Edit Template

Mau tempo provocou realojamento de um família em Santo António

O Serviço Municipal de Proteção Civil de Ponta Delgada registou dezenas de ocorrências em oito freguesias do Concelho, nomeadamente nos Ginetes, Feteiras, Mosteiros, Santo António, Capelas, Remédios, Ajuda da Bretanha e Santa Bárbara, devido ao mau tempo ocorrido na terça-feira em S. Miguel.As situações reportadas estão relacionadas com quedas de árvores, inundações e deslizamentos de terras, que provocaram a obstrução de vias municipais. Houve ainda a necessidade de proceder ao realojamento de uma família da freguesia de Santo António.O Executivo camarário acompanhou os trabalhos desenvolvidos pela Protecção Civil Municipal, Departamento de Desenvolvimento Social e equipas de manutenção das vias municipais, durante a operação de limpeza e apoio à população do concelho de Ponta Delgada, que foi afectada pela forte precipitação registada ao longo da madrugada. A nível das estradas tiveram de ser interditas ruas nas freguesias de Santo António, Capelas, Remédios, Ajuda da Bretanha e Santa Bárbara, por terem ficado obstruídas ou por não garantirem condições de segurança para a circulação rodoviária.O Presidente do município, Pedro Nascimento Cabral, comunicou que “mais uma vez, a Câmara Municipal promoveu uma acção imediata para minimizar os danos causados pelo mau tempo, garantindo as condições de segurança nas vias municipais e a prestação de auxílio à população. A Protecção Civil e os serviços do município estão ao lado da população desde a primeira hora, trabalhando em conjunto, para responder às necessidades da população”. Recorde-se que, ainda este ano, o Executivo camarário promoveu alterações ao regulamento, que passou a contemplar uma nova tipologia de apoio destinada à habitação degradada por danos resultantes de situações de intempérie, calamidade, catástrofe natural ou incêndio.O valor máximo desse apoio foi fixado em 25 mil euros e, conforme esclareceu o Presidente do município, é aplicado a candidatos em que as casas afectadas se constituam como habitações próprias permanentes, abrangendo agregados familiares cujo valor do rendimento mensal ‘per capita’ seja igual ou inferior a 125% do Indexante dos Apoios Sociais”.O Presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada fez ainda questão de agradecer “todo o empenhamento e profissionalismo”, assim como “a ação rápida, abnegada e articulada” dos quadros técnicos do município.

Edit Template
Notícias Recentes
Indústria do atum alerta para a “morte lenta” do sector nos Açores
Empresários manifestam preocupação com insegurança nas ruas de P. Delgada e consideram que responsáveis estão a falhar
Ryanair propõe reabrir base em Ponta Delgada e reforçar operação
Meloa da Graciosa candidata a produto DOP
Francisco Melo encerra a época com a medalha de bronze
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores