Edit Template

10 jovens universitários participam num projecto de formação de animadores juvenis em Rabo de Peixe

Um grupo de 10 jovens universitários, ligados à Companhia de Jesus, está a desenvolver, até Domingo, um projecto de acompanhamento das famílias e formação de animadores juvenis no âmbito do projecto “Rabo de Peixe sabe sonhar”, na vila de Rabo de Peixe, revela o sítio Igreja Açores.
Sete jovens estarão em contacto com as famílias e com outros jovens locais, a quem dão formação. No próximo fim de semana juntar-se-ão mais três. Cinco dos jovens vêm de Lisboa e de Braga e os outros cinco do Porto.
Durante os dez dias que estão em Rabo de Peixe, estes jovens universitários participarão em iniciativas lúdicas, encontros com as famílias, visitarão as salas de aula de Educação Moral e religiosa Católica na principal escola de Rabo de Peixe, envolvendo crianças do segundo e terceiro ciclos.
O projecto “Rabo de Peixe sabe sonhar” começou em 2002, com um grupo de jovens sacerdotes jesuítas.
A Associação que gere este projecto nasceu em 2004 por vontade da Companhia de Jesus, em conjunto com jovens ligados aos Centros Universitários da Companhia, das Escravas do Sagrado Coração de Jesus e das Irmãs Criaditas dos Pobres, que na altura ainda se encontravam também em Rabo de Peixe.
“Durante todos estes anos, é a vida destas crianças e das suas famílias que toca a vida deste Projeto e que continua a animar e a comprometer toda esta equipa” refere a página on-line dos Jesuítas onde se descrevem a missão e as actividades do projecto.
Anualmente, os Jesuítas organizam uma colónia de férias na primeira quinzena de Agosto, mobilizando sempre cerca de 100 crianças, com idades compreendidas entre os 6 e os 15 anos.
“Na colónia são trabalhados diversos valores através de actividades lúdicas, são abertos horizontes através do estímulo da capacidade de sonhar dos jovens e crianças e, acima de tudo, são proporcionados momentos de muita alegria” refere ainda a página on-line dos Jesuítas em Portugal.
Ao longo do ano, o acompanhamento à vila é feito por membros da Direcção da Associação que gere o projecto. A cada dois meses, uma equipa dirige-se à vila, visitando as famílias, acompanhando o núcleo local e dinamizando reuniões de acompanhamento. Através delas torna-se possível acompanhar os jovens que já não têm idade para fazer colónia, ajudando-os a trabalhar os seus sonhos e continuando assim o trabalho desenvolvido nas colónias. A última vês que ali estiveram foi em Outubro do ano passado, mas na visita que agora decorre mobiliza mais jovens o que para o padre Nuno Pacheco de Sousa, pároco de Rabo de Peixe, “é muito vantajoso”.
“O reforço da equipa e o aumento da periodicidade e do tempo em que estão entre nós é mais vantajoso para o projecto e permite um acompanhamento mais próximo e consequente”, referiu ao Igreja Açores o sacerdote.

Edit Template
Notícias Recentes
União Desportiva do Nordeste comemora os 50 anos do clube
2ª edição da formação “Cidadania Digital: Riscos e Oportunidades da Internet”
Bolieiro manifesta oposição à criação de uma taxa turística regional
Actividade ambulatória de Pediatria regressa amanhã ao HDES
Há 5 municípiosnos Açores com mais procura de casas para viver no campo
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores