Homem detido pela PJ por posse de armas proibidas

PJ1A  Polícia Judiciária (PJ) anunciou a detenção de um homem de nacionalidade estrangeira, indiciado pela alegada prática do crime de detenção de armas proibidas.

A detenção, feita através do Departamento de Investigação Criminal de Ponta Delgada, “ocorreu em flagrante delito, no decurso de uma acção de prevenção efectuada na ilha do Faial, numa embarcação de recreio com pavilhão extracomunitário, tendo o suspeito sido encontrado na posse de uma pistola de calibre .40 e cerca de duas centenas de munições, que lhe foram apreendidas”, avançou a PJ, em comunicado. 

O detido, de 56 anos de idade, foi presente a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coacção “tidas por adequadas”. Nesta acção, a PJ contou com a colaboração da Autoridade Tributária, da Polícia Marítima e da Guarda Nacional Republicana.

 

“Os jovens não são um problema: são um desafio!”, afirmou Director Diocesano da Pastoral Juvenil

congresso diocesano I Congresso Diocesano de Juventude realiza-se de 28 de Junho a 1 de Julho

“Os jovens não são um problema: são um desafio!” Foi com estas palavras que o padre Norberto Brum, Director Diocesano da Pastoral Juvenil, começou ontem a conferência de imprensa para a apresentação do I Congresso Diocesano de Juventude que irá decorrer de 28 de Junho a 1 de Julho na ilha de São Miguel.

No Centro Municipal de Cultura de Ponta Delgada, Norberto Brum garantiu que “é desta forma que encaramos os nossos jovens: como um desafio permanente que só poderá ser vivido e superado com os próprios jovens e, como Pastoral Juvenil, a grande meta a alcançar é deixar de olhar o jovem e de fazer dele um destinatário/receptor da acção pastoral e torná-lo no sujeito da própria acção: o Jovem evangeliza o jovem!”, disse.

Conforme explicou, este I Congresso Diocesano de Juventude foi convocado pelo Bispo de Angra e Ilhas dos Açores, onde, através de uma carta/convite, chama todos os jovens a fazerem parte deste Congresso que se pretende “ser um encontro feliz de jovens de toda a Diocese.

Aliás, na carta endereçada a todos os jovens dos Açores, D. João Lavrador reconhece que este poderá ser o momento para “poderemos partilhar ideias, alegria, sonhos e projectos”.

D. João vai mais longe ao afirmar que “gostaria de poder contar com os jovens para ajudarem esta Igreja Diocesana a ser mais activa, a projectar mais alegria, a ser mais jovem e a ser mais missionária”, por isso, e continua, “as capacidades pessoais de cada jovem são muito importantes para revitalizar as comunidades cristãs e para levar Jesus Cristo ao mundo de hoje.

De acordo com Norberto Brum, “nestas palavras de D. João Lavrador estão bem expressos os objectivos que se pretendem atingir com a realização deste Congresso”.

O Congresso terá por tema “Por uma Igreja +”, sendo este o desafio que é lançado aos jovens açorianos para a vivência deste Congresso.

Conforme deu conta o Director Diocesano da Pastoral Juvenil, o “+” que surge no título geral deste Congresso é tudo quanto cada jovem pode ser e fazer nesta Igreja, o que cada um pode dar na construção do Reino de Deus nestas ilhas; o “+” é o que cada um pode e deve somar a esta Igreja. Comigo e com cada um a Igreja pode ser, de verdade, “+” e é esse “+” que queremos que os nossos jovens sejam”, advertiu, considerando que “é necessário colocar os próprios jovens a pensar a sua própria realidade, o seu ser e identidade como cristãos nesta Igreja do século XXI e nesta Diocese açoriana, a aprofundá-la e a vislumbrar e propor caminhos e realidades alternativas: os jovens têm uma palavra a dizer sobre si mesmos, sobre a Igreja e sobre e mundo e, principalmente dizerem o que querem e desejam desta Igreja e como querem ser Igreja”, assegurou.

Para Norberto Brum, “as respostas só têm sentido quando provocadas por uma questão! Não podemos responder a questões que não foram colocadas nem apresentar propostas a desafios que não foram lançados, daí que este Congresso será tempo e ocasião de dar voz aos nossos jovens, escutar os seus anseios, as suas inquietações, aspirações e, sobretudo, escutar o que têm a dizer à Igreja, como querem ser Igreja e como desejam que a Igreja caminhe com eles.

Este caminho só poderá ser percorrido lado a lado, em comum e num compromisso e envolvimento de ambas as partes”.

 

Orelha Negra, Fogo Fogo e Elida Almeida no Azores Burning Summer 2018

Azores Burning Summer - apresentaçãoA quarta edição do festival  Azores Burning Summer vai decorrer nos dias 31 de Agosto e 1 de Setembro na Praia dos Moinhos, no Porto Formoso, segundo foi ontem apresentado, em conferência de imprensa. 

“O festival Azores Burning Summer promove um cartaz pleno de música de alta qualidade que, na senda na última edição, promete arrastar a população à pitoresca freguesia do Porto Formoso”, revelou a organização.

O director musical do evento, Adrian Sherwood, e o director geral, Filipe Tavares, continuam a afirmar a identidade musical do festival através de “sonoridades tropicais e exóticas que passam pela electrónica, música negra e worldmusic”. 

Este ano a aposta passa por sons oriundos de Cabo Verde e do Brasil, com os cabeças de cartaz Orelha Negra, Fogo Fogo e a cabo-verdiana Elida Almeida.

O festival apresenta como novidades, nesta edição, a co-organização da Câmara Municipal da Ribeira Grande e o arranque já em Junho das Eco Talks, em emissões na Antena 1 Açores que ocorrem de hoje ao dia 8. Em edições anteriores, estes debates aconteciam no decurso do evento, em Setembro. Segundo adiantou ontem a organização, a primeira Eco Talk coincide com o Dia Mundial do Ambiente (hoje) e as restantes vão passar diariamente após o noticiário das 13 horas da rádio pública dos Açores. “Considerando o impacto das Eco Talks na opinião pública e classe política nos últimos anos, chegou o momento de fazê-las chegar à população açoriana diariamente em horário nobre”, adiantou a organização.

Na apresentação do evento, Filipe Tavares sublinhou que “esta quarta edição traz grandes novidades. Temos a Câmara Municipal da Ribeira Grande como co-organizadora do festival e esta tomada de posição da Câmara deixa-nos muito orgulhosos. Quanto aos artistas, apostamos em cabeças de cartaz que vão levar muita gente ao Porto Formoso”.

Já o autarca Alexandre Gaudêncio afirmou que a parceria do município com a organização do festival “é o culminar de uma estratégia que a autarquia tem vindo a fazer ao nível do seu programa cultural, em particular na altura do verão”. 

“E também tem a ver com a preocupação de descentralizarmos os eventos que fazemos no concelho de forma a abranger outras zonas do território, em particular, neste caso, a freguesia de Porto Formoso”, acrescentou. “A aposta em festivais de verão tem-se traduzido na dinamização da economia local e no comércio local. Tem sido uma aposta ganha”, frisou Gaudêncio.

Açores no topo das tendências do mercado para o Verão, segundo a Go4Travel

Lagoa do canárioO grupo de agências de viagens Go4Travel divulgou uma lista de dez destinos que considera serem as tendências do mercado para o Verão, resultado de uma consulta interna aos seus 42 accionistas.

Os Açores são o primeiro destino da lista, descrito pela Go4Travel como “ideal para quem gosta de se aventurar e explorar a natureza e a história dos locais que visita”.

Seguem-se as ilhas Baleares, “destinos apetecíveis para quem procura relaxar em praias paradisíacas banhadas por um mar azul e tranquilo mas que não dispensa intensos programas de animação nocturna”.

Cabo Verde é o terceiro destino da lista, graças às suas praias e baías, cidades à beira-mar e “trilhos que serpenteiam em campos de lava”.

Em São Tomé e Príncipe, o grupo destaca a “oportunidade de uma viagem inesquecível ao lado de um povo franco e hospitaleiro”, onde será possível conhecer “as históricas roças”, “as praias desertas” e “as plantações de café”.

Marrocos também está nas tendências, por ser uma “terra de todos os sons e cheiros” e proporcionar “uma viagem que é uma experiência verdadeiramente sensorial”, entre cidades, deserto e praia.

Com “praias de areia preta, lagoas glaciares, geiseres, icebergues, campos de lava, cascatas, vulcões”, a Islândia também tem um lugar na lista, por ser “um local único e obrigatório”.

Segue-se Cuba, “apetecível para quem procura os encantos icónicos das Caraíbas”, “um país para se aventurar e voltar atrás no tempo”.

As tendências para o Verão também incluem o México, “rico em história, gastronomia, surpreendentes paisagens, praias incríveis, montanhas, cidades coloniais, ruínas ancestrais”.

A Costa Rica, por sua vez, integra a lista da Go4Travel por ser “um paraíso de florestas e selvas tropicais com um dos índices de biodiversidade mais elevados do planeta”.

A fechar a selecção está o Vietname, com uma diversidade que vai desde “os campos de arroz no Norte, às praias selvagens do Sul, passando pelas variadíssimas iguarias da sua rica gastronomia, este é um destino que surpreende sempre quem o visita”.

Aldeia da Cuada distinguida nos Prémios AHRESP

Aldeia da Cuada - prémio AHRESPA Aldeia da Cuada – Turismo Rural, na ilha das Flores, foi distinguido na 4ª edição dos Prémios AHRESP, na categoria Sustentabilidade Ambiental.

Os Prémios AHRESP são um concurso que pretende distinguir os melhores do ano no sector da Hotelaria, Promoção Turística e Restauração em Portugal, e foram entregues esta semana, no Pavilhão Carlos Lopes, em Lisboa.

A Aldeia da Cuada situa-se no extremo mais ocidental da Europa, num planalto sobranceiro ao Oceano Atlântico, isolada de outras localidades, permitindo que desta forma o cliente possa sentir-se em contacto com a natureza no seu estado puro. Abandonada desde os anos 60, a Aldeia da Cuada foi recuperada recentemente e adaptada às actuais necessidades, mantendo o traço rural das casas de pedra.