Edit Template

Madalena apela à separação de resíduos

A produção de resíduos no Concelho da Madalena registou em 2023 um novo máximo histórico. Ao todo foram recolhidas mais de 2 700 toneladas, sendo apenas 15 por cento provenientes da recolha selectiva. Com uma das taxas de reciclagem mais baixas de toda a Região, a Autarquia paga quase 10 mil euros por mês para tratamento de resíduos.
“É fundamental invertermos esta tendência”, apela Catarina Manito, Vice-presidente da Câmara Municipal da Madalena, acrescentando que “cerca de 71 por cento dos resíduos colocados no indiferenciado poderiam ser valorizados”.
“Se estes resíduos tivessem sido depositados correctamente nos contentores de recolha selectiva, a autarquia teria pago em 2023 à ResiAçores 22 mil euros, em vez dos 93 mil que efectivamente pagou. Para além do evidente ganho financeiro, o nosso concelho teria beneficiado do ponto de vista ambiental, porque na verdade a separar ficamos todos a ganhar”, realça a autarca.
Com uma taxa de reciclagem de cerca de 15%, as famílias e empresas madalenenses separaram sobretudo cartão (214 toneladas) e vidro (106 toneladas), em particular nos meses de verão (17%).

“Todos responsáveis”

“É crucial que todos assumamos a responsabilidade de tornar a gestão de resíduos no nosso concelho mais sustentável. Somos todos responsáveis. empresas, entidades governamentais e consumidores. Cabe a todos e a cada um de nós dar o seu contributo por uma Madalena mais verde e mais amiga do meio ambiente”, reforça Catarina Manito.

Edit Template
Notícias Recentes
Venda de casas arrefece e oferta imobiliária aumenta 16% em Ponta Delgada
Oposição vai requerer inconstitucionalidade da polémica prioridade nas creches
Os cinco pisos da ala nascente do HDES já estão reabertos e acolhem 76 doentes
Missa aos sábados na Ermida de Nª Sª da Paz
Tolerância de ponto para a função pública em festas do Pico, Santa Maria e Corvo
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores