Festas da Senhora da Conceição na Ribeira das Tainhas

Senhora da Conceição - Ribeira das TainhasA Ribeira das Tainhas, a mais pequena freguesia do Concelho de Vila Franca do Campo, está em festa para celebrar o mais antigo culto da paróquia em torno da Imaculada Conceição, que ali se venerava e festejava ainda antes da proclamação do Dogma em 1854, pelo Papa Pio IX, pois que a primitiva imagem que esteve ao culto até 1894, foi proveniente do Convento de Santo André de Vila Franca. 

Desde muito cedo que a população da paróquia, que tem como padroeiro o Bom Jesus Menino, dedicou grande atenção e fé no culto à Senhora da Conceição que ainda hoje se mantém.

As festas tiveram início no passado dia 1 de Dezembro com arrematação de gado, criado e oferecido pelos lavradores e que uma comissão vem mantendo desde há anos. Nos dias 3, 4 e 5 de Dezembro, decorreu o tríduo preparatório, com Eucaristias que foram presididas e pregadas pelo Padre Oniel Ramiro, da Obra de Maria, no Brasil, e por Frei Luís de Sousa, Franciscano, actualmente no norte do País. Mantendo uma tradição que vem desde o final do século XIX, por documentos e pautas musicais anda existentes, nos dias de tríduo é cantada a ladainha de Nossa Senhora, uma tradição antiga e caída em desuso nas igrejas dos Açores.

Para hoje, sexta-feira, a partir das 20 horas haverá Música Ambiente, com Abertura de Bazar e Barraca, seguindo-se a actuação do Grupo Musical “Pedro e Cátia”

Amanhã, sábado, a festa começa bem cedo, pelas 5 horas da manhã, com a Serenata que este ano se inicia no lado nascente da freguesia e termina com apoteose, frente à igreja, seguindo-se a missa da Alvorada.

Pelas 11 horas há Missa Solene, cantada pelo Coral do Bom Jesus Menino e com Comunhão infantil. 

Às 15 horas sai a procissão,  na qual se incorporam os andores de São José, Bom Jesus Menino e Senhora da Conceição, nela participando os movimentos paroquiais e todas as pessoas da paróquia que a isso são convidadas. À noite, o arraial contará com o artista David Rita.

Para o Domingo, pelas 18 horas há cortejo de oferendas seguido de arraial de arrematações.

Como consta do programa, um dos pontos altos desta festa é a Missa da Alvorada. A partir dos anos 80 do século passado, a Senhora da Conceição da Ribeira das Tainhas começou a ter um novo atractivo que hoje chama, todos os anos, centenas de pessoas de todos os lados, às seis horas da manhã do dia 8 de Dezembro. Trata-se da Alvorada de Nossa Senhora, uma tradição iniciada por José Ventura, um conhecido músico de raízes populares de Vila Franca que todos os anos, com o seu grupo se desloca à Ribeira das Tainhas, depois de percorrer as ruas da Vila. Vão cantando, tochas na mão, lindas melodias, quase todas com letra e música de José Ventura e seu filho, Nuno Ventura, actualmente emigrado no Canadá. Hoje, e apesar de algumas mudanças nas pessoas que integravam o Grupo, continua o mesmo entusiasmo e a igreja é pequena para conter todas as pessoas que gostam de participar naquela Eucaristia diferente, depois de a Imagem se deslocar, no seu andor, à frente da igreja, onde numa mistura de vozes, sinos, foguetes e aplausos, com o acender de toda a iluminação exterior, se dá a grande apoteose que a todos toca. 

 

Detido suspeito de abusar sexualmente de criança de 12 anos

PJ cracháUm homem de 25 anos foi detido, em Ponta Delgada, por suspeitas de abusar sexualmente de uma criança, de quem era padrasto, revelou ontem a Polícia Judiciária (PJ).

A detenção ocorreu no âmbito de uma investigação, sendo o indivíduo suspeito da “presumível prática reiterada do crime de abuso sexual de criança, na sua forma agravada, de que foi vítima um menino de 12 anos de idade”.

Os abusos tiveram início em 2017, e ocorreram no concelho de Ponta Delgada. 

A PJ refere, em comunicado, que o suspeito ter-se-á “aproveitado do facto de ser padrasto da criança para a molestar sexualmente, durante vários meses”.

O detido foi presente a primeiro interrogatório judicial, sendo-lhe aplicadas as medidas coactivas de “proibição de contacto com a vítima e suspensão do exercício de funções, na escola primária onde prestava serviço, como auxiliar a tempo parcial”.

Açorianos de todo o mundo devem unir-se e tomar consciência de que são um ‘povo único’

casas dos açores brasilO Secretário Regional Adjunto da Presidência para as Relações Externas apelou ontem, em Gravataí, no Brasil, para que todos os açorianos se unam, tomando consciência de que são um Povo único e da sua força no mundo.

“É o momento de reconhecermos como açorianos tanto os que nasceram nos Açores, como os que não nasceram nos Açores, mas que lá vivem, bem como os que não nasceram nos Açores, nem lá vivem, mas que assumem a sua raiz” afirmou Rui Bettencourt na sessão de abertura da XXI Assembleia Geral do Conselho Mundial das Casas dos Açores, sublinhando o “sentimento de pertença a uma cultura e a uma identidade” que todos os açorianos partilham.

Para o titular da pasta das Relações Externas, “a condição de açoriano não se perde se não habitarmos o arquipélago”, mas “acrescenta novas dimensões e dá nova força àquilo que somos”.

