Edit Template

IL quer imóveis devolutos postos à venda

O cabeça de lista da Iniciativa Liberal (IL) pelo círculo eleitoral da ilha Terceira às eleições regionais do próximo dia 4 de fevereiro, Pedro Ferreira, defende que a Região deve colocar à venda, na impossibilidade de conseguir investir por conta própria, os mais de 60 imóveis que detém e que estão abandonados e devolutos em toda a ilha, visando resolver problemas de falta de habitação e locais para instalação de empresas.
Fazendo um périplo por alguns imóveis propriedade da Região, na ilha Terceira, e que estão abandonados, Pedro Ferreira prestou declarações junto ao antigo edifício do Instituto de Ação Social, na Rua de São Pedro, em Angra do Heroísmo, “imóvel que até já representa perigo para a segurança de pessoas e bens”.
“Este é mais um exemplo de abandono total a que os Governos Regionais, do PS e da Coligação, têm votado a Terceira.A ilha Terceira está a passar, neste momento, como toda a Região e todo o País, por um problema grave defalta de habitação para as famílias e o Governo Regional, só na ilha Terceira, é proprietário de mais de 60 imóveis que estão, quase todos, ao abandono e devolutos”, constatou.
Neste sentido, defendeu o candidato, “não sendo a Região capaz e competente para recuperar o seu património imóvel, a Iniciativa Liberal, se conseguir eleger um deputado ao Parlamento Açoriano nas eleições do próximo dia 4 de fevereiro, vai apresentar uma proposta para que a Região coloque à venda todos os imóveis de que é proprietária e que estão devolutos e abandonados, para que os privados possam e façam a recuperação necessária para resolver muitos dos problemas de falta de habitação e muitos dos problemas que as empresastêm sentido em encontrar locais para se instalar nas cidades, vilas e freguesias da ilha Terceira”.
“Tem existido uma opção estratégica do Governo Regional de passar muitos dos serviços públicos para imóveis privados, pagando rendas, injetando dinheiro na economia é certo, mas, por outro lado, deixa ao abandono o seu património, perigando contra a segurança de prédios vizinhos, contra a segurança de bens materiais e de pessoas, como, recentemente, aconteceu aqui, com este prédio dos antigos serviços do Instituto de Segurança Social na ilha Terceira”, apontou.
Segundo Pedro Ferreira se, por exemplo, “este edifício que aqui está (em São Pedro) fosse transformado em apartamentos para jovens casais, daria bem à vontade para disponibilizar cerca de uma dezena de apartamentos no centro da Cidade Património Mundial”.
“Infelizmente temos visto a Região continuar a investir na construção de bairros sociais, a que agora, pomposamente, chamam de urbanizações, mas o património da Região está ao abandono e poderia e deveria estar aoserviço das famílias e das empresas. É isso que IL se propõe fazer”, concluiu Pedro Ferreira.

Edit Template
Notícias Recentes
Governo activa regime de apoio á emergência climática
Alexandre Gaudêncio destaca importância do XX Concurso Micaelense da Raça Holstein Frísia
Câmara da Lagoa apresenta ópera “Suor Angelica”
Carreiras dos farmacêuticos no Parlamento
República financia captação de águana Praia da Vitória
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores