Diocese de Angra anuncia movimento de padres nos Açores para o próximo ano pastoral

Bispo de Angra - igreja açroesO regresso de três sacerdotes à diocese, duas saídas - uma por limite de idade e outra por licença para exercer o ministério noutra diocese - e a mudança no Santuário Diocesano de Nossa Senhora dos Milagres, na Serreta, marcam as nomeações do bispo de Angra para o próximo ano pastoral que se inicia no primeiro domingo de Outubro.

Tal como acontece em cada ano pastoral, o movimento de padres na diocese é significativo e é marcado por 12 novas colocações, cinco delas representando mesmo mudança de ilha ou de ouvidoria, avançou ontem o portal diocesano Igreja Açores.

É o caso do pároco e reitor do Santuário de Nossa Senhora dos Milagres, na Serreta, ilha Terceira, Cónego Manuel Carlos Alves que passa agora a ocupar o lugar de pároco de Santa Cruz da Praia da Vitória, sendo substituído no santuário e paróquia da Serreta pelo Pe. João Pires.

O novo pároco da Matriz da Praia, que passa a integrar a ouvidoria da Praia, deixando a de Angra, acumulará a paróquia de Santa Cruz com o lugar de Reitor da igreja da Misericórdia da Praia da Vitória e será Capelão do Lar D. Pedro V, também na cidade terceirense. Já o Pe. João Pires acumulará o reitorado do Santuário de Nossa Senhora dos Milagres e a paróquia da Serreta com a paróquia das Doze Ribeiras.

Entre os regressados à diocese depois de terem prestado serviço noutros locais nos últimos anos estão os padres José Paulo Machado, Luís Dutra e Jason Gouveia.

O Pe. José Paulo Machado, que acabou há menos de um mês o doutoramento em Ciências da Comunicação, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Católica, encontrava-se em Lisboa, no Patriarcado desde 2010, regressa agora a São Miguel, de onde é natural, para servir na comunidade paroquial da Fajã de Baixo, em Ponta Delgada. O Pe. Jason Gouveia, que há três anos se encontrava a servir junto da comunidade Obra de Maria no Brasil, foi nomeado pároco da Ajuda, Pilar e Remédios da Bretanha, substituindo o Pe. Miguel Tavares que foi nomeado pároco in solidum na ouvidoria de Santa Maria, juntamente com o Pe. Rui Silva, que se manterá como moderador.

De Santa Maria sairá o Pe. Vitor Arruda que assumirá a paróquia de São Pedro, em Ponta Delgada, numa gestão in solidum com o Cónego João Maria Brum, regressando assim a São Miguel, ilha de onde é natural.

Ainda em São Miguel, o Pe. Nelson Vieira, que estava em São Pedro, foi nomeado pároco do Rosário e da Atalhada, na ouvidoria da Lagoa, substituindo o Pe. Silvano Vasconcelos que foi disponibilizado para servir na diocese de Portalegre-Castelo Branco.

Na ouvidoria da Vila Franca também houve alterações com a entrada do Pe. Paulo Borges para vigário paroquial de São Pedro, da Matriz de Vila Franca e de Água D’Alto.

Entre os colocados em novas missões, está também o sacerdote mais novo da diocese, ordenado no passado dia 30 de Junho, Pe. Nuno Fidalgo, que irá servir nas Flores, juntando-se à equipa sacerdotal liderada pelo Pe. Eurico Caetano.

O decreto do bispo de Angra com as nomeações para o ano pastoral de 2018/2019 lembra aos sacerdotes que “é necessário” oferecer às diversas comunidades paroquiais e serviços diocesanos “os presbíteros de que necessitam para caminharem na edificação da comunidade cristã, através do anúncio do Evangelho, pela celebração dos mistérios da fé” que estão centrados “na Eucaristia e na partilha fraterna”.

“No ano pastoral que se vai iniciar e que desafia a diocese através das exigências que se desprendem do lema ‘comunidade evangelizada em comunhão missionária’, convido a aprofundar o ser e a missão dos sacerdotes através da experiência de S. Paulo que nos oferece na expressão ‘ai de mim se não evangelizar’”(1Cor. 9, 16), afirma D. João Lavrador.

No preâmbulo do texto do decreto, o prelado agradece a disponibilidade de todos os sacerdotes - “os que mudam” e os que saem - e sublinha que “a missão da Igreja, em todos os seus membros, é evangelizar”.

Refira-se , ainda, que os dois novos diáconos permanentes ordenados no final do ano passado - diáconos Heriberto Silveira Brasil e Francisco Lima - são também chamados a ajudar nesta missão. Residentes na ilha Terceira, o diácono Heriberto Brasil exercerá as suas funções na paróquia das Cinco Ribeiras, na Zona Pastoral Oeste e na Ouvidoria de Angra. Já o diácono Francisco Lima exercerá as suas funções na paróquia da Ribeirinha, na Zona Pastoral Leste e na Ouvidoria de Angra.

Para além das reconduções, por ouvidoria, são ainda nomeados como párocos, assumindo novas missões, os padres Luís Dutra (recém regressado dos Estados Unidos) na Prainha, Santo Amaro e Ribeirinha, no Pico; Emanuel Valadão Vaz em São Brás (acumulando com Vila Nova), na Terceira e Hermínio Mendes nos Altares e Raminho, na ilha Terceira.

Há nas nomeações para 2018 ainda, a recondução de 11 sacerdotes que permanecem nas paróquias que já ocupavam, a saber: Pe. Tiago Tedéu reconduzido como Pároco de Castelo Banco, Praia do Norte e Capelo, no Faial; Pe. Júlio Alexandre Rocha reconduzido como pároco de Santo António, Santa Luzia e São Roque, no Pico; Pe. Marco Martinho reconduzido como pároco de Madalena e São Mateus e reitor do Santuário do Senhor Bom Jesus Milagroso, no Pico; Pe. Abel Nóia Vieira reconduzido como pároco da Casa da Ribeira, na Terceira; Pe. Abel Ricardo Toste reconduzido como pároco do Cabo da Praia e Porto Judeu, na Terceira; Pe. Jacinto Alberto Meneses Bento reconduzido como Capelão Auxiliar da Base Militar dos EUA nas Lajes, na Terceira; Pe. António Henrique  Pereira reconduzido como pároco da Ribeirinha, na Terceira; cónego José Medeiros Constância reconduzido como pároco da Relva e Covoada, em São Miguel; Pe. João Martins Furtado reconduzido como pároco de Água de Pau e Ribeira Chã, em São Miguel; Pe. Carlos Simas reconduzido como pároco de Lomba da Maia e São Brás, em São Miguel e Pe. José de Melo reconduzido como pároco de Fenais da Ajuda e Vigário paroquial da Ribeira Funda e Lomba de São Pedro, também em São Miguel.

Resgate médico de tripulante a cerca de 700 quilómetros de São Miguel

Resgate médico de tripulanteO Centro de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo de Ponta Delgada (MRCC Delgada) coordenou na terça-feira uma operação de salvamento de um tripulante doente do navio mercante “Vega Virgo”, que navegava a cerca de 720 quilómetros a nordeste da ilha de São Miguel.

Para proceder ao salvamento do homem de 25 anos, de nacionalidade filipina, foi accionado o helicóptero EH-101 e a aeronave C-295 da Força Aérea Portuguesa (FAP) estacionados na Base Aérea do Montijo.  “O doente foi resgatado pelo helicóptero EH-101 da FAP com sucesso. Em terra, o paciente foi desembarcado no aeroporto Francisco Sá Carneiro, na cidade do Porto, pelas 19h30 do dia 24, tendo posteriormente sido encaminhado para o Hospital de São João, através de uma ambulância do INEM (Instituto Nacional Emergência Médica)”, avançou a Marinha, em comunicado.

Na operação de resgate médico, estiveram envolvidos o MRCC Delgada, o  Centro de Coordenação de Busca e Salvamento das Lajes, o Centro de Orientação de Doentes Urgentes Mar, um helicóptero EH-101 e um avião de asa fixa C295 da FAP, a par de uma ambulância do INEM.

Festas de Nossa Senhora de Lurdes voltam a animar vila baleeira das Capelas

nossa senhora lurdes capelasAs festas em honra de Nossa Senhora de Lurdes nas Capelas, na costa norte da ilha de São Miguel, começam hoje,  dia 25 de Julho e prolongam-se até 2 de Agosto, associando actividades religiosas e culturais, entre elas a procissão solene no dia 29, um concerto pelo Coral de São José e outro pela Orquestra Ligeira de Ponta Delgada.

Do ponto de vista religioso existirão três momentos altos na antiga vila baleeira: no Sábado, dia 28, a recolha dos andores; no Domingo a missa solene que será presidida pelo Pe. Eurico Caetano, ouvidor das Flores, seguida da procissão, e no dia 1 de Agosto, à meia-noite com o sermão da recolha da imagem, altura em que o Grupo Coral e a Filarmónica União dos Amigos das Capelas executarão, em separado, o hino a Nossa Senhora de Lurdes.

Estas festas são organizadas pela comunidade paroquial e têm uma particularidade: todos os anos uma das seis zonas fica encarregada de preparar os sete andores que juntamente com o andor de Nossa Senhora de Lurdes, saem à rua no dia principal da festa, o Domingo. A distribuição de tarefas por zonas é feita de acordo com o sentido dos ponteiros do relógio.

No último dia da festa, dia 1 de Agosto, à meia-noite a imagem de Nossa Senhora de Lurdes sairá de novo até à porta da Igreja e será feito o sermão de despedida. Paralelamente,  realizam-se várias actividades de carácter lúdico e cultural como o desfile de carros alegóricos, exposições e música popular.

Este ano haverá dois concertos importantes: o primeiro, hoje, na abertura, com o Coral de São José, integrando o  coro de Câmara, dirigido pela maestrina Mariana Leite e o  coro Sinfónico com as solistas Alexandra Pacheco, Mónica Pacheco, Ricardo Botelho e Vítor Tavares, sob a direcção de Luís Filipe Carreiro e no encerramento, a 2 de Agosto, com a Orquestra Ligeira de Ponta Delgada. Além dos concertos haverá ainda o lançamento do livro Estórias do Tempo de José Francisco Costa.

Salvo tripulante de veleiro após incêncio a bordo

unnamedA Marinha anunciou ontem ter coordenado, entre as 22h21 de 24 de Julho e a madrugada de ontem, uma operação de salvamento do único tripulante do veleiro “Air Caress”, de nacionalidade francesa, que sofreu um incêndio a bordo. O alerta foi enviado pelo veleiro através da activação da sua rádio baliza, quando se encontrava a navegar a cerca de 305 quilómetros a nordeste da ilha de São Miguel.

Na operação foi empenhado o navio mercante “Drawsko” que se encontrava a navegar a 37 quilómetros do veleiro, foi activada uma aeronave da Força Aérea Portuguesa C295 e a corveta da Marinha João Roby. Segundo adiantou a marinha, chegado ao local, o navio mercante confirmou a existência de um incêndio a bordo do veleiro e procedeu à recolha do único tripulante que se encontrava na balsa salva-vidas.

O NRP João Roby seguiu para o local das operações para efectuar a recolha do velejador, estando previsto atracar no Funchal pela tarde de hoje. A Marinha refere ainda ter sido confirmado “posteriormente que o tripulante do veleiro não necessitava de cuidados médicos”. Estiveram envolvidos nesta operação o MRCC Delgada, o RCC Lajes, o navio mercante “Drawsko”, uma aeronave C295 da Força Aérea Portuguesa e o NRP João Roby.

Obra do Centro de Integração Activa e Comunitária de São Sebastião vai avançar

camara PDLA Câmara Municipal de Ponta Delgada assinou este mês o auto de consignação dos trabalhos da empreitada de construção do Centro de Integração Activa e Comunitária, na freguesia de São Sebastião.

A obra foi adjudicada à empresa João Vieira & Filhos, Lda., pelo valor global superior a 555.301 euros e terá um prazo de execução de 365 dias, adiantou ontem a autarquia, em comunicado.

Com a concretização da obra em referência, a Câmara de Ponta Delgada, assume “o compromisso de desenvolver serviços sociais de apoio a grupo de indivíduos, às famílias e à comunidade, garantindo assim o bem estar social”, criando  um espaço de serviços integrados de apoio à infância/juventude e vítimas de violência doméstica, “que se pretende seja de referência e modelo de actuação para outras áreas de intervenção”. 

Segundo refere o município, o objectivo deste espaço, situado no Centro Histórico de Ponta Delgada, visa a aproximação das instituições quer ao nível de espaço físico (instituições sem sede própria e sem instalações) quer a nível da execução do trabalho desenvolvido que se quer facilitador de um trabalho em rede.

Coordenado pela Câmara de Ponta Delgada, o novo espaço terá um regulamento próprio, “por forma a promover o desenvolvimento harmonioso de todas as instituições presentes neste centro integrado, organizar e gerir respostas sociais desenvolvidas em serviços e equipamentos integrados de apoio à infância/juventude e vítimas de violência doméstica”.

Um dos grandes objectivos do centro passará por “ceder espaços às instituições do concelho para apoio às crianças/jovens e a vítimas de violência doméstica”. O espaço visa, por outro lado, “assegurar a progressiva racionalização da estrutura, a criteriosa gestão dos recursos disponíveis e a crescente eficácia do apoio integrado, e o acompanhamento psicológico e social, orientação e encaminhamento para outras entidades e/ou serviços de acordo com o tipo de necessidades/problemáticas detectadas na população alvo”.

O centro pretende, ainda, “colaborar em redes de apoio social integrado, planeando e executando projectos que visem a satisfação de necessidades sociais, nomeadamente, do grupo alvo, e desenvolver parcerias com entidades locais, regionais ou nacionais, para programas, projectos e acções, que visem concretizar respostas sociais no âmbito do objectivo da rede”. 

Aderir a organizações nacionais ou internacionais, designadamente às que prossigam a defesa e a promoção do público-alvo, e exercer qualquer actividade que contribua para a melhoria da qualidade de vida e o bem-estar da população alvo da Rede Integrada de Apoio a Infância e à Vítima de Violência Doméstica, do concelho de Ponta Delgada, são outros dos objectivos do Centro.

Na Rede de Serviços Integrados ficarão instaladas cinco instituições, entre as quais a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens em Risco de Ponta Delgada (CPCJ). Serão criados gabinetes para secretariado e atendimento ao público, espaços lúdicos, sala de formação/reuniões e Auditório, além de uma instalação para a realização de reuniões, cursos, palestras, encontros, seminários e outros eventos cujos objectivos, prossigam os fins da Rede Integrada de Apoio.