Edit Template

Açores registam subida nas receitas do turismo e procura acentuada para o Verão

Açores e Madeira voltam a destacar-se no sector do turismo este ano, especialmente no Verão.
Com efeito, o ano de 2024 arrancou para os hotéis em Portugal com um forte aumento na procura – mais 29% face a 2023 e, neste momento, destacam-se especialmente as reservas de Junho a Agosto.
Os dados do portefólio de clientes da Guestcentric – cerca de 400 hotéis independentes em Portugal – revelam que as reservas directas continuam a ser a escolha predominante dos viajantes, ultrapassando outros canais como a Booking.com.
Esta tendência é acentuada pela elevada taxa de cancelamentos nestas plataformas de terceiros, realçando a resiliência e a preferência pelos sites dos próprios hotéis.
Este ano, o preço médio por noite para estadias entre Junho e Agosto encontra-se no recorde histórico de 259 euros.
Comparativamente ao ano passado, trata-se de um aumento de 6% no preço médio, e de mais 7% face às reservas futuras.
Em termos de mercados, os EUA continuam a liderar na procura de estadias em Portugal, seguido de perto pelo mercado nacional – mais forte este Verão do que no ano passado.
O Reino Unido, Alemanha e Espanha completam os cinco primeiros mercados em termos de nacionalidades de hóspedes, para os meses de Verão.
Todas as principais regiões de Portugal registam aumentos substanciais em estadias e receitas para o Verão de 2024, face ao ano anterior.
Portugal, no seu todo, verifica além do aumento de 26% nas receitas, um incremento de 20% nas noites reservadas e preços médios 6% acima do mesmo período em 2023.

Açores com aumento
de 40% de receitas

Em termos de regiões, a Madeira destaca-se claramente, com o crescimento nas receitas de 55% face a 2023, seguida pelo Norte, que regista um aumento de 41% e os Açores com 40%.
Tanto a Madeira como os Açores verificaram aumentos consideráveis nos seus preços médios, de 19% e 18%, respectivamente.
A nível mundial, a indústria de viagens e turismo já ultrapassou os resultados de 2019 – e não se verificam sinais de desaceleração, assistindo-se tanto a uma maior despesa no consumo privado como a normalização nas viagens de negócios.
No actual panorama de mercado das Online Travel Agencies (OTA), a Booking tem perdido quota de mercado face ao canal directo e ao grupo Expedia que registam forte crescimento para o Verão em Portugal.
Assistimos ainda à recuperação de todo o sector B2B, nomeadamente o GDS, consolidadores e operadores turísticos, com aumentos de 50% face ao mesmo período em 2023.
O sector B2B está a tornar-se cada vez mais relevante, prevendo-se que exceda os 2,1 triliões de dólares em 2024, considerando a receita gerada pelo conjunto de de viagens aéreas, hotéis, alugueres de casas de férias, OTAs e cruzeiros, reflectindo um mercado pujante.
No entanto, a indústria enfrenta desafios contínuos, tais como um mercado laboral sob pressão e a fraca retenção de trabalhadores.
Para ultrapassar estas questões, os hoteleiros intensificam os seus esforços de adopção de tecnologias inovadora, focadas em quatro áreas chave: melhorar a experiência do cliente; aumentar o envolvimento dos seus colaboradores; tornar as suas operações mais eficientes, e maximizar a sua receita.
Além disso, e uma vez que as reservas directas continuam a ser a fonte de receita com margens de lucro mais elevadas, os hoteleiros procuram cada vez mais optimizar a tecnologia para maximizar os seus canais de reserva directa.
Através de análises avançadas, estratégias digitais personalizadas e uma maior presença de marca, os hotéis podem conhecer e antecipar melhor as necessidades dos hóspedes, personalizar as suas ofertas e, assim, atrair mais reservas directas.
Resumindo, face aos desafios que lhes são colocados pelo mercado laboral actual, o crescente investimento dos hoteleiros em tecnologia não é apenas uma solução para melhorar a sua eficiência operacional e a retenção de colaboradores.
Trata-se de uma abordagem estratégica para expandir o seu negócio directo, melhorar a experiência dos hóspedes e adoptar práticas sustentáveis – todos estes factores essenciais para assegurar a sua competitividade numa indústria em rápida evolução.

Edit Template
Notícias Recentes
União Desportiva do Nordeste comemora os 50 anos do clube
2ª edição da formação “Cidadania Digital: Riscos e Oportunidades da Internet”
Bolieiro manifesta oposição à criação de uma taxa turística regional
Actividade ambulatória de Pediatria regressa amanhã ao HDES
Há 5 municípiosnos Açores com mais procura de casas para viver no campo
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores