Interdito acesso viário à Fajã da Ferraria em São Miguel

FerrariaO Governo dos Açores determinou a interdição imediata da via de acesso à Fajã da Ferraria, a partir do miradouro da ilha Sabrina, na ilha de São Miguel.

Esta interdição foi decidida na sequência de uma avaliação do Laboratório Regional de Engenharia Civil (LREC) às condições de segurança do talude sobranceiro à via de acesso à Fajã da Ferraria, solicitada pela Direcção Regional do Ambiente devido a vários sinais de instabilidade. 

Os desabamentos ocorridos nos últimos dias envolveram o despreendimento de vários blocos rochosos de diferentes tamanhos que alcançaram os dois lanços inferiores da estrada, provocando danos no pavimento.

De acordo com o relatório preliminar do LREC, o talude continua a apresentar sinais de precariedade, com a frequente queda de detritos rochosos de pequenas dimensões para a via pública, sendo que a rotura ocorrida deixou em situação de potencial instabilidade vários blocos rochosos que podem desprender-se a qualquer momento, colocando os utilizadores da via vulneráveis ao perigo ali existente.

Com base no relatório do LREC, a Direcção Regional do Ambiente determinou a execução imediata de medidas mitigadoras para garantir a estabilidade do sector afectado, nomeadamente o saneamento de blocos destacados e em situação de instabilidade e a colocação de redes metálicas fixadas com pregagens.

A implementação destas medidas requer a execução de trabalhos especializados, com eventual recurso a acesso por cordas (rappel), para além de trabalhos complementares de criação de linhas de segurança e corte de vegetação.

Paralelamente, será efectuado um estudo mais aprofundado do respectivo maciço rochoso.

A interdição do acesso à Fajã da Ferraria vigorará pelo tempo estritamente necessário para a correcta e adequada implementação das medidas necessárias a repor a segurança naquela via.

Cinco detidos por tráfico de droga em Rabo de Peixe (2)

apreensão psp rabo de peixeA Divisão Policial de Ponta Delgada, através de polícias da Esquadra de Investigação Criminal, realizou na passada segunda-feira, no âmbito de uma investigação por suspeitas da prática do crime de tráfico de estupefacientes, uma operação policial de grande envergadura na freguesia de Rabo de Peixe, concelho da Ribeira Grande, a qual envolveu a participação de diversas valências policiais, nomeadamente Equipas de Intervenção Rápida e binómios cinotécnicos da Força Destacada da Unidade Especial de Polícia.

Segundo comunicado da PSP, a investigação em causa que decorria há cerca de oito meses, visou desmantelar uma complexa rede de venda e distribuição de estupefacientes que operava naquela freguesia desde há longa data.

No âmbito desta operação foram detidos 5 indivíduos do género masculino, com idades compreendidas entre os 29 e os 44 anos e realizadas um total de 7 buscas domiciliárias e 4 buscas não domiciliárias, das quais resultou a apreensão de cerca de 1025 doses de cocaína, duas viaturas, 15.270 euros em numerário, vários equipamentos de comunicações, uma balança de precisão e outros artigos relacionados com o ilícito em investigação. Presentes perante a competente Autoridade Judiciária foram aplicadas a três dos detidos as medidas de coação de apresentações na Esquadra da sua área de residência e a dois dos detidos a medida de coação de prisão preventiva, tendo os mesmos sido conduzidos ao Estabelecimento Prisional de Ponta Delgada, onde aguardam os ulteriores termos do processo. 

De salientar que no âmbito da mesma investigação foram detidos no último mês outros dois indivíduos do género masculino, um dos quais sujeito à medida de coação de prisão preventiva e outro a apresentações diárias na Esquadra da sua área de residência, suspeitos de em conjugação de esforços com os agora detidos, participarem também na actividade ilícita em investigação, tendo na altura da sua detenção sido apreendidas 2000 doses individuais de haxixe e 23 de cocaína. 

É convicção da Polícia que com a presente investigação foi possível fazer cessar uma intensa actividade ilícita de venda de estupefacientes que se desenvolvia na freguesia de Rabo de Peixe.

Bispo de Angra presidiu à celebração dos 60 anos do Santuário do Santo Cristo dos Milagres

Santuário Santo CristoO Santuário do Senhor Santo Cristo dos Milagres foi criado há 60 anos, no dia 22 de abril de 1959, e esta segunda-feira  o bispo de Angra presidiu a uma missa de acção de graças, concelebrada pela equipa reitoral com a presença de sacerdotes, religiosos e leigos que habitualmente servem neste espaço, um dos mais carismáticos da igreja diocesana.

Na homilia da missa jubilar, D. João Lavrador sublinhou a importância do Santuário como lugar de acolhimento, de fortalecimento da fé e de partida para a nova evangelização.

“O Santuário é o lugar onde Jesus Cristo nos acolhe, no qual podemos fazer a experiência da Sua Ressurreição, fortalecer a comunhão com Ele de tal modo que sejamos d’Ele testemunhas. Na verdade, este Santuário deverá ser local de Nova Evangelização”, afirmou, citado pelo Igreja Açores.

“Normalmente, quem acorre a um santuário é alguém sedento de respostas para a sua vida. No meio das aflições porventura estará encoberta a necessidade de percorrer os caminhos de formação e de conversão que levam a encontrar-se com o verdadeiro Jesus Cristo”, afirmou D. João Lavrador destacando que este é “um verdadeiro desafio pastoral”.

O prelado diocesano, que acaba de terminar a visita pastoral à maior ouvidoria da diocese - Ponta Delgada - cidade que acolhe este grande santuário diocesano, onde se realiza a maior festa religiosa dos Açores no quinto domingo a seguir à Páscoa, referiu que este era um dia de acção de graças a Deus.

Neste dia, “move-nos o dever de acção de graças a Deus que neste lugar tem atendido tantas situações de vida à procura de alívio, de conforto e de paz; desperta-nos para o reconhecimento de tantas pessoas, sacerdotes, religiosas e leigos, que dedicaram a sua vida a atender os peregrinos e a oferecer-lhes as condições para que as suas aspirações fossem atendidas; mas igualmente nos incentiva para continuar a fazer deste santuário lugar privilegiado de encontro com Deus, de crescimento humano e espiritual e de atenção aos mais excluídos da sociedade”, disse D. João Lavrador.

Além de reconhecer o papel do Santuário o bispo diocesano deixou um desafio: “permitam-me que convide a todos os que orientam e a todos os que procuram este santuário que criem as condições para que a experiência de Jesus Cristo se faça de tal modo que aqueles que daqui partam, sinta o impulso de anunciar a Jesus de Nazaré Vivo e Ressuscitado, tal como nos refere o Evangelho”.

A partir da liturgia desta segunda-feira, a primeira depois da Páscoa, o prelado sublinhou que os cristãos são interpelados a fazer a experiência de Cristo ressuscitado e depois a serem testemunhas de que Cristo está vivo, mesmo diante das dificuldades que os tempos modernos criam, como no passado.

“Limitar-se a alimentar opiniões pessoais sem fundamento bíblico nem conversão, propor-se uma vida cristã a partir de ideias distorcidas sobre a pessoa de Jesus Cristo e o Seu mistério, fora da participação e orientação de uma comunidade que professa a fé, é incorrer num cristianismo sociológico mas sem força transformadora”, concluiu.

Do programa festivo deste ano jubilar destaca-se um encontro de reitores dos santuários diocesanos dos Açores, a 24 de Maio, e um simpósio nos dias 11 e 12 de julho, onde D. Carlos Azevedo, do Conselho Pontifício para a Cultura, da Santa Sé, aborda o tema “Viver em Cristo: Pleno humanismo de santidade”.