“Vejam no que podem os Açores tornar-se se todo este povo, em todo o Mundo, com a força que pode e deve ter, agir pelos Açores e se implicar nas escolhas que colocam os Açores num projecto de progresso”, frisou.

Na sua intervenção, Rui Bettencourt considerou ser necessário saber envolver os açorianos no desenvolvimento da Região, “a começar pelos jovens”, realçando a importância de juntar “uma forte participação na construção do futuro dos Açores” aos 600 anos de história do arquipélago.

“É com uma acção abrangente, inclusiva, dinâmica, junto das diferentes gerações, mas implicando em particular e fortemente os jovens, conciliando a tradição com a actualidade, que conseguiremos dar sentido ao que significam os Açores: nove ilhas e várias décimas ilhas pelo mundo inteiro, sempre com uma realidade fundeada na nossa história e na nossa geografia do arquipélago”, afirmou o Secretário Regional.

Rui Bettencourt desafiou os jovens para que “façam mais e melhor”, sempre orgulhosos das suas raízes, moldando a diáspora e “valorizando o património que lhes foi deixado por todos aqueles que os antecederam”, salientando a relevância do associativismo comunitário ser “um espaço de participação dos mais jovens” para que a diáspora perdure.

O governante reconheceu ainda o “trabalho meritório” que as Casas dos Açores desenvolvem na promoção dos Açores e na valorização do Povo Açoriano, considerando que o encontro que decorre no Rio Grande do Sul, a 9.000 quilómetros dos Açores, é “um acto de afirmação, legítima e responsável do Povo Açoriano”.

“As Casa dos Açores são fundamentais, pois contribuem para o fortalecimento das relações entre as comunidades açorianas emigradas e as ilhas onde mergulham as suas raízes e são pólos dinamizadores da promoção da identidade açoriana espalhada pelo mundo”, frisou Rui Bettencourt.

Mais de 5 mil lâmpadas e 500 figuras compõem este ano o tradicional presépio das Furnas

Presépio das FurnasO Presépio das Caldeiras das Furnas será inaugurado no próximo dia 8 de Dezembro, pelas 21 horas, num evento que contará com a actuação da Harmónica Furnense e da Orquestra Municipal da Povoação.

Este ano, o tradicional presépio de Natal  conta com mais de cinco mil lâmpadas e cerca de 500 figuras com algumas modificações e inovações, uma organização que conta com a parceria da Junta de Freguesia local.

De 24 até 26 de Dezembro e de 30 até ao dia 2 de Janeiro, o presépio ficará iluminado continuamente. Nos restantes dias, a iluminação estará disponível das 18h00 à 01h00. 

Recorde-se que o Presépio das Furnas começou em 1976, ao que tudo indica, com um Grupo de Jovens das Furnas (J.D.F.) que, na altura, também tinha dotes para ensinar pintura, música e teatro.

Depois de estar cerca de dois anos estagnado, recomeçou com muita força e vontade popular até aos dias de hoje, sempre enriquecido, de ano para ano. 

Durante muito tempo, a ornamentação do presépio das Caldeiras foi uma responsabilidade da Junta de Freguesia local, levada a cabo com o apoio da edilidade povoacense. 

Nos últimos anos, os papéis inverteram-se e este encargo tem sido suportado pela Câmara Municipal da Povoação, com o apoio logístico da Junta de Furnas.

O Presépio das Caldeiras das Furnas ficará exposto até meados de Janeiro e contará com animação aos fins-de-semana.

 

Quatro escolas dos Açores vão aprender sobre alimentação saudável e consumo consciente

Escola Missão ContinenteO Programa Escola Missão Continente - que visa apoiar as escolas na sensibilização para uma alimentação saudável e um consumo consciente, abordando temas fulcrais como dietas saudáveis, desperdício alimentar ou o uso excessivo de plástico – decorre durante todo o ano lectivo e aposta na aprendizagem através de actividades didácticas, distribuição de materiais lúdicos, visitas de estudo e desafios, que vão incentivar a comunidade escolar a pensar e agir sobre a alimentação saudável e o consumo consciente.

Nos Açores, são mais de 380 alunos e 20 professores de escolas do 1º Ciclo (EB1/JI de Covoada, E.B.1/J.I. de Agualva, EB1/JI São Roque e Jardim-Escola João de Deus de Ponta Delgada) inscritos na Escola Missão Continente que vão receber uma visita de um Embaixador da Escola Missão Continente para uma aula temática e interactiva e visitar uma loja Continente da sua cidade para descobrirem o seu funcionamento e compreender que uma alimentação saudável e um consumo consciente começam logo nas compras feitas no supermercado.

Para além disso, os alunos e professores serão postos à prova através de dois desafios – Desafio Escola e Desafio Turma -, em que terão de colocar em prática, com imaginação e criatividade, os conhecimentos adquiridos sobre as temáticas da Escola Missão Continente. No Desafio Escola, os alunos são desafiados a reflectir sobre o tema dos plásticos e a desenvolverem um trabalho multidisciplinar, com toda a comunidade educativa, sobre a consciencialização do seu uso excessivo. O desafio tem como título “Tornar a minha comunidade mais sustentável: reduzir o uso do plástico!” e pretende promover a aprendizagem sobre o uso consciente, a redução, a reciclagem e a reutilização deste material.

A Escola Missão Continente é uma das diversas iniciativas de responsabilidade social do Continente, no âmbito do compromisso da marca para a construção de um futuro mais sustentável e que, na edição de 2018/2019, contará com 23.939 alunos e 1.350 professores inscritos em todo o país.