Artigos

Diocese de Angra lança vinho de Missa com Marca Açores esta sexta-feira

vinho missaA partir do próximo dia 3 de Janeiro o vinho utilizado na celebração eucarística nas igrejas açorianas terá a marca Açores e é produzido no Pico pela Adega Vitivinícola com o rótulo Lajido Reserva 2004- Vinho de Missa.
Trata-se de um lote de 3000 garrafas de Lajido especialmente aprovado pelo Bispo de Angra, de acordo com o que está previsto no Direito Canónico, por se tratar de um vinho “quase puro”, sem aditivos ou outras misturas, a não ser uma percentagem “mínima” de aguardente.
“Como este lote de vinho Lajido reunia todas as condições para poder vir a ser consagrado na Eucaristia e, atendendo ao facto de se tratar de um vinho açoriano, a Diocese optou por um produto regional em vez de estar a importar vinho de missa do continente”, disse ao Portal da Diocese o ecónomo Pe Adriano Borges.
O Lajido é um vinho Licoroso de qualidade, produzido a partir da vinha que constitui a Paisagem Protegida do Pico, declarada Património da Humanidade pela UNESCO, e é um descendente direto do famoso “Verdelho” que levou o nome da Ilha do Pico às mais requintadas mesas da América e da Europa, até à corte dos Czares da Rússia.
Pôs-se o nome de Lajido, justamente a evocar o manto ardido de basalto que foi em todos os tempos o verdadeiro Solar do Velho “Verdelho”.
Com propriedades singulares, muito apreciado quer como aperitivo quer como digestivo, é um vinho “delicadamente perfumado e muito fresco”.
Este vinho Lajido Reserva 2004 reúne “as cepas de Verdelho, Arinto dos Açores e Terrantez do Pico que são plantadas, há mais de quatro séculos, nas encostas da rocha basáltica e abrigadas da salsugem do mar pelos muros dos currais”, como se pode ler no rótulo.
A diocese comprou o lote das três mil garrafas que irá colocar em todas as paróquias da região, que habitualmente consomem por ano entre 1200 a 1500 garrafas de vinho de missa.
Apesar de ser “um pouco mais caro” do que o vinho que tem sido utilizado até hoje, “tem maior qualidade e a sua certificação de acordo com as regras estipuladas é muito mais credível”, acrescentou ao Portal da Diocese Adriano Borges.
Este vinho vai ser agora disponibilizado a todas as paróquias e colocado à venda naqueles que são os revendedores habituais, nomeadamente a livraria da Diocese, por forma a que “quem quiser comprar este vinho o possa fazer”, disse ainda o ecónomo.
“Para a Diocese é um orgulho utilizar vinho regional e, sobretudo, sentimos que estamos a contribuir para divulgar e escoar um produto açoriano de qualidade e simultaneamente contribuímos para o desenvolvimento da economia regional”, conclui Adriano Borges.
Esta produção é limitada, mas a Diocese admite manter a parceria certificando um novo lote no futuro que pode ser do Pico ou de outra região vitivinícola dos Açores que reúna as condições de produção do vinho, de acordo com o que é definido canonicamente.      

Diocese de Angra

Escola de Formação Turística e Hoteleira apostou este ano na área de profissionais activos

Escola hoteleiraDe acordo com o director da Escola de Formação Turística e Hoteleira (EFTH), este ano, foi feita uma aposta forte na área de profissionais activos, sendo que pretende dar mais-valias técnicas.
Filipe Rocha destaca igualmente a promoção turística da região, nas participações nacionais e internacionais.
De acordo com a rádio Atlântida, o director da EFTH considera ainda que, e no âmbito do trabalho que tem sido desenvolvido ao longo dos anos, as formações ministradas tem sido uma mais-valia, sendo que a qualidade demonstrada continua a ser um desafio.
Em Portugal, a EFTH estabeleceu importantes parcerias com a rede de Escolas de Hotelaria do Turismo de Portugal, a Associação dos Directores de Hotéis de Portugal e a Associação de Cozinheiros Profissionais de Portugal, destinadas sobretudo ao apoio na organização de acções de formação.
A nível internacional a EFTH tem uma importante colaboração com a Universidade Johnson & Wales, Providence, EUA.
Ainda no âmbito das parcerias com os EUA, anualmente há um grupo de alunos formados na EFTH que participa num programa internacional de estágios no Walt Disney Resort, Orlando.
Ao nível da formação de activos, a EFTH iniciou em 2010 uma colaboração com a prestigiada Ducasse Education, Paris, recorrendo a esta entidade para cursos de aperfeiçoamento de profissionais de cozinha.
Para além disto, a EFTH é associada da Associação Europeia de Escolas de Hotelaria e Turismo (AEHT), entidade com mais de 400 membros em toda a Europa, participando e organizando regularmente competições e eventos internacionais que proporcionam importantes experiências para os formandos e formadores.
A Escola de Formação Turística e Hoteleira (EFTH) iniciou a sua actividade a 23 de Setembro de 2002. Um estabelecimento de ensino que ministra cursos de formação inicial (nível IV e Qualificação pós-12º ano) e formação contínua nas áreas de cozinha, pastelaria, restaurante, bar, recepção, turismo, gestão hoteleira e de restauração, e serviços de andares e quartos. 
A escola disponibiliza também serviços de consultoria em diversas áreas, com particular enfoque para a restauração.

Três pessoas resgatadas do mar em naufrágio

marTrês tripulantes de duas embarcações foram resgatados do mar nos Açores no domingo, depois de um dos barcos ter dado o alerta de afundamento e de o segundo ter seguido em seu auxílio, informou ontem a Marinha.
De acordo com um comunicado divulgado à imprensa, a embarcação “In-Consciência”, registada em Angra do Heroísmo e com oito metros de comprimentos, começou a afundar-se a uma milha náutica a sul da linha entre o ilhéu das Cabras e o Monte Brasil, na ilha Terceira, com duas pessoas a bordo.
Segundo a agência Lusa, a “Severa”, que “seguia em seu auxílio, acabou também por ficar em dificuldade”.
O alerta foi dado pelas 07:00 locais (08:00 em Lisboa) e foi mobilizada uma lancha salva-vidas do Instituto de Socorros a Náufragos, mas uma terceira embarcação que navegava na zona, denominada “Abismo”, antecipou-se na recolha dos três tripulantes, portugueses e com idades entre os 30 e 40 anos.
Os três náufragos receberam tratamento hospitalar em Angra do Heroísmo por apresentarem indícios de hipotermia, mas já tiveram alta e estão “bem de saúde”.
A “Severa” foi entretanto rebocada e a “In-Consciência”, que se afundou, não constitui, segundo a Marinha, perigo para a navegação.
No momento do acidente, o vento soprava moderado de sudoeste e a ondulação, de noroeste, era de três metros, refere ainda o comunicado.

Bispo de Angra diz que a partir de Belém se põe em marcha uma nova sociedade

Bispo de AngraO Bispo de Angra pediu a todos os cristãos que “não tenham medo” e optem pela construção de um caminho de justiça, de amor e de paz, “fora dos jogos de poder que dominam o mundo”, durante a homília da Eucaristia de Natal, na noite de Natal, na Sé de Angra, refere um artigo publicado no Portal da Diocese.
“A partir de Belém põe-se em marcha uma nova sociedade não dominada pelo apego aos bens materiais, necessários, mas que não se podem tornar a única finalidade da vida humana. O Mistério do Natal é o outro reverso da medalha, na história da humanidade. O Deus, feito homem, segue o caminho do amor gratuito e solidário, fora dos jogos de poder que dominam o mundo”, disse o Prelado Diocesano.
D. António de Sousa Braga apelou, por isso, à simplicidade e à verdadeira solidariedade com espírito de sacrifício, tal como Jesus que nasceu, se fez homem e morreu na cruz por amor.
O “seu caminho é também o nosso”, referiu o Bispo lembrando que “no meio de toda esta crise, podemos e devemos esperar dias melhores, mas isso não acontecerá sem o nosso sacrifício, sem o nosso empenho e entrega, sem a sobriedade de vida, que torna possível a partilha e entreajuda, a justiça e a equidade”.
Para que esta “entrega” seja genuína tem de haver fé “pura e sem falsos apoios”, acrescenta D. António de Sousa Braga porque “só assim começa a aparecer o verdadeiro rosto do Deus da Bíblia: um Deus que interpela, que incomoda e que desafia. Que não responde, pergunta. Que não soluciona, põe em conflito. Que não facilita, dificulta. Não explica, complica. Não gera crianças, faz adultos.”
Para o Bispo de Angra este é “o verdadeiro Deus libertador”, que “nos arranca das nossas inseguranças, ignorâncias e injustiças, não fugindo delas, mas enfrentando-as e superando-as”.
É este o exemplo do caminho que qualquer cristão deve seguir, exorta o Bispo de Angra, sobretudo numa altura de grande “aflição” em, que a “grande crise nos domina”.“Que caminho procuramos e seguimos? Não há outro caminho para a realização da Promessa de Deus. Por isso, não tenhamos medo da grande crise, que estamos a atravessar. Temos é de a assumir e enfrentar, realizando as mudanças necessárias, para seguirmos o caminho, inaugurado em Belém pelo Filho de Deus, feito Homem”.
O Bispo de Angra lembrou, ainda, que as crises devem ser encaradas como “momentos oportunos de mudança”, o que faz deste momento particular da história da humanidade, “um momento de graça, conclui.

Governo alarga Programa de Apoio à Revitalização das Lojas dos Centros Urbanos

Pessoas na rua - PDLO Governo Regional decidiu introduzir algumas alterações ao Programa de Apoio à Revitalização das Lojas dos Centros Urbanos - LOJA+, de forma a torná-lo “mais abrangente e operacional”.
De acordo com nota de imprensa emitida pelo Gabinete de Apoio à Comunicação Social (GaCS), as alterações, publicadas ontem em Jornal Oficial, “ampliam as tipologias de espaços comerciais e actividades consideradas elegíveis e clarificam o processo de candidatura e respectivo formulário”.
O programa LOJA+ foi criado pelo Governo Regional com o objectivo de “imprimir uma nova dinâmica aos centros urbanos, revitalizar o tecido empresarial e recuperar o património edificado, apoiando a instalação de novos estabelecimentos comerciais nos centros urbanos e requalificando os espaços devolutos do comércio tradicional”.
São abrangidos por este programa os estabelecimentos comerciais localizados nos centros urbanos da Região que se encontrem devolutos e onde serão desenvolvidas actividades nos sectores de comércio e serviços, incidindo os apoios no arrendamento do estabelecimento comercial e/ou na requalificação do espaço comercial.
As candidaturas poderão ser apresentadas na SDEA–Sociedade para o Desenvolvimento Empresarial dos Açores, nos Serviços de Ilha da ice-Presidência do Governo ou, ainda, via Internet, no sítio www.investinazores.com, onde está disponível o modelo de formulário.

Mais Lidas nos últimos 3 dias