Nos dias 25 e 26 de Maio realiza-se a festa do Senhor Santo Cristo dos Milagres, que faz congregar para Ponta Delgada milhares de peregrinos. Este ano as festas serão presididas pelo Núncio Apostólico do Vaticano na Geórgia e na Arménia, D. José Avelino Bettencourt, natural da ilha de São Jorge.

Homem detido por agredir bombeiros e provocar danos em ambulância

PSP3Um homem de 33 anos de idade foi detido em Ponta Delgada por ofensas à integridade física de elementos do corpo de bombeiros, adiantou ontem a Polícia de Segurança Pública (PSP)

Segundo adiantou a PSP no relatório de actividade policial, a detenção ocorreu na segunda-feira, 22 de Abril, tendo o indivíduo provocado também danos numa ambulância e num rádio portátil.

Quanto à sinistralidade rodoviária, a mesma fonte aponta a ocorrência de 10 acidentes de viação nos Açores, dos quais resultaram dois feridos ligeiros e danos materiais.

 

120kg de explosivos apreendidos

 

A PSP divulgou ontem os resultados da operação “Páscoa em Segurança 2019”, que decorreu na semana de 15 a 21 de Abril, período em foram apreendidos 120 quilos de explosivos, 48 doses de cocaína, a par de cinco viaturas e seis documentos. 

Durante a mesma semana, a polícia efectuou 19 detenções, nomeadamente por tráfico de estupefacientes, condução sob o efeito do álcool, condução sem habilitação legal, furto e em cumprimento a mandados de detenção.

Foram fiscalizados um total de 2524 veículos e detectadas 156 infracções, das quais por crianças a viajar sem sistema de retenção, por falta de seguro, veículos sem inspeção periódica obrigatória, por uso de telemóvel durante a condução, condutores a circular sem fazer uso do cinto, desobediência à ordem de paragem do agente, entre outros motivos. Nesta operação de Páscoa, a PSP registou ainda 57 infracções por excesso de velocidade e três por condução sob a influência de álcool.

 

Câmara Municipal da Ribeira Grande aumenta em trinta por cento o apoio às bolsas de estudo

Alexandre Gaudêncio - 2016A Câmara da Ribeira Grande voltou a aumentar o apoio no que diz respeito às bolsas de estudo atribuídas a alunos do concelho que ingressaram ou deram continuidade aos estudos no ensino superior no ano lectivo 2018/19.

Se no ano passado a autarquia já tinha aumentado em cinquenta por cento o número de bolsas atribuídas, neste ano aumentou cerca de trinta por cento, passando das trinta para as 43 bolsas, o que significa um apoio total que ronda os 45 mil euros.

“Voltamos a aumentar o número de bolsas atribuídas no ano lectivo em curso em comparação com o anterior, o que significa um esforço maior por parte da edilidade para abranger mais jovens que requereram este apoio”, referiu Alexandre Gaudêncio na sessão pública de entrega dos apoios.

Alexandre Gaudêncio, que se fez acompanhar na cerimónia pela vereadora Cátia Sousa, destacou que o investimento realizado pela Câmara da Ribeira Grande significa, em muitos casos, “o garante da continuidade no percurso académico dos jovens”, vincando tratar-se de uma “missão social da qual não nos demitimos”.

O edil lembrou que “entre 2016/17 e 2018/19 a autarquia já duplicou o número de bolsas de estudo atribuídas pois se no primeiro ano apoiamos vinte alunos, no presente ultrapassamos os quarenta, o que significa também um esforço maior por parte da edilidade para abranger mais jovens que precisam deste apoio”.

A atribuição das bolsas de estudo a estudantes da Ribeira Grande é um apoio social que “responde às necessidades por que muitos estudantes ainda estão a passar”, salientou o autarca, frisando que o apoio da autarquia assume-se como “determinante para que muitos possam prosseguir os seus estudos na região ou fora dela”.

“A criação deste apoio, que tem vindo a aumentar de ano para ano, é um contributo essencial para que mais alunos possam prosseguir os estudos numa altura em que muitas famílias estão a passar por dificuldades económicas”, referiu Alexandre Gaudêncio.