Artigos

Miguel Araújo leva “Casca de Noz” ao Teatro Micaelense

teatro micaelense grande

No próximo Sábado, 1 de Junho, Miguel Araújo sobe ao palco do Teatro Micaelense para apresentar “Casca de Noz”. Sozinho em palco, o músico proporciona um espectáculo intimista, que terá também um pouco de storytelling a pontuar a interpretação dos seus maiores êxitos e de algumas novas canções.

Autor de alguns dos maiores sucessos da música portuguesa contemporânea, como “Anda comigo ver os aviões”, “Os maridos das outras”, “Quem és tu Miúda”, “Nos desenhos animados (nunca acaba mal)”, “Pica do Sete”, “Dona Laura”, ou “Balada Astral”, Miguel Araújo é também escritor. O livro “Penas de Pato – Ver a vida a passar da varanda” inclui crónicas já publicadas na revista Visão, três contos inéditos e outros textos novos. Num mundo onde toda a gente discute as grandes questões, Miguel Araújo detém-se nas pequenas, nos detalhes maravilhosos, nas particularidades ínfimas que nos escapam no dia-a-dia, confirmando a inteligência, a sensibilidade e olhar arguto que lhe reconhecemos da escrita de canções.

Senador John Correia distinguido pelo Município de Ponta Delgada

senador jonh correia homenagemO Município de Ponta Delgada atribuiu, Segunda-feira, a Medalha de Mérito Municipal ao Senador e Comendador John Correia, reconhecendo “os seus feitos na sua vida e na nossa comunidade”.

José Manuel Bolieiro, na cerimónia que teve lugar no Salão Nobre dos Paços do Concelho,  expressou, em nome pessoal e do Município, “a  gratidão e o orgulho que temos em toda a nossa comunidade e em cada um que fez das dificuldades uma oportunidade para vencer na vida e honrar as suas origens nos mais longínquos lugares eventualmente adversos  quanto a uma primeira chegada”. 

Um reconhecimento que é acompanhado por referências concretas. Este ano, sob proposta da Comissão Municipal de Toponímia, Distinções Honoríficas e Património Cultural o Município de Ponta Delgada distinguiu o “ilustre arrifense” John Correia, que já havia recebido a Medalha de Comendador pelo Presidente da República.

Na ocasião, o Presidente do Município enalteceu a capacidade do pontadelgadense João Correia,  aprendiz de canalizador nos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento, de “procurar ir longe das circunstâncias actuais, enfrentando novos desafios e construindo novas circunstâncias”. “Das oportunidades que procurou e desafios que encontrou, soube sair vencedor, o que se constitui como um motivo de orgulho para si e para a sua família, mas também para aqueles que foram o seu berço”, sustentou José Manuel Bolieiro. 

O edil também destacou o simbolismo de homenagear, na pessoa de John Correia, a diáspora açoriana do sonho americano, em pleno feriado municipal da Segunda-feira do Senhor Santo Cristo dos Milagres e no mais nobre salão da cidade. 

“Aos 80 anos de vida extraordinária de João Jacinto Faria Correia faltava acrescentar este dia. Com simbolismo, reconhecimento e memória”, como lembrou José Andrade, autor do livro, lançado Segunda-feira, “John Correia – de aprendiz de canalizador a Presidente do Senado”. José Andrade sustentou que a vida de João Correia é um testemunho exemplar de boa cidadania – na família, na profissão, na comunidade e na política.

João Bosco Mota Amaral, autor do prefácio, por seu turno, referiu tratar-se de um livro de “leitura obrigatória para quem se interessa em conhecer a saga dos emigrantes açorianos na América”. “Aqui está um livro que fazia falta: um trabalho de investigação biográfica sobre um emigrante açoriano, contando as peripécias da sua decisão de emigrar, as dificuldades da sua implantação em terras americanas, o grande e meritório esforço para as vencer e, por fim, a evocação do seu sucesso, prestigiando a sua família e também os nossos Açores, sua terra de origem.”, acrescentou. 

John Correia, numa intervenção pautada pela forte emoção associada à gratidão, agradeceu ao Município de Ponta Delgada, na pessoa do seu Presidente, a homenagem. Deixou, igualmente, uma palavra de apreço a todos os que colaboram no livro e recordou alguns episódios da sua vida, evocando familiares e amigos. 

Recorde-se que a receita da venda do livro reverte integralmente a favor da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Ponta Delgada. 

“John Correia – de aprendiz de canalizador a Presidente do Senado” foi lançado com a  chancela açoriana da Letras Lavadas Edições e terá também uma edição em língua inglesa, com lançamento previsto para o dia 10 de Novembro na cidade de East Providence. 

João Jacinto Faria Correia nasceu na freguesia açoriana dos Arrifes em 1939. Com 13 anos de idade, começou a trabalhar nos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Ponta Delgada, como aprendiz, mestre e encarregado.

Emigrou para os Estados Unidos da América em 1965. Como canalizador, trabalhou em bases navais e hospitais até criar a sua própria empresa comercial de canalizações e aquecimento.

Envolveu-se nas actividades cívicas da comunidade de acolhimento. Foi o primeiro Director português e Vice-presidente do East Providence Credit Union, co-fundador e primeiro presidente da Casa dos Açores do Estado de Rhode Island.

Em 1983, conseguiu ser o primeiro e, ainda, o único emigrante português a ser eleito para o Senado de Rhode Island. Recandidato vencedor em mais quatro mandatos, chegou a vice-presidente e, finalmente, a Presidente Pro Tempore do próprio Senado, tornando-se assim a terceira autoridade política do Estado.

Durante 10 anos, aumentou o salário mínimo em Rhode Island, garantiu as contrapartidas norte-americanas para os Açores e defendeu a identidade portuguesa na Nova Inglaterra.

Teatro Micaelense estreia “Garden” no próximo Sábado

teatro micaelense grandeNo próximo Sábado, 18 de Maio, o Teatro Micaelense acolhe a  estreia de “Garden”, uma criação de Daniel Cardoso para o 37.25 - Núcleo de Artes Performativas.

O espectáculo é a segunda colaboração do coreógrafo e director artístico da companhia Quorum Ballet com o colectivo açoriano, com quem já tinha trabalhado, em 2016, no espectáculo “Lago dos Cisnes”, também apresentado no Teatro Micaelense.

Esta nova criação parte de um olhar sobre 3 dos elementos do colectivo 37.25 – NAP: Catarina Medeiros, Maria João Gouveia e Sara Machado. No início do processo, Daniel Cardoso deparou-se com “três bailarinas, três mulheres em fases muito distintas das suas vidas. Três mulheres com os seus sonhos, as suas expectativas, os seus medos... Mulheres bravas, tímidas, fortes, apaixonadas, ciumentas, atraentes, espontâneas, sensíveis, alegres, envolvidas, inseguras, belas, interessantes... uma enorme inspiração.”. Assim, propôs-se a “desenvolver um trabalho com base na mulher, nas diversas fases da sua vida, no que estas significam, e representam. Um trabalho com uma linguagem sustentada pela interpretação física das ideias.”.

“Garden” é uma produção do 37.25 - Núcleo de Artes Performativas e do Quorum Ballet, com  coprodução do Estúdio 13 e apoio da Direção Regional da Cultura.

Os bilhetes para “Garden” têm um preço de 10 euros.

Projecto imobiliário de seis milhões de euros avança na Ribeira Grande

Gaudêncio - empresa imobiliário AlcapemaO presidente da Câmara da Ribeira Grande, Alexandre Gaudêncio, recebeu no Salão Nobre dos Paços do Concelho os responsáveis da empresa Alcapema – Turismo e Imobiliária, LDA., para apresentação de um novo projecto imobiliário que vai nascer na cidade.

O empreendimento, a construir na avenida José Nunes da Ponte, na zona do Monte Verde, prevê a construção de trinta apartamentos e doze espaços comerciais numa área total de 5600m², num investimento de seis milhões de euros.

Para Alexandre Gaudêncio, este é mais um “sinal inequívoco do crescimento que se tem assistido na Ribeira Grande”, um concelho “cada vez mais apetecível para os investidores que reconhecem as mais-valias que advêem da aposta que a autarquia tem vindo a fazer na dinamização do concelho com claros benefícios para a economia”, referiu.

O edil destacou que “este empreendimento ganha maior relevância por se tratar de um investimento em habitação que vai ajudar a colmatar uma necessidade”, realçando também o facto de ser desenvolvido por “uma empresa cujos sócios gerentes são naturais da Ribeira Grande, o que reflecte a vontade que as pessoas têm em investir na sua terra.”

O projecto, assinado pela Mood Arquitetos, já deu entrada na autarquia para licenciamento, decorrendo agora a tramitação legal.

 

Coliseu recebe hoje espectáculo solidário por Moçambique

coliseu micaelense“Todos Solidários. Moçambique Precisa. Ponta Delgada apoia” é já hoje, às 21h30, no Coliseu Micaelense.

O espectáculo solidário, idealizado e promovido pela Câmara Municipal de Ponta Delgada com o apoio do Coliseu Micaelense e reúne vários artistas regionais. A Banda da Zona Militar dos Açores, Cavaleiros da Távola dos Queijos, Coral de São José, Escola de Violas da Relva, Estúdio 13 – Espaço de Indústrias Criativas (Maria João Gouveia), Luís Alberto Bettencourt, Luís dos Anjos, Maria Amélia Lopes, Músicas do Mundo (Pilar Silvestre, Luís A. Bettencourt e Paulo Bettencourt), Rancho Folclórico de Santa Cecília da Fajã de Cima, Stereo Mode, Tunídeos – Tuna Masculina da Universidade dos Açores e Vânia Dilac & The Soulmates vão, na noite de hoj,e colocar o seu talento ao serviço de Moçambique.

Música, dança e poesia compõem o espectáculo que será apresentado por Vasco Pernes.

Os ingressos, que custam 10 euros, podem ser adquiridos na Bilheteira do Coliseu e em bol.pt. 

Recorde-se que a passagem do ciclone Idai por Moçambique devastou territórios inteiros e causou centenas de mortos, sendo descrita, pelas agências internacionais de ajuda humanitária, como o pior desastre no sudeste da África em duas décadas.