Açorianos convidados a participar no Orçamento Participativo de Portugal

Pessoas na rua PDLO Orçamento do Estado para 2018 dotou o Orçamento Participativo de Portugal (OPP) com uma verba de cinco milhões de euros, dos quais 625 mil euros são para a execução de projectos da iniciativa de cidadãos nos Açores.

Este ano, e considerando que está em curso a primeira edição do Orçamento Participativo dos Açores (OP Açores), a Região dispõe de mais de 1,2 milhões de euros para execução de projectos de investimento público propostos por iniciativa cívica.

O OPP, tal como o OP Açores, não restringe a residência dos cidadãos proponentes, encontrando-se aberto a ideias de todo os cidadãos nacionais ou estrangeiros com residência legal em Portugal, com 18 ou mais anos, em todas as áreas da governação.

Assim, vão decorrer esta semana nos Açores dois Encontros Participativos que contam com a presença da Secretária de Estado Adjunta e da Modernização Administrativa, Graça Fonseca.

Os encontros, abertos a todos os interessados, vão decorrer amanhã, pelas 18h00, nos Serviços do Desenvolvimento Agrário de São Miguel, em Ponta Delgada, e a 20 de Abril, pelas 17h30, no Auditório do Ramo Grande, na Praia da Vitória.

As propostas podem ser submetidas até 24 de Abril, através do endereço electrónico https://opp.gov.pt ou nos encontros participativos, sendo que, depois de validadas, ficam disponíveis para consulta no sítio do OPP na internet, decorrendo, de 11 de Junho a 30 de Setembro, a fase de votação dos projectos.

Na primeira edição do OPP, que contemplou propostas nas áreas da Justiça e da Administração Interna, foram quatro os projectos açorianos vencedores, o que se traduziu num investimento público de 400 mil euros na Região.

Até ao momento, já foram submetidas online e apresentadas nos encontros participativos mais de 450 propostas por cidadãos de todo o país, das quais sete foram efectuadas por cidadãos residentes nos Açores, nas áreas da Cultura, Educação, Desporto e Juventude, Igualdade e Cidadania, Justiça e Saúde.

O Orçamento Participativo de Portugal visa reforçar a qualidade da Democracia, envolver os cidadãos nos processos de decisão e estimular a coesão económica e social, potenciando o surgimento de projectos que liguem pessoas de diferentes territórios.

Ageas Seguros disponibiliza oferta abrangente nos Açores

ageasA Ageas Seguros está presente em todo o território nacional e o arquipélago dos Açores não é excepção. De forma a ir ao encontro das expectativas e necessidades dos clientes, e de todos os que necessitem de protecção e serviços de seguros nos Açores, a Ageas Seguros disponibiliza uma equipa de consultores profissionais e dedicados que analisam cada caso e encontram as soluções que melhor respondem às necessidades de cada cliente.

Com uma gama de seguros abrangente, que inclui seguros Automóvel, Saúde, Vida e Financeiros, Acidentes de Trabalho, Responsabilidade Civil, Acidentes Pessoais ou Casa, a Ageas Seguros tem inúmeras soluções que ajudam a gerir, antecipar e proteger os clientes contra os mais variados imprevistos do dia a dia.

Conforme explica Gustavo Barreto, Director da Distribuição e Marketing da Ageas Seguros, “queremos apostar cada vez na abrangência, quer ao nível da oferta e serviços, quer a nível territorial com as nossas equipas comerciais especializadas e certificadas. A presença de consultores exclusivos nos Açores, é claramente uma continuidade desta estratégia de proximidade local. Melhor do que ninguém, a equipa local conhece as necessidades da população açoriana, e como responder às mesmas,” frisou este responsável. 

 

Nonagon recebe debate sobre importância da economia circular na Região

NonagonA Fibrenamics Azores vai organizar, no dia 18 de Abril, o workshop “A importância da Economia Circular nos Açores”, que terá lugar às 14horas, no Nonagon - Parque de Ciência e Tecnologia de São Miguel, na Lagoa.

A empresa salienta que o workshop é uma iniciativa “que se enquadra na estratégia que a Fibrenamics tem vindo a desenvolver ao longo dos últimos dois anos, nos Açores, e cujo objectivo consiste em trazer a debate a transição daquele que é o modelo de economia linear para uma economia circular”.

No encontro, estará em debate “a importância da sustentabilidade para o crescimento da Região, de que forma esta questão da sustentabilidade poderá influenciar o crescimento das indústrias e ainda tentar perceber quais são os constrangimentos e oportunidades que se colocam aos agentes económicos nesta área”, explica a organização. 

Serão ainda apresentadas estratégias que, segundo a Fibrenamics, “permitirão ao arquipélago efectivar uma transição de uma economia linear para uma circular, aproveitando também para elucidar todos os participantes para a forma como a inovação tecnológica que a Fibrenamics aporta aos projectos e às empresas pode servir como exemplo nesta transição”.

A sessão contará com a presença da Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo, Marta Guerreiro, e do coordenador da Plataforma Internacional Fibrenamics, Raul Fangueiro, na sessão de abertura. A par da apresentação da Fibrenamics Azores por parte de Fernando Cunha, haverá também um momento de tertúlia, “que reúne um conjunto de entidades de relevo da região e que ajudarão a perceber quais as principais oportunidades para as empresas do sector agrícola, da pecuária, agroindústria, pesca e mar, e turismo”, salienta a organização. Contará com a moderação de Paulo Simões e com a participação do Director Regional da Ciência e Tecnologia, Bruno Pacheco, do coordenador da Fibrenamics, Raul Fangueiro, do Presidente da Associação do Turismo dos Açores, Francisco Coelho, e do Presidente da Associação Agrícola de São Miguel, Jorge Rita.

 

Aeroportos dos Açores com 4,5% de crescimento de passageiros

aeroporto - passageirosO número de passageiros registados nos aeroportos nacionais entre Janeiro e Março aumentou 12% em relação ao mesmo período de 2017, com a passagem de 10,4 milhões de pessoas por estas infraestruturas.

Segundo os números divulgados pela Vinci Airports – dona da ANA - o maior crescimento entre os 10 aeroportos geridos pela multinacional francesa registou-se em Lisboa, com uma subida homóloga de quase 16%, para os 6 milhões de passageiros – mais de metade do total nacional. 

Na Madeira o fluxo cresceu 2,4% para 702 mil pessoas, enquanto os aeroportos dos Açores processaram 382 mil passageiros, um crescimento de 4,5% face ao mesmo período do ano passado.

A variação do tráfego nos aeroportos portugueses ficou acima da média registada pelo grupo Vinci – onde a subida foi de 11,6% - e só foi superada pelas subidas de 26,1% nos aeroportos do Camboja e de 14% no Chile. Contudo, o número de passageiros processados nestes aeroportos fica abaixo dos registados em Portugal.

Por número de passageiros, apenas os aeroportos geridos pela Vinci no Japão – 11,27 milhões no primeiro trimestre - superam os registados em Portugal, que representou 26% do total de 38,6 milhões de passageiros processados em todos os aeroportos do grupo.

Açores com menos leite para consumo e mais queijo e manteiga

produção produtos lácteosOs Açores produziram nos dois primeiros meses do ano menos leite para consumo, mas aumentaram a produção de queijo, manteiga, iogurte, natas e leite em pó.

De acordo com os dados do SREA (ver quadro), o acumulado de Janeiro e Fevereiro deste ano regista 23, 9 milhões de litros de leite para consumo, menos do que os 24 registados nos primeiros dois meses do ano passado.

Em contrapartida foram produzidos mais produtos com valor acrescentado, com destaque para a manteiga e queijo.

O leite em pó, que tinha registos no ano passado de menor produção, aumentou também nestes primeiros dois meses.