do Presépio das Caldeiras foi uma responsabilidade da Junta de Freguesia local, levada a cabo com o apoio da edilidade povoacense. Nos últimos anos este encargo tem sido totalmente suportado pela Câmara Municipal da Povoação.

 

Presépio do prior Evaristo

abre dia 25 ao público

 

Cumprindo a tradição que se repete ano após ano, o presépio do prior Evaristo Gouveia, instalado no Museu Municipal da Ribeira Grande, pode ser visitado na quadra natalícia, em especial no dia 25 de Dezembro, dia em que muitas famílias do concelho da Ribeira Grande e da ilha de São Miguel aproveitam para ir ver o presépio movimentado.

O presépio apresenta-se renovado e será possível aos visitantes, à semelhança do que tem acontecido em anos anteriores, verem a parte de baixo do mesmo onde funciona toda a mecânica que coloca as peças em movimento.

Para além disso, os visitantes poderão aproveitar a visita ao Museu Municipal da Ribeira Grande para conhecer as restantes salas dedicadas aos ofícios de antigamente, nomeadamente o salão de barbeiro, sapataria, carpintaria ou tecelagem.

O presépio do prior Evaristo Gouveia pode ser visitado nos dias úteis entre as 9h00 e as 17h00 e nos dias 25, 26 e 30 de Dezembro, 1, 6 e 7 de Janeiro das 15h00 às 20h00. As crianças até aos 12 anos têm entrada gratuita. A visita será complementada com provas de licores e biscoitos caseiros, presença obrigatória nesta quadra.

Este presépio é uma criação de arte popular que terá tido o seu embrião com a chegada do prior à Ribeira Grande. Desde 2008 que é um bem de interesse municipal.

O presépio foi criado com o objectivo de ajudar a igreja e ocupar os tempos livres dos jovens que se reuniam na Associação da Juventude.

Nos anos vinte é introduzida a “movimentação” do presépio a manivela, junto de um pequeno núcleo bíblico e a qual teve logo uma grande aceitação pelo público. Por volta de 1979, a manivela foi substituída por motor eléctrico.

Aquando do aparecimento do presépio movimentado, as principais figuras que se moviam, eram o burro, a vaca, a Nossa Senhora e São José, as tradicionais Cavalhadas de São Pedro, as procissões à volta do adro e os romeiros. O Prior tinha então já a preocupação de reconstruir alguns aspectos religiosos e profanos que marcavam a Ribeira Grande.

O presépio do Senhor Prior é uma referência identitária da Ribeira Grande do século XX. Como objecto museológico e de grande interesse cultural pode-se através dele rememorar e explicar a sociedade que o criou.

Constituído por inúmeras peças, muitas delas executadas em barro e madeira pelo reconhecido artesão lagoense Luís Gouveia, sobrinho do prior Evaristo Gouveia, o presépio reproduz cenas da vida quotidiana dos ribeiragrandenses, nos seus aspectos religiosos e profanos e nas suas tradições seculares. Inclui também edifícios públicos, com miniaturas da Câmara Municipal e do jardim central da cidade.

‘Momondo’ promove natal açoriano

Iluminação Natal Pdlg

O Natal está a chegar à mesa dos portugueses e a ‘Momondo’, motor de busca de viagens, hotéis e aluguer de carros, a nível internacional, promete proporcionar uma verdadeira rota gastronómica pelo que de melhor se faz na cozinha portuguesa, incluindo os Açores.

“Entre bacalhau, cabrito ou filhoses, dependendo da região que visitar, são muitas as iguarias que vão fazê-lo esquecer a dieta e aproveitar ao máximo a quadra natalícia”, lê-se na promoção deste motor de busca mundial.

Entre seis regiões portuguesas escolhidas, estão os Açores, descritos assim: “Animações de rua, cânticos, actuações infantis e concertos são algumas das actividades de Natal a que terá a oportunidade de assistir na Praça do Município, na Rua dos Mercadores e noutros locais em Ponta Delgada. Na manhã da consoada, visite o Mercado da Graça e inspire-se para a confecção das iguarias que fazem parte da ceia de Natal açoriana, como a galinha no forno, a carne assada, o polvo à moda do Faial, o bolo de noz e o arroz doce. Para acompanhar, não pode deixar de provar os inúmeros licores artesanais de vinho, leite e frutas da região que os locais preparam nas suas próprias casas para contentamento de todos”.