Artigos

Rua junto à Universidade inaugurada com o nome de Fátima Sequeira Dias

Rua Fátima Sequeira Dias

Foi ontem inaugurada a Rua Fátima Sequeira Dias, em São Gonçalo, a norte do campus universitário, freguesia de São Pedro, concelho de Ponta Delgada.

Na ocasião, o presidente da Câmara Municipal destacou a simbologia da data - aniversário da cidade - e do local escolhidos para esta “justa homenagem”. 

“Fátima Sequeira Dias representa muito para Ponta Delgada”, afirmou José Manuel Bolieiro, defendendo a “valorização da memória e do legado” da historiadora, investigadora e professora universitária, que faleceu em 2013.

A toponímia cumpre com o propósito de “distinguir, homenagear e honrar as pessoas, a sua vida e obra” e apresenta-se como um “elemento decisivo da História”, sublinhou o autarca.

 

Novo núcleo da 

biblioteca municipal com 

acervo da historiadora

 

A Câmara Municipal, anunciou o Presidente, vai também criar um núcleo da Biblioteca Municipal Ernesto do Canto dedicado a Fátima Sequeira Dias. Situado na Rua de Lisboa, freguesia de São José, vai reunir o acervo da “mulher apaixonada pelo conhecimento”, constituído por mais de 10 mil livros e mais de 20 mil manuscritos, e doado ao município pela família. 

Na cerimónia de inauguração da Rua Fátima Sequeira Dias, o filho Rodrigo agradeceu ao Município a homenagem e congratulou-se com o facto de, passados seis anos do falecimento da mãe, continuar “a ver tanto carinho e tanta amizade”. Destacou o espírito alegre de Fátima Sequeira Dias, o seu trabalho intelectual e o seu lado humano. 

A apresentação de Fátima Sequeira Dias ficou a cargo da colega e amiga Leonor Sampaio, que enfatizou o amor que a homenageada tinha pela sua cidade de Ponta Delgada, recordou o seu percurso profissional, notabilizando-se na investigação das minorias (judeus e mulheres) e de conteúdos de enorme responsabilidade social e empresarial. 

Frisou que a homenageada queria “ser recordada como boa pessoa” e manifestava uma enorme alegria de viver. “Esta é uma justa e merecida homenagem”, concluiu. 

 

PSP e GNR avançam com operação “Duas ou quatro rodas, há espaço para todos”

PSP - camisaDesde ontem e até ao dia 7 de Abril, a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), a Polícia de Segurança Pública (PSP) e a Guarda Nacional Republicana (GNR) promovem a operação “Duas ou quatro rodas, há espaço para todos”.

Durante uma semana a GNR e a PSP irão reforçar as respectivas acções de fiscalização, de norte a sul do país, incluindo os Açores, numa atitude proactiva e dissuasora da sinistralidade rodoviária, através da intensificação das acções de fiscalização de trânsito, visando a coexistência e partilha da via, de forma segura e responsável, entre automóveis e motociclos.  

As acções de fiscalização rodoviárias irão incidir especialmente sobre as seguintes infracções:  excesso de velocidade; ultrapassagens irregulares; mudanças irregulares de vias de trânsito; não sinalização de manobras; desrespeito pela sinalização; desrespeito pelas regras de prioridade; deficientes condições de segurança dos veículos; não utilização ou utilização incorrecta de dispositivos de segurança. 

De acordo com as boas práticas da segurança rodoviária da Comissão Europeia, as acções de fiscalização serão acompanhadas por uma campanha de sensibilização sobre os comportamentos de risco acima referidos.

Na componente de sensibilização foram produzidos folhetos que serão distribuídos ao público-alvo pela GNR e pela PSP. Esses materiais estarão também disponíveis nas instalações do IMT, em 136 motoclubes – parceria com a Federação Portuguesa de Motociclismo – e em cerca de 250 concessionários de veículos de duas rodas a motor, numa parceria com a Associação Automóvel de Portugal.

Com o objectivo de maximizar a eficácia na transmissão da mensagem, serão utilizados os seguintes suportes de divulgação: Canais de TV,  imprensa escrita especializada, generalista, regional, digital e internet.

Os conteúdos estão acessíveis através do seguinte link:  https://we.tl/t-bA5yjb6JiR.

473.º aniversário de Ponta Delgada assinalado Terça-feira com vários eventos

camara PDLO 473.º aniversário da cidade de Ponta Delgada vai ser assinalado na próxima Terça-feira, 2 de Abril, com diversos eventos. Destaque para a atribuição da Medalha de Mérito Municipal a três cientistas de Ponta Delgada: Alexandre Linhares Furtado, António Frias Martins e Victor Hugo Forjaz.

A cerimónia de entrega oficial das três Distinções Honoríficas Municipais, com intervenção de Conceição Tavares, está agendada para as 18h00 no Salão Nobre dos Paços do Concelho. 

Este ano o Município de Ponta Delgada decidiu valorizar e projectar a área determinante da investigação empreendida a partir de Ponta Delgada como contributo estratégico dos Açores para Portugal e para o Mundo, reconhecendo personalidades marcantes, associadas à cidade, que se notabilizaram por diferentes caminhos da investigação científica. 

O médico Alexandre José Linhares Furtado (1933) foi o autor do primeiro transplante renal realizado em Portugal e da primeira colheita de rins de cadáver, impulsionador do programa de transplantação hepática pediátrica, que originou a optimização de novas técnicas a nível mundial, e introdutor de terapêuticas médicas complementares ou neoadjuvantes na área oncológica. 

António Manuel de Frias Martins (1946), biólogo, Professor Jubilado da Universidade dos Açores, especializado em Sistemática e Evolução de Moluscos, foi presidente da Associação Mundial de Malacologia e coordenador do Pólo Açores do Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos. Organizou o Congresso Mundial de Malacologia em Ponta Delgada e é presidente da Sociedade Afonso Chaves. 

Victor Hugo Lecoq de Lacerda Forjaz, vulcanólogo, Professor Jubilado da Universidade dos Açores, especializado em Riscos Geológicos e Vulcanológicos e em Ciências Geotérmicas, foi cofundador da International Society of Planetology e fundador do Instituto de Geociências dos Açores. Foi director do Programa Geotérmico dos Açores. É presidente do Observatório Vulcanológico e Geotérmico dos Açores. 

O aniversário da cidade açoriana vai ser assinalado com outros eventos de carácter cultural e distintivo. Às 10h30, na Escola Básica Integrada Roberto Ivens, tem lugar o lançamento do livro infanto-juvenil “À Descoberta de Ponta Delgada” de Maria João de Figueiroa Rego e Luís Anglin. 

Às 12h00, será descerrada a placa toponímica da “Rua Fátima Sequeira Dias”, com intervenção de Leonor Sampaio da Silva, em São Gonçalo (no arruamento a norte do campus universitário, freguesia de São Pedro). Às 13h00, no Largo da Matriz de São Sebastião, actua a Banda da Zona Militar dos Açores, dirigida pelo maestro Hélio Soares. Às 16h00, vai ser lançado, no Auditório do Centro Cívico de Santa Clara, o Guia Digital de Informação Toponímica da Cidade de Ponta Delgada pela Comissão Municipal de Toponímia, Distinções Honoríficas e Património Cultural. 

No Campo de São Francisco, freguesia de São José, vai ter lugar a apresentação do arranjo de dignificação do “Banco de Antero”, com participação literária de alunos da Escola Secundária Antero de Quental. 

Após a sessão de atribuição das Medalhas de Mérito Municipal, descrita anteriormente, e pelas 21h00, a Igreja do Colégio dos Jesuítas acolhe o concerto “O Barroco de Dom Magnânimo” pelo Concentus Per Tempora – Ensemble. 

Os sete eventos promovidos pela Câmara Municipal de Ponta Delgada para assinalar o 473.º aniversário de elevação a cidade são de acesso livre.

Abertura de resort de quatro estrelas na Lagoa prevista para Junho

Sul Villas  SPA ResortA presidente da Câmara Municipal da Lagoa visitou ontem as obras do Sul Villas & SPA Resort, empreendimento turístico de 4 estrelas com abertura prevista para Junho, que está a ser construído na Rua Dr. Filomeno da Câmara, na freguesia de Santa Cruz.

Trata-se de um investimento privado, orçado em 2 milhões de euros, que apresenta um conceito diferenciador, com “vilas” individuais com vista para o mar. 

Para Cristina Calisto, o empreendimento hoteleiro trará “prestígio à Lagoa, nomeadamente envergando mais turismo e desenvolvimento para o concelho”. 

“Numa perspectiva cultural e económica, terá um impacto na promoção da Lagoa”, refere a autarca, acrescentando que “melhorará a economia local, designadamente a restauração, comércio e hotelaria, marcando assim a nova face de desenvolvimento que a Lagoa está a atravessar com o aparecimento de investimentos, nomeadamente o Hospital Internacional dos Açores, bem como, de futuro, a construção do Hilton”.

O resort prevê 20 unidades turísticas, com três conceitos diferentes de tipologia. O volume de edifício de serviços será composto por um espaço de lavandaria e arrumos, bem como um espaço de sauna, ginásio e respectivos balneários. Haverá também, uma sala de refeições, com refeições ligeiras, uma sala de estar, uma zona exterior com esplanada e uma grande piscina do empreendimento.  

As unidades de alojamento, de tipologia T1, possuirão um hall, kitchenette integrada no espaço da sala, closet, quarto e um terraço privado, com uma pequena piscina para cada “vila”. 

Já o empresário e proprietário do Sul Villas, Rodrigo Herédia, refere que a localização do futuro empreendimento turístico foi “paixão à primeira vista”, acreditando que este será um “oásis dentro de uma cidade”, com “a sua cor branca, por forma a não ferir a vista, e com o enquadramento do mesmo, que irá garantir uma grande privacidade”.

 

Festival Caloura Blues vai estar presente no European Blues Market

caloura bluesO Caloura Blues vai estar presente, nos dias 5 e 6 de Abril, no “European Blues Market”, uma feira de actividades económicas ligadas ao mundo da música, que terá lugar nas Portas do Mar, em Ponta Delgada. Este evento acontece a par do “European Blues Challenge”, o maior concurso de bandas de blues, onde irão participar 22 países. 

A 2ª edição do festival Caloura Blues, de 26 a 27 de Julho, na Baixa D’Areia, tem o seu cartaz fechado, com o norte-americano Boo Boo Davis, o músico português Paulo Gonzo, The Ramblers e Luís Barbosa Band.

No primeiro dia do festival, São Miguel vai receber em palco a estreia absoluta de Boo Boo Davis em Portugal. O músico norte-americano pertence à última geração de músicos que escreve e toca ao vivo o Blues que viveu das dificuldades sentidas na região do Delta do Mississipi. Em 2007, Boo Boo foi convidado para actuar no festival Pocono Blues, um dos maiores festivais de blues nos EUA, e actuou na BBC Radio One, no Canadá. Actualmente, Boo Boo tem 10 álbuns, editados pela editora Black and Tan. O álbum “Drew, Mississipi” foi considerado, pela revista Mojo, um dos 10 melhores álbuns de blues de 2016.

A dar as boas-vindas à nova edição do Caloura Blues estará Luís Barbosa Band, que com os seus companheiros vão apresentar na sua terra natal “Dust to the Sky”, um álbum digital lançado em 2017. Tudo começou em 2010 quando Luís começou a explorar diversas sonoridades, criando temas da sua autoria que ziguezagueavam entre o Blues, o Rock e o Funk. Com o pretexto de querer levar o projecto mais longe, Luís convida Dino Oliveira, Pedro Silva e Bem Oliveira a embarcarem nesta nova aventura. Nos últimos anos, a banda tem passado por palcos como Festival Monte Verde, Mais Jazz, Jardim Sagres Fest, Raíz Club, Baía dos Anjos e Portas da Cidade.

O segundo e último dia do festival abre as portas ao regresso do Blues e Soul de Paulo Gonzo com o álbum “By Request”, influência que o artista sempre assumiu, desde os primórdios na Go Graal Blues Band. “By Request” representa o regresso às origens de Paulo Gonzo. Mais do que uma homenagem aos mais variados nomes do Blues, o músico português desejava há algum tempo poder compilar num só disco as músicas que sempre quis cantar, nomeadamente “These arms of mine”, “Midnight hour”, “Let’s stick together” ou ainda o primeiro single “That’s Life”, de Frank Sinatra, verdadeiros hinos do Blues norte-americano.

Ainda antes de Paulo Gonzo encerrar a segunda edição do Caloura Blues, estão em cena The Ramblers. De Norte a Sul do país são já vários os palcos que a banda de Lisboa pisou com o cognome de “Piratas dos Blues”. Pelo mundo fora, abriram concertos de B.B King, Ian Siegal, Carvin Jones e ainda Blasted Mechanism. Em 2018, The Ramblers foram os vencedores do festival ibérico Sube Rock, o que lhes permitiu gravar o novo trabalho, “Corcel Kennedy”, que se juntou ao primeiro e segundo EP, “The Ramblers” (2010) e “Yer Vinyl” (2012), respetivamente, e ao primeiro álbum, “Wet Floor” (2015).

O festival, que só teve uma primeira edição o ano passado, organizado pela Câmara Municipal de Lagoa, numa produção dos Ninemedia, está nomeado em quatro categorias dos Iberian Music Awards: Best New Festival, Best Small Festival, Best Communication e Best Live Performance com Maria João & Buddha Power Blues.