Diocese de Angra entrega verbas às vítimas dos incêndios de Viseu, Portalegre e Castelo Branco

incendios portugal 2 0 dr ia 900-600A Diocese de Angra vai entregar uma parte da renúncia quaresmal deste ano às suas congéneres de Viseu e Portalegre-Castelo Branco, no âmbito da ajuda às vítimas dos incêndios de Outubro último.

O portal ‘Igreja Açores’ avança que a decisão partiu do Serviço Diocesano de Apoio à Evangelização, Catequese e Missões de Angra, que espera uma “boa” adesão a esta iniciativa solidária.

Há três meses, o centro do país era atingido por aquele que foi considerado como o pior dia – em matéria de incêndios florestais – do ano de 2017.

No dia 15 de Outubro, 45 pessoas morreram devido às chamas, outras 70 ficaram feridas, numas 24 horas em que se registaram cerca de 400de focos de incêndio, 33 dos quais de grandes dimensões.

Lousã, Seia, Gouveia, Penacova, Santa Comba Dão, Tondela, Oliveira do Hospital e Monção foram algumas das localidades mais afectadas.

Em termos de balanço, houve ainda a registar danos substanciais em mais de 800 casas e 500 habitações.

O programa da Diocese de Angra para a Quaresma começa no dia 18 de Fevereiro, e inclui “a proposta de um itinerário quaresmal familiar e pessoal”.

A diocese açoriana propõe que em cada casa exista um espaço reservado para a oração “em conjunto”: um “santuário família” que inclua “uma bíblia, uma vela acesa e um mealheiro para a renúncia quaresmal”.

O tempo de Quaresma, que começa com a celebração de Cinzas (14 de fevereiro em 2018), é um período marcado por apelos ao jejum, partilha e penitência, que serve de preparação para a Páscoa, a principal festa do calendário cristão.

Neste contexto, surge a renúncia quaresmal, prática em que os fiéis abdicam da compra de bens adquiridos habitualmente noutras épocas do ano, reservando o dinheiro para finalidades especificadas pelo bispo da sua diocese.

PSP detém em flagrante homem que produzia metanfetaminas em casa

Apreensão PSP em AngraUm homem de 42 anos de idade foi detido, em flagrante delito, no domingo, 14 de Janeiro, pela Polícia de Segurança Pública (PSP) por tráfico de estupefacientes.

A detenção ocorreu em Angra do Heroísmo, ilha Terceira, no âmbito do cumprimento de um mandado de busca e apreensão a uma residência.

No decurso das diligências, foram apreendidas 192 doses individuais de metanfetaminas (“cristal meth”), diversos produtos, objectos e equipamentos relacionados com o tráfico e produção do mesmo, adiantou a PSP no comunicado de actividade policial, enviado às redacções.

O detido foi presente à Autoridade Judicial competente do Circulo Judicial de Angra do Heroísmo.

Entretanto, no dia anterior, 13 de Janeiro, a PSP da esquadra de Ponta Delgada levou a cabo uma operação de prevenção criminal e combate ao tráfico e consumo de estupefacientes, no Bairro Piedade Jovem, nos Arrifes, onde foram abordados nove indivíduos do sexo masculino, com idades entre os 17 e os 24 anos de idade.

“Após revista aos indivíduos, nenhum deles tinha em sua posse qualquer produto estupefaciente ou matéria suscetivel de poder estar relacionada com a prática de algum ilícito criminal e ser apreendida, no entanto nas imediações onde os indivíduos se encontravam, foram encontradas 18 doses de heroína e nove doses de haxixe”, informou a PSP.

No mesmo comunicado, a força policial dá ainda conta da detenção de onze condutores alcoolizados nas estradas açorianas entre os dias 12 e 14 de Janeiro, a par de três homens por violência doméstica, na Povoação, Rabo de Peixe e Santa Cruz das Flores.

Quanto à sinistralidade rodoviária, a PSP registou a ocorrência de 27 acidentes de viação, entre sexta-feira e domingo, dos quais resultaram um ferido grave, cinco ligeiros e danos materiais.

 

 

“Ferrys têm os requisitos necessários para manobrar em segurança”

mestre simão encalhadoNa sequência da notícia publicada na nossa edição de ontem, com o título “Comandante Lizuarte avisou que obras no porto da Madalena iam dificultar operacionalidade dos navios”, o Comandante Lizuarte Machado enviou-nos a seguinte carta: “É efetivamente verdade que em 2011, em documento escrito, chamei a atenção para a operacionalidade do Porto da Madalena, na sequência das obras que ali se iriam realizar, mas esse alerta não teve a ver, pelas razões que abaixo explico, com a questão da manobra de entrada ou saída de navios no porto.

Lido atentamente o documento conclui-se, como aliás era minha intenção, que o enfoque estava justamente na operacionalidade dos navios atracados e com operação de embarque/desembarque com recurso a rampa RO-RO.

Tal devia-se ao facto de o Porto da Madalena estar exposto a Norte / Noroeste, “janela” através da qual se geram dentro do Porto situações de maior instabilidade do espelho liquido e, frequentemente, sobre-elevação do nível da água do mar a que acresce a nova condição de operação dos navios “Mestre Simão” e “Gilberto Mariano” os quais, pela condição de serem “ferrys” exigem maior estabilização da bacia de água. 

Em nenhum momento foi colocada a questão da manobra até porque, colaborei na fase inicial do desenvolvimentos dos projectos dos referidos navios  e a condição de manobra dos mesmos no Porto da Madalena foi, como não podia deixar de ser “passada a pente fino”, não subsistindo quaisquer duvidas relativamente à sua segurança.

Qualquer outra interpretação é pura fantasia. Os referidos navios têm os requisitos necessários e suficientes para manobrar em segurança, como aliás, ao longo do tempo que levam de operação já provaram. Infelizmente os acidentes com homens e máquinas são e, serão sempre, inevitáveis e imprevisíveis.

Quanto à realização de estudos para determinarem as condições de operacionalidade dos Portos do Triângulo devo esclarecer que os mesmos estão já implementados como se pode constatar pelo número de vezes que o Senhor Capitão do Porto da Horta, representante local da Autoridade Marítima Nacional, com mestria, bom senso e enorme profissionalismo, mandou encerrar os referidos Portos à navegação. Como se pode constatar pelas muitas imagens publicas e publicadas, não era condição que se verificasse no passado dia 6 como se verifica pelo número de embarcações que nesse dia demandaram o referido porto; dois reboques, dois Cruzeiros, uma lancha de pilotos e vários semirrígidos.” 

 

Decq Mota defende estudo nos portos do Triângulo

 

O presidente do Clube Naval da Horta (CNH), José Decq Mota, defende a realização de um estudo que determine as condições de operacionalidade nos portos do Triângulo para evitar acidentes como o de sábado com o navio “Mestre Simão”.

“Tenho ideia de que tem de ser estudada a operacionalidade do porto com estes navios, com rigor técnico e científico, recorrendo a homens do mar, a pessoas capazes de avaliar as forças, a inércia dos navios, capazes de avaliar todos os factores, no sentido de depois poder haver decisões claras sobre que meios se empregam em função do tempo que está”, advertiu José Decq Mota.

O dirigente náutico, antigo líder regional e deputado do PCP, desde muito novo ligado às actividades náuticas de recreio, entende que esse estudo é fundamental para que as autoridades possam decidir, previamente, se uma determinada embarcação de transporte de passageiros, tem ou não condições de operar num determinado porto.

“Nós temos de ter a coragem de decidir assim: Não está condições para ir o Mestre Simão ou o Gilberto Mariano, vai outro! Se tem condições para outros, vão outros, se não tem, não vão”, insistiu o presidente do CNH, recordando que no sábado, dia em que o navio “Mestre Simão” encalhou na Madalena do Pico, a ondulação estava muito elevada à entrada do porto.

 

Bebé nasce a bordo do Cruzeiro das Ilhas

 

Um bebé, do sexo masculino, nasceu na madrugada de domingo a bordo da embarcação Cruzeiro do Canal quando esta fazia a ligação entre a ilha do Pico e o Faial.

Segundo a empresa pública de transporte marítimo de passageiros e viaturas nos Açores, a Atlânticoline foi contactada para retirar uma grávida da Madalena do Pico para a Horta, no Faial, num percurso com duração de meia hora.

O barco saiu da Madalena do Pico às cinco da manhã e chegou à Horta meia hora depois, mas o bebé nasceu entretanto, indicou a mesma fonte, acrescentando que o parto foi realizado com a ajuda da equipa de assistência que seguia a bordo.

O bebé, que se encontra bem de saúde, e a mãe foram transportados posteriormente para o Hospital da Horta, adiantou.

Judiciária deteve dois indivíduos por posse de armas proibidas

PJ1A Polícia Judiciária, através do Departamento de Investigação Criminal de Ponta Delgada, no âmbito de investigação em curso, identificou e deteve dois homens  por suspeitas da prática do crime de posse  de arma proibida.

As detenções ocorreram no concelho de Ponta Delgada, no decurso de buscas domiciliárias por indícios  de envolvimento na prática de um crime de sequestro anteriormente ocorrido, tendo sido apreendidos aos suspeitos um conjunto de munições de arma de fogo de calibre proibido, do tipo anti-aérea, e duas armas brancas. 

Os detidos, de 26 e 29 anos, já referenciados policialmente e sem ocupação laboral, foram  presentes à autoridade judiciária competente, para interrogatório e aplicação das medidas coactivas tidas por adequadas.

Homem tenta esfaquear agente na Lagoa

pspUm homem de 30 anos foi detido  na Lagoa, esta Segunda-feira, “por tentativa de homicídio” de um agente de autoridade, com recurso a uma arma branca.

O homem terá tentado esfaquear o agente na via pública perto da residência do elemento policial.

No relatório de actividade da PSP, é ainda avançado que, também na segunda-feira, dois homens, de 18 e 29 anos de idade, foram detidos por tráfico de estupefacientes, em Ponta Delgada.

As detenções ocorreram no decurso de “diversas operações” de combate ao tráfico e consumo de droga, no Bairro das Laranjeiras e no Largo Mártires da Pátria. Além dos dois detidos, foram apreendidas 45 doses de liamba e 214 de haxixe. 

Quanto à sinistralidade rodoviária, a PSP dá ainda conta da ocorrência de oito acidentes de viação na região, esta segunda-feira, dos quais resultaram um ferido ligeiro e danos materiais.