Edit Template

JPP propõe o fim da privatização da SATA

A candidatura do Juntos Pelo Povo (JPP) às legislativas regionais açorianas propõe no seu programa eleitoral o fim da privatização da SATA e medidas para responder ao problema da habitação, fixação de médicos e combate às dependências.
“Definimos um programa que entendemos que é muito equilibrado, que tem linhas muito claras, por exemplo, relativamente àquele que é o nosso entendimento sobre a permanência, ou não, da [companhia área] SATA em mãos açorianas”, disse Carlos Furtado, cabeça de lista do JPP por São Miguel e pelo círculo regional de compensação às eleições dos Açores.
E prosseguiu: “Essa é uma matéria que quisemos deixar bem claro. Para nós, quem quer que a SATA continue a ser açoriana, vota JPP porque, claramente, é o partido que defende isso com toda a convicção”.
O JPP/Açores divulgou o programa eleitoral, com 22 páginas, que é considerado pelo seu líder como sendo “objectivo, prático e de proximidade” às necessidades dos cidadãos.
“[No documento] também temos linhas relativamente àquilo que é o nosso pensamento político, sobre aquilo que deverá ser a acção política e dos políticos no pós 4 de Fevereiro [dia das eleições regionais]”.
Segundo Carlos Furtado, o JPP entende que “é de toda a importância que a lei eleitoral dos Açores seja revista, no sentido de reduzir o número de deputados, reduzir os cargos governativos, reduzir a despesa inerente a todos esses cargos e a toda essa actividade governativa, porque esse é o caminho”.
“Se quisermos que o eleitorado se aproxime novamente dos políticos, temos que dar o nosso primeiro passo. E o nosso primeiro passo é assumir que a despesa política na Região é cara para aquilo que são as possibilidades dos açorianos”, justificou.
Para o JPP, a extinção da figura do Representante da República, “afigura-se como elemento determinante no reconhecimento das autonomias regionais e proporciona um mais estreito relacionamento entre os poderes legislativo e executivo das regiões para com a Presidência da República”.
No sector da Saúde, o programa eleitoral do partido para os Açores defende, entre outras medidas, a redução das listas de espera e o reforço dos quadros médicos (mediante protocolos com as universidades dos Açores e da Madeira).
O combate às dependências -, que na Região assume várias formas, “desde o álcool, às drogas naturais e sintéticas, até aos índices de consumo de medicamentos para tratamentos mentais que têm tido uma taxa de incidência muito acima da média europeia” -, é outra das prioridades.
Já em matéria de Educação, a candidatura do JPP considera “fundamental serem criados mecanismos de fixação de todos os quadros que compõem os activos das escolas, com especial enfoque no corpo docente”.
Para ultrapassar a falta de habitação no arquipélago, “um direito cada vez mais difícil de ser concretizado”, sugerem-se medidas “de discriminação positiva para os residentes permanentes, em matérias de reabilitação urbana, construção e/ou compra”.
Na área da Economia, entre outras propostas, a candidatura liderada por Carlos Furtado considera “necessário apoiar, criteriosamente, investimentos privados com relevante interesse económico e social para a região”.
Quanto às finanças públicas regionais, segundo o partido, “devem sempre cumprir rácios de endividamento que não comprometam as futuras gerações”.

Edit Template
Notícias Recentes
Turistas gostam da paisagem e da segurança e não gostam dos serviços de restauração e dos transportes de táxis e de autocarros
Desaparecido turista belga que se encontrava a realizar um trilho pedestre na Lagoa do Fogo
Sismo de magnitude 2.6 na escala de Richter sentido na ilha Terceira
Programa para a prevenção do cancro gástrico arranca na Terceira
Detido indivíduo fortemente indiciado da prática do crime de detenção de arma proibida na Ribeira Grande
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores